Norman Ernest Borlaug, 1914-2009

Com tristeza soube e noticio o falecimento deste grande ser humano e agrônomo cuja história de vida e cujas opiniões admiro e respeito. Desde domingo venho planejando escrever um post sobre este agrônomo excepcional, Norman Borlaug, considerado por alguns como o grande herói de nossos tempos, ganhador do Prêmio Nobel da Paz por seu trabalho de pesquisa em melhoramento de trigo que indubitavelmente matou a fome de milhões de seres humanos, infelizmente quase completamente desconhecido do grande público. Infelizmente as obrigações profissionais não me deixaram ainda tempo para compor o texto. Copio a seguir um texto divulgado na Folha de São Paulo, mas garanto que assim que puder, publicarei minhas impressões sobre este herói de nossos tempos.

Claudio Angelo escreve para a “Folha de SP”:
Morreu no último dia 12 de setembro nos EUA, aos 95 anos, o agrônomo Norman Borlaug, arquiteto da “Revolução Verde” e talvez o único ser humano que pudesse dizer, com justiça, que salvou centenas de milhões de vidas.
O americano Borlaug foi o responsável pelo desenvolvimento de variedades de trigo e de um pacote de técnicas agrícolas que impediram uma mortandade em massa na Índia, no Paquistão e nas Filipinas nos anos 1960. Graças a suas pesquisas, esses países praticamente dobraram sua produção do cereal em apenas cinco anos.
O trabalho ajudou nações do Terceiro Mundo a se tornarem autossuficientes na produção de grãos, rompendo um ciclo histórico de baixa produtividade e dependência extrema de chuva que matava de fome dezenas de milhões em certas regiões durante secas anormais.
“Norman Borlaug salvou mais vidas do que qualquer homem na história”, disse Josette Sheeran, diretora-executiva do Programa de Alimentação das Nações Unidas. “Seu coração era tão grande quanto sua mente brilhante, mas foram sua paixão e sua compaixão que moveram o mundo.”
Por seu trabalho, Borlaug ganhou o Prêmio Nobel da Paz em 1970, mas também a antipatia dos ambientalistas: o pacote de práticas agrícolas exportado para a Ásia, que depois virou padrão no mundo todo, incluía o uso maciço de fertilizantes à base de nitrogênio – poluentes da água – e levou à expansão acelerada da área cultivada no mundo, inclusive no Brasil, à custa dos ecossistemas.
A esses críticos, o agrônomo tinha uma resposta na ponta da língua: “Para aqueles cuja principal preocupação é defender o ‘ambiente’, vamos olhar o impacto que a aplicação da agricultura baseada na ciência teve sobre o uso da terra. Se a produtividade dos cereais de 1950 tivesse permanecido em 1999, teríamos precisado de 1,8 bilhão de hectares adicionais de terra da mesma qualidade, em vez dos 600 milhões que foram usados”, escreveu, num artigo publicado em 2002.
Nas últimas duas décadas, tornara-se um defensor fervoroso dos transgênicos, vendo-os como ferramentas principais de uma nova “Revolução Verde”. O instituto onde trabalhava e que dirigiu por três décadas, o Cimmyt (Centro Internacional de Melhoramento de Milho e Trigo), no México, desenvolve transgênicos para distribuir, de graça, na África.
Revolução silenciosa
Nascido no Estado de Iowa em março de 1914, Norman Ernest Borlaug foi trabalhar no México em 1943, numa parceria entre o governo e a Fundação Rockefeller para a pesquisa agrícola. Ali ele iniciou o desenvolvimento de variedades de trigo resistentes a doenças e a vários estresses ambientais.
Um dos truques usados por Borlaug foi criar plantas no nível do mar e a 2.500 metros de altitude e cruzá-las depois, combinando suas resistências.
As novas linhagens, auxiliadas pelo uso intensivo de fertilizantes, passaram a produzir tanto que o peso das espigas quebrava o caule. A resposta de Borlaug foi buscar uma variedade anã de trigo no Japão e cruzá-la com suas plantas resistentes, dando origem ao trigo anão mexicano. Com duas vezes a produtividade do trigo comum, o novo grão foi adotado com sucesso no México em 1961 e distribuído para a Ásia a partir de 1965, produzindo safras “milagrosas”. O sucesso foi reproduzido com arroz e depois com outros cereais.
O sucesso das novas variedades aconteceu numa década marcada por um pesadelo malthusiano: a explosão populacional humana levaria ao colapso da civilização. Tal temor foi expresso no livro “A Bomba Populacional”, de Paul Ehrlich.
“Três ou quatro décadas atrás, quando tentamos levar essa tecnologia à Índia, ao Paquistão e à China, eles diziam que nada poderia salvar aquelas pessoas, que a população tinha de morrer”, disse Borlaug em 2004.
No entanto, ele pregava insistentemente contra “o crescimento irresponsável da população”. “Ainda temos um número alto de pessoas miseráveis e famintas, e isso contribui para a instabilidade”, disse, em 2006. “A miséria humana é explosiva, não se esqueça disso.”
rlaug morreu em Dallas, em decorrência de complicações de um câncer. Deixa dois filhos, Norma Jean e Bill, cinco netos e seis bisnetos.
(Com Associated Press)
(Folha de SP, 14/9)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 29 comentários

  1. Ana Julhia disse:

    nada de mais e nem de bom

  2. Maria Eduarda disse:

    Olá, URGENTEMENTE preciso duas opiniões contra das idéias deste pesquisador e duas a favor. Me ajude. Grata.

  3. Gustavo Henrique Morais disse:

    Preciso de duas opiniões contra e a favor desse pesquisador….

  4. vitor hugo disse:

    preciso de 2 opiniões contra e duas a favor

  5. anna clara disse:

    dua contras e duas a favor

  6. Daniela disse:

    Preciso de 2 opiniões contra e 2 a favor das idéias de norman borlaug

  7. silvana prochera disse:

    Preciso de 2 opiniões a favor e2piniõe contra

  8. Thais Souza Santos disse:

    Preciso ter duas opiniõs contra e duas a favor;de Norman

  9. henrique disse:

    eu presiso de duas contra

  10. Ana disse:

    ta dificil,preciso de 2 opnioes contra e a favor

  11. Rafaela Ramos disse:

    nao tem oque eu quero aqui e agora

  12. victor disse:

    duas opiniões a favor e duas contra

  13. cristina disse:

    preciso de 2 opniões contra e 2 opniões a favor agora

  14. maria eduarda disse:

    que chato eu n consequi encontra todas

  15. maria eduarda disse:

    eu so consequi dois comentarios a favor e um contra

  16. hendy disse:

    preciso de 2 opinioes contra e 2 a favor

  17. nelma disse:

    preciso de duas opiniões contra e duas a favor
    urgente
    obrigada

  18. ana clara disse:

    quero 2 opinioes do contra e 2 a favor !!!!!!!!!!!!!!!

  19. malu disse:

    Eu preciso de duas opiniões à favor e duas contras

  20. caroline disse:

    preciso agora antes de 12;00

  21. caroline disse:

    Preciso d 2 opinioes a favor e 2 contra

  22. Sibele disse:

    eu quero opinioes contra e a favor pohha

  23. batista disse:

    duas opnioes a favor e duas contra

  24. manuel disse:

    Caro Ítalo
    Secundo a Sibele.
    Foi feliz,Borlaug. Deixou Obra,e que Obra. Outros deixam palavras,críticas,azedume,talvez,quem sabe?,por não saberem fazer outra coisa.
    Um abraço,Ítalo.

  25. Sibele disse:

    Digo, Borlaug! Sorry! :P

  26. Sibele disse:

    Biografias excepcionais como a de Bourlaug são sempre inspiradoras. Parabéns por divulgar, Ítalo!

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Categorias

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM