Evolucionismo de Prato Cheio

Todo bom aniversário tem sempre a parte mais esperada: o bolo! E o MARCO EVOLUTIVO não poderia passar o mês de novembro sem brindar seus leitores um delicioso bolo do melhor sabor evolucionista. Vamos saborear um vídeo dividido em quatro partes de 10 minutos cada feito apenas com ingredientes naturais selecionados naturalmente. São cinco as celebridades evolucionistas convidadas para fazer parte desse bolo.

Para que não falte ceticismo e racionalismo evolutivo na massa, teremos Richard Dawkins. Para que não esquecermos da sustância filosófica darwinista teremos Daniel Dennett. Para que tenha bastante comparação entre diferentes espécies teremos Jared Diamond. Para que a evolução da mente humana seja contemplada teremos Steven Pinker. E para dar liga científica e bem humorada à discussão teremos Douglas Adams, o nosso eterno mochileiro das galáxias falecido em 2001.
No primeiro vídeo, Dawkins fala sobre o poder da explicação Darwinista. Dennett fala do aumento da complexidade na paisagem do design. Diamond do Darwinismo aplicado à história e das relações entre a seleção natural e a sexual, citando o exemplo dos nossos queridos Bowerbirds.
No segundo vídeo, Dennett fala da evolução darwinista ocorrendo até na cosmologia, também fala da diferença entre a noção dualista e mística top-down dos que acreditam nos ganchos celestes para explicar o design dos seres vivos e a noção monista materialista botton up das gruas ou guindastes que fazem o mesmo serviço sem postulações metafísicas. Diamond fala da evolução do peixe elétrico e do sonar dos morcegos e do radar dos golfinhos. Daí Dawkins explica o posto de vista dos genes, temos que pensar no “sucesso” para os replicadores e não nos seus veículos.
No terceiro vídeo, Pinker explica o modo de pensar da engenharia reversa em que você já tem o dispositivo e precisa descobrir pra que serve e como foi projetado. Ele fala da Psicologia Evolucionista, usando a percepção visual e as estratégias reprodutivas como exemplos de adaptações mentais. E como exemplo de fenômenos não adaptativos cita a religião, os sonhos a homossexualidade, a homofobia e a música (ponto em que discordo dele). Então, Dennett defende o adaptacionismo para a música (eba!). Daí Pinker fala do misterioso prazer da música. E depois fala da teoria da mente e da intencionalidade.
No quarto e último vídeo, Dawkins fala de um possível valor adaptativo da religiosidade com a propensão das crianças de seguir a fé dos pais. Douglas Adams fala da falta de valor adaptativo sobre o dinheiro. Dennett fala, no contexto da religião, da pena mágica que fazia o Dumbo voar e que quando ele soltou continuou voando. E também da idéia errônea de que os evolucionistas estariam acabando com a magia da vida. Nisso Adams continua o assunto sobre a religião e a ciência que é um prato cheio.
Espero reservem um tempinho pra desfrutar da overdose evolucionista desse bolo de aniversário do MARCO EVOLUTIVO.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 1 comentário

  1. Prezado Marco,
    Que blog genial você criou! Absolutamente demais!
    Meus sinceros parabéns.
    E muito obrigado por divulgar nosso artigo.
    abraços,
    Roberto Berlinck

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Arquivos

Categorias

.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM