Nesta concepção artística, um carriço de poucos centímetros parece minúsculo aos pés do Heracles inexpectatus, o maior papagaio que já existiu. [Arte de Brian Choo, da Universidade Flinders]

Dois ossos recém-descobertos na Nova Zelândia dão pistas de um “loro” pré-histórico de proporções inesperadas.

A Austrália pode ser conhecida por seus animais esquisitos, mas a vizinha Nova Zelândia não fica atrás. Lar do kiwi — o pássaro, não a fruta, que também é exótica —, as ilhas neozelandesas abrigam o maior papagaio do mundo moderno. Chamado pelos nativos de kakapo (Strigops habroptila), esse “loro” selvagem é herbívoro, tem cerca de meio metro de comprimento e pesa de 2 a 3 quilos. Único membro dos psitacídeos incapaz de voar, também é o único que tem hábitos noturnos — daí seu nome popular que significa “papagaio-da-noite” em maori. Ocupa, portanto, um nicho semelhante ao das corujas naquele ambiente.

Seria possível existir um papagaio ainda maior? Estudo recém-publicado na Biology Letters traz evidências de um possível ancestral pré-histórico do kakapo com o dobro do seu tamanho. Dois fragmentos de tíbias dessas aves foram descobertos perto de St. Bathans, no centro-sul da ilha meridional da Nova Zelândia — uma zona rica em fósseis da avifauna local. A datação indica uma idade de cerca de 19 milhões de anos.

Neste quadro comparativo, os ossos do recém-descoberto Heracles inexpectatus (a, b, f, g) são comparados aos do maior papagaio moderno, o Strigops habroptila (b, d). Para dar uma noção de escala, o tamanho estimado do Heracles foi colocado junto a uma figura humana (c). [Arte de T. M. Keeley para o artigo de Worthy et. al, 2019]

Neste quadro comparativo, os ossos do recém-descoberto Heracles inexpectatus (a, b, f, g ou mais escuros) são comparados aos do maior papagaio moderno, o Strigops habroptila (d, e ou mais claros). Para dar uma noção de escala, o tamanho estimado do Heracles foi colocado junto a uma figura humana (c). [Arte de T. M. Keeley para o artigo de Worthy et. al, 2019]

Embora os ossos estejam incompletos, basta uma comparação visual com seus equivalentes modernos para dar uma noção do tamanho dos pássaros aos quais pertenceram, que teriam cerca de um metro e pesariam uns 7 quilos — mais ou menos tão grande quanto um peru. De um gigantismo inesperado, o papagaio pré-histórico foi batizado de Heracles inexpectatus. Para o professor Mike Archer, da Universidade de Nova Gales do Sul (Austrália), o Heracles tinha um bico tão grande e forte que seria capaz de comer qualquer coisa que bem entendesse, talvez até outros papagaios menores.

Se um papagaio carnívoro parece absurdo, não é impossível. O kea ou papagaio-da-nova-zelândia (Nestor notabilis), quase tão grande quanto o kakapo, costuma se alimentar de larvas, insetos e até carcaças de ovelhas (ovinos doentes ou feridos também podem ser atacados, para desgosto dos fazendeiros). Sendo assim, não é difícil imaginar que, além dos coquinhos abundantes nas florestas subtropicais onde vivia, o Heracles também filasse pombos, outras aves pequenas ou filhotes de outras espécies.

Ainda não se sabe se (ou quando) o Heracles acabou extinto ou se ele deu origem às linhagens que resultaram nos kakapos e keas modernos. Novas escavações na área podem encontrar um esqueleto completo (ou quase), o que poderia esclarecer essa e outras questões desse pássaro inesperado.

Referência

rb2_large_gray25Trevor H. Worthy et al. Evidence for a giant parrot from the Early Miocene of New Zealand [Evidência de um papagaio gigante nos primórdios do Mioceno da Nova Zelândia]. Biology Letters, 15 (8), 2019; doi: 10.1098/rsbl.2019.0467

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...