Etologia de Alcova – brinquedos sexuais

O que causa esse sorriso? Imagem: livejournal.com

 

Quem olha o catálogo de um sex-shop pode ficar surpreso com a diversidade de brinquedinhos para adultos disponíveis, mas saiba que o uso de ferramentas para obter prazer não é exclusividade nossa. Já há algumas décadas que descobrimos que outros primatas são eficientes produtores de ferramentas, mas seu uso para o sexo é mais raramente documentado, mas vamos a alguns exemplos.

Orangotangos selvagens ganharam de um pesquisador um pedaço de pau e logo começaram a usá-lo para friccionar seus genitais. Um orangotango passou a ferramenta para outro pedindo ajuda para usá-la. Até o pesquisador recebeu o bastão de um dos primatas que lhe mostrava onde deveria colocá-lo.

Bonobos eram tidos como péssimos fazedores de ferramentas, mas trabalhos mais recentes com animais de cativeiro mostraram que as ferramentas são mais comumente usadas pelas fêmeas e frequentemente servem a funções sexuais. Um grupo de pesquisadores descreveu a maneira criativa como vagens foram usadas pelos animais para se aliviar. Outros casos incluem chimpanzés machos adolescentes fazendo sexo com uma goiaba bem madura.

Mas não são apenas os primatas. Um vídeo no youtube tornou-se viral ao mostrar um boto num aquário público penetrando  um peixe decaptado. O peixe, que estava ali como alimento, ganhou funções muito mais interessantes. Queria ver como os pais presentes no momento explicaram a cena aos seus filhos.

É difícil julgar, mas o fato é que o uso de ferramentas é bem mais comum do que se pensava, incluindo o uso de ferramentas sexuais.

Etologia de Alcova – Orgias

Quantos sapos você vê nessa foto? Estão todos acasalando com uma fêmea em algum lugar aí no meio. (Foto: Neil Phillips/scienceblogs.com/tetrapodzoology)

É carnaval e você ainda arrumou uma hora para vir conferir o Ciência à Bessa. Enquanto relaxa no sofá tenta contabilizar quantas bocas beijou na noite anterior. Como é maravilhoso o comportamento humano e essas festas de libertação, com seu representante máximo no carnaval brasileiro. Talvez você se surpreenda, mas orgias assim não são exclusividade da nossa espécie.

Peixes que formam cardumes frequentemente têm seu período de sexo irrestrito. Dependendo da espécie, basta a quantidade de alimento, o volume de chuvas ou a duração dos dias atingir um valor crítico que os peixes entram em frenesi sexual. Centenas de casais se formam e fazem sexo insanamente, todos juntos. Entregam-se com tamanha paixão e lascívia que parece que é a última coisa que eles farão na vida, e para muitas espécies é mesmo. É o caso das enguias e salmões no hemisfério norte. Acasalam-se torridamente, põem ovos e depois do prazer têm o bom senso de morrer.

De forma similar, alguns anfíbios praticam o que se chama tecnicamente de reprodução explosiva. A frieza dos jargões à parte, na prática o que ocorre é que fêmeas dadivosas vão para locais onde muitos machos se concentram para entregar-se ao sexo liberal apenas cerca de três ou quatro dias no ano, voltando a sua vida pacata depois disso. Ali elas são montadas por vários machos, em alguns casos dezenas deles ao mesmo tempo. Também é comum que os machos cubram a fêmea de esperma durante esse ato. Vale ressaltar que, por competir com outros machos pela fecundação dos óvulos da fêmea, nesses animais a seleção natural levou à evolução de machos que possuem testículos descomunais e produzem quantidades astronômicas de esperma.

Você poderia argumentar que esses exemplos não tem nada de carnavalesco, que eles visam especificamente à reprodução. De certa forma você tem razão, então vejamos alguns exemplos de sexo liberal e desvinculado da reprodução, e que ocorre em nossos primos mais próximos. Entre os grandes primatas é comum que conquistas valiosas sejam celebradas com muito sexo. Bonobos são primatas tão proximamente aparentados a nós humanos quanto os chimpanzés que antigamente eram conhecidos como chimpanzés pigmeus. Eles, no entanto, vivem numa sociedade matriarcal onde o sexo tem papel social fundamental. Ao receber uma lauda refeição no zoológico, bonobos celebram fazendo sexo freneticamente antes mesmo de tocar no alimento. Quanto mais participativo na suruba for um indivíduo, tanto maior será sua parte do alimento.

A reporter não comenta, mas veja os chimpanzés se montando e friccionando os genitais.

Já entre os chimpanzés orgias foram documentadas em zoológicos europeus. Em locais frios esses animais passam o inverno recolhidos em recintos pequenos e fechados. Alguns meses sem sair ao ar livre ou ver o azul do céu e, quando são liberados de volta ao chegar a primavera, esses chimpanzés espalhavam-se pelos gramados se beijando, acariciando e acasalando sob a luz cálida do sol. Antes que alguém pense que este é um comportamento artificial, gerado pelo contato com os humanos nos zoológicos, aviso logo que a mesma coisa acontece quando abatem uma caça grande que irão dividir com o grupo na natureza. Sexo como uma forma de comemorar, sem papel reprodutivo algum.

Nenhum etólogo sério daria o nome desses fenômenos de orgias ou o compararia ao carnaval no ambiente acadêmico. Mas não seria mais ou menos isso que estaria acontecendo? Liberação, comemoração, sexo e alegria, tudo isso misturado num período curto do ano antes que todos voltem à vida normal. Aproveitem o carnaval. Comportem-se como os animais que somos.

A fêmea no poder V

Ao chegarmos ao final da primeira semana de fêmea no poder do Brasil não poderia deixar de falar da sociedade matriarcal do bonobo, Pan paniscus. Na árvore da vida o ramo que dá origem a Homo sapiens se separou mais recentemente de um ramo que originou duas espécies: os chimpanzés (Pan troglodytes) e os bonobos. Ambos não poderiam ser mais diferentes entre si em termos da lida com o poder. No entanto, são igualmente aparentados a nós. Aparentemente o surgimento do Rio Congo na África há 1,5 milhão de anos separou duas populações do ancestral Pan, originando ao norte do rio os chimpanzés e ao sul os bonobos. Surpreendente é saber que estes nossos primos tão próximos estão altamente ameaçados de extinção pela caça e desmatamento.

 

Nossos parentes mais próximos

Fonte: utdallas.edu

A maior sumidade mundial em comportamento de bonobos é o primatologista Frans de Waal. Ele afirmou em seu livro “Eu, primata”, embora não sem uma enxurrada de críticas, que bonobos são altruístas, pacientes, gentis, sensíveis, têm empatia e compaixão. As críticas vêm da dificuldade de imprimir sentimentos humanos a espécies não-humanas, entre outras. Fato é que bonobos nunca foram vistos agredindo seus iguais até a morte, comportamento comum entre os chimpanzés segundo as décadas de observação cuidadosa de Jane Goodall nesta espécie. A falta de trabalhos sobre bonobos em seu habitat natural pode fazer com que agressões letais ainda sejam descritas, mas sua natureza mais pacífica é evidente.

Analisando-se a árvore de nossos parentes viventes mais próximos temos uma gama de opções as quais só me resta desejar que a presidenta Dilma convirja com o primo bonobo. Orangotangos são profundamente solitários, já dizia Drummond, e machos adultos são frequentemente reconhecidos pelo conjunto de cicatrizes faciais que têm em decorrência de seus inúmeros combates. Gorilas formam haréns e intimidam rivais com o tradicional tamborilar dos punhos no peito, à fêmea não resta muita expressão senão cuidar da prole e satisfazer o macho durante o cio. Chimpanzés matam indivíduos solitários que invadam seu território e até filhotes de fêmeas inferiores na hierarquia podem ser mortos. Já o bonobo resolve seus conflitos com sexo! Um indivíduo passa um longo tempo longe? Na volta todos o recebem com sexo. Dois irmãos brigam? As pazes se fazem com sexo. Um intruso aparece? Seu reconhecimento pelo bando é feito através de sexo. Uma orgia, mas uma orgia pacífica bem ao estilo flower power dos anos 60.

 

Me lembrou a célebre fotografia de Alfred Eisenstaedt ao fim da 2a guerra

Fonte: http://www.dlwaldron.com/bonobos.html

Antropomorfismo e romantismo que seja. A série toda foi cheia de romantismos. Mas é esse altruísmo, gentileza, paciência, sensibilidade, compaixão e afeto que eu espero da líder que o Brasil elegeu e deu poder.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM