Oi… te conheço de algum lugar?

Latrodectus hasselti (3).jpgO jogo da sedução é cruel. Pode ser poético como nos cavalos-marinhos ou letal como na aranha ao lado, mas de maneira geral não costuma ser fácil.

Se o macho da aranha australiana Latrodectus hasselti, da família das viúvas-negras, não se esforçar o suficiente, ele é morto pela fêmea que tentava conquistar. Jeffrey Stoltz e Maydianne Andrade, da Universidade de Toronto Scarborough no Canadá, mostraram que a donzela exige pelo menos 100 minutos de exibição (vi a notícia aqui). Se o pretendente falha, quem sai ganhando é o rival. E tem mais: no artigo que publicaram em outubro na Proceedings of the Royal Society B, os pesquisadores mostram também que um macho competente deixa a aranha tão siderada, que fica fácil um espertinho que não fez esforço algum copular com ela sem que ninguém note. Malandragens do mundo silvestre.

perus.jpgMenos digno do dia das bruxas, mas não mais fácil, é a dança dos perus selvagens comuns nos Estados Unidos, da espécie Meleagris gallopavo.

Na foto ao lado, que peguei no flickr (johndykstraphotography), dá para ver um pouco da provação. Na época da corte, os machos eriçam as penas, abrem a cauda em leque, alteram a respiração de maneira que a cabeça fica azul, sem sangue, e alguns apêndices da cabeça ficam vermelhos e inflados de sangue. Eles seguram essa postura por um tempo enquanto dão umas corridinhas para a frente e gritam o proverbial “glu-glu-glu” que se ouve de longe, vindo do outro lado dos morros. Fazem isso por horas a fio, ao longo de semanas a fio.

Quando eu estava no doutorado, tinha desses bichos em Hastings, a estação de pesquisa do Museu de Zoologia de Vertebrados da Universidade da Califórnia em Berkeley, onde fiz parte do trabalho. Meu colega de laboratório Alan Krakauer estudava os perus e tive o privilégio de ajudá-lo algumas vezes. Mas mais do que ajudar, eu ficava era siderada com o desfile dos perus. Nada como as peruas, que catavam o chão com ar blasê. Tirei muitas fotos, inclusive, mas não pude usar nenhuma delas aqui porque estão em eslaide. O Alan estava tentando desvendar um mistério: esse trabalho todo para conquistar uma perua. Os machos se exibem em pares, como na foto. Será que ambos saem ganhando? Será que competem?

À custa de muito seguir os bichos, pôr armadilhas imensas, marcá-los, observá-los e fazer análises genéticas, ele descobriu que os perus selvagens são um caso típico de sedução cooperativa. Só um dos machos, sempre o mesmo, vai para o mato com a perua. O outro ajuda, com o balé coordenado, mas fica a ver navios. A genética compensa, segundo Alan: os parceiros são parentes, então de maneira indireta o macho secundário acaba passando seus genes adiante. É a seleção de parentesco (kin selection), ou regra de Hamilton (William D. Hamilton foi quem descreveu matematicamente a teoria). O trabalho com os perus rendeu artigo na Nature, em 2005.

manakin.jpgMas nem sempre a ajuda na conquista vem de solidariedade familiar. Outra parceira de doutorado, Emily DuVal (que agora é professora na Universidade Estadual da Flórida, a foto é do site do laboratório dela), estuda o simpático tangará Chiroxiphia lanceolata, no Panamá. Lá, um par de machos pousa num galho horizontal e salta voando um por cima do outro, como uma roda-gigante. Até convencer a fêmea. No caso deles, os parceiros de dança não são parentes. O que parece é que o macho subalterno ganha experiência enquanto está na função, e quem sabe um dia chega lá.

E Mercival Francisco, da Universidade Federal de São Carlos em Sorocaba, defende que o tangará-dançarino Chiroxiphia caudata, típico da Mata Atlântica, segue outro sistema. Em artigo publicado este ano na The Auk, ele mostra que grupos de machos dançarinos (aí são vários, não um par) podem ser ou não parentes. Como ele me disse quando fiz a matéria sobre o trabalho dele para a Pesquisa, que mencionei também aqui, eles tendem a ficar onde nasceram. Por acaso, podem acabar dançando com parentes.

Quando contei dos tangarás, minha prima Laura lamentou que os machos das aves sejam tão enfeitados e os nossos não. “Os homens têm ferraris”, brinquei. Ia passando um cara, não numa ferrari, mas com som alto e de olho nas mulheres que porventura o observassem. Nunca vi mulher fazer isso.

