Descargas periódicas de sangue no homem, constituindo a chamada “menstruação masculina” têm sido frequentemente notadas e são particularmente interessantes quando a descarga sai do pênis ou da uretra, fornecendo uma notável analogia com a função da menstruação nas mulheres. Os velhos autores citam diversas dessas ocorrências. Mehliss diz que nos dias da antiguidade certos escritores notavam que a lustração catamênica do pênis era infligida sobre os judeus como punição divina. [Erasmus] Bartholinus menciona um caso num jovem; as Efemérides relatam diversas instâncias; Zacutus Lusitanus, [Heinrich?] Salmuth, Hagedorn, Fabricius Hildanus, Vesalius, [Richard] Mead e [a] Acta Eruditorum, todos relatam casos do tipo. Forel observou a menstruação em um homem. Gloninger conta de um homem de 36 anos que, desde os 17 anos e meio, apresentava manifestações lunares de menstruação. Cada ataque era acompanhado por dores nas costas e na região hipogástrica, distúrbios febris e uma emissão sanguínea da uretra, que se assemelhava, na cor, consistência, etc., ao fluxo menstrual. King relata que, ao frequentar um curso de medicina na Universidade da Louisiana, ele teve contato com um jovem estudante que possuía os órgãos genitais masculinos normais, mas no qual acontecia periodicamente a função da menstruação. A causa era inexplicável e a infeliz vítima estava sujeita a um profundo desgosto e afligida pela melancolia. Ele menstruou por três anos da seguinte maneira: um fluido era excretado pelas glândulas sebáceas da fossa profunda por trás da corona glandis; esse fluido tinha a mesma aparência do fluxo menstrual. A quantidade era de uma a duas onças e a descarga durava de três a seis dias. Naquela época, o estudante tinha 22 anos de idade; era de temperamento linfático, pouco inclinado à luxúria e nunca fora afetado por qualquer doença venérea. O autor não nos dá nenhum relato da vida posterior desse homem e seu paradeiro, infelizmente, ficou desconhecido ou omitido. — GOULD, George M. & PYLE, Walter L. Anomalies and curiosities of medicine [Anomalias e curiosidades da medicina]. Philadelphia: W. B. Saunders, 1898. p. 27-28

Uma possível explicação para esses casos relatados é que os homens afetados seriam portadores da síndrome do duto Mülleriano persistente (PMDS, em inglês). A PMDS é uma anomalia genética (autossômica e recessiva) que caracteriza-se por uma má formação da genitália interna, com a presença de tubos falopianos, o útero ou mesmo a parte superior da vagina em indivíduos geneticamente masculinos. Ainda assim, tais órgãos costumam ser vestigiais e talvez não tenham condições de causar uma menstruação de verdade.

Outra possibilidade seria algum tipo de infecção, especialmente quando coincide com o início da puberdade. Seria o caso de infestações do trato urinário por Schistosoma haematobium, que ainda são relativamente comuns em áreas de cultivo de arroz ou outros ambientes rurais com pouca higiene.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...