Lamarck – A Verdadeira Idéia Errada

Este texto faz parte do primero Carnaval de Evolução de blogs de Ciência lançado pelo Biólogo Átila do Transferência Horizontal. A idéia de um Carnaval é que vários blogs participem, todos postando sobre um mesmo assunto. Funciona assim: cada mês um Blog lança um tema e todos os outros escrevem sobre ele, então o Blog que lançou reuni todos os links numa postagem.
E o tema sobre evolução do carnaval deste mês é Lamarck. Mais específicamente: “Como seria o ser humano atualmente se Lamarck estivesse certo?”.
Ao meu ver o ser humano seria exatamente do jeito que é! Como assim?! Você pode pensar que se a herança de caracteres adquiridos fosse certa nós seriamos muito diferentes: as pessoas que perdessem qualquer membro teriam filhos também amputados, as pessoas que fizessem tatuagens teriam filhos tatuados, as pessoas que saberiam pilotar helicóptero teriam filhos pilotos, e assim vai! De qualquer forma o ser humano seria muito diferente, não é?!
Mas o que está implícito aí é toda uma geração de injustiças e preconceitos com Lamarck e suas idéias. Primeiro, Ernst Mayr deixa claro em Uma Ampla Discussão que esse nosso ranço atual para com Lamarck e até a nossa obssessiva identificação de Lamark com a herança das caracteristicas adquiridas é bem recente. É uma reação não aos Lamarckistas do século 19, do qual Darwin faz parte, mas aos neo-Lamarckistas do começo do século 20. “Numerosas tentativas foram feitas, após 1850, para substituir a teoria da seleção natural de Darwin por uma maneira melhor de se chegar à adaptação. As mais conhecidas dessas teorias são normalmente classificadas como neo-Lamarckistas (herança dos caracteres adaquiridos) o que inclui a ortogênese (um princípio perfeito intrínseco) e o saltacionismo.”
Foi August Weismann quem pôs fim de uma vez por todas às teorias neo-Lamarckistas espalhando esse ranço atual para com a heranças dos caracteres adquiridos, que era a idéia do Lamarck que eles mais frisavam. Weismann é uma das figuras mais importantes na história da biologia evolutiva. Se perguntarmos quem no século 19, depois de Darwin, teve maior impacto para a teoria evolutiva, a resposta inequívoca será Weismann. Por sua ampla rejeição à herança dos caracteres adquiridos, Weismann estabeleceu uma nova versão do Darwinismo. Ele suportou sua causa por meio de três linhas de evidência: não há mecanismo citológico que poderia efetuar uma transferência da linhagem somática para a geriminativa, por estarem separadas desde muito cedo no desenvolvimento embriológico; há muitas adaptações que não poderiam ter sido adquiridas por tal herança, como a casta de soldados das formigas e cupins; e todos casos reputados da herança dos caracteres adquiridos podem ser explicados pela seleção.
Tudo bem, percebemos que tanto a associação dramática entre herança dos caracteres adquiridos e Lamarck é mais recente do que o próprio Lamarck e que foi o ilustre pouco conhecido Weismann que pôs fim aos neo-Lamarckistas e nos legou esse asco da herança dos caracteres adquiridos. Até o próprio Darwin usou dos caracteres adquiridos para explicar casos como a cegueira dos peixes de cavernas. Além disso, introgetamos tanto esse asco que a nossa noção de herança ficou muito focada no gene. Mas esquecemos que herdamos organelas e todo o conteúdo celular, herdamos anticorpos via placenta e leite, herdamos nosso idioma, heramos todos um oceano cultural em que estamos imersos e herdamos nichos alterados pelos que nos antecederam.
Atualmente mais pessoas se tocam disso e consideram a importância da construção de nicho e sua herança, processo tão negligenciado no estudo da evolução. Incrivelmente foi o próprio Darwin quem começou a estudar a construção de nicho quando no final da vida trabalhou com minhocas e percebeu que as mais jovens já herdavam um solo mais trabalhado pelas anteriores. Lewontin no livro Tripla Hélice – gene, organismo e ambiente ressalta nossa visão estreita da noção de herança e aponta os caminhos da construção de nicho e suas implicações ecológicas e evolutivas.
Percebemos que, no sentido amplo, a herança dos caracteres adquridos não é uma idéia errada, muito menos é a principal idéia de Lamarck, já que Darwin também a usou. Agora percebemos que Lamarck não estava errado quando falou que os seres vivos evoluem nem quando falou da herança dos caracteres adquiridos. Daí toda a importância de se incluir comemorações ao Lamarck em 2009 no Ano Internacional de Biologia. Além do mais ele foi quem cunhou o nome Biologia. Tudo bem, mas então qual foi seu erro afinal?
O grande erro de Lamarck foi falar que a evolução era direcional e progressiva, que existia uma Grande Cadeia dos Seres dos mais simples e “menos evoluídos” até o mais Complexo e “Evoluído” Ser Vivo – o ser humano. Existem estudos detalhados mostrando as sutilezas da visão Larmackista da grande cadeia dos seres como “A cadeia dos seres vivos: a metodologia e epistemologia de Lamarck”. Percebam que essa é justamente a idéia de que evolução é igual a progresso. E está tão arraigada que falamos tranquilamente em seres inferiores e superiores ou menos ou mais “evoluídos”. E essa idéia é a mais errada e mais perigosa do que a herança dos caracteres adquiridos. Pois se nos acharmos os melhores não fará falta se destruírmos os outros seres menos complexos, não fará diferença se maltratarmos os seres menos “evoluídos”, não será estranho manipularmos como se fossem objetos os seres inferiores, e tudo será como exatamente está. Estamos poluíndo, acabando com a biodiversidade, desrespeitando e maltratando os outros seres vivos como se realmente fossemos os seres mais complexos e evoluídos do planeta.

