Limusaurus-inextricabilis

Concepção artística de alguns Limusaurus inextricabilis segundo Yu Chen.

Os grandes répteis da pré-história nasciam de ovos e não mamavam. Então por que alguns fósseis descobertos na China parecem perder os dentes feito crianças?

Por volta dos seis ou sete anos, começa a primeira grande mudança corporal na vida de uma criança: seus dentes-de-leite amolecem e caem, sendo substituídos por dentes permanentes até o começo da adolescência. É um fenômeno comum a (quase) todos os mamíferos, conhecidos como difiodontos.

Animais como peixes, jacarés, elefantes, cangurus e tubarões têm mais de duas dentições ao longo da vida — no caso dos tubarões, os dentes podem ser trocados em questões de semanas. Mas como era o desenvolvimento dentário dos dinossauros?

A resposta pode estar em 19 esqueletos desenterrados na Bacia de Junggar, em Xinjiang, no noroeste da China. Datados de 159 milhões de anos, os fósseis foram identificados como Limusaurus inextricabilis pela equipe do Dr. Xing Xu, do Instituto de Paleontologia de Pequim. O nome significa literalmente “lagartos presos no limo”, pois foi nessas condições que os esqueletos foram encontrados.

Os esqueletos encontrados variavam em idade, de bebês a adultos. Essa variedade permitiu aos pesquisadores chineses estudar o desenvolvimento físico dessa espécie de dinossauro. A característica mais notável que descobriram foi a diferença na dentição conforme a idade.

Os fósseis dos bebês apresentavam dentes pequenos e afiados enquanto os adultos eram basicamente banguelas. A descoberta “representa o primeiro registro fóssil de edentulismo ontogenético entre vertebrados com mandíbula”, segundo o artigo publicado na revista Current Biology em dezembro passado.

Os mesmos pesquisadores já haviam estudado o desenvolvimento das ‘mãos’ dos Limusaurus, notando que o primeiro dedo desse animal era reduzido, o que seria um estágio de transição entre esses dinossauros terópodes e seus descendentes evolucionários, as aves. Enquanto as aves costumam ter três dedos, o Limusaurus tinha três e meio.

As evidências fósseis indicam que os filhotes de Limusaurus poderiam ter sido carnívoros ou onívoros, enquanto os adultos desdentados seriam herbívoros. Essas mudanças de hábitos alimentares seriam acompanhadas não apenas pela troca da dentição mas também por modificações no sistema digestivo, o que ainda precisa ser comprovado. A nova descoberta também pode explicar como e quando os ancestrais das aves começaram a perder os dentes.

Da próxima vez que encontrar uma criança com janelinha, lembre-a de que ela não é a única a passar por isso — até os dinossauros perdiam dentes.

Referência

rb2_large_gray25Shuo Wang et al. Extreme Ontogenetic Changes in a Ceratosaurian Theropod [Extremas mudanças ontogenéticas em um terápode ceratosauriano]. Current Biology, publihsed online December 22, 2016; doi: 10.1016/j.cub.2016.10.043

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...