File:Electro-metabograph machine.jpg

Electro-metabograph: impressionante, mas inútil.

Allure Bust Developer, Battle Creek Vibratory Chair, Crystaldyne Pain Reliever, MacGregor Rejuvenator, Micro-Dynameter, Prostate Gland Warmer, Psychograph, Recto Rotor, Relaxacisor, Vibrometer… Parece uma série de produtos do Polishop. De certo modo, todos essas marcas foram mais ou menos isso em suas épocas. O que todas tiveram em comum? Elas eram vendidas em catálogos e prometiam alguma cura de forma completamente pseudocientífica.

Curator McCoy displays the 1918 Prostate Gland Warmer. Tome-se, por exemplo, o Prostate Gland Warmer (ao lado), lançado em 1918, com a promessa de “estimular o cérebro abdominal! [sic]” e aumentar a virilidade (ui!). Nada mais era do que uma sonda de uns 10 centímetros de comprimento ligada a uma extensão pouco mais de 2,5m com uma lâmpada azul na ponta. Quando a sonda era plugada, a lâmpada acendia! Além do efeito luminoso também parecia aplicar choquinhos elétricos no fiofó. Não curava absolutamente nada, mas pode ter sido divertido nas preliminares (dependendo de sua fantasia e/ou orientação sexual).

Atualmente, esse e outros aparelhos pseudomedicinais fazem parte do Museum of Quackery and Medical Frauds. Apesar do nome, o Museu de Fraudes Médicas é uma seção especial do Science Museum of Minnesota, situado em St. Paul. Reunida pelo curador (no sentido museológico do termo) Bob McCoy, a coleção de “dispositivos médicos questionáveis” também tem máquinas frenológicas — que indicam sua personalidade de acordo com as medidas do seu crânio —, sabonetes para perda de peso e o equivalente feminino do “enlarge your penis”: uma bomba de sucção para aumentar os seios — movida a pedal!

Allure bust developer

Enlarge your boobs with Allure Bust Developer (só que não)

Tudo começou quando Bob McCoy e um amigo abriram um “salão de frenologia” no centro de Minneapolis, no começo dos anos 1980. Ao contrário do que se fazia no começo do século XX, McCoy adquiriu uma dúzia de máquinas frenológicas para chamar a atenção e alertar os incautos sobre os riscos dos dispositivos pseudomedicinais.

Bob McCoy (1927-2010)

Com o tempo, McCoy comprou outros quackery gadgets em mercados de pulgas, leilões e de outros colecionadores. Peças adicionais foram doadas ou emprestadas por instituições como a American Medical Association, a U.S. Food and Drug Administration, o St. Louis Science Center, a Bakken Library e o National Council Against Health Fraud.

Durante os anos 1990, a coleção formou um museu independente, administrado pelo próprio McCoy. Infelizmente, ele se aposentou em 2002 e seu Museum of Quackery teve que fechar as portas. Felizmente, porém, McCoy doou toda sua coleção para o Museu de Ciência de Minessota.

Embora não tivesse formação médica, Bob McCoy era um racionalista e atuava como um James Randi da medicina, com aparições na TV americana para demonstrar as fraudes médicas que encontrava. Autor de dois livros sobre o tema, ele faleceu em 2010, aos 83 anos, após um longo período de luta contra o Mal de Alzheimer.

Caso não possa visitar o museu in loco, o site museumofquackery.com vale uma visita. Se você tem dez minutos (e entende inglês), dê uma olhada nessa hilária participação de McCoy no programa do David Letterman de 6 de junho de 1987:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...