Agora entendemos o porquê da minha afirmação: se Lamarck estevesse certo o ser humanos seria exatamente igual já é. Pois nos achamos os mais complexos seres da Terra, os mais “evoluídos”, o superior dos animais superiores. Alguns têm até a coragem de nos achar filhos de Deus, tamanho o egoísmo, auto-centrismo e especicismo-preconceito para com as outras espécies – que apresentam.
Espero que as pessoas se toquem e comecem combater a verdadeira ideia errada, antes que seja tarde de mais.
Veja também os outros textos desde Carnaval de Ciência em Viva Lamarck.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 9 comentários

  1. Isabella Bertelli disse:

    Genial! Adorei o texto, porque eu era uma das ignorantes com relação à Lamarck. Seu texto nos ajuda a mudar os conceitos já estabelecidos já tempos sobre esse cientista. E ainda chama a atenção para um grande mal-entendido com relação à evolução, a de que é sinônimo de progresso. Realmente o ser humano precisa se sentir o ápice para poder justificar tudo o que faz com as outras espécies.

  2. Marco Antônio Corrêa Varella disse:

    Obrigado! Pois é Isa! Percebi que Lamarck estava muito contaminado com “o erro” dos caracteres adquiridos! O que fazia esquecermos da sua visão progressista da evolução! A Grande escalada da Vida não foi invenção dele, isso já vem dos gregos e por muito tempo na Europa era mais do que certeza entre os intelectuais. A amior contribuição darwinista foi acabar com esse progresso e nos igualar a todo ser vivo no planeta!! Um balde de humildade jogado na cabeça dos primatas humanos.

  3. helloisa disse:

    sim euuu mataria essa parte da minha failiaaaaa

  4. Karine Abatti disse:

    Nossa meus parabéns! Adorei mesmo o texto… Não que eu possa julgar mas achei que as ideias foram colocadas de forma muito inteligentes. Desde o ensino médio(não tem muito tempo) eu “defendia” e não achava justo a forma com que era trabalhado as ideias de Lamarck na escola, pois eles apontam que as teorias de lamarck estão erradas e não dão a ele o mérito que ele merece. Sou uma “lamarckista” amadora e fico muito contente em saber que pessoas aindam se interessam em estudar as teorias de Lamarck. No meu ponto de vista a retomada desses estudos não só será uma ratificação de idéias mas também abrirá uma porta a qual evolutivamente procuramos sempre o aperfeiçoamento.

  5. Ana disse:

    Lamarck, rsrsrsr
    Só acredito em Deus,pra mim esse povo é um bando de ateu,que não tem o que fazer e fica ai inventando teorias …

  6. rafael soares disse:

    perfeito o txt. Temos muito a pensar e descobrir.

  7. Clark disse:

    Olá!
    Gostaria de entender a sua afirmação:” Alguns têm até a coragem de nos achar filhos de Deus, tamanho o egoísmo, auto-centrismo e especicismo-preconceito para com as outras espécies – que apresentam.” Isso quer dizer que somos filhos de quem então? ou você quer igualar o homem, ser dotado de razão e da capacidade de pensar, as bactérias unicelulares ou a qualquer outro ser vivo…?
    Obrigado

  8. Marco Varella disse:

    Olá Clark, obrigado pelo comentário.
    É isso mesmo que vc entendeu. Estou dizendo que todos os povos e tribos tem uma mitologia para explicar suas origens, porém esse conhecimento tem como fontes a revelação, autoridade e tradição, e não fatos e experimentação, sendo portanto menos confiáveis. Quanto mantemos a pergunta sobre nossas origens mas buscamos respostas em fatos concretos e no método científico descobrimos q não somos filhos de ninguém superior ou mais inteligente e sim de um processo naturalmente seletivo simples e cego que ocorre a muito tempo.
    Não existe nenhum a priori na natureza ranqueando as diferentes habilidades das diferentes espécies como melhores superiores ou piores e inferiores. Fora do ponto de vista humano antropocêntrico razão e pensamento são tão interessantes quanto a capacidade das bactérias de fazer fotossíntese, quimiossíntese ou até de viver a mais de 60C, nem melhor nem pior!!
    É justamente o fim da visão hierarquizada na natureza, aquela tendo o homem no ápice defendida por Lamarck, que marca o Darwinismo. Pense nisso.
    Abraço
    Marco

  9. João Vitor disse:

    Mostra a falha de Lamarck

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Arquivos

Categorias

.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM