Patentes Patéticas (nº. 150)

Patentes Patéticas (nº. 150)

Lyndon, Vermont, 1915. Albert B. Pratt lê notícias sobre a Grande Guerra que assola a Europa. Ao observar a ilustração de um soldado alemão e notar seu grande capacete, Pratt tem um insight: e se ali, no topo do capacete, houvesse um pequeno canhão? Ou uma pequena...
Patentes Patéticas (nº. 94)

Patentes Patéticas (nº. 94)

Há inventores que parecem genuinamente inspirados pela Acme, Inc — ainda que seus inventos tenham sido criados e patenteados antes da fictícia (e patética) companhia da Warner Bros. Já vimos, por exemplo, a pá/ancinho e a cadeira de dentista elétrica. O invento de...
Amikejo, o quase-país do Esperanto

Amikejo, o quase-país do Esperanto

Quando se fala em (ou melhor, sobre) Esperanto, há sempre a objeção de que não é uma língua natural, que não tem uma cultura própria ou falantes nativos. Pois bem, o Esperanto quase foi a língua oficial de um pequeno país europeu. Tudo começou muito antes do Dr....

O matemático lunático

Sendo um dos mais famosos matemáticos franceses de sua época, era natural que Jacques Hadamard (1865-1963) recebesse várias correspondências de aspirantes a matemáticos cheias de dúvidas ou de teorias malucas. Boa parte daquelas cartas geralmente era ignorada por...