CFBDSIR 2149-0403

Concepção artística de CFBDSIR 2149-0403: planeta órfão ou estrela da terceira idade? [Imagem: ESO/L. Calçada/P. Delorme/R. Saito/VVV Consortium.]

O que é aquela coisa voando nas vizinhanças do grupo de AB Doradus? Um planeta muito grande ou uma estrela muito pequena?

Em 2012, a equipe de Philippe Delorme, da Universidade Grenoble Alpes, na França, detectou um membro no grupo AB Doradus, um conjunto de objetos astronômicos que estão se movendo em determinada região do céu. Batizado com o objetivo porém insosso nome de CFBDSIR J214947.2-040308.9 foi inicialmente classificado como um objeto planetário isolado de tipo T. No entanto, ao longo dos anos, não surgiu nenhuma evidência conclusiva que indicasse que o corpo apelidado de CFBDSIR 2149-0403 fosse, de fato, um planeta perdido, ejetado de algum sistema solar. Não seria aquele mundo, na verdade, uma estrela anã-marrom extraordinariamente pequena?

Levando-se em conta apenas a massa do objeto — estimada entre 2 e 13 massas de Jupiter — fica difícil saber ao certo o que é CFBDSIR 2149-0403. O objeto parece ser obscuro demais para uma estrela (mesmo para uma anã marrom, que já não brilha muito) e grande demais para um planeta (ainda mais um perdido). Para determinar a natureza de CFBDSIR 2149-0403, Delorme e seus colaboradores fizeram novas observações. Entre os diversos instrumentos usados estão o espectógrafo X-Shooter (situado no Very Large Telescope) e o detector de infra-vermelho próximo WIRCam, parte do Telescópio Canadá-França-Havaí. O telescópio espacial Spitzer, da NASA, também deu uma espiadinha.

Além de detectar as propriedades físicas desse objeto misterioso, como a paralaxe e sua correção bolométrica (medida que, apesar do nome, não tem nada a ver com bolos corrigidos), as novas observações ajudaram a localizar CFBDSIR 2149-0403 com maior precisão. Os pesquisadores descobriram que, na verdade, o objeto não faz parte do grupo AB Doradus. Segundo declara Delorme ao Phys.org, “isso remove a restrição de idade mais robusta que tínhamos. Apesar de certamente melhorar nosso conhecimento do objeto, também ficou mais difícil estudá-lo porque agora a idade é um parâmetro livre”.

A conclusão do novo estudo, publicado na plataforma arXiv.org em 2 de março é que: não sabemos. A dúvida é tamanha que os autores colocaram dois pontos de interrogação no título do artigo (vide referência). O status de CFBDSIR 2149-0403 continua incerto, embora os cientistas agora saibam que ele pode ser (1) um jovem planeta isolado de menos de 500 milhões de anos e com massa entre 2 e 13 vezes a de Jupiter ou (2) uma anã-marrom mais velha, com uns 2 ou 3 bilhões de anos, massa entre 2 e 40 Jupiters e atmosfera rica em metais.

Na prática a identidade de CFBDSIR 2149-0403 não pôde ser determinada por falta de conhecimento dessas duas situações extremas. Um mundo gigante porém isolado e frio não nos parece muito diferente de uma estrelinha velha apagada e metálica. Os dados de ambos os casos têm uma assinatura espectral muito semelhante. Falta-nos descobrir uma impressão digital distinta para cada um desses tipos de corpos celestes. Mas como na natureza nem tudo se encaixa nas nossas classificações, é possível que CFBDSIR 2149-0403 seja um pouco de cada coisa. Ou não, vai saber. Pode ser algo inteiramente diferente, quem sabe até ainda desconhecido.

Referência

rb2_large_gray25DELORME, Philippe et. al. CFBDSIR 2149-0403: young isolated planetary-mass object or high-metallicity low-mass brown dwarf?? [CFBDSIR 2149-0403: jovem objeto isolado de massa planetária ou anã-marrom de baixa massa de alta metalicidade??] arXiv:1703.00843 [astro-ph.SR] arxiv.org/abs/1703.00843

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...