Dispersando 2 – Generalizações

Para este segundo episódio, os blogueiros do ScienceBlogs Brasil Cláudia Chow (Ecodesenvolvimento) e Carlos Hotta (Brontossauros em meu jardim) se juntam a Fernanda (Bala Mágica), Rafael (RNAm) e Igor S. (42.) com participação especial de Kentaro Mori (100nexos) para falar sobre generalizações.

A Mídia generaliza, o público generaliza, mas fazer Ciência não é generalizar?

Quando generalizações são boas? E quando correm o risco de serem simplistas?

Ouça o programa direto por nossa página, usando o controlador abaixo (36min):

Ou, se preferir mais mobilidade, baixe o arquivo clicando aqui. (33MB)

Comente, participe. Entre em contato conosco.

Link para a transcrição (em PDF).

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 9 comentários

  1. Luiz Bento disse:

    Boa crítica aos produtos Eco Claudia! Fiquei orgulhoso 🙂

  2. maria disse:

    uau, chocolate surpresa!!!!!!!!!!!!!!!!! tive que escarafunchar a memória como louca, e de repente quando desisti a imagem pulou na cabeça. adorei.
    transgênicos: uma vez perguntei pruma conhecida que trabalhava numa ong antitransgênicos por que eu deveria ser contra. ela me pôs na lista para receber o boletim que era, sim, completamente emocional. nunca consegui uma fímbria de informação que fosse ali, a não ser que o governo era do mal porque queria aprovar.

  3. Thanuci disse:

    A voz da Clau é muito boa para podcasts!!! =D
    Se o Igor estava ranhetinho significa que ele estava bem, né não? =P
    Beijos!

  4. Fiquei muito feliz de ver que o podcast está cada vez melhor, Me sinto no boteco da faculdade discutindo com os colegas.

  5. Chloe disse:

    Oi Fernanda!
    agora vi que misturei um pouco os assuntos e me expressei mal com relação a duas coisas distintas: interesse x reportagem veiculada (discussões).
    O interesse fim parece ser, numa grande maioria das vezes, financeiro/politico.
    E, a meu ver, com base nisso a midia se utiliza dos ‘poucos’ dados técnicos, a que tem acesso, para fazer uma matéria (discussão) apelando realmente para o emocional, medo ou empolgação dos leigos, de acordo com o tipo de apoio que se quer angariar.
    Acho que foi nesse sentido que vc falou né… ; )
    Também quero pensar que a maior parte o faz mais por inocência do que por má intenção.
    Enfim… se isso já chateia, e muito, nós ‘não cientistas’,
    quando conseguimos perceber, imagine vocês que tanto se esforçam pra encontrar respostas e bem divulgá-las.
    Sou sua fã!
    ; )
    C.

  6. Oi, Chloe
    Verdade, no fim das contas discussões como a dos transgênicos acabam tendo basicamente cunho financeiro – e político. Afinal, a ciência não está fora de um contexto social. Minha crítica diz respeito principalmente ao estabelecimento de uma opinião sem nenhuma base técnica (confiável, obviamente). A isso chamei de discussão “emocional”.
    Obrigada por comentar!
    Abraço,
    Fernanda

  7. Chloe disse:

    Olá a todos!
    bem legal esse podcast sobre generalizações.
    Tenho de discordar da Fernanda no que diz respeito às discussões sobre transgênicos. Penso que infelizmente elas não são técnicas, mas também não são emocionais, a meu ver são basicamente financeiras.
    A questão não é saber quais tipos de transgênicos são benéficos ou maléficos, a questão é que os benefícios alardeados muitas vezes são falsos (como produtividade de colheitas transgênicas); e, tendo em vista que não se podem controlar as contaminações decorrentes das mutações geradas, a cautela sugere aguardar ao invés de inserir precocemente uma mutação por interesse econômico.
    Mas… não é isso que vemos por aí.
    Vi essa semana, reportagem sobre larva no milho transgênico da China que, segundo a matéria, está infestando o país.
    A grande questão é o direito das pessoas saberem o que tem no que elas estão comendo: ‘contém … transgênico’. Como acontece com a gordura trans.
    Sobre generalizações: como existem infinitas coisas no universo, uma diferente da outra, nós precisamos classifica-las em categorias para conseguirmos entender minimamente o funcionamento do universo e nos situarmos, entendendo também o nosso papel.
    O que vem a mente ainda é a existência de diferentes tipos de generalizações:
    – generalizações factuais, ex. em toda estrela ocorre fusão nuclear – um fato pode ser comprovado ou não, mas não depende da opinião do observador; e,
    – generalizações de julgamento de valor, ex. todo cientista é nerd – um julgamento de valor não pode ser comprovado, depende da opinião do observador.
    Mas também não vamos generalizar né…
    Abçs. ; )
    C.

  8. Epidemiologic analysis of oral and pharyngeal cancer in dogs, cats, horses, and cattle.
    http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/1002589
    ———
    []s,
    Roberto Takata

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Categorias

The administrator needs to log in and select a Google Analytics account.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM