Feliz Dia de Darwin 2017, Brasil

darwin day 2017É chegado o dia mais esperado do ano novo: hoje, 12 de fevereiro Charles Robert Darwin completaria 208 anos e sua obra prima “A Origem das Espécies” completa 158 aninhos. É o famoso “Dia de Darwin”, momento em que celebramos sua obra e legado para a humanidade. Nós do MARCO EVOLUTIVO marcamos essa data em nosso calendário desde 2008, passando por 2009 (Bicentenário – Ano de Darwin), 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015 até 2016. No Brasil e ao redor do mundo (Veja o DARWINDAY.ORG) estão sendo mantidos e criados novos eventos para promover e disseminar o pensamento darwinista.

O pensamento darwinista ainda é jovem, está só começando a segunda metade do seu segundo século, então é esperado que as pessoas vão ter dificuldades em compreender sua lógica básica. Além disso, o maior inimigo do pensamento darwinista ainda é, de longe, a mente humana primata cheia de vieses, atalhos cognitivos, e de agendas próprias de um mamífero da nossa laia. Um desses becos sem saída psicológicos é o “Erro Beethoven”, nomeado por Frans de Waal em seu livro “Eu, Primata: Por Que Somos Como Somos (2007)” [Our Inner Ape: The Best and Worst of Human Nature (2005)”.
beethoven apartment

O “Erro Beethoven” ocorre sempre que confundimos ou igualamos o processo ao seu produto e vice-versa. Os conhecidos de Beethoven ficavam chocados e incrédulos sempre que visitavam o compositor em seu apartamento. Ele viveu em 39 apartamentos diferentes, teve cinco pianos todos sem pernas que ficavam no chão. No geral, seu apê era sujo, bagunçado, fedido, cheio de restos de comida e partituras amassadas espalhadas. Não era possível, imaginar que todas aquelas peças musicais sublimes, criativas e elegantes foram compostas ao chão em meio ao um caos repulsivo. Normalmente as pessoas imaginam que o produto demonstrará claramente características do processo e, quanto melhor é o produto, mais positivamente imaginamos o processo correspondente. Ocorre o mesmo problema com a Seleção Natural: ‘já que somos seres bem complexos, conscientes e perfeitinhos então não é possível que um processo cego, mecânico e sem destino tenha nos produzido.’ Ou então ocorre o contrário: ‘já que a natureza é selvagem e cruel – tipo cada um por si – somos naturalmente cruéis por sermos seu produto‘ ou então ‘já que, na evolução, os genes mais egoístas deixam mais descendentes, então só podemos ser naturalmente egoístas mesmo’.

Qualquer pessoa que já foi ao barbeiro ou cabeleireiro sabe que para ter um corte novo, lindo e impecável é preciso passar pelo corte, esse processo longo, desconfortável e ‘sujo’ (cheio de fios em pedaços pra todo lado). Qualquer pessoa que já ralou um queijo sabe que para ter um delicioso, soltinho e leve queijo ralaralando queijodo, tem que ralar (literalmente), é preciso passar por esse processo cansativo, árduo e potencialmente perigoso. Qualquer pessoa que já mudou de casa sabe que para ter um novo lar, confortável, acolhedor e organizado é preciso passar pelo processo caótico, cansativo e angustiante da mudança. Como o produto é mais saliente do que o processo acabamos imaginando o processo à luz do produto. Mas temos que lembrar que na maioria dos casos processo e produto têm características distintas. Então, com a Evolução por Seleção Natural é a mesma coisa: o processo evolutivo que é simples, desnorteado, amoral, implacável e ignorante dá origem, após vários ciclos, a seres complexos, focados, morais, funcionais e inteligentes. Totalmente possível, nada que possa nos denegrir, pelo contrário, só pode nos exaltar já que nossa complexidade e outras qualidades não são versões pioradas vindas de um processo ainda mais complexo e melhor, mas sim as primeiras do gênero para cada ramos da árvore da vida.oficinas-darwin day mzusp 2017jpg

Esse ano no Brasil tivemos, temos e teremos vários eventos Darwindaynianos. É muito bom ver que a lista só aumenta. No Museu de Zoologia da USP em São Paulo como sempre houve a Semana de Darwin com apresentação de documentários, ótimas palestras, oficinas e exposição. Hoje a programação vai até as 17 e serão duas palestras na parte da tarde. O destaque vai para o jogo Caçada no Museu: Edição especial Charles Darwin, para criançada.
Darwinday osasco 2017

No Borboletário de Osasco houve do 2º Darwin Day com discussão aberta sobre “Por que a vida é assim?” no dia 10/fev contando com o Prof. Dr. Nélio Bizzo, o Prof. Dr. Waldir Stefano, e a MsC. Carolina Yamaguchi.darwin day catavento 2017

No Catavento Cultural está tendo esse final de semana a “Mostra VerCiência – Dia de Darwin” com exibição continua de curtas-metragens com ‘o que é evolução?’ e ‘como funciona a evolução’.

Ver ciência Rio de Janeiro museu do Amanhã 2017No Rio de Janeiro, haverá hoje a partir das 14h no Darwin Day no Museu do Amanhã exibição de dois documentários e debates mediados por Sergio Brandão, curador internacional da Mostra VerCiência.

Darwin Day Lagen UFPA 2017

Em Belém do Pará no Instituto de Ciências Biológicas da UFPA no dia 15/fev quinta-feira haverá o 2º Darwin Day com carga horária de 10 horas, para o dia todo sobre o tema “A teoria Evolutiva precisa ser repensada?” a ótima discussão serão 7 palestras imperdíveis. Sobre Construção de Nicho, Epigenética, Evolução Cultural, Plasticidade Fenotípica, Evolução e Saúde, Assimilação Genética e Evo-Devo. As inscrições antecipadas saem por R$10  e no dia sae por R$15, basta enviar email para o pessoal da Liga Acadêmica de Genética [email protected]

Darwin Day UNESP - Botucatu - BrazilPela primeira vez na UNESP de Botucatu organizado com apoio da Pós-Graduação em Genética e do Instituto de Biociências de Botucatu haverá dia 30 de março o Darwin Day UNESP contando com três palestras com o Prof Dr. Ricardo Waizbort falando sobre o ‘Darwinismo no Brasil’, Prof Dr. Mario de Pinna falando sobre ‘A Evolução da Perspectiva Evolutiva’ e Profa. Dra. Jaroslava Varella Valentova (minha esposa e mãe da minha filha Alice) falando sobre a ‘Seleção Sexual’. O Prof. Dr. Danillo Pinhal organizador do evento será o mediador da mesa-redonda onde eu vou falar sobre Evolução Adaptativa, o Prof. Dr. Reinaldo de Brito falara sobre o Neodarwinismo, e o Prof Dr. Cesar Martins sobre Revolução Genômica. Imperdível!

E todo ano o pessoal da Pós-Graduação em Biologia Comparada e em Entomologia, da USP de Riberião Preto, organiza o Darwin Day USP de Ribeirão geralmente entre abril e maio. Então fiquem ligados no face.

Fiquem com uma série de falas do saudoso biólogo britânico John Maynard Smith (1920-2004) sobre Biologia, Genética e Evolução.

Sem reprodução não há evolução; sim e não.

Da ideia inicial a respeito da ‘sobrevivência dos mais fortes’ para a ‘sobrevivência dos mais aptos’, o foco no tempo de Darwin era nas condições necessárias para se gerar descendência. Sim é necessário ter alguma força para se alimentar, vitalidade, saúde, estar bem ajustado às condições locais, enfim, sobreviver. Porém, apesar de ser necessário, sobreviver não é suficiente para gerar descendência, pois é preciso ainda se acasalar, ter filhos e cuidar da prole, enfim, realizar a reprodução propriamente dita.

Foi percebendo isso, entre outras coisas, que Darwin propôs a seleção sexual, a qual frisa que até as diferenças individuais herdáveis nas capacidades de escolher e atrair parceiros, defender e competir por parceiros, e cuidar da prole podem influir na quantidade de filhos. Infelizmente, por introduzir a dimensão estética aos animais e dar muito poder para a escolha das fêmeas a ideia da seleção sexual, principalmente a atração e escolha de parceiros, foi rejeitada na época.

