Escolha uma Página
Gostaria de dividir com vocês um texto meu que fez parte de uma discussão por emeio sobre “céticos do clima”.

Eu consigo ver duas divisões claras que são chamadas vulgarmente de “céticos do clima”: pessoas que defendem que o aquecimento global é uma farsa (estes também acreditam em outras teorias da conspiração) e pessoas sérias que discutem cientificamente o tema.

Quanto ao citado primeiro, acho que eles foram “criados” por iniciativas sensacionalistas, como o filme do Al Gore. Atitudes como essa são pensadas como uma “boa iniciativa”, mas, na minha opinião, têm um efeito ruim posteriormente. São iniciativas baseadas em pseudo-ciência, cheia de erros e brechas onde qualquer um que leia um pouco mais que a Wikipédia pode refutar. Abrindo um pouco mais acho que este é o erro do movimento ambientalista em geral. Cheio de boas intenções, mas que são 99% utópicas ou que não contribuem significativamente com a conservação do planeta. Resumindo, a pessoa vai dormir achando que faz bem ao mundo, mas na verdade está longe disso.

Quanto as pessoas críticas e com argumentos, existem várias. Não acho correto extrapolar como se só fosse “contra” ao aquecimento global quem não tem formação nenhuma na área. Na verdade isso de “apoiar” ou ser “contra” é uma piada. Existem pessoas sérias trabalhando com dados que contrariam parte dos resultados do IPCC, mas isto não é um problema. Não existe verdade ou consenso em ciência. Existem sim artigos sendo publicados em revistas sérias que contrariam parte dos dados do “consenso” do aquecimento global. É só procurar. Cito um aqui por exemplo: http://scienceblogs.com.br/discutindoecologia/2008/10/critica-ao-consenso-cientifico.php. Existem sim climatologistas sérios que trabalham com hipóteses divergentes do IPCC. É só procurar um pouco mais na literatura sobre o tema. O problema é que é quase impossível achar algo na grande mídia, mesmo na internacional. Artigos que questionam parte do que é considerado como verdade absoluta do IPCC não são “populares” (como se isso existisse na ciência). Estes artigos não dizem que “não existe aquecimento global”, mas questionam previsões, metodologias e causas deste aquecimento. Muito está sendo discutido sobre isso, mas normalmente não é de interesse da maioria. Muitos perguntariam “Mas se é verdade, não precisam discutir mais, vamos lutar contra o aquecimento!”. Mas “lutar” quanto? Como? Qual é a maneira mais eficiente? O buraco é bem mais embaixo. Não vamos tratar o tema como algo trivial. Não vamos transformar isso (já transformamos) em mais uma “causa” para os ambientalistas lutarem contra. O aquecimento global são os “novos” transgênicos. Muito ataque, muita discussão, sem argumentos.

Hoje em dia está na “moda” que tudo é culpa do aquecimento global. Desastre em santa catarina? Aquecimento global! O que importa se tivemos enchentes tão grandes ou até maiores do que esta durante o último século e que inclusive a Oktoberfest tenha sido criada devido a uma grande enchente ocorrida em blumenau na década de 80? Nada disso importa. Tudo é culpa do aquecimento global. É isto que a mídia e os ambientalistas não críticos criaram. O que antes era uma boa causa, acabou criando um mostro. Uma massa acrítica que acha que tudo o que é “verde” é bom, que tudo o que acontece de ruim é culpa do aquecimento global.

Acho sim que o aquecimento global (e não mudanças climáticas, que é um termo que significa tudo e nada ao mesmo tempo) é real e que enfrentaremos um mundo mais quente. Provavalmente o homem foi o causador da aceleração deste processo. Provavelmente porque não é só porque há um aumento da concentração de gases estufa e da temperatura global em uma mesma época que podemos dizer que há uma relação de causa e efeito. O artigo que eu citei anteriormente trata disso, mostrando que a forçante natural não pode ser descartada, como o IPCC enfatiza no seu último relatório. Ambas as causas podem ter um papel importante no aquecimento. Artigos como esse não são “fundamentalistas”. São científicos, fazem críticas com dados e discutem encima destes. As vezes o muito óbvio como “homem + poluição = problema ambiental” pode não ser tão óbvio assim. Acho sim que temos problemas muito graves como eutrofização de corpos aquáticos, desertificação, aumento das zonas mortas, só para citar alguns exemplos. Temos bons motivos para culpar os seres humanos pelos problemas ambientais, mas vamos culpar com responsabilidade. Sabendo do que estamos falando.

Só para terminar. Acho que temos um papel muito importante como divulgadores científicos, principalmente nesse caso. Acho que o aquecimento global é um grande exemplo de como devemos tomar cuidado com o que é vinculado pela grande mídia. Tenho certeza absoluta que o alarmisto não é a melhor arma. Muito menos o modismo. Para mim a melhor arma é a informação. Devemos transmitir todos os lados, sendo críticos sobre o conteúdo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...