Argumentando com Deus

 porquedeusquis

Uma adaptação do original de Michael Anissimov, que indica ensaios ótimos de Eliezer Yudkowsky como Semantic Stopsigns e "Science" as Curiosity-Stopper para maior reflexão. Antes de criticar a imagem por sua caricaturização ou mesmo por algum tropeço epistemológico fatal, confira os ensaios indicados.

“Porque sim” não é resposta. “Porque Deus quis” também não. Se descobrir os infinitos mecanismos e fenômenos interligados que explicam o funcionamento de algo ainda não nos levou à “resposta”, e talvez nunca leve, o ponto é que não nos leva a falsas respostas. É preciso evitar os pontos finais semânticos do questionamento. [montagem sobre imagem via sxc.hu]

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 8 comentários

  1. Chloe disse:

    Olá Kentaro,
    vou indicar os mesmos links que indiquei para o Atila:
    1. André Comte-Sponville – Apresentação da Filosofia – Deus
    http://serpensar.vilabol.uol.com.br/deus.htm
    2. Bertrand Russell – Porque não sou cristão
    http://www.scribd.com/doc/6908748/Russell-Bertrand-Por-Que-Nao-Sou-Cristao
    São filosofos materialistas que abordam a questão Deus de uma maneira bem interessante.
    ( )’
    C.

  2. Carlos disse:

    Mas será que nem se se chegasse ao final dessa árvore decisória e se depara-se com Deus Criador, e ele mesmo dissesse que criou tudo seria possível considerar essa resposta científica?
    Pois que pode ser uma hipótese pode!
    Estou falando não pergunta ou a resposta em si mas do método!

  3. Odete disse:

    Carlos, será que a definição de mitologia é muito complicada para ser admitida por aqueles que ainda não tiveram suas respectivas religiões esmagadas por idéias novas?
    Deus cristão como criador é tão válido quanto Vishvakarma ou Bumba.
    Uma “deidade” ao fim dessa “árvore” não invalida a explicação científica aos fenômenos. Ciência é explicação comprovada e não imposição justificativa de idéias.

  4. João Carlos disse:

    Como sempre, a questão é apresentada de modo errado. Um cientista religioso honesto não se pergunta se foi Deus quem fez ser assim – pergunta: “como Deus fez?”
    A crença em uma Inteligência Criadora não exclui a curiosidade.
    Por outro lado, um ateu convicto, mas sem curiosidade investigativa, pode se contentar com um “porque é assim…” — que, convenhamos, explica tanto quanto a hipótese teísta.

  5. É por isso que eu gosto da explicação de Pascal, quando perguntado se ele acreditava em Deus:
    “Se Deus não existir e eu acreditar nele, não perco nada. Mas se Ele existir e eu não acreditar, tenho muito a perder. Por isso prefiro acreditar que existe.”
    Abraço, Rodolfo.

  6. Joice Atique disse:

    “a questão é apresentada de modo errado. Um cientista religioso honesto não se pergunta se foi Deus quem fez ser assim – pergunta: como Deus fez? ”
    Sou cristã, futura bióloga e não me contento com um: Porque Deus quis.

  7. Kentaro Mori disse:

    Caros, leiam os ensaios de Yudkowsky indicados. Em um deles ele nota como até
    mesmo “ciência” pode ser um terrível ponto final semântico do
    questionamento (“como isso funciona? É ciência! E ponto final).

Deixe uma resposta para Joice Atique Cancelar resposta

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Arquivos

Páginas

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM