África no Ambiente de Adaptabilidade Evolutiva

A espécie humana é africana. E nessa Blogagem Coletiva estamos escrevendo sobre a África, onde evoluímos, onde diversas pressões seletivas locais agindo em conjunto moldaram nossa mente. E nossa mente é um conjunto de mecanismos para processamento de informação que foram moldados pelo processo evolutivo para a resolução de problemas enfrentados em nosso ambiente ancestral.
O Ambiente de Adaptação Evolutiva não é necessariamente um lugar específico, como a África, ou um hábitat específico, como a savana, mesmo que lugares ou habitats possam eventualmente fazer parte dele. O Ambiente de Adaptação Evolutiva é uma composição de propriedades adaptativas relevantes que atuaram para cada espécie.
Funciona como um ambiente hipotético onde todas as propriedades que geraram as principais pressões evolutivas em nossos ancestrais estivessem presentes. Se caracterizarmos bem esse ambiente, podemos avaliar qual eram os dilemas evolutivos que mais pressionaram os membros das populações ancestrais, há cinco mil ou dez mil gerações atrás.
Seguindo a perspectiva do Ambiente de Adaptação Evolutiva, nossas características funcionais mentais seriam aquelas adaptadas a um ambiente social caracterizado por uma estrutura de sociedade caçador-coletor nômade existente no período Pleistoceno de 200 mil a 12 mil anos antes do presente. Os grupos humanos ancestrais apresentavam baixa densidade populacional, caracterizados por agrupamentos baseados no parentesco atingindo cerca de 200 pessoas. Os grupos apresentavam uma tecnologia simples, alta mortalidade infantil e baixa expectativa de vida. Alta vulnerabilidade ambiental e poucas opções de estilos de vida.
Os principais problemas adaptativos que nossos ancestrais enfrentaram foram: Problemas de sobrevivência e crescimento, caracterizado pelos desafios existentes até se chegar ao momento da reprodução, como detecção de animais perigosos; preferência alimentar e a detecção de alimentos contaminados entre outros. Problemas de acasalamento, ou seja, selecionar, atrair e reter um parceiro amoroso e executar o comportamento sexual requerido para o sucesso da reprodução. Problemas de parentais, ou seja, fazer com que a prole sobreviva e cresça até o momento da reprodução. E por fim existiam os Problema da ajuda à parentes caracterizado pelas ajudas na reprodução dos parentes e filhos de parentes.
Aqui estamos nós, uma espécie com uma mente calibrada para um ambiente caçador-coletor ancestral que se auto-introduziu em vários outros ambientes do mundo. E sempre que uma espécie é introduzida muito desequilíbrio ecológico ocorre, seja por ela não estar adaptada aos novos desafios seja pelo desbalanço nas relações ecológicas existentes. Boa sorte ao nossos descendentes.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 2 comentários

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Arquivos

Categorias

.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM