Rua Cuvier – Paris


(Publicado no jornal O Primeiro de Janeiro a 29/07/2005)
Durante as últimas duas semanas de Julho encontrei-me a estudar as colecções de dinossáurios do Museum National d’Histoire Naturelle (MNHN) em Paris.
Chamou-me a atenção, desde o primeiro dia que aí cheguei, que o MNHN se encontra limitado pelas ruas Cuvier e Buffon. Aparentemente faz todo o sentido esse enquadramento toponímico uma vez serem aqueles dois dos grandes naturalistas gauleses. Cuvier é considerado actualmente um dos fundadores da Paleontologia de Vertebrados (da qual faz parte o estudo dos dinossáurios).
Georges Cuvier (1769-1832) foi contratado para ensinar anatomia em 1785 por Geoffroy Saint-Hilaire, fundador do MNHN, numa época em este museu oferecia uma série de oportunidades a jovens investigadores. Progrediu academicamente tendo obtido a regência daquela cadeira em 1802.
Dizia-me Daniel Goujet, actual responsável pelas colecções do MNHN, que Cuvier criou uma autêntica linha de montagem de dissecação de animais actuais bem como de fósseis que iam sendo recolhidos e trazidos para o museu. A maioria dos fósseis estudados era de vertebrados da bacia de Paris. A análise das estruturas dos diversos esqueletos, permitiu a Cuvier constatar que existiam estruturas nos organismos que se podiam comparar e estabelecer paralelismos, quer ao nível da origem quer ao nível da função.
Os membros anteriores de uma baleia e de um ser humano têm a mesma estrutura e origem, e apesar de terem diferentes funções, constituem estruturas homólogas. Os organismos podem ser assim relacionados com base na sua estrutura interna. Desta maneira se criou os fundamentos da Anatomia Comparada, campo do conhecimento fundamental na paleontologia. Este conjunto de informações obtidas do estudo das estruturas zoológicas pode ser aplicado ao registo fóssil, permitindo estabelecer relações de parentesco entre a diversidade de fósseis.
Por exemplo se um determinado animal apresenta um conjunto de dentes cuja forma, número e disposição é semelhante ao de um actual roedor podemos afirmar que esse animal do passado deveria ter tido o mesmo tipo de alimentação que o actual. Membros de diferentes animais mas com idênticas proporções permitem afirmar, em termos gerais, que esses animais têm o mesmo tipo de locomoção.
Cuvier devido à sua investigação em Anatomia Comparada permitiu que a Paleontologia de Vertebrados tivesse uma das suas principais ferramentas metodológicas.
Não foi unicamente no campo do estudo anatómico que Cuvier se distinguiu. Até aos trabalhos de Cuvier o conceito de extinção não existia. Cuvier ao estudar os restos fossilizados dos Mamutes europeus e dos Mastodontes americanos conseguiu provar que estes animais estavam relacionados com os actuais elefantes e que se haviam extinguido. Esta inferência pode parecer muito elementar mas foi, naquele tempo, uma verdadeira revolução. A extinção das espécies foi referido na sua obra “Discours sur les révolutions de la surface du globe” publicada em 1812.
Cuvier oferecia assim à Paleontologia o seu objecto de estudo. Aquela obra teve implicações filosóficas e teológicas, já que pressupunha que toda a vida na Terra não havia sido sempre a mesma mas, pelo contrário, tinha sofrido alterações e modificações. Essas alterações, segundo Cuvier, foram consequência de eventos catastróficos na história da Terra, seguidos do aparecimento de novas espécies – tinha sido assim formulado o Catastrofismo.
Cuvier introduzira o conceito de extinção que surgia como consequência de cataclismos naturais e em determinados episódios da história da Terra.
Durante os dias em que percorri os espaços outrora de Cuvier não pude de deixar de esboçar um sorriso amarelo quando verifiquei que as galerias de anatomia comparada em que foram desenvolvidos as metodologias da paleontologia são actualmente ocupadas por gabinetes dos serviços administrativos do MNHN…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 0 comentários

Participe e envie seu comentário abaixo.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Categorias

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM