O mundo acaba em 2012?

Blogagem coletiva Fim do Mundo Se o mundo vai acabar agora em 2012 eu não sei, mas que o homem tem trabalhado duro para que o planeta tenha um fim em breve isso eu não tenho dúvidas.

Ok, a frase pode soar um tanto forte demais, mas não dá pra dizer que desde a revolução industrial cuidar da casa dos seres humanos tem sido uma prioridade para a humanidade. E parece que a velocidade com que se destrói não tem acompanhado a velocidade com que se TENTA preservar ou cuidar melhor.

Resolvi listar alguns desastres ambientais (relacionados a acidentes).

Bopal (2-3 dezembro de 1984)

bhopal gas098

Esse é considerado a pior catástrofe industrial do mundo, ocorreu na noite do dia 2 para o dia 3 de dezembro em Bopal na Índia, uma fábrica de pesticidas deixou vazar gases tóxicos e causou a morte imediata de 2.259 pessoas na cidade e outras tantas mortes ainda aconteceram em decorrência desse vazamento.

Chernobyl (26 abril de 1986)

Chernobil_PREIMA20110425_0189_5

Esse é considerado o pior acidente nuclear da história. O acidente causou a evacuação da cidade de 200 mil habitantes. Um relatório da ONU de 2005 atribuiu 56 mortes até aquela data – 47 trabalhadores acidentados e nove crianças com câncer da tireóide – e estimou que cerca de 4000 pessoas morrerão de doenças relacionadas com o acidente.

Exxon Valdez (29 março de 1989)

exxon_valdez_02

Esse foi um dos maiores derramamentos de um petroleiro e pior num local super remoto, ou seja, onde a poluição nao é assim tão comum, o Alasca. Foram derramados de 257 mil a 750 mil barris de petróleo. Esse acidente é o clássicos dos acidentes ambientais relacionados ao petróleo.

Vazamento de petróleo no Golfo do México (20 de abril de 2010)

Desastre-da-plataforma-da-BP-no-Golfo-do-México

É o pior vazamento de petróleo da história dos EUA, foram 250 milhões de barris. Esse todo mundo assistiu de camarote a incompetência da BP em resolver o problema. Foram meses até conseguir conter o vazamento.

Sim esses desastres ambientais foram catástrofes isoladas muito mais relacionadas a falta de segurança e cuidados do que desacaso ambiental, mas certamente para os mortos desses acidentes (sejam pessoas ou animais) foi o fim do mundo.

Acho que esses acidentes não são o que de pior o homem tem feito em relação ao Planeta, acho que os pequenos descasos do dia-a-dia são piores e com consequências consideradas invisíveis. No acidente de Chernobyl eu tinha apenas 5 anos de idade não entendia o que estava acontecendo, mas sabia que algo muito ruim tinha acontecido lá para aqueles lados da Rússia, mas todos os dias crianças aqui no Brasil terão sequelas graves por conta da falta de saneamento básico e pouco se falaou se cobra por uma melhora. E isso serve para o descaso que é a poluição no rio Tietê, os centenas de lixões sem qualquer cuidado em vários municípios brasileiros, o aumento do desmatamento em todos os biomas no Brasil por conta do tão bem conceituado crescimento econômico. De que adianta a economia crescer se não vai sobrar um ambiente minimamente limpo, saudável para as pessoas?

 

Água – Blog Action Day

Hoje é Blog Action Day!

Não lembra o que é o Blog Action Day? É um evento anual que une blogueiros de todo o mundo postando mensagens sobre o mesmo assunto num mesmo dia nos seus próprios blogs, com o objetivo de provocar uma discussão em torno de uma questão de importância global.


Esse ano o tema escolhido é água. E quem acompanha esse blog sabe que eu já falei sobre ele algumas vezes, portanto por falta de tempo vou indicá-los aqui e traduzir os 5 fatos sobre a água que foram enviados pelo pessoal do Blog Action Day, que achei interessantes.

1. Água não potável e falta de saneamento mata mais pessoas anualmente do que todas as formas de violência, incluindo a guerra. Água de beber suja pode incubar algumas doenças muito assustadoras, como E. coli, Salmonella cólera e hepatite A. Essa mistura de bactérias, não é nenhuma surpresa que a água, ou a falta dela, faz com que 42 mil mortes a cada semana.
2. Mais pessoas têm acesso a um telefone celular do que a um banheiro. Hoje, 2,5 bilhão de pessoas carecem de acesso a banheiros. Isso significa que o esgoto transborda para rios e córregos, contaminando a água potável e causando doenças.
3.  Todos os dias, mulheres e crianças na África a pé um total de 109 milhões de horas para conseguir água. Eles carregam cisternas pesando cerca de 20 quilos quando cheio, a fim de recolher a água que, em muitos casos, ainda está poluída. Além de colocar uma grande pressão sobre seus corpos, como andar longas distâncias manter as crianças fora da escola e as mulheres longe de outros empreendimentos que podem ajudar a melhorar a qualidade de vida em suas comunidades.
4. São necessários 6,3 litros de água para produzir apenas um hambúrguer. Esses 6,3 litros cobre tudo, desde a rega do trigo para o pão e fornecimento de água para a vaca para assar o pão. E isso é apenas uma refeição! Levaria mais de 184 bilhões de galões de água para fazer apenas um hambúrguer para cada pessoa nos Estados Unidos.
5. O norte-americano usa em média 159 litros de água por dia – mais de 15 vezes do que uma pessoa média nos países em desenvolvimento. De tomar banho e lavar nossas mãos, para regar nossos jardins e lavar os carros, os americanos usam uma grande quantidade de água. Para colocar as coisas em perspectiva, em um chuveiro médio, em cinco minutos são utilizados cerca de 10 litros de água. Agora imagine usar essa mesma quantidade para tomar banho, lavar suas roupas, cozinhar as suas refeições e saciar a sua sede.

Continue lendo…

O crepúsculo dos absorventes

Se você é uma humana apaixonada por um vampiro e vocês não podem ficar juntos por motivos óbvios, usar coletores menstruais pode ajudar nessa relação… Continue lendo o post e saiba como!

cup

cupBolsinhas para guardar o Moon Cup

 
Um dos meus pecados ambientais da lista feita ano passado era usar absorventes descartáveis. Veja bem, eu disse era! Sim, agora eu uso um coletor menstrual, mais precisamente o Moon Cup (E não, eu não arranjei um namorado vampiro).

Já tem uns 3 ciclos que eu tenho usado essa nova opção e só tenho a dizer que é uma alternativa muito, muito boa. No começo pode parecer estranho, tirá-lo pode dar um pouco de trabalho (pra colocar não tive problemas), você se preocupa o que vai fazer a respeito quando não tiver em casa, acha que vai vazar e fica apreensiva, de verdade? Parece que você usando um absorvente pela primeira vez de novo. Mas o fato de você esquecer que está menstruada e não ter que se preocupar em levar absorventes consigo sempre, compensa cada uma dessas dúvidas que certamente você vai ter só da primeira vez, depois é fácil, quem não se adapta rápido ao conforto e comodidade?

Mas pra quem nunca ouviu falar desse tal de coletor, o que é afinal? É um copinho feito de silicone cirúrgico que é colocado no canal vaginal para coletar o sangue, que é jogado fora quando retirado o copinho. Simples assim, não tem gel, absorção, abas ou tipos de cobertura para se preocupar. Existem 2 tamanhos disponíveis para mulheres com até 30 anos e que nunca tiveram filhos ou para mulheres com mais de 30 anos ou que já tiveram filhos.

Infelizmente encontrar esse produto no Brasil não é assim tão fácil, o meu por exemplo veio por meio de uma amiga de uma amiga que voltava de viagem da Inglaterra. Mas se você não tem problemas de fazer compras pela internet de produtos vindos do exterior não é assim tão complicado.

A seguir links interessantes sobre o assunto:
Vídeo do youtube que explica como usar o moon cup.
Grupo do Flickr só com fotos de coletores.
Comunidade do orkut sobre os coletores: Coletores & Cia.
Uma resenha super detalhada com várias informações interessantes.
Dois posts no Quintal: O copinho lunar e Copinho lunar II a missão. E reflexões sobre mudanças de hábitos.
Os copinhos mais lindos que já encontrei até agora, são coloridos e tem bolsinhas lindas.
Muitas úteis informações no Wikipédia (em inglês).

P.S.: Eu não preciso explicar com maiores detalhes como você pode ajudar seu pretendente vampiro, preciso? 😉
Agradecimentos para o autor do título desse post: @vitorlp Muito obrigada!!!
__________________________________________
Este texto faz parte da Blogagem Coletiva: Cientista também caça paraquedista (com um super ultra hiper mega atraso, basicamente uns 2 meses). Se você entrou aqui procurando por informação e gostou do que encontrou (fala que não é original) aproveite e visite os outros textos.

Mudanças Climáticas – Blog Action Day

 

 

Esse blog fala das mudanças climáticas o tempo todo, então continuar falando disso hoje seria chover no molhado, por isso resolvi reunir vários posts de blogs que tenham falado sobre o assunto.

A diferença dos termos Aquecimento Global e Mudanças Climáticas é muito bem explicado no Discutindo Ecologia, saiba qual deles você quer adotar depois desse esclarecedor post.

Os Geófagos falam bastante de mudanças climáticas no blog deles. Você pode encontrar reflexões sobre como o semi-árido brasileiro pode ser  usado como laboratório para o que poderá ser as consequências do Aquecimento Global. Ou ainda o que são criossolos, permafrost e o que pode acontecer com eles com o aumento da temperatura no globo.

O Chi vó non pó traz uma série de artigos traduzidos sobre o que anda acontecendo no Planeta com o seu aquecimento.

O RNAm responde: As pessoas entendem o Aquecimento Global?

No Blog Action Day do ano passado o Rastro de Carbono falou das consequências das mudancas climáticas para os povos mais pobres.

O Quintal tem um artigo de 2007 questionando o simplismo que se usa para calcular as toneladas de CO2 que são emitidos na atmosfera. Eu acredito que isso não deve ter mudado muito de lá pra cá, infelizmente.

O blog Uma Malla pelo Mundo fala da diferença de percepção sobre as mudanças climáticas pelas pessoas comuns e pelos cientistas. As pessoas comuns se sensibilizam quando conseguem ser tocadas emotivamente, a percepção de risco para elas não se traduzem em números, mas em sentimentos.

 

E pra finalizar alguns posts daqui mesmo que tratou do assunto:

A corrida da humanidade contra as mudanças climáticas?

Uma questão de escala

Palestra do diretos do PNUMA

Blogagem coletiva – LUZ – Reciclagem de lâmpadas fluorescentes

banner_luz.gif

Como estava sem criatividade pra escrever algo muito original sobre luz, aceitei a sugestão dos meus Science amigos de falar sobre lâmpadas fluorescente. Mas eu continuei sem muita criatividade e resolvi colocar um vídeo de um programa muito bacana, o Cidades e Soluções. Segue o vídeo abaixo:

Achei esse vídeo nesse post que tem muitas informações interessantes sobre reciclagem das lâmpadas fluorescentes, inclusive uma lista das empresas de reciclagem.

Essa não é a primeira vez que falo sobre lâmpadas. Além de consumir menos energia é importante descartá-las corretamente, pois elas contém vários componentes tóxicos que caso tenham como destino o solo ou a água podem causar sérios problemas de saúde pública.

Blogagem coletiva – Consumo Consciente (2/2)


Pra você que come peixe segue uma lista de peixes brasileiros classificados em: coma a vontade, consuma com moderação, evite e não consuma.


Ta aí uma maneira de você consumir peixes de forma consciente. Na Suécia uma classificação mais ou menos como essa existe nas próprias peixarias, veja aqui.
Essa lista é restrita apenas aos peixes de mar e brasileiros. Mas é sempre bom lembrar que alguns peixes como o salmão e o bacalhau deveriam sair do nosso cardápio. O salmão por ser criado em cativeiro no Chile, recebe doses absurdas de hormônios e está destruindo todo o ecossistema naquele país (leia mais sobre o assunto aqui) e o bacalhau por estar ameaçadíssimo de extinção (maiores detalhes aqui).
__________________________________________________________________________________
Esse post faz parte da Blogagem Coletiva – Consumo Consciente do Blog A vida como a vida quer.

Blogagem Coletiva – África (2/2)


Como eu ando bem preguiçosa resolvi deixar esse post para um amigo que vive hoje na África contar sobre a experiência dele por lá. Ele é o Ram Horizonte que mantém o blog Yo Vengo de Todas as Partes, que conta suas 1001 aventuras pelo mundo, as últimas delas inclusive na África.
Ele também é geólogo, fomos contemporâneos na faculdade, e está em Angola trabalhando com prospecção de diamantes por aquelas bandas.
Segue o relato dele sobre como o meio ambiente é encarado em Angola, um país que está em processo de reconstrução depois de uma guerra civil de muitos anos.

Com certeza a legislação Ambiental em muitos países Africanos é recente, motivo pelo qual eles já utilizaram a experiência de outros países e pode-se assim dizer que estes tem uma legislação moderna e adequada.
O problema começa na aplicação dessa legislação, pois simplesmente não há órgãos fiscalizadores, falando do caso que eu conheço que é Angola. Eu tenho notado em reuniões de órgãos do governo com empresas de exploração de diamante que há um aumento na pressão para as mesmas cuidem mais do meio ambiente, mas até essa prática se tornar realidade no campo há um caminho longo a ser percorrido.
De todas formas não podemos esquecer que Angola saiu de uma guerra civil de trinta anos e nota-se invariavelmente que o foco do governo hoje em dia é reconstruir a infra-estrutura básica do país, estradas, escolas, hospitias, etc. Não existem no momento nenhuma empresa de reciclagem de lixo doméstico em Angola, a simples coleta é algo praticamente novo, imagine então reciclar. Afortunadamente nem tudo está tão atrasado e eu pessoalmente já visitei uma empresa que tem usina de incineração e aterro sanitário para tratamento dos dejetos industriais para as empresas interessadas em fazer um bom despejo deles.
No final das contas o meio ambiente termina sendo uma questão de ética de cada empresa. Acredito que as multinacionais que trabalham no mundo inteiro seguindo os mesmos parâmetros de responsabilidade social e ambiental provavelmente aplicam uma política ambiental muito mais severa que uma pequena empresa de exploração aluvionar que só está interessada no seu lucro diário e não tem uma reputação que cuidar.
No nosso caso especifico da empresa que eu trabalho, uma dessas multinacionais que andam fazendo prospecção de diamantes, aplicamos aqui em Angola o modelo e a experiência adquirida com certificações Ambientais IS014001 no Brasil e outros países do mundo.
Estamos em fase de prospecção, durante a qual os impactos são mínimos se comparados com os de uma mina. Mesmo assim sabemos que à educação ambiental deve começar desde cedo e não podemos esperar a implantação da mina para mostrar as pessoas que conosco trabalham e para o governo que estamos fazendo a nossa parte.
Enviamos baterias, pilhas e óleos usados para a capital do país (1300 Km de distancia) para a empresa que mencionei anteriormente, que trata principalmente dos resíduos industriais das empresas petrolíferas, que como nós, certamente o fazem por responsabilidade própria e seguindo seus parâmetros de atuação internacionais. Realizamos um estudo preliminar sócio ambiental na nossa área de pesquisa para identificar áreas de maior susceptibilidade ambiental e focos de atuação na área social. Investimos em programas sociais com a população local sobre a prevenção e combate a doenças como malária, cólera e aids. Coletamos e tratamos com biorremediação em nossa base o solo contaminado por derramamento de óleos dos nossos veículos leves e pesados, entre outras pequenas iniciativas.
De certeza ainda há um grande caminho por percorrer, governo e empresas precisam investir mais no meio ambiente, mas já existem muitos programas que demostram a crescente preocupação dos dois lados com essa área, de fato, alguns já começaram.”

A minha opinião é que como em qualquer outro lugar, com raríssimas exceções, o meio ambiente é encarado como acessório, se der para fazer fazemos, se não der, não vamos deixar de fazer nada por causa desse “detalhe”. O que se tem é um começo, mas ainda está longe de ser o ideal, não só na África mas na maioria dos países do mundo.
Num país como Angola, que está totalmente focado no seu “crescimento e desenvolvimento econômico”, imitando fielmente a cartilha dos países desenvolvidos, não é de se espantar que o respeito ao meio ambiente depende muito mais de uma responsabilidade e ética das empresas do que necessariamente de uma exigência do governo. Por isso é sempre bom lembrar as multinacionais que as responsabilidades e códigos de ética assumidos por elas em suas matrizes devem valer também em qualquer outro lugar do mundo, afinal o Planeta é um só e meio ambiente não tem fronteiras.

Blogagem Coletiva – Consumo Consciente (1/2)


Lembro que uma vez tratei desse assunto aqui e tem tudo a ver com esse documentário que reproduzo abaixo.

É triste ver esse documentário, não? E não dá pra simplesmente colocar a culpa no mercado publicitário e nas multinacionais pois a culpa é sim também dos pais. Se as crianças brasileiras são as que mais assistem TV no mundo a culpa é de quem? Quem leva crianças para passeios no shopping? E se meninas de 3 anos vão para escola de batom, quem foi que comprou batom para elas? A mídia, as empresas, o mercado publicitário é mau? Sim, o objetivo deles é bem claro, vender a todo e qualquer custo, mas as pessoas compram porque querem, porque se deixam seduzir. Lembramos, crianças aprendem porque veem modelos!
O problema de consumo das crianças é bem mais profundo que apenas regular a propaganda direcionada para elas, o problema está na nossa sociedade e no tipo de pais que as pessoas são.
Convenhamos, pais que fazem festa de aniversario para as filhas em salão de beleza e culpam a mídia por causa disso merecem um tratamento psicológico. Lamento, se você tem problemas de dizer não para seu filho não venha colocar a culpa no resto do mundo, se você se sente culpado porque trabalha de mais e não pode ficar com seus filhos, você deveria ter pensando melhor antes de tê-los e não sair comprando tudo que ele pede pra suprir a sua culpa e a carência dele.
Sejamos realistas a regulação pura e simples não resolve o problema, a ética do capitalismo não será cumprida por decreto. Se regulação resolvesse, uma empresa como a Enron não teria quebrado pelo motivo que quebrou, nem políticos roubariam dinheiro público para beneficio próprio.
O vídeo eu vi no Blog da Miriam Salles.
__________________________________________________________________________________
Esse post faz parte da Blogagem Coletiva – Consumo Consciente do Blog A vida como a vida quer.

Blogagem coletiva – África (1/2)


Para iniciar o tema África sugiro um blog que eu adoro! E tenho acompanhado tem um bom tempo: Pé na África.
O blog começou quando o jornalista Fábio Zanini resolveu fazer um tour pelo continente e conforme ele ia desbravando-o, ia contando suas experiências no blog. Abaixo coloco o link do meu post favorito dessa fase.
O harem de Charles, o gorila (Aliás toda a saga para ele ver os gorilas vale a pena ser lida)
Aliás toda a fase de viagem do blog é fantástica! Nesse post ele faz uma estatística da jornada.
Agora que ele está de volta ao Brasil, o blog está sempre com notícias do continente africano e sempre vale uma visita pra se ter uma idéia do que anda se passando por lá.
Altamente recomendado!

Blogagem Coletiva – Consumo Consciente


Participe da blogagem coletiva sobre Consumo Consciente para discutirmos e divulgarmos ações que levem a um cotidiano de consumo sustentável.
Na semana de 15 a 21 de dezembro compartilhe suas experiências e dicas para começarmos 2009 com novas posturas de consumo em busca de uma vida mais sustentável.
Se você quiser participar e não tem blog use o Aldeia Sustentável.
Iniciativa da Vida como a vida quer. Mais sobre a Blogagem Coletiva – Consumo Consciente aqui.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM