Quem tem medo de mensagem subliminar?

Você já ouviu falar sobre James Vicary? Mesmo que nunca tenha ouvido falar sobre ele, tenho certeza que já viu, ou ouviu histórias sobre o que ele chamou de mensagens subliminares. A internet está cheia dessas histórias de que os desenhos da Disney, por exemplo, propagam uma série de mensagens subliminares sobre sexo: castelos em formato de pênis, fumaça que forma palavra “sexo”, etc.

Mas o que é isso afinal de contas? O que são mensagens subliminares? Bom, posso começar dizendo o que NÃO é mensagem subliminar. Mensagem subliminar não tem nada a ver com mensagens do além, ou com seres sobrenaturais que tentam se comunicar conosco de alguma forma (lembra da história sobre tocar os discos da Xuxa ao contrário?). Essa definição de mensagem subliminar é do senso-comum e está errada (tocar o disco da Xuxa é esquisito sim, mas por outros motivos).

Pois então. Em 1957, James Vicary — um pesquisador da área de marketing — fez um experimento onde ele mostrou que “propagandas subliminares” eram capazes de influenciar a escolha de consumidores acerca de algum produto. O que chamamos de mensagem subliminar na psicologia são estímulos (na maioria das vezes estímulos visuais) que são produzidos de maneira tão peculiar que não somos capazes de processar conscientemente. Não somos capazes de processar conscientemente, mas eles “passam” pelo nosso sistema perceptual. Mas como eles estão abaixo de um certo “limiar” (por isso o nome sub-liminar) nosso sistema cognitivo não processa o sinal.

A coisa funciona mais ou menos assim: imagina que esteja assistindo à uma apresentação de slides com fotos da sua família. Entre uma foto e outra, alguém coloca um slide com o símbolo da Skol. No entanto, esse slide aparece na tela por 17 milésimos de segundos. O slide aparece tão rápido que você literalmente não vai “vê-lo”. No entanto, o seu sistema visual vai “captar” essa imagem e ela pode acabar passando para o seu sistema cognitivo (mesmo sem você ter consciência disso). Essa informação então pode acabar influenciando o seu processo de tomada de decisão (você vai preferir Skol à Brahma, por exemplo).

Foi exatamente isso que James Vicary fez em 1957. Ele disse que mesmo que você mostre a marca da sua empresa para as pessoas de maneira subliminar (sem que elas “percebam”), isso vai influenciar a escolha das pessoas — basicamente fazer com quer as pessoas comprem seu produto. Isso foi feito em 1957 e desde de então muita gente já conseguiu mostrar que a coisa não funciona bem assim.

Um estudo bacana publicado em Abril desse ano no Journal of Consumer Psychology mostrou que o efeito de mensagens subliminares, na verdade, depende dos hábitos e necessidades que você tem. Os pesquisadores queriam saber se mensagens sublimares (com a logomarca de dois tipos de bebida: chá gelado e água mineral) influenciariam a escolha das pessoas quando elas estivessem com sede.

Para começar, os pesquisadores mediram o nível de sede de cada participante. Logo após essa medida, os pesquisadores perguntaram aos participantes se eles tinham alguma preferência específica pelas duas bebidas. Depois dessas medidas, cada participante teve que executar a seguinte tarefa: eles viam na tela do computador um punhado de slides com um punhado de letras B’s maiúsculas (ex.: BBBBBBBBB). Em alguns slides, no entanto, apareciam uns b’s minúsculos (ex.: BBBBBbBBBB). O participante tinha que prestar atenção e contar o número de nos slides que tinha a letra b minúscula.

Para metade dos participantes, os pesquisadores colocaram um slide contendo a logomarca do chá gelado entre cada slide de B’s. No entanto o slide com a logomarca aparecia na tela por menos de 20 milisegundos. Após a tarefa, os participantes tinham que escolher uma bebida para matar a sede.

Os resultados mostraram/sugerem basicamente o seguinte:

1) Se você não está com sede (não tem a necessidade de beber água), a mensagem subliminar não funciona pra você: entre a água e o chá, você escolhe o que geralmente tem o hábito.

2) Se você está com sede, mas não gosta muito de chá gelado (sua preferência é a água), a mensagem subliminar tem um efeito, fazendo com que você escolha o chá gelado (mesmo não sendo a sua preferência).

3) Se você está com sede e não tem nenhuma preferência quanto à bebida, a mensagem subliminar te afeta um pouco e você tende a beber o chá.

Resumindo, a idéia de que mensagem subliminar afeta suas escolhas independente de qualquer coisa não é verdade. O efeito vai depender das suas preferências e, principalmente, das suas necessidades. A mensagem subliminar não vai te induzir a fazer algo que não queira (ou que não precise).

Em outras palavras, essa história de que os desenhos da Disney estão cheios de mensagens subliminares “induzindo” as crianças à pensarem sobre sexo é uma balela danada! Talvez os adultos que “vêem” essas mensagens precisam se concentrar mais em suprir as necessidades que os fazem “ver” as mensagens pra começo de conversa….

Fica a dica! :-)

Me acompanhe no Twitter, no Facebook e no Google+

Referência:

Verwijmeren, T., Karremans, J., Stroebe, W., & Wigboldus, D. (2011). The workings and limits of subliminal advertising: The role of habits Journal of Consumer Psychology, 21 (2), 206-213 DOI: 10.1016/j.jcps.2010.11.004

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

About André L. Souza

Assistant Professor Department of Psychology The University of Alabama www.andreluizsouza.com
This entry was posted in Psicologia Cognitiva. Bookmark the permalink.

12 Responses to Quem tem medo de mensagem subliminar?

  1. Flávio Nickel Noisy says:

    >E eu era um dos que acreditava piamente nas mensagens subliminares e nas ilusões de ótica.

  2. André L. Souza says:

    >Na verdade, ilusão de ótica existe, mas é um processo diferente. Ilusão de ótica é um processo perceptual que ocorre no nível neurofisiológico. Tem haver com a maneira como a informaçao recebida pela retina é encaminhada para o cortex visual primário no lobo occipital (atrás da sua cabeça) pelo nervo ótico. Mas essa informação é processada cognitivamente ao passp que as mensagens subliminares não são. Ainda se sabe pouco se mensagens subliminares apresentam alguma representação cortical especial.

  3. Anonymous says:

    >você é o cara

  4. Anonymous says:

    >gostaria de saber o para voce significa a imagem acima,pois eu ainda não entendi,desde de já agradeço.

  5. André L. Souza says:

    >Apenas uma imagem das princesas da Disney! Nada demais! :)

  6. Carolina says:

    Voces tem que continuar acreditando sim, nesse tipo de coisa. Só nao fiquem com paranoia de que tudo é subiliminar, se nao voces vao acabar ficando loko!

  7. Uma Rebelde... says:

    A pera ai deixa eu ver se eu entendi: entao quer dizer que na sua opiniao as mensagens subliminares nao trazem efeito algum, tem certeza? Voce acha mesmo que a rede globo a disney e outras empresas iam perder tempo inserindo mensagens subliminares se nao surtisse nenhum efeito!???? Meu querido antes de postar qualquer coisa aqui, vê se pesquisa melhor ta? Esse tipo de coisa hoje em dia é motivo até de tema em universidades sabia? E eles vivem e os professores vivem alertando os alunos dos efeitos que o subliminar traz. E mais, varios cientistas já fizeram o teste e deu certo! Varios efeitos de querer uma coisa sem saber ao certo do que se trata realmente aconteceram em varias pessoas nessa pesquisa. Entao, antes de postar coisa que tu nao sabe estude mais um pouquinho tá?

  8. Oi oi Rebelde, obrigado pelo comentário! Alguns pontos que quero ressaltar:

    1) a postagem não é uma crítica direta ao efeito de mensagens subliminares. Se ler cuidadosamente, vai perceber que é uma postagem sobre um efeito ESPECÍFICO (e não uma crítica aos efeitos em geral)

    2) Me envie os estudos que conhece em que os pesquisadores mostram que esses efeitos são grandes e robustos que eu terei o maior prazer em divulga-los por aqui.

  9. Uma Rebelde... says:

    Cognando muito obrigado pela resposta e elogiu! Talves tenha sido um pouco grosseira no meu comentario mais eu sou assim mesmo, rebelde como eu postei. Respondendo de volta vou dar um video muito interessante chamado a verdade disponivel no yuootube, muito interessante que fala sobre coisas que voce nem imagina. Mais o site que vai te revelar mesmo que as mensagens subliminares surtem efeito infelismente eu nao me lembro mais, minha cabeça nao gravou. Entao eu te dou uma dica: pesquisa no google sobre mensagens subliminares e seus efeitos, vai lendo todos os sites até achar um que conte sobre a pesquisa cientifica. Tchau, me desculpe por nao me lembrar do site e assista o video!

  10. Marco says:

    André, vc foi superficial no tema. Há casos sim de mensagens subliminares que foram parar até na justiça americana; tiveram que remover uma tiragem inteira do DVD da “Pequena Seria” em razão de um castelo em formato de pênis no fundo e até uma propaganda da MTV foi retirada do ar e a emissora obrigada a se retratar publicamente — e se retratou. Há a imagem de uma mulher com os seios à mostra no fundo de um frame de “Bernardo e Bianca”, entre outros (alguns, concordo que são viagens mesmo, como encontrar formas em nuvens).

    O que acontece é a ânsia da desmistificação, por parte da comunidade cientifica, de quaisquer assuntos que tenham interesse popular, logo o “debunk” se torna tão urgente ao ponto de não se pesquisar a matéria a fundo para logo se livrar dela.

    Veja, não estou questionando o estudo — se a mensagem em si faz efeito ou não — mas que sim houveram inserções intencionais e documentadas, e não só “coisas que se queriam ver”. A razão pela qual fizeram isso? Também não sei, não fizeram efeito nenhum, mas estão lá.

  11. Marco says:

    Pra facilitar, aqui a história do recall, em 1999 de Bernardo e Bianca (The Rescuers, 1977) noticiado e documentado.

    “A Disney spokeswoman said that the images in The Rescuers were placed in the film during production, but she declined to say what they were or who placed them…”

    http://en.wikipedia.org/wiki/The_Rescuers

  12. Oi Marco,

    Concordo com você que o fato de haver inserção intencional (ou não) vai muito além do ponto específico da postagem — que fala sobre o efeito (ou não) dessas inserções.

    Não acredito que a ciência tenha papel de desmistificação. Acho sim que ela tem um papel importante na investigação sistemática de qualquer fenômeno, seja ele popular ou não. O fato de ter havido casos que foram parar na justiça americana não justifica a crença e nem a existência de tais fenômenos. O estudo científico do fenômeno é apenas um tipo de evidência — que pode ser levado em consideração, ou não.

    Valeu pela visita ao Cognando!

Leave a Reply

Your email address will not be published.