O que andei vendo no Netflix em agosto

O que andei vendo no Netflix em agosto

Mês de férias no mestrado, mas de muito trabalho na escola onde sou bibliotecário, o desgostoso agosto foi recheado com alguns documentários não muito agradáveis: a História dos sobreviventes de Hiroshima e o primeiro caso de tiroteio em massa numa universidade...
O que andei vendo no Netflix em julho

O que andei vendo no Netflix em julho

Neste mês de recesso escolar e alguns dias de folga, mergulhei em diversos tipos de profundezas: das funduras da consciência alterada por LSD e desprogramação cerebral ao fundo dos palcos mais famosos do mundo, passando por uma mina de carvão na Índia, os arquivos...
Prova de Sangue

Prova de Sangue

Pegar um assassino com as mãos sujas de sangue é fácil. Difícil é descobrir a identidade de um suspeito de assassinato a partir de um cadáver ensanguentado. Houve uma época em que também se usava o sangue da própria vítima para isso: Entre as provas de culpa naquela...

Um bilhete dos ladrões

Em 1798, conta-nos Sampson em sua History of Advertising, uma casa foi arrombada e roubada em Stanhope Street, Londres. Buscando reaver os itens surrupiados, o proprietário publicou o seguinte e singular anúncio numa edição do Daily Advertiser: Mr. R—— de...
O que andei vendo no Netflix em maio

O que andei vendo no Netflix em maio

No mês do Dia da Toalha estive azarado feito um Arthur Dent. Ainda que a Terra não tenha sido destruída (por enquanto), meu carro me deixou na mão durante uma viagem e, como não tenho dinheiro para consertá-lo, me vi andando tanto que ganhei uma lesão no calcanhar...
Os assassinatos da fada verde

Os assassinatos da fada verde

Ninguém esperava um crime como aquele na pacata Suíça. Por Romeo Vitelli em Providentia. Tradução de Renato Pincelli. Jean Lanfray era um lavrador de 31 anos que vivia com sua esposa, grávida, e duas crianças no andar de cima da casa de uma fazenda em Commugny, na...