Antony Flew, ex-ateu, garante: “Deus Existe”

deusexisteflew

“As provas inconstestáveis de um filósofo que não acreditava em nada” é o subtítulo deste livro de Antony Flew com Roy Varghese, Deus Existe” (Ediouro, 2008). E é exatamente aquilo que você não irá encontrar ao lê-lo.

Em um livro de quase duzentas páginas, é apenas na página 83 que encontramos a primeira rápida menção ao que levou o filósofo Flew a abandonar o ateísmo que nutriu desde a adolescência. Até então o filósofo se alonga ao contar detalhes de sua vida, indo desde as férias de sua infância com seu pai religioso, seu namoro e casamento, os trabalhos que publicou sobre a questão de deus e como foram recebidos. Tudo em detalhes, exceto aqueles sobre os argumentos por trás desses trabalhos, mencionados apenas de passagem em meio à profusão de datas e nomes de colegas, lugares, instituições.

Depois de tudo isso, você esperaria que a segunda metade do livro finalmente mergulhasse nas “provas incontestáveis”… no que, claro, estará enganado. Não há referências ou bibliogragia indicadas e os argumentos são expostos como um “porque sim”, ou melhor, como um “porque não”. Principalmente um “porque não”, uma vez que apesar de negá-lo explicitamente, as supostas provas defendem um deus das lacunas.

E é então que aqui, no quarto parágrafo, menciono finalmente as provas de Flew. E elas são… o criacionismo. O livro é uma defesa muito explícita do criacionismo, não apenas argumentando que a ciência não pode explicar a origem da vida e inteligência, como é fundamentalmente incapaz de lidar com a questão de “quem escreveu as leis da natureza”, como elas estão ajustadas para nós, e como alguma coisa pode ter vindo do nada. Não pode, “porque não”, a menos que tenha sido criada.

A primeira prova citada, naquela marcante página 83, é a complexidade do DNA. Posteriormente se apresenta mesmo o “teorema do macaco”, sobre como macacos batendo em um teclado nunca produziriam uma obra de Shakespeare, e como isso e algo mais provaria que a “única explicação satisfatória para a origem dessa vida ‘dirigida por um propósito e capaz de se reproduzir’, como a que vemos na Terra, é uma Mente infinitamente inteligente”.

Ao final desses “porque não” que seriam suas provas, Flew se declara “aberto à onipotência”, dando a entender que não só aceita agora como evidente e comprovada a existência de um deus aristotélico, como concede mesmo que a religião revelada, em particular a cristã, pode bem ser verdadeira.

Cede então a palavra a dois apêndices, o primeiro em que o executivo Roy Varghese refuta Dawkins, Wolpert, Harris e Stenger, e o segundo em que o bispo N.T. Wright mostra por que devemos acreditar que a Ressurreição de Jesus de fato aconteceu. Sim, você leu corretamente.

O próprio Flew encerra o livro com dois parágrafos sobre os argumentos de Wright sobre a ressureição, que vê como uma “explicação absolutamente maravilhosa, absolutamente radical e muito poderosa”. E termina falando sobre como Deus é poderoso. Amém.

CRÍTICA
Todas as “provas incontestáveis” do livro são não somente contestáveis como em sua maioria contestadas. Dois exemplos: Dawkins, mencionado várias vezes, de fato mostrou como a obra de Shakespeare pode emergir “evolutivamente”.

Macacos batendo aleatoriamente em um teclado devem realmente levar bilhões de anos para produzir Macbeth, mas a evolução não consiste apenas de batidas aleatórias, e sim da seleção dessas batidas de uma forma bem determinada e cumulativa. Com seu programa Weasel, Dawkins chegou a uma frase de Shakespeare a partir de letras aleatórias em apenas 43 gerações.

Outras “provas” são similarmente contestáveis, como a “sintonia fina” de constantes e leis naturais que indicaria que “o universo sabia que íamos chegar”. É uma apresentação do princípio antrópico forte.

Aqui também, chega-se a mencionar um autor que ofereceu refutação clara, sem no entanto abordar ou compreender a refutação em si mesma. O físico Victor Stenger notou, por exemplo, como o argumento antrópico forte falha em considerar as chances de que vida e complexidade poderiam emergir de outras condições.

Caso você acompanhe algo da retórica criacionista e sua refutação, isso tudo deve soar muito familiar e desapontador… como será possível que um respeitado filósofo que defendeu argumentos claros e lúcidos passe a acreditar em deus com base em “provas” tão pífias, aparentemente desconhecendo sequer a discussão ao redor delas?

A resposta é surpreendente. O livro simplesmente não foi escrito pelo filósofo inglês Antony Flew, e sim pelo pastor evangélico Bob Hostetler (que não é mencionado ou creditado) e o co-autor, também criacionista, Roy Varghese.

GHOSTWRITERS EXISTEM
Com mais de 80 anos, as acusações de que a conversão do filósofo se devem à senilidade podem soar muito desagradáveis, mas o fato é que o próprio Flew admitiu que não escreveu o livro.

“Isso é na verdade coisa do Roy [Varghese]”, disse Flew ao jornalista Mark Oppenheimer do New York Times. “Ele mostrou para mim e eu disse tudo bem. Estou muito velho para esse tipo de trabalho!”.

Varghese admitiu-o também. Segundo o homem de negócios que tem acompanhado Antony Flew nos últimos anos, ele combinou escritos anteriores do filósofo que admira com cartas e entrevistas, organizou tudo, e submeteu à editora que encarregou um autor profissional – o pastor Bob Hostetler – de revisar e editar o trabalho.

Isso explica por que tanto do livro é dedicado a amenidades irrelevantes, como a biografia de Flew – provavelmente obtida por entrevistas –, e há tão pouca coerência e claridade nos argumentos, por sua vez, meros libelos do fundamentalismo cristão. Varghese, por exemplo, ainda repete (ao menos não no livro), a velha história de que segundo cientistas, as abelhas não deveriam poder voar.

Frente a tais revelações, uma declaração atribuída a Flew posteriormente reafirmava que apesar de tudo, ele havia lido o livro antes da publicação e a obra refletia seus pensamentos a respeito. O que talvez seja verdade, mas seria tão ou mais lamentável.

Sabemos ao certo que o filósofo realmente se tornou um deísta, aparentemente defendendo o deus aristotélico. Para ele, deus realmente existe. Além disso, no entanto, não sabemos exatamente por que ele mudou de idéia, e infelizmente, ele mesmo não parece sabê-lo.

Richard Carrier, editor do infidels.org, chegou a manter correspondência com o inglês e o pouco que descobriu não foi claro nem animador. Flew mudava de idéia ou se contradizia facilmente, e isto, com letras de seu próprio punho.

É particularmente deprimente que a questão da senilidade de Flew seja efetivamente relevante aqui, e detalhes pessoais se mesclem com o que poderia ser de fato muito relevante.

Porque Antony Garrard Newton Flew foi um filósofo relevante, e chegou a ser mesmo celebrado em círculos ateístas – comparado a um Dawkins dos anos 1950, embora nunca tenha sido um ateu virulento. Como não é, tampouco hoje, um teísta especialmente virulento.

A virulência nos dois campos do conflito levam à insólita e terrível situação em que um homem idoso é explorado como troféu por fundamentalistas cristãos, apenas para ser atacado sem qualquer sutileza por ateus que não hesitam em acusá-lo simplesmente de caduco.

[O livro foi recebido por este lablogueiro por cortesia da editora Ediouro]

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 52 comentários

  1. Guinan disse:

    Ah, a fantástica armadilha do Princípio Antrópico que alguns cientistas caem com facilidade…
    Suponho que a causa para tanto se acreditar nesse princípio seja os nossos vocabulários e como descrevemos conceitos científicos no geral, biológicos, físicos.
    Quando nós meros mortais aprendemos ciências, principalmente biologia, o nosso vocabulário leva a crer que as formas de vida escolheram evoluir, escolheram ter chifres, barbatanas, por que isto seria vantajoso para sobrevivência de cada indivíduo, animal, planta, micróbio…
    Como se houvesse determinismo conspirando para que todo os eventos no passado nos trouxesse ao presente.
    Omitem de ensinar que tempo+acaso é a causa real, que bilhões e bilhões de formas de vida morreram porque não conseguiram sobreviver, e nós ironicamente somos os filhos dos que sobreviveram.

    • Jozadaque disse:

      A grande questão a ser tratada não é a evolução, que têm uma plataforma sólida e muito pertinente. O que não se cala é falar sobre o nada e tentar responder como ele criou a vida, pois o nada é estéril, sendo ele estéril quem foi que fez a primeira faísca? O acaso?

  2. Luis Brudna disse:

    Putz.
    Que livro desastroso.
    Argumentos fracos e história maquiada. Difícil ser pior que isso.

  3. cretinas disse:

    A melhor resposta ao princípio antrópico é um comentário de Peter Medawar: como a água dentro de um buraco no chão deve se sentir o centro do universo, afinal, o buraco obviamente foi criado com a forma perfeita para acomodá-la…

  4. Carlos Magno disse:

    Pelo menos os “co-autores” provocaram a ira dos céticos, festejam a vingança, além de creditar alguns centavos a mais nas suas contas.
    Que Deus existe é fato incontestavelmente provado por quem O vê e com Ele fala. Bastam-nos somente isso. Para que perder tempo com céticos arrependidos?

  5. João Carlos disse:

    Pelo jeito, os prosélitos criacionistas aprenderam a “vender” papers… Pegue a assinatura de alguém com renome e inclua como autor principal de um artigo absolutamente ridículo… (com as vantagens de não precisar de uma peer revison) :cry:

  6. ac/dc disse:

    Agora os fundamentalistas exageraram,estão explorando velhos caducos…lamentável…não conseguem vencer nos argumentos e aí apelam…

  7. Dimitri disse:

    Papai Noel também existe e é fato incontestável. Pode perguntar pra minha filha de 4 anos.
    Você pode até ser cético quanto a existência de Papai Noel como pessoa ou como energia que materializa presentes, mas este é apenas SEU ponto de vista.
    Se você não é capaz de aceitar Papai Noel em seu coração, pra você ele não existe, e você nunca receberá Seus presentes.
    Se você como cético precisa de provas da existência de Papai Noel, simplesmente olhe para a beleza e harmonia natalina. Toda aquela alegria nos olhos de centenas de crianças é prova mais do que suficiente que esta força mágica de amor e esperança retribui aqueles pequeninos puros de coração e alma.

    • Hugo Dleon Pimentel da Silva disse:

      Que História é essa de Papai Noel? Vamos deixar de dizer essas mentiras as nossas crianças, todos sabemos que o Papai Noel, arvore de natal, presentinhos e etc são criações capitalistas para movimentarem o mercado. Natal de verdade está centralizado na pessoa de Jesus Cristo, ele é que deve ser louvado e lembrado nos lares pelas famílias, quanto ao clima de amor e alegria, qual pessoa nos ama mais do Cristo nos amou?Jesus nosso senhor nos enche de uma eterna felicidade!!!

  8. Paulo disse:

    Afinal qual o público alvo deste livro?

  9. Andre disse:

    O nome disso é falar com deus? Caraca, eu pensei que era esquizofrenia.

  10. Carlos Magno disse:

    Para a deliciosa ingenuidade infantil Papai Noel é mais do que Deus.
    Mais tarde podem concluir que Deus também é Papai Noel.

  11. Juliana disse:

    Deprimente…

  12. Gilligan disse:

    li no orkut que você está concorrendo a uma medalha num concurso promovido pela fraternidade branca se conseguir convencer um ateu de que deus existe, correto?

  13. Igor Santos disse:

    hehehehehehhehehehehehehehehehehehehehhehehehehehehehehehehehehehhehehehehehehehehehehehehehhehehehehehehehehehehehehehheheheheheheheheh

  14. Gabriel disse:

    Estou completamente atrasado nesse comentário, mas só vi agora e não resisti…
    Muito bom o post. De fato, é impressionante o que fazem pra tentar convencer as pessoas da existência de deuses e outras coisas. Seria realmente cômico se não fosse triste. Mas foi engraçada a parte sobre macacos que nunca produziriam uma obra de Shakespeare batendo em um teclado, porque tive aula de processos estocásticos há um ano e o professor demonstrou exatamente o contrário, ou seja, que isso é perfeitamente possível, e com uma continha extremamente simples… heheheh
    E faço o mesmo questionamento que o Paulo: Afinal qual o público alvo deste livro? Provavelmente os próprios cristãos, que acharão lindas as mensagens contidas nele, já que os argumentos apresentados, aparentemente, jamais convenceriam alguém sobre a existência de deus.

  15. Marcello disse:

    Onde vocês compraram este livro?
    Quanto pagaram?

  16. Hélio dos Santos disse:

    Infelizmente aquele que não crê em um Criador não deveria acreditar em nada,nem no que acredita nem na possibilidade de acreditar,argumntos à parte eu tenho um relacionamento cm o DEUS DOS ARGUMENTOS e sou correspondido!
    Chega de idolatria e cegueira com a filosofia e a ciência.
    Sabemos que tem muitos intelectuais fanaticos em dizer que não são assim….

    • lu disse:

      É meu amigo, a salvação não é para todos. Se todos acreditassem e fizessem a vontade de Deus, o mundo seria mil maravilhas. O pior cego é aquele que não quer ver. conhece essa frase? mas o que devemos fazer, é evangelizar, a obra quem faz é Deus, apenas vamos fazer nossa parte. Quem tem ouvidos ouçam e quem tem olhos vejam. Esses ateus querem prova da existência de Deus, mas apenas os humildes verão o seu poder e principalmente quando se tem fé. “Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que buscam.” Hebreus 11:6. não podemos vê-lo mas podemos senti-lo em nossas vidas.
      Sem fé um cego espiritual não pode ver, um paralítico espiritual não pode andar e alguém que esteja vivendo em estado de comatose ateística não pode entender.

      Evangélica – crente e fiél a Deus
      Mila-17 anos
      Abraços

  17. Henrique disse:

    Olá, Kentaro! Também sou um apaixonado pela ciência, o que não me impede de (na verdade me obriga a) considerar a possibilidade da existência de um Criador, e como você deve saber, estou muito bem acompanhado nessa minha visão das coisas. Não são poucos os grandes homens de ciência do nosso tempo que compartilham dessa visão.
    O livro do Antony Flew também me decepcionou, mas, ao que me pareceu, ele se convenceu da perfeita validade científica da teoria da Causa Primeira:
    Em algum momento, alguma coisa tem que ter surgido de uma casa não causada, pois em caso contrário, seríamos levados a uma regressão infinita. E não há como negar que essa causa primeira se parece com o que se convencionou chamar “Deus”.
    Sabe-se que toda causa é anterior ao seu efeito. Assim sendo, por exemplo, uma planta nasce (efeito) porque uma semente foi plantada (causa). Para uma coisa ser causa de si mesma teria de ser anterior a si mesma. Por isso não há coisa alguma que seja causa de si mesma.
    Desse modo, se for supressa uma causa, fica supresso o seu efeito. Supressa a causa não haverá o efeito. Se a série de causas concatenadas fosse indefinida, não existiria causa eficiente primeira, nem causas intermediárias nem efeitos desta, e nada existiria. Ora, se ccoisas existem, a série de causas eficientes tem que ser definida. Existe então uma Causa Primeira que tudo causou e que não foi causada.
    Stephen Hawking, em “Breve História do Tempo” reconheceu que a teoria do Big-Bang exige um Criador. Diz a tradição que Sócrates morreu dizendo: “Causa das causas, tem pena de mim”. A negação da Causa primeira leva a ciência materialista a contradizer a si mesma, pois ela concede que tudo tem causa mas nega que haja uma causa do Universo. Isso para mim não é ciência, mas uma nova espécie de religião.
    Forte abraço.

  18. Jonatas disse:

    Puxa, até pensei em comprá-lo com um título chamativo como este, mas parece que o livro é ruim mesmo.
    Vai ser difícil aparecer um livro que prova a existência de Deus…até mesmo porque isso deixa de ser fé e passa a ser ciência, coisa que talvez nunca aconteça, ou num futuro muito brilhante da humanidade onde os cientistas se curvarão a Deus. :-)
    Sobre o materialismo evolucionista, é verdade: A bola sempre bate na trave da primeira causa. Como um colega comentou:
    “Hawking infelizmente admite que tem que existir algum ato criador…mas ele não gostaria que fosse assim.
    Criacionistas: sugiro a este público procurar ler sobre ‘criação evolutiva’. A Bíblia não é um livro científico (embora se ache coisas interessantes nela) e usá-la para rebater o evolucionismo é uma furada.
    Ateístas: Não tenham fé demais na ciência. Infelizmente ela não responde tudo. Se você não é cartesiano (procura respostas pra tudo), bele….fica na sua. Mas se vc é daqueles que gosta de obter respostas, vá atrás…leia, mas não se limite ao mundo ateísta.
    Abs

  19. Wasser disse:

    …Bem que desconfiei quando um amigo me disse sobre a conversão deste filósofo… Eu particularmente sou teísta e evolucionista. E depois de ler esta sinopse, perdí até o gosto de ler o livro – que na verdade é mais um daqueles que os criacionistas lutam contra as evidências para emplacar suas crenças fundamentalistas como se fosse ciência.
    Valeu por ter me poupado de gastar dinheiro atoa…

    • ana beatriz disse:

      poxa me decepcionei com o livro tbm mais tem mts coisas legais q só o criacionismo pode explicar como os halos de polônio e como os passaros evoluíram de repteis pq uma meia asa é uma desvantagem mt grande a um animal e não há nenhum ser de transição q comprove a evolução.

  20. Jonatan Lima disse:

    Ainda não sei como uma pessoa pode não acreditar em Deus.
    Tenho certeza que são vazias, e não são felizes completamente! Não falo de religião e sim de fé.
    aah, como eu acredito em Deus, sinto sua presença na minha vida.
    Acredito no meu Deus, aquele que nunca me abandonou e que quando estou angustiado posso derramar as minhas lagrimas perante ele. Como é bom saber que não estou sozinho, que ele esta do meu lado e sentir o quanto ele me ama.
    Deus, aquele que me tirou do mundo, que limpou-me de todo mal, me trouxe a VERDADEIRA felicidade, aquele que me curou de uma enfermidade terrivel, que tirou meus amigos das drogras e que me disse, segue filho, pois eu estou contigo!
    Esse é o Deus que eu sirvo, é o Deus em que quero passar o resto da minha vida o servindo.
    A ciência pode até tentar achar teorias para tudo, mas explicar o amor, a cura, os milagres, e a presença dele que é real na minha vida, a ciência nunca vai conseguir!
    A se todos pudessem sentir o que eu sinto!
    Não pensem que sou um pastor fanático,
    sou um adolescente que ja conheceu os dois lados.
    Por favor, acordem… os sinais do apocalipse estão ai (Guerras, pestes (gripe suina), fome, terremotos (inclusive no Brasil), pai matando filho, e vice-versa.
    Não a como negar, isto está escrito na biblia e está acontecendo.
    Vigiai, pois não sabeis o dia nem a hora, em que o filho do homem há de vir!

  21. Albert R. C. Guedes disse:

    A prova pra mim que Deus existe, é que é realmente possível entendermos o universo, pois nada diz que possamos fazê-lo, nossa mente trabalha com o que os sentidos nos fornecem, analogias, simplificações e modelos, mas sabemos realmente até que ponto a mente humana pode chegar a conhecer o universo ? Poderemos REALMENTE ver a estrutura final do que existe ?
    Aqueles que falam afirmativamente a isso, é mais crédulo do que o mais fanático dos religiosos, pois acreditar que o ser humano pode chegar a saber de tudo que existe, é absolutamente um grande ato de fé, e não possue sentimentos muito diferentes daquele que acredita num criador.
    E para provar que essa discussão é pra lá de infundada, digo que nenhum pesquisador até hoje gastou um centavo sequer pra fazer uma pesquisa que prove/refute que Deus existe.
    Se os ateus acham “tão” importante atestar a inexistência de um criador, vão aos laboratórios e refutem (espírito Popperiano :) , ou comprovem !
    Quem crê atesta que teve provas sólidas de Deus, e “creio”, quem seria bizonho de seguir algo que não tenha comprovado ?
    Nesse ponto , céticos têm razão, crer num criador, sem ter uma manifestação do próprio, é acreditar insipdamente em algo potencialmente inexistente.
    Se um cara viu Buda ou Ave Maria, não é um ateu que vai convencer o mesmo de que não viu, e não é esse cara que vai convencer o ateu a crer. Quer dizer, essa discussão e insipda, porque nenhum dos dois lados vai convencer o outro, porque ambos vão possuir experiências diferente sobre o fato, e só os dois vivenciando a mesma experiência vai compravá-lo, ou a falta dela notada por ambos vai refutá-la. Mas até agora, todos discordam de todos.
    Finalizando, aos crédulos, esperem que o próprio criador se prove aos outros e atestem sua fé, aos céticos, considerem as crenças religiosas como manifestação cultural como os sociólogos e antropólogos fazem , afinal, tem muita coisa bonita produzida por elas, e vão ficar menos incomodados se começarem a ver o lado bom das coisas pra variar.

  22. raph disse:

    Não existe coisa mais inútil do que tentar convencer os outros que Deus existe ou não existe. Fato.

  23. marcio disse:

    Não sei como homens gastam tempo com tanta balela, descupe a sinceridade na força da palavra, os ateistas que afirmam que Deus não existe, estão certos, pos ele não é criatura ele é o criador e o mesmo é Eterno só existeaquilo que foi criado.
    voce quer uma prova crie condições para que a menor particula do ser humano evolui se ela se torna um homo-sapins
    eu darei o braço a torçe, agora Deus pode fazer voce nascer de novo espero que voce não pergunte como? igual Nicodemos.

  24. Tom disse:

    Albert RC Guedes.
    Seu texto é pura pregação.
    Além de demonstrar seu enorme des-saber, no que diz respeito ao método científico, e o porquê que não se gasta dinheiro para “provar” q deus não existe.
    Talvez seja pelo mesmo motivo que não se investe em pesquisas para provar que gnomos e fadas não existem.
    abs

  25. Carlos disse:

    Tem um artigo interessante no blog Design Inteligente.
    O post chama-se “Antony Flew, ex-ateu, critica Dawkins e o THE GOD DELUSION“. Gostei bastante.

  26. Leme disse:

    Triste, muito triste a postura dos “ateístas informados”…
    Apesar de Flew não ter apresentar provas conclusivas, que demandam de demonstração, os argumentos ateístas também são ridículos. Dawkins também peca no “método científico” assim como grande parte de seus “seguidores”.
    Não há nenhuma conclusiva nem a favor nem contra a questão.
    A postura “ateísta darwinista” é similar à alguém que acredita que P=NP, só porque provar o contrário é mais difícil, e então não adimite que ninguém acredite que P!=NP (Engraçado, neste caso, a maior parte da comunidade científica acredita que P!=NP).
    A minha crítica fica à desrespeitosa postura ateísta, que apesar de não provar “nada”, gaba-se arrogantemente de ser mais “inteligente” que a postura teísta. Ridículo!

  27. Nanda Silva disse:

    As pessoas vivem uma vida aí por viver vai se levando até a morte, axando q ñ vai ter consequências. Sem qrer aceitar a verdade estudam tanto. E sempre dpox d muitos estudos descobrem q a BÍBLIA já havia falado, e tem sempre a razão. As pssoas buscam um outro lado. Uma vida vazia e lá no fundo do seu coração tem medo de aceitar a existência de Deus, e as leis q o Senhor deixou até a sua vinda. Reforçou qndo Se fez carne e habitou entre nós. só 1 dos ex:João capitulo.1 versiculo do 1° ao 5º. Antes de ser criado o mundo, Aquele que é a Palavra (JESUS) já existia. Ele estava com Deus e era Deus. Por meio da Palavra, Deus fez todas as coisas, e nada do q existe foi feito sem ela. A Palavra era a fonte de vida, e essa vida trouxe a luz para todas as pessoas. A luz brilha na escuridão, e a escuridão ñ consguiu apagá-la. E em 1º corintios 21. Pois Deus na sua sabedoriaa ñ deixou que os seres humanos o conhecessem por meio da sabdoria deles. Pelo contraio, resouveu salvar aqueles que crêem e fez isso por meio da mensagem que anunciamos, a qual é chamada de “louca”.
    Parabéns por ter descoberto logo, pois nesse livro profético “BÌBLIA sagrada” tbm fala q até a conssumação dos seculos Ele vai voltar e até os mortos serão ressucitados para prestar conta do que fez. Amém!
    Ñ existe maior felicidade do q a felicidade de viver com esse Nosso Deus.
    Deus é fiel.

  28. armagedom disse:

    Claro que Deus existe. É lógico. o ilógico é crer que o mundo foi criado ao acaso. que o caos gerou ordem!!!
    pode fazer milhões de experiências… provoque milhões de explosões em várias situações e verá somente destruição.
    por fim…
    quando precisar clame ao Senhor Jesus Cristo e Ele te ouvirá. Nosso Deus faz justiça, mas também é misericordioso.

  29. Ricardo disse:

    Leme, você usou o argumento #56.
    Nanda, você usou o argumento #58 e terminou com o #13.
    Armagedom, você usou o argumento #14.
    Duzentas provas de que Deus existe:
    http://simplesmente.com/2009/11/26/provas/

  30. Oseias disse:

    Eu pensava que o método da ciência era o experimento e a observação.
    A própria ciência é tanto observável quanto experimental. Por exemplo, o biólogo observa a estrutura e a função da vida, humana ou não.
    Com base em certas observações, o cientista pode realizar experiências para apoiar suas conclusões.
    Muitos dizem que só o que é cientificamente verificável é verdadeiro. Infelizmente, nenhum experimento cientifico pode averiguar essa afirmação. Alem disso a ciência se baseia na lógica, e nenhum experimento cientifico pode verificar alógica.
    Entretanto, a ciência pressupõe uma certa ordem interdependente de conhecimento, e ignorar essa ordem ou abusar dela pode levar a inferências e conclusões altamente questionáveis no que refere à realidade.
    A ciência não tem respostas pra tudo, à ciência não pode provar cientificamente o amor, ódio, o pensamento a minha ida a faculdade ontem.
    Então eu penso que pra ser ateu tem que ter muita fé, como disse o Dr. Geisler não tenho fé o suficiente pra ser ateu. O ateísmo também é uma crença, o Darwinismo não tem como provar como a vida começou usando os métodos da ciência.
    Além disso, a ciência se baseia na lógica

  31. Buckaroo Banzai disse:

    Quanta coisa falada acerca de nada. Não acho que deveriam perder tempo com isso nos scienceblogs, não mais do que com outros deuses fora dos moldes desse monoteísmo-quase-abraâmico-mas-onde-deus-não-é-literalmente-um-cara-sentado-num-trono-flutuante-numa-nuvem.

  32. Héssed disse:

    Que post triste (digo, triste mesmo).
    É triste ver mais um ateu fundamentalista, que nem para escrever Deus com D maiúsculo como se é escrito convencionalmente na literatura independentemente de crença, é capaz, tudo para defender uma pose de cientista que não enxerga filosofia.
    Isso é triste, cya!

  33. Romeu disse:

    Ué!? A parábola dos dois jardineiros é clara. Só existima cisnes brancos derepente foram descobertos cines negros. Então o que é negro branco lhe parece e o que é branco negro lhe parece.

  34. A fé religiosa é o “Alzheimer” dos místicos idosos, e a pesquisadora Laura Cartensen, da Universidade de Stanford observou que, Os idosos aproveitam o que ainda lhes restaria e evitaria as situações estressantes… A “Dissonância Cognitiva” explica que, Quando o místico não consegue conviver com o conhecimento de que um dia irá morrer ou tem pensamentos conflitantes, relacionados com a sua crença, o cérebro mágico do místico inventa algo que reduza o conflito ou interpreta o infortúnio como sendo a vontade de algum suposto Deus.
    À medida que os pensamentos ateus esfriam e o místico vai ficando decrépito, vai perdendo a capacidade de questionar os dogmas ocos e sem nexo que lhe são apresentados, os místicos idosos passam a acreditar que foi chamado por Jesus; Temeria o que foi infiltrado na sua mente; Se voltaria para as religiões, e acharia que seguia o “caminho das trevas”, que passava pelo “Vale das sombras”, mas que descobriu Jesus…
    Além disso, existiriam outros motivos quase tão forte como o medo da morte, que fariam com que o místico não ceda um milímetro do que acredita, e não aceite modificar uma só vírgula da sua crença.
    Um deles seria que, os místicos idosos estariam de tal forma ESTRATIFICADOS; isto é, aferrado de tal forma nas suas idéias, que qualquer coisa que os desestabilize seria tida como sendo Demoníaca!
    Ao envelhecer, o cérebro do idoso perde milhões de neurônios, sendo que a mente do Homem racional compensa a redução das células cerebrais com o aumento do número de conexões que os neurônios restantes realizam entre si.
    Em outras palavras, a Natureza minimizaria o encolhimento do cérebro velho, mais racional, com uma coisa chamada APRENDIZADO, que eventualmente se transformaria em SABEDORIA.
    Como a elite biológica do mundo são os jovens, os idosos perdem as disputas sexuais por parceiras, para as novas gerações, e ao envelhecer perdemos neurônios. Seria comum que os idosos emocionais fiquem com as suas estruturas cerebrais tão fracas que termine se agarrando nas supostas “recompensas” sobrenaturais… Principalmente se o indivíduo for alguém frágil, sofrido, sozinho, do tipo que nasceu para obedecer ou alguém que perdeu algo muito importante.
    Pois quanto mais decrépito, mais submisso, mais sozinho, mais emocional, mais místico ou mais infantil for o indivíduo, mais ele precisaria de algum suposto Deus em quem possa se agarrar.
    Esse é o motivo porque os que não têm sorte, não têm boas idéias ou não tem riquezas, ao envelhecer, ficar decrépito, perder milhões de neurônios, perder a saúde, perder a juventude, ficar obsoleto, perder algo muito querido, se arrepender do que fez ou deixou de fazer, ser pressionado por agressivas doutrinas religio$as, ou se conscientizar de que a morte é uma etapa inevitável da vida biológica… Se voltaria para algum suposto Deus.

  35. Yuri S. C. disse:

    hahahha!
    A eterna polêmica chamada Flew!!!
    Bravo!!!!

  36. Vandré disse:

    Onde voces aprenderam que Deus não existe? com quem aprenderam isso? e quem lhes ensinou que Deus não existe? essa opinião voces formaram ? com sua inteligência? ou com quem foi? algum de vocês leu o livro na íntegra? ou a Bíblia ? alguem já foi em alguma igreja? e algum de vocês já fez alguma pesquisa sobre o fato? pois parecem bem instruídos sobre o assunto…alguem já se informou por exemplo cientificamente, através da física quântica, quais são as novidades do momento, o que a ciência num modo holístico tem dito sobre o assunto? acho bom se informarem e crerem e até temerem, se acharem por bem…Um forte abraço …

  37. jonathas disse:

    Vandré
    respondendo alguns dos seus questionamentos, boa parte dos ateus ja foram cristãos… ou teistas se preferir.
    Boa parte dos ateus conhecem a biblia melhor que a maioria dos cristãos, e não só a biblia, muitos ateus conhecem muito bem o corão, a kabhala e livros sagrados de outras religiõs. PQ? Pq o ateu “nasce”, em sua grande maioria, justamente na busca por Deus. Por respostas. Eu proprio ja li a biblia de genesis a apocalipse. Leio a bilbia até com certa frequencia. Mas inteira de Gen a Apoc, li uma vez. Faça o mesmo caso não tenha feito.
    Holismo não é ciencia é pseudo-ciencia.
    Infelizmente a fisica quantica devido a sua complexidade tem sido usurpada e deturpada por pessoas ligadas a pseudo-ciencia. o “jargão” quantico tem sido pelas chamadas terapias alternativas.
    O Dr. Dawkins inclusive fez um documentario pra BBC aonde ele aborda o tema. Procure no youtube por: Richard Dawkins – Os inimigos da Razão (Parte 2), sobre tudo a parte 3/5 (está dividido), mas assista-o todo de preferencia. =)
    Fisica quantica é algo complexo até mesmo pra fisicos, dai sujeito de crença tal, le algo sobre fisica quantica, percebe que alguma coisa daquilo que esta lendo se parece em algum ponto com alguma coisa de suas crenças. Dai ele simplesmente formula uma pseudo-teoria com muuito pouco de fisica quantica e muito de sua crença.
    Vamos ser sinceros, não existe qualquer evidencia por mais vaga que seja de que o deus da biblia exista ou qualquer outro deus exista.
    Estamos a mais de 2000 anos tentando arrumar provas reais e incontestaveis de que o tal Jesus biblico tenha existido e nada…
    Não existe qualquer evidencia de que o universo tenha sido criado mas, mesmo que partice-mos do pre-suposto que o universo foi criado.. ainda não existiria qualquer evidencia de que tenha sido criado pra nós. Muito pelo contrario. ^^
    Analisando a historia das religiõs vc chega a conclusão de que religião é uma ferramenta POLÍTICA, é uma ferramenta de controle das massas, sempre foi.
    Você ja leu algum dos livros de Dawkins ou Hitchens ou mesmo Sam Harris? No wikipedia tem uma lista completa com todos os livros publicados pelo Dr. Dawkins. Pegue os livros de Dawkins, leia. Faça ao menos isso. Nem que seja pra no final você ter ainda mais certeza de que suas convicções teistas estão certas, mas leia.
    Em uma das muitas coisas que eu acredito é que, se DEUS existe, ele gostaria que você cresse nele não por simples medo de que caso não creia ira pro inferno mas, cresse nele com uma fé provada e experimentada pela razão. =)

  38. A GRANDE QUESTÃO
    A ciência tropeça nas explicações quando se refere às origens das coisas, das leis naturais, da matéria. Alguns alegam que a matéria é eterna, mas não sabe explicar como a matéria se estrutura inteligentemente para formar as substâncias. Isto é, ela não possui inteligência própria para formar moléculas. Por não ter inteligência, recorre-se ào ACASO, que movido pelas leis naturais, deu forma à matéria, da qual surgiu a vida. Ser ateu, é alicerçar sua crença, na matéria, nas leis naturais e no acaso como o grande formulador do un iverso.

  39. Pedro Cabral Cavalcanti disse:

    O problema não está na crença da existência ou não de Deus, pois se existimos é porque algo nos criou. O problema está na NATUREZA do criador. O Universo é INFINITO, portanto, nada pode criar o Infinito, uma vez que nada pode ser maior que ele. Então só nos resta uma alternativa: O próprio Universo é o criador. Mas para isso ele deve ser um CAMPO INFINITO DE ENERGIA (e cada dia se prova isso cientificamente). Uma Energia regida por uma linguagem matemática, logo INTELIGENTE, mas não Consciente, pois não faz sentido a existência de um ser que não conhece sua própria dimensão, já que é infinito (pelo menos, segundo Huberto Rohden esta forma de consciência que conhecemos). Para quem quer se aprofundar neste assunto escrevi o livro O MITO DO DEUS PAI publicado pela Editora Biblioteca 24X7 que discute o Universo Inteligente, senhor de sua própria criação. Entretanto, este não é um livro materialista, pois mostra que somos quantidades ínfimas de energia gerada pela vibração da Inteligência Infinita até adquirimos consciência através das sucessivas reencarnações em corpos materiais até evoluirmos para Seres Superiores (Espíritos de Luz).
    Infelizmente, este é um assunto sobre o qual as pessoas se recusam a falar e até a pensar. Elas têm medo, horror mesmo do desconhecido e isso leva ao comodismo de aceitar as explicações burlescas dos religiosos inclusive de que quando se sofre é por que o deus pai gosta muito de nós e está nos pondo a prova para ver nossa o grau de nossa fé. Esta é a desculpa que os religiosos têm par justificar a miséria humana. Como psicanalista em formação posso assegurar que esta é uma atitude de transferência dos nossos pais biológicos que nos protege quando criança para um pai mais poderoso que nos protegerá quando adultos. Esta é a razão pela qual nossos antepassados tomaram os extraterrestres que assomaram em nosso céus como deus e sua comitiva de anjos que vieram trazer justiça à Terra, fazendo prosperar os bons e aniquilando os maus, imagem esta bem retratada nos textos bíblicos e que perdura até hoje, mas o Infinito não pode se reduzir ao finito (aspecto humano). Assemelho esta condição a de um personagem de nossa história (não sei se verdadeira) chamado Diogo Álvares que preso pelos índios inflamou um pouco de aguardente e apontou para o rio. Resultado: o mesmo que os nossos antepassados e ele acabou casando com a filha do cacique.
    Pedro Cabral Cavalcanti – [email protected]

    • Alexandre E. S. Visconti disse:

      Pedro, suas colocações são muito interessantes, porém sou obrigado a discordar um pouco: Deus por definição é infinito em todos os sentidos que podemos imaginar, senão não poderia ser o Deus onipotente e onipresente, imanente e transcendente. A sua perfeição é infinita e Ele é obviamente Incriado também, por definição, pois é o Ser que cria.
      Existe um outro ponto que você citou interessante e digno de comentário: você disse que o universo é infinito. Não sabemos ainda se este universo é infinito, sabemos apenas que ele está em contínua expansão e evolução e parece que vai continuar assim para sempre devido à energia escura, que ocupa 70% do universo. Aliás, não sabemos nem qual a natureza dessa energia, sabemos apenas que ela existe.
      Você é então um típico deísta, talvez ainda mais do que o Flew, mas vocês dois esquecem dos sentimentos. Não somos robôs, portanto, Deus não é apenas um inteligência ou energia, Ele é algo mais, pois cria sim, seres inteligentes, energéticos, mas com sentimentos também, com afetividade. Então, podemos definir Deus como o Princípio Inteligente e Afetivo do universo e não apenas como um Princípio Inteligente.
      Esse é o grande mistério; como uma inteligência pura e energética pode criar seres com sentimentos e emoções? Então Deus tem que ser algo maior do que simples inteligência ou energia cósmica, algo muito mais complexo e afetivo.
      E olha que até muitos animais possuem um certo grau de afetividade, nos sabemos. E isto faz sentido, pois viemos, através da evolução, inicialmente a partir de bactérias, seres unicelulares que evoluíram até os pluricelulares e que depois geraram os mamíferos, o hominídeos e finalmente, o homem, o Homo sapiens.
      E é só por isso estamos ambos aqui escrevendo.

  40. Pedro Gomes disse:

    Pedro Cabral Cavalcanti escreveu:
    “o universo é INFINITO, portanto, nada pode criar o Infinito, uma vez que nada pode ser maior que ele. Então só nos resta uma alternativa: O próprio Universo é o criador. ”
    ____________________
    A menos que, um Deus TODO-PODEROSO tenha criado o universo e o infinito seja apenas uma de suas criações.

  41. Alexandre E. S. Visconti disse:

    Como era de se esperar, existe uma miscelânea de fatos, comentários e interpretações sobre um ateu que aos 85 passa a ser deista. Mas, não se preocupem, Deus existe mesmo, o grande problema é saber de que tipo de Deus estamos falando, pois que existem vários tipos.
    Se não me engano, Flew acreditou no Deus universal, criador de todo o universo, o Princípio Inteligente do Universo, a Causa Primária de tudo, mas não que Ele possa interferir em nossas vidas, como acreditam os religiosos e por isso, Flew é um deista, como Thomas Jefferson, e não um teista.
    Mas, hoje em dia, é muito mais difícil ser um ateu do que um deista ou teista, mais difícl do que no passado, na minha juventude e na dele (eu tb. já fui ateu) pois a próprio conhecimento científico, a compreensão mais profunda do cosmos nos revela isto, por ex. através do Princípio Antrópico Forte, a não ser que consideremos que existem milhares, bilhões de universos, o “multiverso”, mas aí, é especular demais, pois nem o nosso conhecemos ainda direito e estamos longe disso.
    Pelo que lí, parece que ele também dá uma chance ao cristianismo como religião, apesar de continuar um deista, mas isso é bem compreensível pela sua formação. Se fosse um oriental, provavelmente, teria dado uma maior chance ao budismo, etc.
    Então, a melhor discussão agora não é mais se Deus existe ou não e sim, se Ele pode interferir em nossas vidas, além de ter criado e sustentado todo universo até hoje e, talvez mais importante ainda, se sobrevivemos de algum modo à morte física, esta sim, talvez uma questão bem mais além e mais difícil do que qualquer raciocínio científico sobre o universo ou mesmo, se o Criador existe ou não.

  42. hercules disse:

    Por que o homem tem tanta repulsa em acreditar que Deus criou todas as coisas, apesar de tantas evidencias de sua existencia? Porque os nossos ANSEIOS são tão pequenos e baixos, e os anseios de Deus são tão elevados que não suportamos a nossa insignificância e pobreza mental e espiritual.
    Se aceitarmos a verdade de que Deus fez todas as coisas, isto será uma prova contra nós mesmos testificando o nosso descomunal distanciamento em relação à majestade de Deus. Pois Deus não poderia ter feito todas as coidas sendo medíocre como nós o somos. Por isso a tendência nossa pe de nos enganarmos achando que nossa razão e lógica é suficiente para fazer de nós seres muito especiaais e que não precisamos de Deus, sendo Ele quem tudo nos deu e continua nos concedendo pela Sua infinita misericórdia.
    Tamanha é a repulsa pela nossa insignificância que preferimos acreditar que a inesgotá vel perfeição e complexidade de todas as coisas foram criadas pelas mãos do ACASO cuja inspiração foi gerada de um NADA absoluto. É triste ver tanta arrogancia.
    Mas eu já fui evolucionista e a minha conversão foi como um camelo passando pelo furo de um agulha. Nada é impossível para Deus. Sempre há esperança.

  43. Emily Mutti disse:

    Fico feliz por ele. “Um pouco de Deus, nos afasta. Muito, nos aproxima.”

  44. gabriel disse:

    Meus caros amigos, não ficarei discutindo a respeito da existência de Deus, até mesmo porque a fé não é propriedade de todos. Mas quero deixar claro que aqueles que tentam provar a inexistencia de um Ser Divino são tão dogmaticos quanto os religiosos.

  45. Regina disse:

    E’ verdade…o homem se acha.
    E o Próprio Deus falou sobre isso na biblia e sobre esse debate Ele também já sabia que ao longo do tempo ,haveria homens que iriam crer tudo ,menos Nele.
    Interessante mesmo ,e: ver um ateu na beira da morte , ele rapidamente clama e chama pelos socorros de Deus.
    Deus Vive ,Reina…querendo a ciencia ou não.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Arquivos

Páginas

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM