Quer ser mais atraente? Levante o braço como todo mundo!

chama maré.jpg

Os caranguejos chama-maré são bem comuns nas áreas de manguezais. Estes animais pertencem ao gênero Uca. O interessante é observar o balé dos machos levantado suas pinças. Eles possuem uma, do par de pinças, bem desenvolvida. É como se malhassem somente um dos braços (comportamento típico dos adolescente humanos do sexo masculino).

Esse movimentação da pinça mais desenvolvida tem bastante importância na época de reprodução e na disputa por espaço. Um trabalho publicado na revista Biology Letters indicou que, na disputa para chamar atenção da fêmea, os machos podem levantar e abaixar (como um aceno) mais de 20 vezes a pinça. E o mais interessante, machos que começa a ver esse comportamento em outros machos, passam a fazer o aceno também, mesmo sem ter visto a fêmea ainda. Isto é, ao ver que tem um outro macho se comportando como se tivesse chamando atenção de uma fêmea, os outros machos começam a tentar chamar a atenção também, mesmo sem ter visto a fêmea. Assim, todos entram em um louco frenesi de tentarem mostrar que o deles é maior e que balançam mais que o dos outros concorrentes.

chama maré.gifMelhor eu começar a acenar, vai que o meu é maior!

A questão, pelo menos entre os caranguejos, é espionar seus concorrentes. E entre eles, tamanho deve fazer a diferença, senão não teriam pinças tão desproporcionais!

Fonte: ScienceNow

Abelhas podem regular sua temperatura interna como os mamíferos e aves?

ResearchBlogging.orgNão se assuste. O exemplo clássico que aprendemos no colégio está correto. Mamíferos e aves são normalmente utilizados nos exemplos de animais que buscam a homeostase de forma ativa (com gasto de energia). A homeostase é a capacidade de um organismo manter condições internas constantes diante de um ambiente externo variável. Chamamos estes organismos que mantém a homeostase através da geração de calor corporal interno de endotérmicos. Organismos como répteis e as abelhas (e todos os outros insetos) normalmente são classificados como ectotérmicos, que ajustam a sua temperatura interna através do comportamento. Tenho certeza que você já escutou falar do termo “lagartear”, que significa ficar estendido deitado, sem pressa, como os répteis costumam fazer debaixo do sol para aumentar a sua temperatura interna.  

lagarto_sol.jpg
Vai um protetor solar aí? Acho que não precisa… Cédito: ingridtaylar
Mas é claro que a natureza é um pouco mais complexa e o limite que colocamos nas nossas classificações nem sempre são seguidos a risca pelos outros animais, como no caso as abelhas. O comportamento de grupo destes animais é tão interessante que chega a formar uma linguagem própria (como a famosa “Dança das abelhas”, já comentada no blog aqui) e até controlar a temperatura interna de uma colméia inteira, submetida a uma variação externa de temperatura. Controlar de forma verdadeira, aumentando a geração de calor interno em várias abelhas que resultam no aumento de temperatura da colméia como um todo. Mas pera aí. As abelhas não eram classificadas como ectotérmicas, dependendo apenas de aspectos comportamentais para aumentar a sua temperatura interna? Era o tipo de controle de temperatura mais estudado. As abelhas apenas controlariam a temperatura da colméia em conjunto, sem aumentar a temperatura de cada abelha, separadamente. Pesquisadores da Áustria mostraram através de uma interessante metodologia que a história não é bem assim.
abelhas_calor_interno.jpg
Precisamos comprar um aquecedor urgente. Crédito: PLoS One
Com a ajuda de uma câmera que enxerga e mede diferenças de temperatura (processo chamado de termografia), Stabentheiner e colaboradores conseguiram não só constatar o importante papel individual das abelhas na geração de calor para uma colméia, como descobrir que existe uma importante variação em quais abelhas produzem mais calor de forma interna. Quando há uma variação de temperatura externa da colméia, pode haver uma reorganização na quantidade de abelhas responsáveis pela produção de maior parte do calor. Normalmente são as abelhas mais velhas as responsáveis pela regulação da temperatura da colônia, já que há um gasto de energia muito grande neste processo. O aumento de temperatura interna das abelhas se dá através dos músculos toráxicos responsáveis o voo. Assim, cada abelha pode aumentar a sua temperatura interna e contribuir com a regulação da temperatura de toda a colméia, um trabalho de grupo que mantém a temperatura em um ótimo por volta de 33 e 36 graus Celsius.
A importância deste estudo está na abordagem individual de um processo que normalmente é estudado pelo conjunto de abelhas como um todo, o “super organismo”. Fatores ambientais relacionados a colméia inteira continuam tendo certa importância na termorregulação das abelhas. Mais o papel individual se torna incontestável. É por essas e outras que os animais sociais são sempre um tema tão interessante para os biólogos.
Referência:

Stabentheiner, A., Kovac, H., & Brodschneider, R. (2010). Honeybee Colony Thermoregulation – Regulatory Mechanisms and Contribution of Individuals in Dependence on Age, Location and Thermal Stress PLoS ONE, 5 (1) DOI: 10.1371/journal.pone.0008967

Prós e contras da domesticação

Lendo o último livro do Dawkins “O maior espetáculo da Terra” (em breve
farei uma resenha aqui no blog) encontrei exemplos interessantes do
poder da seleção artificial, mais conhecida como domesticação quando
falamos em animais. Um dos exemplos citado por Dawkins é da evolução de aspectos domésticos no lobo selvagem. Esta pode ser muito mais rápida do que podemos imaginar. Experimentos realizados na Rússia mostraram que em apenas 6 gerações de raposas selvagens selecionadas artificialmente características como avidez pelo contato com humanos, “choro” por comida, farejar e lamber os tratadores, etc já se mostravam dominantes.

