Uma das grutas da Caverna de Goyet, na Bélgica.

Parece o nome de um filme de terror arqueológico, mas essa é uma história real, que só foi descoberta há pouco tempo durante pesquisa sobre uma caverna na Bélgica.

Há muito, muito tempo atrás um bebê, uma criança e quatro adolescentes ou adultos jovens entraram numa caverna. Esses indivíduos eram neandertais e nenhum deles sobreviveu para contar sua história. Quem ou o quê os matou? Essas pergunta esperou 40 mil anos por uma resposta, que foi descoberta há alguns meses por uma equipe internacional de pesquisadores.

Os restos dos seis neandertais assassinados foram encontrados na caverna de Goyet, situada na Valônia, região central da Bélgica. Com 250 metros de galerias, Goyet guarda evidências de ocupação humana que remontam ao período paleolítico.

Édouard Dupont tem uma conexão com o Brasil. Foi ele quem adquiriu o herbário formado aqui por von Martius.

Quem descobriu os segredos dessa caverna foi um dos pioneiros da paleontologia, o belga Édouard Dupont [1841-1911]. Diretor do Real Museu de História Natural da Bélgica, Dupont fez escavações em Goyet em 1867 e publicou um livro sobre o “Homem durante a Idade da Pedra”. Depois disso, sua pesquisa e seus fósseis caíram no esquecimento das gavetas e dos arquivos do museu.

Descoberto mais de uma vez ao longo do século XIX, o Homo neanderthalensis só foi corretamente identificado e batizado em 1863. Embora a Bélgica não fique muito longe de Neandertal (o vale alemão que deu nome ao fóssil), Dupont não foi capaz de perceber que havia alguns restos de neandertais entre as ossadas que escavou. Para o belga, havia dois tipos de ossos em sua coleção: restos humanos e ossos fragmentados, que seriam de animais caçados e consumidos. Foi só ao redescobrir os arquivos de Dupont, em 2004, que o antropólogo Patrick Semal viu que havia resquícios de neandertais em Goyet.

Não se pode culpar Dupont por sua ignorância. Até recentemente, prevalecia a noção que surgiu em sua época: dos neandertais como homens das cavernas primitivos, simiescos e estúpidos. Hoje sabemos que o Homo neanderthalensis tinha algum grau de inteligência e temos evidências de que eles tinham alguma cultura rudimentar, já que há casos de corpos neandertais cuidadosamente enterrados.

Parte da extensa coleção de fragementos ósseos encontrados em Goyet. Aqueles marcados com asterisco foram os objetos do estudo de Rougier et. al. (2016).

No entanto, também crescem os indícios de que os neandertais podiam ter um comportamento canibalístico. Normalmente, os neandertais caçavam cavalos e renas, consumindo não só a carne como a medula do interior dos ossos. Daí que os restos das refeições de neandertais consistem em pilhas de ossos quebrados ou cortados para a extração da medula. Nos ainda raros casos de canibalismo neandertal — já relatados em localidades como El Sidrón (Espanha) e Moula-Guercy (França) —, o cenário é o mesmo, só que os ossos partidos são de outros neandertais.

Para a equipe liderada pela antropóloga Helene Rougier, da California State University Northridge, os ossos fraturados daqueles seis indivíduos neandertais que entraram em Goyet são evidência de que ali se praticava canibalismo. Aquelas crianças e jovens neandertais foram mortos e consumidos por um ou mais neandertais. Datados entre 40 mil e 45 mil anos, esses ossos estão quebrados da mesma forma que os restos de cavalos e renas encontrados na entrada da caverna. Alguns fragmentos foram mais tarde reutilizados para fabricar ferramentas. Publicado em julho passado na Scientific Reports, o trabalho de Rougier et. al. é o primeiro a comprovar canibalismo neandertal no norte da Europa.

Apesar da descoberta na caverna belga, as causas do canibalismo entre neandertais ainda não está esclarecida. Isso era algo esporádico, que acontecia apenas em casos de falta de alimentação normal, ou esse canibalismo era parte da cultura rudimentar dos Homo neanderthalensis? Os cientistas ainda não sabem. A resposta a essa outra pergunta pode estar enterrada em outras cavernas por aí…

Referência

rb2_large_gray25Hélène Rougier et al. Neandertal cannibalism and Neandertal bones used as tools in Northern Europe [Canibalismo neandertal e ossos neandertais usados como ferramentas no Norte da Europa], Scientific Reports  6, article number: 29005. Published online: 06 July 2016  DOI: 10.1038/srep29005

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...