Água, recurso renovável ou não?

Participei essa semana de um concurso onde fui questionado se a água é um realmente um bem renovável, ou se por outro lado, haveria alguma situação onde essa classificação não corresponderia à realidade. Confesso que a princípio, naquela situação de tensão, pensar sobre o tema e dar uma resposta firme e adequada não é fácil. Mas depois de algum tempo e, hoje, depois de alguns dias passados, a resposta se torna mais clara e creio que seria um assunto interessante a ser, aqui, tratado.
Pode-se entender por recurso algo (nesse caso um componente do ambiente – a água) que a que possa ser destinado um uso e/ou valor. Já a classificação como renovável ou não renovável está relacionada à capacidade e facilidade de se regenerar ou serem regenerados num curto espaço de tempo, ou não, respectivamente.
A água, comumente, é classificada como um recurso natural renovável. Literaturas sobre o tema são muitas. Entretanto, algumas ressalvas, muitas vezes, deixam de ser feitas. A questão aqui é se tais ressalvas, em alguns casos, podem “mudar” essa classificação. Essa talvez seja uma questão sem uma clara resposta, sem, contudo, comprometer a possibilidade e a necessidade de uma discussão mais aprofundada sobre o tema. É só por meio dela que um maior entendimento é conseguido e, consequentemente, esforços mais efetivos no combate à degradação do recurso podem ser realizados.
A Terra pode deve ser vista como um sistema fechado quando se trata do ciclo hidrológico. Em outras palavras, a quantidade de água no sistema permanece próxima da constância, globalmente. Dessa forma, também globalmente falando, a qualidade da água é que seria o maior problema à capacidade desse recurso se renovar. Mas algumas questões aqui devem ser consideradas. A qualidade da água, após comprometida, é facilmente recuperada? E localmente, essa manutenção da quantidade de água também é verdadeira? Ambas as respostas dependem das situações em questão. Dependem do grau de degradação do corpo d´água, dependem também do grau de degradação da área de recarga do mesmo, da condição climática em questão, das modificações da mesma, enfim, de um conjunto complexo de fatores.
Baseado em algumas situações fictícias, mas de ocorrência frequente no mundo real, procurarei basear minhas colocações a partir daqui.
Imagine o caso de uma microbacia hidrográfica cujo o entorno foi extremamente desmatado e cujo relevo é forte ondulado a montanhoso, situação comumente encontrada nos mares de morros florestados do estado de Minas Gerais. Nesse caso, a mata representa um importante fator cujas funções são várias, manter o solo estruturado, a ciclagem biogeoquímica, a infiltração de água no solo, reduzir as taxas erosivas, entre outros. A remoção da mata, pode então, levar a situações graves, localmente, reduzindo as taxas de infiltração e consequentemente a quantidade de água disponível para “reabastecer” superficialmente e subsuperficialmente a rede hidrográfica. Além disso, as taxas erosivas elevadas podem levar a um intenso assoreamento dos rios regionais, levando à uma séria mudança na configuração, localização e vazão dos mesmos. Dessa forma, pode-se ter uma situação onde a capacidade de renovação do recurso pode ser comprometida.
As mudanças climáticas globais também vêm sendo frequentemente citadas como responsáveis por mudanças na distribuição do recurso água mundo afora. Locais antes com abundantes reservas hídricas estão enfrentando significativa redução das mesmas, enquanto outros não acostumados com intensos índices pluviométricos, hoje os enfrentam. Naqueles locais onde a redução dessas reservas é extrema, dificilmente elas serão repostas no curto prazo. O conceito de recurso renovável, então, também estaria comprometido.
Falando agora em termos de contaminação hídrica, percebe-se um grande número de possibilidades de ocorrência. Seja por meio de atividades agrícolas intensivas com, o uso de agroquímicos descontroladamente, de despejos industriais e urbanos, entre outras atividades, a qualidade dos recursos hídricos podem ser severamente comprometidas. O comprometimento pode ser tal que não existam técnicas suficientemente adequadas para a recuperação desses recursos ou, mesmo, tais técnicas sejam extremamente caras, inviabilizando o processo. Nesses casos, o recurso continua sendo renovável?
Enfim, sem prolongar esse texto, acredito que em situações específicas os recursos hídricos podem perder o “status” de renovável. Afinal de contas, caso isso não fosse verdade, por que estaríamos tão preocupados com a disponibilidade de água ou, melhor dizendo, com a possibilidade de falta da mesma? É importante salientar que essa é uma opinião pessoal, mas que, apesar disso, nos dá uma real dimensão da importância do recurso e da necessidade de conservação do mesmo, bem como de todos os aspectos que positivamente possam influenciar sua qualidade e a quantidade.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 20 comentários

  1. toino disse:

    opa e uma merda esta treta tota po caralho

  2. […] existem muitas exceções à regra. Um exemplo que foi tratado pelo pessoal do Geófagos é o da água. O ciclo hidrológico parece perfeitamente renovável, mas muitas vezes podemos dar uma ajudinha e […]

  3. Maria Lucia Fajolli Navarro disse:

    Bom. Fica a dúvida. Mas com tanto descaso ambiental, renovável me parece bem limitado.