Não pude deixar de lembrar da tirinha abaixo.


Clique para ampliar

- Domesticação é uma grande afronta a minha natureza predadora.
- Quem é o bonitinho, fofinho, lindo da mamãe?
- Claro, ela pode ter suas vantagens.


Do ótimo B.C.

Quer ter sucesso entre as mulheres? Seja capaz de aprender mais rápido que seu concorrente

ResearchBlogging.org
O valor evolutivo da intelegência sempre foi foco de grande interesse. A maioria das mulheres tem a inteligência como um atributo que seu pretendente deve ter para conquistá-la. Shohet e Watt (Universidade de Shffield) realizaram um estudo onde avaliaram a capacidade de aprendizagem de diferentes indivíduos de peixes e testaram se isso tem alguma influência na escolha destes por fêmeas de sua espécie. A espécie usada foi a Poecilia reticulata o famoso Guppy (ou lebiste).

Esta espécie é conhecida no meio científico por reconhecer e lembrar de indivíduos do seu grupo, bem como adquirir e usar informações na escola de parceiros e na busca por alimentos. Mas como testar a inteligência dos machos? Não foi com o uso de testes de QI. Os pesquisadores usaram labirintos em aquários, nos quais, ao final da rota, o peixe poderia encontrar alimento. Durante alguns dias, o tempo levado pelo peixinho para encontrar comida nos dois labirintos foi cronometrado. Esta medida indica a capacidade de aprender o caminho para comida nos dois cenários, com isso, machos que demoram menos tempo com o passar dos dias teriam uma capacidade de aprendizagem maior (mais inteligentes). Esta capacidade seria de grande valia na natureza, pois peixes mais inteligentes aprenderiam mais rápido a nadar pela correnteza dos rios, sendo assim mais eficientes na busca por alimentos e mais ágeis na fuga de predadores. Se alimentando melhor, teriam maior tamanho corporal e manchas laranjas maiores (características que deixam as fêmeas dos gupps louquinhas!).

 

guppy.jpgLabirintos usados no experimento

E como é avaliado a atratividade de um macho em comparação aos outros? Quem respondeu que é somente ver o saldo bancário de cada um, errou feio. Foi montado um aquário retangular, sendo este dividido em três partes. Em cada uma das pontas ficava um macho que foi avaliado nos labirintos e, na parte central, foi colocada a fêmea. Em um combate de 10 minutos foi anotado a posição da fêmea a cada 15 segundos, assim, se ela ficasse mais interessada por um dos machos, seria percebido pela frequência de aproximação do lado do garanhão.

gráfico inteligencia.jpg

Está comprovado graficamente: inteligentes são mais atraentes (pelo menos para os peixes)

Foi observado que os machos mais inteligentes atraiam mais as fêmeas, elas tendiam a ficar mais próximas a eles. Os pesquisadores acreditam que esta inteligência pode ser mostrada pelo macho através de movimentos corporais na hora da conquista, além disso, machos mais inteligentes ocupavam posições de dominância com maior frequência. Porém, ainda está um pouco obscuro qual fator que externa essa inteligência.

Agora, você que sempre se achou um nerd e não pegava ninguém sabe que o problema é como externar sua inteligência. Inteligente do jeito que você deve ser, teste movimentos sensuais ou tente ocupar cargos de líder. Se isso tudo não funcionar, comesse a achar que você não é tão inteligente assim, e aliado a uma carcaça não tão agradável, as coisas não ficam são fáceis. Agora, por favor, não use a cantada de que está comprovado cientificamente que os inteligentes são mais atraentes para chegar naquela garota bonita tomando um drink na balcão da boate, muito menos naquela que está dançando na pista. A palavra “cientificamente” não faz muito sucesso em locais escuros, repleto de álcool e música alta.

Referência:

Shohet, A., & Watt, P. (2009). Female guppies
prefer males that can learn fast
Journal of Fish Biology, 75 (6), 1323-1330 DOI: 10.1111/j.1095-8649.2009.02366.x

Sexo selvagem: como fazer seu parceiro perder a cabeça


Clique para ampliar. Fonte: Non sequitur

Placa: Louva-a-deus Bar e Grill – Noite das mulheres
“Cara…olha só! Até o Ralph consegue se dar bem aqui!”

A dica para fazer seu parceiro perder a cabeça é simples. Se você acredita em reencarnação, torça para na próxima você ser um louva-a-deus. Fêmea, é claro. Esta é uma das maneiras de você conseguir fazer o seu parceiro perder a cabeça de forma não metafórica. Para entender melhor o porquê disso e a piada do cartoon acima, continue lendo o post.

Continue lendo…

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM