Um Jovem Pulsar

[Traduzido de A young pulsar show its hands]

Chandra X-ray Center

A “mão” de um pulsar jovem
 


IMAGEM:

Esta imagem contém dados em infravermelho, raios-X e radiofrequência. Ela mostra o ambiente no qual a nebulosa do pulsar se expande.

Clique aqui para mais informações.

Um pequeno e denso objeto com somente 24 km de diâmetro é o responsável por esta bela nebulosa de raios-X que se estende por 150 anos luz. No centro desta imagem feita pelo Observatório Chandra de Raios-X da NASA está um pulsar muito jovem e poderoso, conhecido como PSR B1509-58,
ou B1509 abreviadamente. O pulsar é uma estrela de nêutrons que gira muito rapidamente e está espalhando energia pelo espaço vizinho, criando estruturas complexas e intrigantes, inclusive uma que lembra uma enorme mão cósmica. Nesta imagem, os raios-X de menor energia, detectados pelo Chandra, aparecem na cor vermelha, a faixa média em verde e os mais energéticos em azul. Os astrônomos acreditam que o B1509 tenha cerca de 1.700 anos e ele está localizado a cerca de 17.000 anos luz de distância.


IMAGEM: 

No centro desta imagem do Chandra, está o pulsar — somente 24 km de diâmetro — que é responsável pela nebulosa de raios-X que se estende por 150 anos luz.

Clique aqui para mais informações.

Estrelas de Nêutrons são o resultado de  estrelas de grande massa que ficam sem combustível e entram em colapso. O B1509 dá uma volta completa a quase 7 rotações por segundo e libera energia nas vizinhanças de modo prodigioso — presumivelmente porque ele tem um intenso campo magnético em sua superfície, estimado como sendo 15 trilhões de vezes mas forte do que o campo magnético da Terra.

A combinação da rápida rotação com o campo magnético ultra forte torna o B1509 um dos mais poderosos geradores eletromagnéticos da Galáxia. Esse gerador “sopra” um vento energético de elétrons e íons para fora da estrela de nêutrons. Ao se moverem através da nebulosa magnetizada, eles irradiam sua energia e criam a nebulosa elaborada enxergada pelo Chandra.

Nas regiões mais interiores, um tênue círculo envolve o pulsar e marca o local onde o vento é rapidamente desacelerado pela nebulosa que se expande devagar. Dessa forma, o B1509 partilha algumas chocantes similaridades com a famosa Nebulosa do Caranguejo. No entanto, a nebulosa do B1509 tem um diâmetro 15 vezes maior do que os 10 anos luz da Nebulosa do Caranguejo.


IMAGEM:

Esta representação gráfica mostra a diferença no tamanho da nebulosa em torno do pulsar B1509-58 e sua prima mais famosa, a Nebulosa do Caranguejo.

Clque aqui para mais informações.

As estruturas em forma de dedos que se estendem ao Norte, aparentemente energizam nódulos de matéria em uma nuvem de gás vizinha, conhecida como RCW 89. A transferência de energia do vento para estes nódulos faz com que os últimos brilhem na faixa dos raios-X (as áreas laranja e vermelha, acima à direita). A temperatura nessa região parece variar em um padrão circular em torno desse anel de emissão, o que sugere que o pulsar pode estar em uma precessão como um pião que gira e varrendo o gás na RCW 89 com um feixe de energia.

###

O Centro de Voo Espacial Marshall da NASA em Huntsville, Alabama, gerencia o programa Chandra para a Diretoria de Missões Científicas da NASA em Washington. O Observatório Astrofísico do Instituto  Smithsoniano controla as operações científicas e de voo do Chandra a partir de Cambridge, Massachussets.


Atualizando em 8 de abril: A imagem da “mão” do Pulsar, em alta definição, está no “NASA Picture of the Day” de hoje. Dá um lindo “papel de parede”.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 0 comentários

Participe e envie seu comentário abaixo.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM