“Não Quero Pensar Sobre Isso”. Evitar Pensamentos Tem Efeito Contrário.

ResearchBlogging.orgNunca gostei muito de ler livros de auto-ajuda. Por vários motivos. São altamente “positivos” (e.g. Psicologia Positiva) o que, na minha opinião, muitas vezes “mascara” a realidade do problema. No entanto, uma das minhas principais críticas é: muitas vezes esses livros espalham “conselhos” e práticas altamente infundadas em termos científicos. Em outras palavras, eles sugerem atitudes que simplesmente não têm relação alguma com o problema que pretende resolver.

Um dia desses, me perguntaram como fazer para evitar certos pensamentos. Que técnicas utilizar para evitar que pensemos nas coisas que não queremos pensar? A pessoa que me fez essa pergunta, disse que leu em um livro de auto-ajuda que, se alguém deseja evitar certos comportamentos, ela deve “ativamente” evitar pensar sobre coisas relacionadas a esse comportamento. Segundo o livro, se alguém deseja perder peso, essa pessoa deve evitar pensar em chocolates, pudins e tortas de morango com cobertura de chantilly.

Intuitivamente, isso parece ser uma ótima estratégia. No entanto, a ciência está aí justamente para nos mostrar que nem sempre o que parece ser “uma ótima estratégia” é na verdade “uma ótima estratégia”. Para ser ainda mais exato, pesquisas na área de Psicologia Cognitiva têm mostrado, desde a década de 80, que essa técnica de “supressão” de pensamento para evitar comportamentos relacionados é completamente errada. Evitar certos pensamentos, na verdade, causa o efeito contrário: ele aumenta seus pensamentos sobre aquilo que você não quer pensar e, principalmente, aumenta o comportamento que deseja evitar. O conselho do livro de auto-ajuda está errado e te ensina a “piorar” sua situação.

Um estudo publicado recentemente (Setembro/2010) no periódico Psychological Science mostrou esse efeito em fumantes. De acordo com o livro de auto-ajuda, se alguém deseja parar de fumar, esse alguém deveria simplesmente evitar (suprimir) pensamentos relacionados a cigarros. Será que funciona? Vamos ver o que o estudo mostrou.

O estudo ocorreu durante três semanas. Na Semana 1, os pesquisadores anotaram a quantidade de cigarros fumados por dia por cada participante. Eles também mediram o nível de estresse de cada participante. Na Semana 2, metade dos participantes foram instruídos a evitar pensamentos sobre cigarros e/ou fumar. Eles deveriam ativamente suprimir todo e qualquer pensamento sobre cigarros. A outra metade foi instruída a “expressar” todo e qualquer pensamento sobre cigarros. Os autores anotaram a quantidade de cigarros fumados por dia e o nível de estresse de cada participante. Na Semana 3, assim como na Semana 1, os pesquisadores apenas anotaram a quantidade de cigarros fumados por dia e o nível de estresse de cada participante.

Os resultados são bem interessantes. Primeiramente, o mais importante: os participantes que foram instruídos a evitar pensamentos sobre cigarros fumaram significativamente mais cigarros na Semana 3 em comparação às Semanas 1 e 2. Eles fumaram mais que os participantes que expressaram os pensamentos sobre cigarros. Já esses últimos fumaram virtualmente o mesmo tanto de cigarros nas Semanas 1, 2 e 3.

Duas coisas interessantes ocorreram: (1) durante a Semana 2, os participantes que evitaram pensamentos sobre cigarros fumaram significativamente menos cigarros do que os participantes que expressaram os pensamentos e (2) os participantes que evitaram os pensamentos sobre cigarro mostraram um nível de estresse significativamente alto durante a segunda semana. O fato de os participantes que evitaram os pensamentos terem fumado menos durante a Semana 2 pode explicar a sensação que temos de que “evitar pensamentos, evita atitudes”. A curto-prazo, evitar os pensamentos sobre cigarro, de fato, parece ter influenciado na diminuição da quantidade de cigarros fumados durante a semana de supressão dos pensamentos. No entanto, o efeito se reverteu totalmente na Semana 3, e esses participantes fumaram muito mais do que fumaram nas Semanas 1 e 2.

Apesar de terem fumado menos durante a Semana 2, os participantes que evitaram pensamentos sobre cigarros apresentaram um nível de estresse significativamente alto. O mesmo não ocorreu com o grupo que expressou os pensamentos sobre cigarros. Pode ser que a tarefa mental de ativamente evitar/suprimir certos pensamentos, na verdade, atua como um fator que agrega ao seu nível de estresse (resultado natural de uma sobre-carga cognitiva).

Os autores ainda fizeram outras análises relevantes, mostrando, por exemplo, que a supressão de pensamentos sobre cigarros está diretamente correlacionada com o insucesso na tentativa de parar de fumar, ou seja, quanto mais se evita pensar sobre cigarros, menos se consegue parar de fumar.

De uma maneira geral, o estudo demostra que “evitar pensamentos” para “evitar comportamentos” pode, na verdade, ter o efeito contrário — apesar do efeito desejado em um curto espaço de tempo. A mensagem que fica é: se deseja controlar ações indesejadas (e.g. vícios) já sabe que não deve tentar “não pensar” sobre a ação indesejável. A outra mensagem é: seja mais crítico quando estiver lendo um livro de auto-ajuda — principalmente se esse livro traz conselhos que parecem “intuitivamente” corretos.

Referência:

Erskine JA, Georgiou GJ, & Kvavilashvili L (2010). I suppress, therefore I smoke: effects of thought suppression on smoking behavior. Psychological science : a journal of the American Psychological Society / APS, 21 (9), 1225-30 PMID: 20660892

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

About André L. Souza

Assistant Professor Department of Psychology The University of Alabama www.andreluizsouza.com
This entry was posted in Psicologia Cognitiva. Bookmark the permalink.

One Response to “Não Quero Pensar Sobre Isso”. Evitar Pensamentos Tem Efeito Contrário.

  1. RABELO, Aline says:

    >Ainda bem que entre os exemplos mencionados no texto, sobre coisas que se deve evitar pensar (pudins, tortas, chocolates, etc), não consta um suculento creme de açaí com granola… :-))))(dessa eu me salvei!!!)

Leave a Reply

Your email address will not be published.