  4. Roberto Rocha disse:

    Gosto do seguinte esquema de classificação dos recursos naturais:

    1 – Renováveis
    1.1. Incondicionalmente renováveis (fluxos abióticos, energia do sol, dos mares e dos ventos)
    1.2. Condicionalmente renováveis
    a) Recursos cíclicos abióticos (água, nitratos, fosfatos, CO2 e O2)
    b) Recursos bióticos simples (reprodução e crescimento)
    c) Recursos complexos (interações bióticas e abióticas)

    2. Não renováveis
    2.1. Minerais
    2.2. Combustíveis fósseis

    Dessa forma a água seria um recurso condicionalmente renovável

  5. WYLLER disse:

    Desde 2009 não foi criado um clima, mas eu que vivi no sertão e tivemos que comprar água para beber em caminhões pipas; Vejo isso como relevante; Lá todos canalizam as águas da chuva para evitar a falta; Quem vive em climas bons, tanto faz, vai chover d’aqui a pouco! O seu problema é outro evitar a poluição e o aterramento dos rios com lixo urbano.
    Mas se olhasse pela preservação ambiental a reciclagem da água mesmo em grandes metrópolis geraria um alívio no consumo de insumos para limpeza de águas; Pois a que você uilisaria para lavar seu quintal ou seu carro ou até regar as plantas seriam grátis e elas não teriam os produtos químicos que vc bebe para ter uma água “saldavel”

  6. Andressa disse:

    que chatice vê se sabem alguma coisa….afffe

  7. rudinei oliveira disse:

    eu acho que a Luisa não sabe é de nada por que o que ela falou é so por que ela acredita no que os outros falam

  8. rudinei disse:

    nada ver esse negocinho darrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr

  9. luisa disse:

    nao é nada disso porque se nao as pessoas nao falariam que um dia a agua acabaria poriso eu acho que a agua nao é renovavel

  10. Maria Gabriela disse:

    É um questionamento interessante.
    Fico também me perguntando se a água é renovável ou não. Cabe ao ciclo da água responder esta duvida.

  11. José Antonio disse:

    Sua pergunta foi de um oportunismo impressindivel, pois essa é uma questão que intriga muita gente.
    gostei de seus ppontos de vista,inclusive o que me levou a te encontrar foi exatamente uma comentário sobre o assunto com um aluno do curso Tecnico em Floresta.

  12. Thais Hameister disse:

    Boa pergunta!!!!
    Hoje assisti um treinamento sobre sustentabilidade e tive a surpresa de receber a informação de que a água é um bem/riqueza RENOVÁVEL. Isto porquê desde os tempos de graduação em Biologia, uns 15 anos atrás já víamos e entendíamos a ciclagem da água como um processo muuuito lento e incapaz de despoluir contaminantes como metais pesados, vírus, fungos, protozoários e bactérias naturalmente.
    Bom, seguindo o conceito de renovável, temos que significa renovar, que por sua vez quer dizer ser substituído pelo novo. Se considerarmos que a quantidade de água é a mesma desde que nos encontramos neste planeta podemos observar que não existem novas moléculas de hidrogênio se agrupando com oxigênio para formar novas moléculas de água, e sim uma ciclagem da água em suas formas variadas de apresentação.
    Se não surge água nova no planeta porquê dizer que ela se renova?? Ela cicla no ambiente, mas e se poluirmos toda a água do planeta, sozinha ela se renova?????? se sim, quanto tempo levará????
    Bom, se eu considerar a água um bem renovável começarei a pensar na renovabilidade do petróleo…
    Pessoalmente não considero a água um bem renovável, se assim fosse eu não estaria preocupada com a situação dela no planeta.
    Abraço!

  13. Wyller Castro Santos disse:

    Se houvese uma lei severa ogrigando todas as empresas reciclar as águas para reaproveitamento e o óleo desta gerado fosse reciclado o consumo de esterelizantes seria reduzido e a água que vc consume seria mais pura.
    Haveria menos poluentes,menas bacteias e as vezes menos doenças.
    Mais; quem é que quer investir em Logistica Reversa, isto ainda é um mito e causa danos nos bolsos dos empresarios,vereadores e deputados do pais.
    Poderiamos comesar como no nordeste que se apura a água vinda das telhas para uso próprio; Se as empresas com seus enormes telhados a reuilizasem, não utilizariam a nossa já tratada; e reutilizando-as não sujariam nossos rios e reciclando-as venderiam o óleo e ainda reutilizariam de graça

  14. Rafael Tadeu disse:

    Pois é , eu no começo do ano estava pensando em trabalhar a geopolitica da agua na minha monografia . Eu nao consigo engolir o discurso de escassez de agua e bla bla bla , o mesmo serve para os alimentos . Basta ter apenas uma noçao basica de matematica e verá q e é suficiente pra 15 bilhoes de pessoas, mas se essas pessoas na tiveream um nivel de consumo estilo EUA . O que me intriga é o jornalismo ambiental tratando da agua . Quando leio os jornais , ainda mais hj dia mundial do meio ambiente da vontade de rasgar os jornais srsrs. Mas com relaçao a ela ser renovavel , eu viajo num ideia assim , se o Mairo Blaggi usa rios e rios para irrigar as suas monoculturas de soja e exportar para alimentar porcos na China a agua nao estaria sendo exportada ?? A China nao estaria deixando de usar a sua agua e usando a agua do Brasil q nao ira mais retornar para akela bacia hidrografica ?? Creio q renovavel seria pelos ciclos naturais , mas retornavel ai já sao outros quinhentos ….
    Escrevi direto no meu metodo hiperativo e nao sei se me fiz entender ..espero q sim e parabéns mais uma vez pelo Blog .

  15. Pois é pessoal,
    Que perguntinha? Ainda mais naquela situação. Mas pensando bem é uma “perguntinha” muito pertinente, não acham? Concordo com você, Tadeu, que a idéia de recurso é mais uma forma de atribuir valor ao bem. E, sinceramente, não vejo essa atribuição de valor apenas como uma forma de cobrança, mas também como uma forma de restrição do uso e consequentemente como forma de conservá-lo para, não só a humanidade, mas também para outros seres vivos e também para os seus outros usos (balneabilidade, paisagismo, etc…).
    Enfim, acredito que se essa valoração do recurso for feita de forma adequada pode-se ter aí uma importante ferramenta para preservação e conservação ambiental. É óbvio que quando me refiro à valoração não o faço apenas para água, mas também para outros recursos (solo, ar, biota, etc…).
    Enfim, a minha parte na troca de idéias está dada…
    Continuemos a discussão,
    Abraços a todos.

  16. manuel disse:

    Para já,Tadeu,gostei da sua frase “É no troca de ideais q se cresce…” Que bom crescer,pode ser que se chegue lá…
    Bem,mas vamos lá “viajar”,não uma outra “perguntinha”,ou talvez sim,que as “interrogações” não param,e ainda bem,senão isto não tinha “sal”
    Um ” bem da humanidade”!. Só da humanidade?,e do resto? No que nos diz respeito,cerca de 70% do nosso corpinho é água. Quanto aos outros,eles sem água não eram nada também.
    Mas a água,Tadeu,não está ali sempre ao virar da esquina,não
    é como o ar que respiramos,que ainda nos envolve,e que é de graça. Ela brota das fontes,corre nos rios,enche os oceanos,anda ns nuvens,está nas neves “eternas”,anda lá pelas funduras,enfim,está por toda a parte,mas é preciso lá ir buscá-la. E aqui aparecem as empresas,a fazer o seu trabalhinho. E aqui me fico,por razões óbvias,que estamos caídos em “areias movediças”.
    Os meus agradecimentos pelo convite.

  17. Rafael Tadeu disse:

    Concordo com os post acima . Que perguntinha heim ?
    Primeiro eu jogaria na discussão a ideia de recurso . Eu vejo ela como um “bem da humanidade” . Pode parecer viajem mas essa ideia de recurso favorece demais o aumento do preço , o maior controle por parte das empresas de abastecimento e tal .
    É so uma viajem minha mesmo e gostaria de ouvir criticas e o q acham . É no troca de ideais q se cresce …
    Abs
    Inté

  18. Flávia Alcântara disse:

    Pergunta complicada você teve que responder, hein? E a resposta é sim e não. Entendo, como você, que renovável não significa renovável sempre. Há limites.
    Abraço!

  19. manuel disse:

    Caro Carlos
    Que pergunta,Carlos,que pergunta. Uma pergunta séria,muito séria.Pensando só na água em si,no H2O,claro que é renovável. Evaporando-se ou gelando,não se perde água,foi isso que nos ensinaram. Já o mesmo não se passa com os combustíveis. Combustando,adeus,até um dia,não se sabe quando.Ficam lá os buracos vazios,donde o “crude” ou o gás saiu.
    Mas quando se vive lá num sítio em que deixou de chover, como acontecia,á água não se renova como até aí. Aí sim,pode dizer-se que,pelo menos alguma,deixou de aparecer na quantidade necessária,quer dizer,não se renovou.
    A propósito da água,nos três estados,que é sempre água,pode-se imaginar uma molécula dela que hoje está numa flor,amanhã
    vai rio abaixo,a seguir faz parte de uma alta nuvem,para pouco tempo depois aparecer num cume gelado.
    Esperemos que onde viva gente a água se renove,na quantidade necessária para as encomendas.
    Uma abraço,e muito boa saúde.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Categorias

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM