Infidelidade Sexual e Emocional Através da Internet.

ResearchBlogging.org

Devido ao interesse das pessoas na minha última postagem (e obviamente meu interesse no assunto), resolvi postar novamente sobre relacionamentos, ciúmes e o papel da internet nessa mistura. Algumas pessoas me escreveram com perguntas sobre o que realmente é esse sentimento chamado “ciúme” e por que a gente sente isso. Em psicologia, existem várias definições distintas para o que é e pra que serve o sentimento de ciúme. Popularmente, é muito comum que as pessoas digam que “um pouco de ciúme no relacionamento é bom uma vez que isso mostra que gostamos do nosso parceiro”.

Para psicologia evolucionista, no entanto, o motivo e a função do sentimento de ciúme é outro. Para eles, ciúme é uma reação negativa que um dos membros de um relacionamento tem em relação ao envolvimento sexual e emocional do parceiro com outra pessoa. Vale a pena mencionar que esse envolvimento pode ser real ou mesmo imaginário. Mas pra que serve esse sentimento? Basicamente, ciúme é um mecanismo que se desenvolveu através da evolução do ser humano para proteger os casais de possíveis rivais. Em outras palavras, a possibilidade de seu parceiro estar envolvido, tanto emocional quanto sexualmente com outra pessoa, traz um “risco” para o bem-estar do casal. O sentimento de ciúme é um mecanismo que protege o casal e evita que esse “risco” se torne uma realidade e, consequentemente, acabe com o relacionamento amoroso do casal.
O que é interessante notar é que homens e mulheres demonstram tipos diferentes de ciúmes. Vários estudos mostram que homens são mais sensíveis (e sentem mais ciúmes) do envolvimento sexual da parceira com outra pessoa. Em outras palavras, homens se preocupam com a ameaça da parceira se envolver em relações sexuais com outros homens. Já a mulher
é mais sensível ao envolvimento emocional do parceiro com outras mulheres. Assim, mulheres sentem mais ciúmes quando o parceiro dedica mais tempo e energia a uma outra mulher (gasta mais dinheiro, ajuda no trabalho, ou mesmo quando carrega uma bolsa ou ajuda com uma mudança, por exemplo). Segundo os psicólogos evolucionistas, essa diferença é causada pelas diferentes pressões sociais que homens e mulheres sofrem.
O que vem me chamando atenção recentemente, no entanto, é como a internet cada vez mais influencia (para o bem e para o mal) o bem-estar de casais. Na postagem anterior, eu falei um pouco sobre o papel de sites de relacionamento tais como Orkut e Facebook na incidência de casos de ciúme. Na presente postagem, vou falar de uma pesquisa, desenvolvida na Holanda, que mostra como homens e mulheres vêem a “traição online”. A pergunta básica foi: será que as mesmas pressões sociais envolvidas na ameaça de traição offline estão envolvidas na traição online?
Antes de falar da pesquisa em si, os autores (Hinke Groothof, Pieternel Dijkstra e Dick Barelds) abordam um assunto que parece muito interessante, e que eu vejo MUITOS casais conversando sobre isso. Se o seu namorado ou namorada se envolve em conversas online de caráter sexual, isso conta como traição? Outra coisa: se o seu parceiro ou parceira se masturba durante uma conversa online de caráter sexual, isso conta como traição? E se ele se envolve apenas emocionalmente com alguém online? Seria isso traição?
Várias pesquisas mostram que quase 85% dos casais acham que esses tipos de atividades virtuais SÃO traições, mesmo que não envolvam nenhum tipo de contato físico. Interessante notar que, para mulheres, apenas uma conversa mais íntima ou emocional (sem conotações sexuais necessariamente) já são consideradas atos de traição. O estudo de Hinke Groothof e colaboradores investigou se os mesmo padrão de ciúme encontrados em relacionamentos offline também ocorrem no ambiente online.
Basicamente, os participantes da pesquisa leram uma série de dilemas envolvendo traição sexual (uma pessoa se masturbando pela webcam) e traição emocional (uma pessoa emocionalmente se relacionando com outra pessoa pela internet). Os resultados mostraram que, assim como em outras pesquisas, 86% dos homens sentiram mais ciúmes da traição sexual do que da traição emocional. No entanto, foi interessante notar que as mulheres sentiram mais ciúmes da traição sexual, quando essas envolviam o parceiro dizendo que estaria disposto a tentar “posições sexuais diferentes” com a parceira virtual. De uma maneira geral, os padrões de ciúmes para traição virtual parece ser o mesmo que o padrão de ciúmes para traição offline.
Basicamente, o estudo sugere que o mecanismo psicológico envolvido na emergência do sentimento de ciúme para traições online é o mesmo envolvido na emergência de ciúmes em traições offline. Uma possibilidade que pode explicar isso é que, talvez, o nosso cérebro registra atos físicos (reais) e virtuais de maneira semelhante. Uma outra possibilidade que pode explicar esse padrão é o fato que de, na verdade, os participantes vêem as traições virtuais como o começo e a possibilidade de uma traição “real”ou offline. Existem muitos casos de casais que começaram o relacionamento de maneira virtual. Pode ser que, na verdade, as pessoas vêem a traição online como o começo de uma traição offline.
Mais uma vez, o que um estudo como esse deixa de lição pra gente é que devemos saber e entender o impactos que as novas mídias, tais como internet, sites de relacionamento, etc. têm no bem-estar do nosso relacionamento. É importante saber de onde vêm os sentimentos de ciúmes e, de alguma forma, tentar amenizá-los de forma que o sentimento não cresça o suficiente para fazer com que a vida amorosa do casal vire um inferno! :-)

Groothof, H., Dijkstra, P., & Barelds, D. (2009). Sex differences in jealousy: The case of Internet infidelity Journal of Social and Personal Relationships, 26 (8), 1119-1129 DOI: 10.1177/0265407509348003

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

About André L. Souza

Assistant Professor Department of Psychology The University of Alabama www.andreluizsouza.com
This entry was posted in Psicologia Cognitiva. Bookmark the permalink.

3 Responses to Infidelidade Sexual e Emocional Através da Internet.

  1. RABELO, Aline says:

    >Mais um post sucesso de bilheteria em 2010, excelentessíssimo seu texto! Hehehe… meu amigo tem se tornado um dos precursores da ciumentologia!! =D

  2. Natielle says:

    >bom pra inicio de conversa eu nao costumo sentir atração pelo meu computador por mais que o nick seja gostosã[email protected] e ele fique online, offline toda hora só pra chamar a minha atenção no msn… eu acho o computador uma coisa completamente impessoal e mesmo se nao o fosse nunca fui do tipo de pessoa que "empolga" com conversa…(a não ser que seja no pé do meu ouvido que ai é beeeeeem diferente 666 )… nunca comprei revistas com pessoas peladas porque imagens nao me interessam…se é pra fazer algumas coisa q realmente FAÇA! então bem…eu nao sentiria ciuems se pegasse meu namorado fazendo qualquer coisa na frente do computador ou falando putaria com alguma desconhecida eu só preferiria NÃO pega-lo fazendo porque é nojento…na verdade se vc parar pra pensar todo o ato sexual é nojento…mas é bom (otimo) então quando nao se esta envolvida tbm perdeu a parte bacana e ficou só o IIUUUU! enfim..ahco que é isso! e da proxima vez vou tentar nao me colocar no meio dos comentarios! duiahsduahdE ah outro detalhe…"vc é um sucesso te amo muito…lindo!" dashdaiuhsdaudh (agora meu comentario se parece com os outros!

  3. Pingback: A crise dos sete anos… Adeus! | Cognando

Leave a Reply

Your email address will not be published.