Imagem0216.jpgRecentemente, chegando a São Paulo, o trânsito apertou por causa de congestionamento na marginal. O cara da ferrari ficou tão entalado quanto eu, só que muito mais aflito. Não pude deixar de pensar que os machos do resto do mundo animal enfrentam custos altíssimos para impressionar as fêmeas. Os nossos não são mesmo muito diferentes. Não imagino que seja confortável, muito menos economicamente viável, ter um carro desses numa cidade de ruas esburacadas onde não se pode apertar muito o acelerador.

Darwin reservou um espaço especial para a seleção sexual em suas teorias, foi uma das maiores discordâncias que teve com Alfred Russel Wallace, codescobridor da seleção natural. Voltarei a isso em breve.

Stoltz JA, & Andrade MC (2009). Female’s courtship threshold allows intruding males to mate with reduced effort. Proceedings. Biological sciences / The Royal Society PMID: 19864292

Krakauer, A. (2005). Kin selection and cooperative courtship in wild turkeys Nature, 434 (7029), 69-72 DOI: 10.1038/nature03325

DuVal EH (2007). Adaptive advantages of cooperative courtship for subordinate male lance-tailed manakins. The American naturalist, 169 (4), 423-32 PMID: 17427119

Francisco, M., Gibbs, H., & Galetti, P. (2009). Patterns of Individual Relatedness at Blue Manakin Leks
The Auk, 126 (1), 47-53 DOI: 10.1525/auk.2009.08030

ResearchBlogging.org

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 20 comentários

  1. Ótimo post! (e ótimo comentário sobre o som alto.. hehe)
    Abraço,
    Fernanda

  2. Tati Nahas disse:

    Oi, Maria,
    que delícia de leitura!
    Estou de acordo sobre rituais e displays de conquista se aplicarem aos machos da espécie Homo sapiens sapiens tbém 🙂

  3. Maria Guimarães disse:

    tati e fernanda, obrigada pelas visitas!
    o joão acha que estou errada, cadê os homens para argumentar?

  4. Sibele disse:

    Ótimo como sempre, Maria!
    E, sobre os homens opinarem… ah, o esprit de corps masculino vai falar mais alto, rsrs! Aguarde!

  5. Gostei muito do texto. Pena que não possa estar assim na “cinzentona” Pesquisa!
    Não discordo que também haja display na espécie humana, discordo que seja generalizado. Os pavões só têm a cauda, já nós… Existem tantas “culturas” de Homo sapiens que se torna impossível generalizar. E a partir do momento em que o sexo está dissociado da reprodução, nada é garantido.
    Possuir e usar um Ferrari pode ser apenas uma obssessão idossincrática nada relacionada com seleção sexual. Tipo: se o cara tem de ficar no trânsito, ao menos que seja dentro de um Ferrari! Quem sabe ele não é engenheiro mecânico? 🙂
    Qto ao esprit de corps, não sou filiado.

  6. Atila disse:

    Sou adepto da idéia de que muito do comportamento masculino é display. Nossa cultura dá o terreno para o comportamento se manifestar de várias formas, mas o impulso é aquele mesmo.

  7. Carlos Hotta disse:

    Adorei o texto! Toma Revista FAPESP!
    Eu nunca consegui jogar truco pq começo a analisar o display dos jogadores e acabo me distraindo. Não dá para levar a sério o jogo quando você enxerga pavões e perus no lugar de seus oponentes!

  8. Maria Guimarães disse:

    adorei imaginar o carlos jogando truco e perdido em observações!
    joão, vai ver só é bom ficar numa ferrari num congestionamento em lugar mais distinto (e com observadoras aproveitáveis) como a oscar freire. na rodovia bandeirantes prestes a desembocar na marginal, ele estava desesperado.
    e o sexo se dissociou da reprodução há pouco tempo. a evolução ainda não teve tempo de levar em conta…

  9. Alessandra disse:

    que texto bacana, Maria!
    Nunca imaginei que um peru seria cortês.rs.Desengonçado que só!! Hoje minha gatinha entrou no cio pela terceira vez. Estou quase maluca com os gemidos. Coitadinha, assim que passar, vou levar ao vet, porque não será possível deixa-la compartilhar dos momentos de “sedução” com um gato.
    Em relação aos homenens enfeitados, há diversos por aí, tatuados, de brinco nas orelhas, perfumados, nem digo os metrossexuais, mas sim de rapaz “comum”. Eu tenho prestado atenção no meu irmão de 17 anos, como se enfeita todo para ser elogiado pelas gurias.

  10. …pois pois maria, mas então deves ter visto um chimpanzé dentro de um Ferrari [curioso, por que vocês acham que Ferrari é feminino? :):)]. É bom não confundir, andam muitos disfarçados de Homo por aí.

  11. Maria Guimarães disse:

    vai ver, joão. e tem muita hibridização homo/pan, também.
    acho que carros italianos são no feminino, não? como os times de futebol italiano. mas não sei, quem me diz?
    alessandra, já fui até cantada por um peru galantíssimo. era branco e pequeno, numa loja agropecuária que o alan, o pesquisador dos perus, frequentava pra comprar ração pras armadilhas dele. me sentei no chão pra olhar o tal emplumado branco e ele, tão acostumado com gente que ficou com as atrações sexuais misturadas, começou a fazer o show completo. andava em volta, se estufava todo. uma graça.
    o mais divertido foi um minigalo enciumado, que veio disputar a donzela com ele. tive que sair de fininho enquanto eles discutiam…

  12. marianne disse:

    maria, fiquei pensando nos displays masculinos e acho que muitos deles são mais para atrair a atenção dos homens (concorrentes) do que das mulheres mesmo. Tem muita mulher que nem sabe de que carro se trata e acaba achando mais legal um som alto do que um importado, rsrsrs. Lembrei tb dar “teorias” sobre os baixinhos comprarem caminhonetes altas, os carecas andarem de conversível, etc. Enfim, é uma diversão esse tema, né?

  13. Maria Guimarães disse:

    oi marianne, que honra essa visita!!
    estava conversando justamente sobre isso com o joão, há pouco.
    para mim, é tudo o mesmo complexo. afinal, a competição entre machos também faz parte da teoria da seleção sexual. os machos estabelecerem quem pode mais e tudo isso dá uma organizada na competição pelas fêmeas!
    mas é isso mesmo, um tema divertido.
    beijão.

  14. Gábi disse:

    Adorei o Post, saiu das aranhas, foi para os perus, voou pelas aves e caiu no homem, claro! hehe
    Por que será que no final a gente sempre chega no comportamento do Homem? Acho que resumindo a gente faz tudo que os outros bichos fazem, mas com uma carinha humanizada, mas na real é tudo etologia!
    Adorei! Já virei fã do seu Blog! Muito legal ler por aqui!

  15. Glauco Kohler disse:

    Gostaria se possível de ter o pdf do trabalho sobre Chiroxiphia caudata, citado no texto.
    Mandar para [email protected]
    Obrigado

  16. IgorZ disse:

    Ando solteiro e minhas conhecidas mulheres dizem que minhas chances de ficar com alguém aumentam se for na balada acompanhado de um amigo. Será o mesmo fenômeno dos perus?

  17. taiana disse:

    maricota,
    como ja comentou o joao, vc esqueceu de falar sobre as tchutchucas. que se decoram toda para esses proprios homens das ferraris. vale um texto sobre elas!
    esse assunto pode ir longe!

  18. Tati, finalmente alguém vê o outro lado!
    Mari, the ball is on your side.

  19. A questao de Selecao Sexual eh indubitavelmente importante e fundamental na nossa historia evolutiva, porem eh muito mais complexa que a representacao simplistica em voga hoje nas disciplinas de Psicologia Evolutiva e Neurociencia Cognitiva Evolutiva.
    http://twitter.com/MarcelloJun/status/5337426795
    http://twitter.com/MarcelloJun/status/5411820792
    http://twitter.com/MarcelloJun/status/5411941763
    Alguns insights e algumas ferramentas oriundas de P.E. sao muito uteis e coerentes. Nao obstante, esta muito longe de ser abrangente ou compreensiva. Neuro-cognicao humana ainda eh complexa demais para os presentes modelos, e discussoes com o publico laico deve incluir estes ‘caveat emptor’!

  20. Maria Guimarães disse:

    Oi Marcello, o teu comentário tinha ficado perdido no spam, desculpe a demora!
    Obrigada pelas dicas, vou dar uma olhada. Concordo que é comum vermos esses assuntos apresentados de maneira simplificada demais, afinal chama atenção!
    Como meu texto é uma pincelada muito superficial, talvez eu tenha caído nisso. Vou pensar mais.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM