Abaixo-assinado em apoio ao Ministro da Educação Fernando Haddad

Desde 2009 estou envolvida com um projeto de educação popular ligado à minha universidade, onde leciono química em caráter voluntário. Dedico 4h30min do meu tempo por semana a esta atividade por acreditar que todos merecem uma chance real de acesso à universidade pública, e também como forma de retribuir à sociedade (pelo menos um pouco) todas as oportunidades que tive e tenho no que se refere à formação acadêmica. Por consequência disso, acabo vivenciando ainda hoje o dia-a-dia de quem passa pelo processo longo e penoso (e muitas vezes ingrato) que é o vestibular.
O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) surgiu como uma ferramenta para “democratizar as oportunidades de acesso às vagas federais de ensino superior, possibilitar a mobilidade acadêmica e induzir a reestruturação dos currículos do ensino médio“. Já estava mesmo na hora de algo assim surgir no Brasil. O ENEM foi criado em 1998, e de lá para cá sofreu várias modificações e o número de inscritos aumentou de forma significativa. Na edição de 2010, foram mais de 4 milhões de inscritos e, como o leitor já deve ter visto na mídia, problemas ocorreram nas provas de cerca de 1800 estudantes. Os prejudicados estão sendo identificados e poderão realizar nova prova, se assim desejarem.
O acontecimento mais triste nesse episódio foi a sua escandalização oportunista como forma de fragilizar a figura do Ministro da Educação Fernando Haddad, um dos mais bem avaliados ministros do atual governo. Recebi há pouco por email um link para um abaixo-assinado online em apoio ao ministro Haddad. Neste, os signatários afirmam sua confiança na capacidade de gestão do ministro. Eu já assinei (#850). Se você pensa da mesma forma, por favor assine-o também.
clique aqui para assinar o abaixo-assinado – basta informar seu nome e email.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 8 comentários

  1. Eduardo Veríssimo disse:

    Na verdade, a última falha no ENEM não foi o primeiro problema da gestão de Haddad, que tem o péssimo costume de tentar tirar o corpo fora quando acontecem problemas em sua pasta.
    Me desculpe, mas não posso subscrever um documento de apoio a alguém que não tem demonstrado a competência que o cargo exige.
    Além disso, o ENEM tem se mostrado mais um meio de propagação de ideologias do atual governo. Propaganda até na hora de testes para avaliar a educação? Não pode.

  2. concursos publicos disse:

    Estou contigo nesta luta, o ministro merece continuar a frente do ministerio, pelo excelente trabalho apresentado por ele.

  3. Sibele disse:

    Toda boa teoria encontra dificuldades para ser posta em prática. Isso não tira o mérito da teoria, e no caso específico do Enem, num país com graves entraves no acesso ao ensino superior, todo e qualquer esforço para tornar a prática uma realidade é digno de apoio.
    Parabéns, Fernanda. Duplos parabéns. Pela atitude, e pela coragem em disseminá-la por aqui!

  4. Rafael disse:

    Eu pouco conheço o trabalho do Ministro, mas sei que sua gestão foi muita boa para muitas universidades. Acredito que o ENEM é uma ferramenta importante para a educação, em termos teóricos, mas na prática é um escândalo de má gestão. Não há exagero algum na cobertura que foi feita dos casos, são os mesmos problemas e as mesmas desculpas do Ministério e sempre tentando abafar o caso e tentar engolir tudo com bastante água e nada de resolver. Sinto muito pelo ministro, mas o ENEM, por enquanto, é mais um problema a ser resolvido do que uma das soluções para a educação no Brasil…

  5. AC de Souza disse:

    http://www.inep.gov.br/imprensa/noticias/enem/news10_25.htm
    Dos que fizeram a prova(3,3 milhões), apenas 1800 tiveram problemas.
    Isso quer dizer que 0,054545% da população que fez o exame teve problemas. Com um percentual muito maior um refrigerante diz que é Zero e ninguém reclama.
    Curioso o barulho que esses 0,06% de problemas conseguiram gerar.
    [],
    AC

  6. Sinceramente, minha opinião é que este tipo de falha, por mais “insignificante” que seja, deve ser investigada até pegar cada um dos responsáveis, custe o pescoço de quem custar (incluindo o do ministro, se for o caso).
    Por isso (e apenas por isso) não poderia assinar tal abaixo-assinado. Porque, se ele tiver culpa na história, estaremos passando a mão na cabeça dele e dizendo “tudo bem, pode ferrar com nossos estudantes”.
    Além disso, tivemos um FANTÁSTICO ministro da educação neste governo mesmo, mas que não foi apoiado internamente por esse mesmo governo: o senador Cristovão Buarque. Esse sim, teria de ter sido apoiado quando foi demitido. Pior: por telefone.
    Entendo que pessoas apoiem governo X ou Y, mas sinceramente não entendo que queiram apoiar até mesmo seus erros e falhas, por mais grosseiras (e graves) que sejam. Educação é fundamental, é a base de uma sociedade civilizada. Não pode ser menosprezada desta forma.

  7. Francisco disse:

    Assinado. Parabéns pelo horário pessoal semanal que você desprende toda semana pra ajudar na educação pública desse país.

  8. Kim disse:

    Honestamente não conheço a gestão do ministro, mas assino o abaixo-assinado em apoio ao Enem e ao modelo que ele oferece.
    Não considero a falha de segurança ano passado ou as 1800 provas impressas erradas (de 4 milhões!) como significativas, foram falhas exarcebadas por oportunismo da mídia e sabe-se lá para que outro fim excuso. Falha significativa foi o nível de dificuldade da prova de 2009, mas compreensível por estar ainda em fase experimental e pela necessidade de reelaborar uma prova devido ao vazamento.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM