Pela compreensão pública da evolução

Fui convidado a dar uma palestra no XXVII Encontro Anual de Etologia relacionada ao ensino de evolução. Para isso gostaria de saber a opinião dos meus leitores sobre por que tanta gente ainda tem dificuldade em aceitar a teoria evolutiva por seleção natural, conforme proposta por Darwin há 150 anos (e obviamente amplamente revisada desde então). Para isto peço-lhes que respondam às duas perguntas abaixo, na primeira escolham a que melhor se aplica ao que vocês pensam, mesmo que não cubra tudo. Se o texto não aparecer inteiro na sua tela clique sobre a frase que o texto completo se abrirá. Ajudem também a divulgar a enquete, quanto mais gente responder melhor será minha amostragem para encaminhar a palestra. Desde já obrigado a todos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 13 comentários

  1. Marão disse:

    Sou leigo, acho que O evolucionismo parece estar relacionado a uma melhoria qualitativa de espécies na adaptação, submetidas a tensões do meio ambiente. Lá atrás alguém disse que o que permanece é a mudança. É uma teoria que tenta explicar a adaptação pragmática, se para melhor, difícil saber o referencial a tomar para fazer tal avaliação. Não creio haver apenas desconhecimento e preconceitos, mas muita confusão na funcionalidade dessa teoria. Não é a verdade, mas parte dela.

  2. glenn disse:

    acho que a evolução é bastante complexa e pra piorar é mal ensinada.
    para se ter uma noção, uma amiga minha que faz pós em fisiologia animal na usp teve uma disciplina em que o professor, depois de perguntas “estranhas”, perguntou quem achava que a evolução ocorria APENAS por seleção natural, e a grande maioria acreditava nisso.esse cenário é no mínimo desesperador e mostra que muitos acadêmicos nem compreenderam o básico da evolução.
    creio que o problema no ensino esteja em parte no conceito simplificado que nos é dado, ainda no ensino fundamental. as simplificações vão agregando os conhecimentos escolares posteriores, quando na verdade necessita substituí-los (o que não é pedagogicamente inteligente).
    a questão da escala também é um fator complicador para a maioria das pessoas. sempre que vemos numa escala muito pequena ou muito grande, fica difícil de acompanhar o raciocínio pois diversos aspectos contra-intuitivos entram em jogo, mas não que a evolução JAMAIS ocorra numa escala perceptível.
    o aspecto lexical da palavra “evolução”, que de fato significa melhoria conflita com o termo técnico e que é muito mais próximo da origem etimológica da palavra, que significa transformação, não tendo a ver com uma direção ou fim.
    quanto a religião, se as pessoas as têm, não deveriam misturar com conceitos científicos (pelo menos quando tratam do contexto científico). não tenho religião alguma, mas acho superinteressante a existência dela (unicamente pela perspectiva da evolução humana e consequentemente da antropologia). mas a incontrolável necessidade de criarmos lógica em tudo que presenciamos/acreditamos, sem dúvida é maior que a força para discernir uma coisa de outra.
    quanto a confusão entre origem da vida e a “origem das espécies”, ela é real. tem um amigo meu que, por incrível que pareça, é criacionista E evolucionista. para ele, a origem é divina, e a partir disso a evolução ocorre. ponto pra ele que fez um sincretismo danado (esta que é a grande identidade do brasileiro) de ciência com religião.
    a questão da estocasticidade também é pouco compreendido. este talvez se ligue mais ao problema da escala e de como as coisas vão acumulando alterações ao longo do tempo.
    com tudo isso só queria dizer que acho que não existe o maior problema para a compreensão da evolução, mas existem diversas camadas de um mesmo problema, todos com grande relevância, e todos merecedores da atenção das pessoas que passam esses conhecimentos adiante.
    espero assistir a sua palestra em bonito pra ver o que v. tirará dessa enquete.
    até lá
    abs

  3. Rodrigo disse:

    Acredito que a resistência à teoria da evolućão por algumas pessoas se deve a dois fatores não necessariamente descorrelacionados: primeiro, em razão do conflito com uma visão de mundo pessoal, baseada em crenćas religiosas, supertićões, e idéias pré-concebidas sobre a Natureza; segundo, pela incapacidade de entender fatos científicos básicos, e falta de espírito crítico e científico ao analisar os argumentos e as evidências apontadas.
    Nos posts anteriores de pessoas que não aceitam a teoria da evolućão, é evidente como se equivocam com respeito a fatos elementares e que qualquer estudante de biologia poderia facilmente refutar. Esses equívocos podem vir de uma formaćão precária em ciências, mas acredito que pese em grande parte um viés religioso ou pessoal.

  4. bessa disse:

    Alisson, muito esclarecedor receber o comentário de alguém que ainda não aceita a teoria evolutiva, acredito que se a compreender mais a fundo pode mudar sua opinião. Com certeza me ajudará bastante na palestra de novembro. Bom, parcialmente você próprio respondeu suas críticas, como você mesmo disse a seleção natural não é um mecanismo gerador de diversidade e sim redutor direcional dela. Alguns outros processos geram diversidade, a mutação genética que você menciona é um, mais errático e difícil de atuar eficientemente em organismos com enzimas de correção do DNA muito eficientes. Ainda assim, tenha em mente que os seus 10^-9 na verdade estão multiplcados em uma escala de tempo muito longa e em inúmeros indivíduos, o que resultaria numa probabilidade final até bem palpável. Mas não é a mutação o único mecanismo de geração de diversidade, para gerar diversidade com corretores de DNA tão eficientes o método mais funcional se chama SEXO, ele sim gera uma grande diversidade fenotípica ao misturar genótipos pré-existentes. Por fim, só acho que uma ciência se submeta a outra se esta se mostrar altamente explicativa, portanto, se ciências como a geologia e a psicologia hoje se apropriam de idéias darwinistas, é porque o darwinismo tem amplo poder de auxiliá-las, uma ciencia não subjuga outra.

  5. Alisson do Carmo disse:

    Olá Eduardo,
    não acho que é por falta de compreensão das pessoas. A Teoria da Evolução tem deixado muito a desejar. A evolução por seleção natural não pode explicar a diversidade da vida. A seleção natural apenas faz com que uma espécie com alguma característica que a favoreça possa reproduzir-se mais em relação as outras que não tem aquela qualidade. Isso não produz uma característica nova. Apenas põe em relevo a característica já existente. O exemplo dos tentilhões mostra muito bem isso. Mas você pergunta: e quanto as mutações? A probabilidade de ocorrer um erro durante a transcrição da fita de DNA é de 1 contra 10 elevado a 9. E mesmo que ocorra, o erro tráz consequências maléficas e não benéficas, em grande parte a mutação é fatal. Eu sou estudante de Geologia e posso ver a influência que a evolução exerce sobre várias áreas do conhecimento. Concordo com Michael Denton quando diz que a evolução trouxe sérios malefícios á ciências porque todas as outras áreas tiveram que se submeter a ela. É como colocar uma criança na presidência da república. Talvez esta fisesse até melhor!

  6. Emanuel Henn disse:

    Oi Eduardo,
    a minha impressão é que dois pontos se unem nessa questão: 1) a maioria das pessoas acha que ciência e religião são excludentes e 2) a teoria da evolução é confundida em alto grau com as teorias sobre a origem da vida.
    Junte os dois e você vai ter pessoas tendo que escolher (excludentemente) entre a religião e a ciência. A primeira tem a seu favor uma série de questões onde apenas a fé basta. A segunda tem, contra si, a necessidade de se pensar, juntar pedaços muitas vezes confusos de um grande quebra-cabeças. Especificamente nesse caso, a Teoria da Evolução ainda tem mais desvantagens, pois as evidências experimentais são escassas, cheias de buracos e acontecem numa escala de tempo absurdamente longa. A “Lei do Menor Esforço” leva as pessoas naturalmente para a primeira opção e as faz não aceitar a evolução.
    Eu acho que, do momento que a visão sobre os pontos que eu citei lá em cima começarem a mudar, o entendimento e a aceitação da teoria da evolução será mais natural.
    Um grande abraço.
    Emanuel

  7. Sandro disse:

    Me parece que as pessoas se sentem mal com a evidência de que somos animais, que não temos uma origem mais sublime do que eles, os “irracionais”… Posso estar errado, mas acredito que não haveria tanta resistência à Teoria se ela não incluisse o ser humano, se de alguma forma preservasse uma origem sagrada e sobrenatural para o homem.

  8. maria disse:

    pus “aprendiz” porque não me encaixava em nenhuma outra categoria. cadê os profissionais em divulgação de ciência?

  9. Olá Eduardo,
    A falta de compreensão do conhecimento científico é, na minha opinião, a principal causa para uma não aceitação da Teoria da Evolução. Pessoas confundem teorias com outros conceitos científicos, como hipóteses e leis científicas. É fácil confundir uma descoberta com uma invenção. Uma vez estabelecida a confusão, fica difícil uma melhor compreensão do que é a evolução e o que ela representa. Abrass!

  10. Acho que, atualmente, a dificuldade tem a ver com o fato de ateus famosos afirmarem que para poder aceitar na integra a teoria da evolução a pessoa deve abandonar suas crenças, identidade e comunidade religiosa. Ou seja, para aceitar a teoria da evolução, voce precisar deixar de ser judeu (religioso), para gostar de ciencia, você precisa se tornar ateu de carteirinha etc. Os judeus e as pessoas de outras identidades religiosas simplesmente não vão aceitar isso. Não acho que essa posição seja muito produtiva em termos de divulgação e educação científica.

  11. Ana Arnt disse:

    Oi Bessa…
    Quando eu ensinava evolução em nível médio, a maior dificuldade não era “acontecer em uma escala de tempo tão longa”, mas pela própria dificuldade de entender o processo de diversificação e seleção – e que isto não tem uma causa, não é intencional do ser vivo.
    Sempre senti que o que acaba ficando meio fraco é a noção de intenção que eles levam.
    Outra questão é essa dúvida dos “intermediários”, de que nós só vemos seres vivos em sua forma “final”, como se nós e todos os outros seres vivos não fôssemos intermediários entre o que nossa espécie foi um dia e o que ela será. Mas que eu penso estar relacionada a noção de tempo também. Sem compreensão da escala, isso vai ficando meio superficial demais…
    Nunca tive dificuldade em os estudantes aceitarem a teoria evolutiva (mas isso, claro, não estava relacionado ao abandono de crenças religiosas).
    bjocas prá ti e boa sorte na enquente

  12. Mauricio Filgueiras disse:

    Entendo, quanto à primeira pergunta, que são todas as alternativas mescladas que dificultam a aceitação da teoria. Na minha opinião aquela que tem mais influência é a referente ao conflito com o sistema de crenças do indivíduo.
    Espero que não me leve a mal, mas cuidado para não derivar concluindo que todos que responderão aceitam a teoria. Não é o meu caso.
    Quase me esqueci: “Mas é só uma teoria, tio!”. Essa é ótima. Devido ao pouco conhecimento de que a ciência também evolui.
    Ihh… agora bagunçou tudo… mas isso já é outro assunto.
    Parabéns pela iniciativa. Valeu.

  13. Oi Eduardo,
    Na verdade, eu acho que a teoria da evolução é mal ensinada, e a grande maioria das pessoas não a conhecem ou não entendem bem como funciona.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM