http://www.google.com/patents/US1633978

Bigodes. Vez por outra esse tufo de pêlos que cresce sobre o lábio superior de indivíduos do sexo masculino após a puberdade volta à moda por razões obscuras. Mas quando a moda volta, costuma vir como enxurrada: de uma maneira ou de outra, todo mundo adota esse meme piloso — até quem não tem ou não pode ter bigodes, como moças e crianças (algumas mulheres são uma exceção notável).

Qualquer que seja o motivo para cultivar esse adereço facial, você certamente encontrará pequenos incômodos. Um dos principais problemas é que um bom bigode é como uma planta e necessita de uma poda precisa de vez em quando. Para solucionar esse problema, Pierre Leon Martin Victor Calmels inventou e patenteou um Apparatus for the cut of the mustache [Aparelho para o corte do bigode]:

[…] um aparato para determinar o corte do bigode, [formado] pela combinação das seguintes partes: um arco formado por dois braços adaptados para serem colocados na frente dos lábios, duas guias e meios de articulação inseridos entre as tais guias e as extremidades do arco, permitindo que tais guias sejam inclinadas em relação ao citado arco e, portanto, que a linha de corte das pontas do bigode seja alterada.

Essa é uma das descrições do aparato dada na patente, que parece ter uma história meio enrolada. O inventor, natural de Tours, França fez o pedido da patente nos EUA (em 1º. de dezembro de 1926) e na França (em 10 de dezembro de 1925). Nos Estados Unidos, a patente foi aprovada, com relativa presteza, em 28 de junho de 1927, sob  nº. 1.633.978 [pdf]. Mas o texto da patente americana não indica se o pedido francês foi aprovado ou rejeitado [1]. É possível que, com a demora ou recusa das autoridades francesas, M. Calmels tenha cruzado o Atlântico com um de seus aparelhos na bagagem.

Apesar de tudo, é fácil compreender os motivos que inspiraram Calmels:

É muito difícil, quando alguém se barbeia, dar ao bigode um corte regular e preservar o mesmo. Apesar do grande cuidado e do muito tempo perdido, o menor deslize da lâmina altera o corte. Então torna-se necessário reduzir o bigode indefinidamente, de modo a retificar suas linhas ou esperar por várias semanas até que os pelos cresçam novamente.

Foi por isso, segundo a patente, que Calmels criou seu aparelho: “para disponibilizar um aparato simples que dê ao bigode a forma desejada e automaticamente reproduza essa forma sem qualquer possibilidade de erro e sem perda de tempo.” Eis um dos parágrafos das instruções de uso:

Essas pontas [do bigode] podem então ser facilmente cortadas movendo-se a lâmina ao longo das faces exteriores das guias 14¹ e 14². A porção do bigode que se deseja manter é sempre protegida da lâmina pelas guias 14¹ e 14², e aquela porção fora das guias pode ser regular e acuradamente cortada. Assim, obtém-se sempre um corte ou reparo bastante regular. A operação automática leva apenas uns poucos minutos.

No entanto, o uso do aparelho talvez não seja tão simples ou rápido quanto parece. A descrição do modo de usar toma seis parágrafos de uma patente de três páginas. A descrição do aparelho em si tem mais ou menos a metade disso. Talvez por influência da possível patente francesa, o sistema de numeração das partes é um tanto diferente (em vez de, digamos, 14.1, usa-se 14¹). Numerações em patentes sempre tendem a ser confusas, mas nesse caso é fácil ignorar um sub-item. E isso tudo sem falar no descontorto de ter que segurar a base do troço entre os dentes…

Por isso mesmo, um ranger de dentes pode por tudo a perder. O pior de tudo, porém, é que Calmels, com sua insistência em lâminas de barbear, parece ter esquecido ou ignorado soluções muito mais simples, como um barbeiro ou uma tesourinha (reta ou curva, à sua escolha). Aliás, esse aparelho permite apenas cortes retos. Como francês, Calmels deveria saber que alguns dos melhores e mais ousados mustaches são curvos! Parece até coisa de um bigodudo amador! [2]

Por fim, essa é a primeira vez que lamentamos o fato de que as patentes não tenham fotos ou imagens do inventor entre seus dados pessoais. Seria interessante ver como deve ter sido ~le mustache~ de Pierre Leon Martin Victor Calmels.

__________________

Notas

[1] Aliás, não há indícios de que a patente francesa tenha sido aprovada. Minhas pesquisas no inpi.fr, site do Instituto Nacional de Propriedade Intelectual Francês, não retornaram resultados.
[2] Falando em amadorismo, se você é um amante de bigodes, pode tentar montar o tal aparelho. A patente parece estar expirada e provavelmente não haveria necessidade de pagar royalties. Mas, se o fizer, faça por sua conta e risco. Este blog não se responsabilizará pelos danos da possível empreitada, como cortes, arranhões e bigodes mal-alinhados.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...