>Regra à três

>

Quando estudamos a história evolutiva das espécies, suas interações ecológicas com outros indivíduos e com o meio, sua dinâmica de populações e das comunidades, podemos chegar a conclusão que uma eterna luta é travada na natureza, seja numa floresta úmida, num deserto solitário e escaldante, nas termas submarinas e ácidas ou até mesmo dentro dos nossos do corpos. Um guerra entre presa, predador, e entre indivíduos da mesma espécie, onde somente um sai vencedor…
“Não desista. Lute até o fim!”

Mas nem sempre a história é escrita dessa forma, as vezes uma trégua, é necessária para continuar a sobreviver.
O termo Simbiose, foi utilizado pelo primeira vez em 1879 pelo Micologista alemão Heinrich Anton de Bary e foi definido como “organismos diferentes vivendo juntos”. Desde então o estudo dessa área veio crescendo e demonstrando que a simbiose deu origem a grandes saltos evolutivos, como o surgimento das células eucarióticas e das organelas mitocôndria e dos cloroplastos nas plantas. O ditado popular “uma mão lava a outra” vem a calhar nesse conto, mas venho aqui para falar de seres que não possuem mãos para serem “lavadas”…

Homalodisca vitripennis

O drama da vida neste teatro evolutivo que vos apresento é encenado pela cigarra Homalodisca vitripennis, e as bactérias hospedadas em seu corpo, a Baumannia cicadellinicola e Sulcia muelleri, numa espécie de “Threesome” estes organismos convivem intimamente, e quando falo de intimidade, viver dentro do corpo de outro talvez seja o máximo de intimidade que se pode alcançar. A cigarra H. vitripennis, como diversos artrópodes que convive com endosimbiontes, possui uma estrutura corporal especializada para isso, o bacterioma, onde residem os bacteriócitos, as células que protegem as bactérias, provem nutrientes, aminoácidos necessários para sua manutenção e são transmitidas maternalmente para a prole.

A dupla de endossimbiontes: Baummania (verde) e Sulcia (vermelho)

Claro que viver junto tem suas consequências, como a redução do genoma do endossimbionte, e a inabilidade de viverem separados tanto o hospedeiro quanto o hospedado, tática utilizada para exterminar insetos que muitas vezes se tornam pragas de lavouras, ou vetores de doenças, mas os benefícios desse estilo de vida, neste caso podem ser resumidos em:
A espécie Baummania sintetiza vitaminas e cofatores, enquanto a Sulcia produz aminoácidos, complementando a síntese da Baummania e provendo fonte energética para a cigarra Homalodisca, que se alimenta no xilema de algumas plantas cujo não possuem tais “mantimentos” para a sobrevivência da cigarra.
Neste regra á três, diferente da música do Vinícius de Moraes “regra três”, o menos não vale mais…

Referências:

http://www.pnas.org/content/104/49/19392.full
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16729848
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC368156/
Letra da música Regra Três

Imagens: Aqui e daqui.

Este texto já foi publicado no blog Biologia em Ciência e Evolucionismo.ning

Categorias

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM