IgNobel 2019: as pesquisas mais improváveis do ano

IgNobel 2019: as pesquisas mais improváveis do ano

Baratas imantadas e fezes cúbicas dos vombates estão entre os agraciados pela 29ª edição do prêmio que faz rir e pensar Diferente do que aconteceu no ano passado, não me atrasei muito para acompanhar a cerimônia mais irreverente da comunidade científica. Realizada na...

18 artigos de 2018

Ao longo de um ano marcado pelos altos e baixos em muitas coisas (inclusive meu mestrado), publicamos 130 posts. Aqui vai uma coletânea com o resumo de 18 que merecem ser lembrados.   1) Outra reviravolta em torno de KIC 8462852 — Também conhecido como Estrela de...
O que andei vendo no Netflix em outubro e novembro

O que andei vendo no Netflix em outubro e novembro

Atrasadas e poucas por causa do mestrado, as recomendações deste bimestre incluem séries documentais sobre a vida selvagem asiática, as maluquices de dublês profissionais (e outros nem tanto) e as dificuldades de investigar enfermeiros que matam Nurses Who Kill [2016...
O gene que pinta as joaninhas

O gene que pinta as joaninhas

Algumas espécies de joaninhas têm sempre o mesmo número de pintinhas, enquanto outras apresentam grande variação de um bichinho para outro. Pesquisadores japoneses revelaram que a receita por trás dessa variedade é tão simples quanto parece. Vermelho. Preto. Vermelho,...
IgNobel 2018: as pesquisas mais improváveis do ano

IgNobel 2018: as pesquisas mais improváveis do ano

Canibalismo, saliva, montanhas-russas e xingamentos estiveram entre pesquisas agraciadas com o prêmio mais engraçadinho da comunidade científica Mesmo sabendo que sempre acontece em setembro, o IgNobel sempre me surpreende. O desse ano — 28º. primeiro, segundo a...

Guerra viral, DNA lixo e coalas

Em circunstâncias especiais, alguns vírus conseguem se infiltrar no DNA do hospedeiro a ponto de se transmitir de geração a geração. Esses vírus endógenos podem ser uma fonte do chamado DNA lixo — e são os coalas que estão nos mostrando como isso acontece. Sinto lhe...