Décadas depois, veio a concepção mais moderna de que sem a reprodução individual não há evolução na população. Como sabemos não é o indivíduo que evolui, ele só se desenvolve: nasce, cresce, se reproduz e morre. Quem evolui é a população, e por meio da reprodução diferencial entre os coespecíficos. Porém, imersos na rejeição da seleção sexual, a modelagem da mudança na população ao longo das gerações bem frequentemente assumia o fictício acasalamento ao acaso; a famosa e ideal população panmítica (do grego pan= todos, e do latim miscere= misturar). Mesmo assim, até aqui: sim e não. Sim, sem reprodução não há evolução, no sentido de que se ninguém da população se reproduzir, não existirá linhagem futura a partir dessa população. Só que também não, pois se evolução é qualquer mudança (casual ou selecionada) na composição da população ao longo das gerações, então até extinção também é mudança evolutiva.
Pouco depois, com o aumento do interesse e conhecimento sobre comportamento animal, o foco voltou para saber quais indivíduos vão contribuir mais com sua descendência nas gerações seguintes. Veio a concepção de que sem a reprodução do próprio indivíduo não há contribuição sua na evolução na população. Mesmo assim até aqui ainda: sim e não. Sim, sem reprodução do indivíduo não há evolução, no sentido de que seus traços e adaptações não serão herdados, não contribuindo para a evolução futura da população. Só que também não, pois se evolução é fruto de qualquer reprodução diferencial, seja pra mais ou para menos (favorecendo ou eliminando), então até no não deixar descendentes próprio o indivíduo contribui para a mudança evolutiva em sua população.

Com a integração sociobiológica do comportamento social e da genética de populações, ficou claro que o comportamento de um indivíduo altruísta ajudando um parente a sobreviver e se reproduzir pode aumentar a representação genética do indivíduo altruísta na proporção em que são relacionados genealogicamente. Muitos entenderam errado essa tal de reprodução indireta, pois ela não é apenas o número de filhos dos parentes porcionado pelo grau de parentesco. Mas tem que se levam em conta quantos mais filhos o parente consegui ter graças à ajuda do altruísta em sua reprodução. Então aqui sim é só não. Pois mesmo sem se reproduzir diretamente o indivíduo poderá contribuir positivamente na sua descendência, no sentido de que se ele ajudar a sobrevivência e reprodução dos seus parentes, uma porção dos seus traços e adaptações estarão representados nas próximas gerações. Com isso sobreviver ajudando na reprodução dos parentes passou a ser condição suficiente para a evolução. Apesar que, ainda assim, a reprodução direta dá uma contribuição positiva maior na descendência do que a indireta. Por isso que fazendo os dois, seja reprodução direta ou indireta, ou nenhum deles, em um sentido ou de outro, todos contribuiremos na evolução.

Esse foi o post especial sobre reprodução e evolução, dada a condição pré-parto pós-data que minha esposa e eu nos encontramos; prestes a ter nossa primeira descendência direta, e muito felizes.

Assista ao programa sobre os top 10 extremos animais em matéria de reprodução comparado aos humanos.

FELIZ DARWIN DAY 2016 BRASIL

Darwin day osasco 2016É chegado o seu, o meu, o nosso Dia de Darwin! Hoje, dia 12 de fevereiro, Charles Robert Darwin faria 207 anos, então no mundo todo estão sendo rememorados e comemorados sua obra e seu legado científico para a humanidade. Isso porque seu livro mais influente “A Origem das Espécies” foi publicado em 1859, no ano em que ele comemorava 50 anos, então hoje também estamos comemorando os 157 anos desse que foi o livro que mudou a história das ciências naturais e acabou influenciando também exatas e humanas. Aqui no MARCO EVOLUTIVO incentivamos e comemoramos essa data desde em 2008, 2009 (Bicentenário – Ano de Darwin), 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, até 2015.

O segredo de como a Revolução Darwiniana nos deu uma nova visão de mundo está em identificarmos os pilares do mundo aristotélico que ela ajudou a quebrar. Encontramos essa ideia no livro de 2015 “From Aristotle’s Teleology to Darwin’s Genealogy: The Stamp of Inutility” de Marco Solinas, um historiador italiano que virá à FEUSP dar uma disciplina condensada de pós-graduação de 22 a 26 de fevereiro 2016, a convite do
Prof. Nélio Bizzo. Os pilares do mundo Aristotélico, segundo Solinas, são o Fixismo (o mundo e as espécies não mudam), Essencialismo (cada espécie teria Teleology to Darwin's Genealogyqualidades únicas e descontínuas), e a Teleologia aristotélica (tudo e todos estavam perfeitamente adaptados funcionalmente para a manutenção das relações existentes). Eu torno explícito a adição do Antropocentrismo (os humanos são qualitativamente superiores em importância aos outros seres vivos e são o centro das atenções) como um quarto pilar aristotélico, o qual Solinas comenta, mas não chega a elevar a condição de pilar.  Assim temos esse ‘quadrúpede’ aristotélico que sobreviveu séculos chegando ao fim graças às marteladas de Darwin em cada uma das suas bases.

Darwin, que era um naturalista (não confundir com naturista!), rompe com o fixismo ao perceber que, assim como com a geologia, as condições e os seres vivos estavam em constante mudança lenta e gradual; tornou-se um trasformacionista (não confundir com transformista!). Darwin rompe com o essencialismo ao aplicar o pensamento populacional e perceber que a variação individual não é um mero ruído, mas sim a matéria prima para a seleção; assim percebeu que são as populações que evoluem e não o indivíduo, então tornou-se um populacionista (não confundir com populista!). Darwin então rompe com a teleologia panadaptacionista e perfeccionista de Aristóteles ao chamar atenção para as muitas imperfeições e inutilidades dos seres vivos, como os órgãos vestigiais, justamente o que deveríamos observar se um processo demográfico cego e automático como a seleção natural estivesse atuando; tornou-se um selecionista (não confundir com seletista). Darwin day osasco endereçoE finalmente Darwin rompe com o antropocentrismo ao perceber que o ser humano não é o ápice da evolução,  pois esta é multirramificada e sem metas ou rumo, então não existem seres superiores nem inferiores; torna se um indivíduo humilde perante a biodiversidade.

Enquanto você não enfrentar e demolir cada um dos pilares do mundo pré-darwinista você vai ter alguns mal-entendidos sobre evolução biológica e não vai sentir todo o peso e poder da Revolução Darwinista. Nada melhor do que um bom Darwin Day cheio de atrações para abraçarmos de vez seu legado.

Em Osasco, o Nélio Bizzo e eu estaremos hoje 12/02 na Escola de Artes “Antonio Savi”/Biblioteca Municipal “Monteiro Lobato” de Osasco a partir das 18h30 assistindo e discutindo um documentário, tudo organizado pela Secretaria do Meio Ambiente e Borboletário Municipal. O Darwin Day em Osasco tem entrada gratuita, o evento será transmitido ao vivo através das mídias sociais. Note que o endereço correto é o Rua Tenente Avelar Pires de Azevedo nº 360

darwin day brasil mzusp 2016Em São Paulo, teremos Darwin Day no Museu de Zoologia da USP e no Museu Catavento.

No MZUSP, que foi recentemente reaberto ao público com uma excelente exposição, a programação vai de hoje 12/02 até dia 19/02 com ótimas palestras, oficinas, jogos e exposições. Vale muito a pena conferir.

darwin day no catavento 2016No Catavento – Espaço Cultural da Ciência em Sampa, no novíssimo Museu do Amanhã no Rio de Janeiro e no Sesi Tiradentes – Centro Cultural Yves Alves em Tiradentes, Minas, a MOSTRA VERCIÊNCIA DIA DE DARWIN vai exibir o episódio “Darwin no Brasil” uma produção da BBC de 1978 sobre a viagem a bordo do HMS Beagle e vinda de Darwin ao Brasil entre outros vídeos.

No Catavento serão sessões às 12h e as 14h hoje 12/02 e amanhã 13/02.

No Museu do Amanhã será a tarde inteira de sábado dia 13/02 das 13 às 19h com uma palestra e cinco vídeos. Imperdível para os cariocas.

O Prof Gastão Galvão dará a palestra A importância da pesquisa de Darwin e a vinda dele ao Brasil”. Depois virão os documentários:

13h20 – “A viagem de Charles Darwin – Episódio Darwin no Brasil” (50min)DArwin day 2016 tiradentes

14h20 – Darwin e a árvore da vida (60min)

15h30 – Macacos geniais (60min)

16h40 – Grandes britânicos: Darwin (50min)

17h40 – O jardim de Darwin (60min)

No Sesi Tiradentes serão duas  exibições de vídeo: Darwin e a Árvore da Vida (às 18h00) e A Viagem de Charles Darwin (às 20h00).

Em Belém do Pará, o pessoal do Lagen do ICB da Universidade Federal do Pará organiza o seu 1º Darwin Day desde ontem. Hoje a partir das 14h terão ainda duas palestras imperdíveis: uma sobre a Teoria Evolutiva ministrada pelo Prof Júlio Pieczarka, e outra sobre EVODEVO ministrada pelo Prof Igor Schneider.darwin day belen 2016

Outros locais como o IB-USP e a USP Ribeirão
provavelmente terão as comemorações do Darwin Day em alguns meses. É lindo demais ver o Darwin Day se difundindo pelo país. Convido as outras universidades a organizarem o seu Darwin Day e ampliarem essa tendência mundial evolucionista. Aproveitem!

Fechamos então com a gravação do III Darwin Day de USP de Ribeirão Preto do ano passado que teve 5 horas de duração e palestras e discussões muito interessantes e instigantes.


 

Brasil, Feliz DARWIN DAY 2015!

darwin_day 2015Feliz 2015 a todos! Começamos o ano já celebrando os 206 anos de Charles R. Darwin como fazemos desde 2008 aqui no MARCO EVOLUTIVO. Neste dia 12 de fevereiro, o famoso “DARWIN DAY”, o mundo inteiro está promovendo eventos e reflexões sobre a vida, obra e todo o legado de Darwin.ontogenese de Darwin

“Há uma grandeza nessa visão da vida”, disse Darwin ao contemplar as implicações da mudança de paradigma iniciada por ele. Após muitas leituras, cartas, viagens, coletas, experimentos, descobertas e dilemas, Darwin se viu na obrigação avisar o mundo simplesmente que a Natureza está nua!

mãe naturezaAssim como no conto de fadas “A roupa nova do Rei” de Hans Andersen, a maioria na época de Darwin estava mais preocupado em validar sua própria e merecida superioridade frente aos outros seres do que encarar os fatos humildemente. Afinal, só os inteligentes conseguem ver a roupa nova do rei, não é mesmo? Darwin, ao abandonar o antropocentrismo criacionista, foi como aquela criança que fez o favor de mostrar a todos que somos tão especiais quanto qualquer outra espécie, e que toda a eficiência, funcionalidade, complexidade e aparência de intencionalidade no projeto dos seres vivos é fruto do mecanismo cego seletivo e não da intrução premeditada de um criador.

darwin day brasil 2015 são caetanoÉ claro que o gosto amargo que se sente com a possibilidade de conceber que se esteve muito errado ainda hoje impede muitos de perceber a Natureza nua mais como um nu artístico do que como uma pornografia fajuta. Por isso, junte cruriosidade, coragem e humildade e descubra também a beleza e grandeza da verdade nua e crua da Evolução Biológica.

Esse ano no Brasil teremos ótimos eventos. Hoje à noite às 20h no Universidade Municipal de São Caetano do Sul, SP o grande Prof. Nélio Bizzo dará uma palestra intitulada “O que pensam os jovens sobre evolução?”.

Em sampa, teremos amanhã (13/02/2015) o II Darwin Day no IB da USP com o tema “Combatendo a anti-Ciência com Educação”. O evento será transmitido ao vivo online nesse link.
darwin day brasil 2015 IB USP

Em breve será divulgado os detalhes do III Darwin Day da USP de Ribeirão Preto na página deles do Facebook. Abaixo segue o vídeo do evento passado do quel tive a honra de participar.

Assistam também o documentário curto da BBC “Darwin’s Struggle: The Evolution Of The Origin Of Species”, é muito bom. Tenham todos mais um ótimo Dia de Darwin!!

Feliz Darwin Day Brasil 2014!

Dia de Darwin 2014

Neste dia 12 de fevereiro, como em todos os anos, estamos celebrando mais um DIA de DARWIN 2014! Hoje Charles Darwin faz 205 anos de história e a lenta revolução desencadeada por ele continua se expandindo como nunca. A teoria evolucionista não parou em Darwin, nem diz respeito apenas ao tamanho de pescoços das girafas. A Evolução tem uma importância, um potencial e abrangência que vão além da Biologia.

Darwin_Day sunset

A Biologia Evolutiva hoje encontra aplicações em todas as áreas do saber, umas mais que outras. Sem os conhecimentos sobre evolução ainda estaríamos perdidos em inúmeras perguntas sobre o mundo e nós mesmos: Viemos do macaco ou dos mamíferos? Estamos separados da natureza ou vamos nos separar no futuro? Sobrevivência do mais bonito ou reprodução do mais esperto? Somos parentes das plantas ou dos fungos? As girafas se adaptam por que foram selecionadas ou foram selecionadas por necessitam se adaptar? Se três tigres nunca nascem de um leão, só de tigresas, então da onde veio o primeiro par de tigres? É possível domesticar uma planta selvagem ou precisamos de duas? Como é possível que o mesmo antibiótico que mata bactérias acaba deixando-as mais resistentes? Por que temos mais medos de cobras do que eletricidade? Por que pessoas com toxoplasmose acabam sendo mais atraídas para situações perigosas? Somos bondosos por termos genes egoístas ou por esperamos algo em troca? Quem ensinou os bebês cegos a sorrirem? Se a sobrevivência é dos mais fortes e os homens têm mais força física do que as mulheres, então por que eles morrem mais cedo? Por que nós do nosso grupo somos sempre melhores do que eles? Se os animais do zoológico têm tudo o que precisam: cuidado, proteção e alimento, por que parecem tão desanimados? O que as angústias de Dom Casmurro e da Cinderela nos ensinam sobre a natureza humana? Teriam a língua Portuguesa e o Romeno um ancestral comum? Se sempre precisamos atualizar o nosso anti-vírus, por que o agricultor insiste em usar o mesmo pesticida de sempre?

darwin day a celebration of science

Hoje celebramos a vitória da curiosidade livre, do pensamento crítico e científico e do bom senso humanista. No mundo todo são inúmeros eventos programados para a ocasião do Darwin Day. No Brasil, teremos no domingo que vem dia 16 a palestra gratuita “Quem acredita na Evolução” no auditório da Livraria da Travessa. Não fique de fora dessa comemoração global no Dia de Darwin 2014!

Darwin Day brasil 2014

Fique com esses vídeos musicais pirados e inspirados sobre Darwin, sua obra e a importância da Evolução.


Darwin Day na USP de Ribeirão

Continuamos divulgando a todos as celebrações brasileiras sobre o Dia de Darwin.

Nessa terça-feira dia 5 de março, haverá uma comemoração especial e inédita, o I Darwin Day Ribeirão Preto, na  FFCLRP da USP de Ribeirão Preto SP. É muito bom ver que as celebrações sobre o Dia de Darwin estão crescendo em nosso país.

O evento conta com três palestras e uma mesa redonda ao longo do dia de hoje, todos imperdíveis. Acesse a página do evento no facebook e cdarwin day ribeirãoonfira abaixo a programação.

Participe e divulgue para os outros amigos primatas da sua espécie!

Dia de Darwin: talkshows em Sampa e no Rio

Charles Darwin

Continuamos com as celebrações sobre o Dia de Darwin aqui no MARCO EVOLUTIVO. Comemoramos essa data tão especial juntos em 2008, 2009, 2010, 2011, 2012 e em 2013.

Mesmo ocorrendo no Brasil em plenas férias e antes do carnaval o Dia de Darwin é uma data em que reafirmamos a importância da ciência, do evolucionismo, da racionalidade e do humanismo para nossa sociedade moderna global.

Nesse sentido será imperdível o talkshow “Evolução: Onde Eu Entro Nisso?” que ocorrerá gratuitamente amanhã, sábado 23/02 às 3h da tarde no Museu de Zoologia da USP em São Paulo. A conversa moderada por Sérgio Brandão do VerCiência vai contar com Mário de Pinna e Nelio Bizzo. Para aqueles que não estão em São Paulo ou não puderem comparecer ao MZUSP, o talkshow será transmitido AO VIVO online pela IPTV USP

  Cartaz Semana Darwin 2013 640

 

 

E no Rio de Janeiro, o talkshow “Evolução: Onde Eu Entro Nisso? As plantas” será no domingo, 24/02 às 19h na Livraria da Travessa no Shopping Leblon, gratuita. A discussão, também mediada por Sergio Brandão contará com Paulo Takeo Sano e Maria Isabel Landim.

DarwinDay2013TRAVESSA

Participe e divulgue para os amigos!!!

5 Anos de MARCO EVOLUTIVO e Feliz 2013

5 year cakeComeçamos esse feliz ano de 2013 já celebrando não UM, nem DOIS, TRÊS ou QUATRO mas sim os 5 anos que o MARCO EVOLUTIVO fez em novembro de 2012. Nosso science-canal online sobre Biologia, Evolução, sua História e Filosofia, e Comportamento Animal e Humano está com meia década de existência, e amadurecendo junto com você.
Agradeço como sempre todos os comentários, elogios e críticas recebidos. Continuem sempre acessando e compartilhando links do blog com os amigos. Aqui ao lado esquerdo  do post temos várias opções para curtir e compartilhar!

Tive um 2012 cheio de viagens pra congressos, pesquisas, orientação, palestras, minicursos e concursos, pricipalmente no segundo semestre o que tomaram todo o meu tempo para blogar. Fiquei noivo da Jaroslava Valentová, a Antropóloga Tcheca que é a mulher dos meus sonhos. Estou muito feliz que tudo está dando certo conosco e logo estaremos vivendo juntos.

Estive também trabalhando com repórter de Ciência e Saúde na Folha de S.Paulo. Gostaria de agradecer ao Reinaldo José Lopes e toda a equipe da redação por essa fantástica experiência profissional em jornalismo científico. Para acessar todos os textos que publiquei pela Folha é só clicar AQUI.

Fora isso participei do Boteco Behaviorista #4: “Biologia, Evolução e Comportamento” a convite do Felipe Epaminondas. Clique para assistir ao hangout coletivo inteiro gravado no dia 2 de setembro.

De janeiro de 2012 até janeiro de 2013 o MARCO EVOLUTIVO teve quase 27 mil visitas. Tivemos mais de 24 mil visitas no Brasil e 1.200 de Portugal. As outras visitas foram de EUA, Angola, Reino Unido, Moçanbique, Espanha, México, República Tcheca, Alemanha, França, Irlanda, Colômbia, Cabo Verde, Canadá, Itália, Chile, Suíça, Eslováquia, Argentina, Venezuela, Japão, Peru, Bélgica, Bolívia, Equador, Holanda, todos com 10 ou mais visitas. 

Cesar Ades e Marco

As palavras mais usadas antes de encontrar o MARCO EVOLUTIVO foram: “Biologia”, ”Somos dominados por genes ou mal-entendidos”, “Lamarck”, “Psicologia Evolucionista”, “Biossegurança” , “Revolução genômica” “Steven Pinker”, “Darwin”, “Seleção Sexual” e “Marco Evolutivo”.

Os 5 posts mais lidos de 2012 foram: 1-“Dicas de Livros em Psicologia Evolucionista”, 2- 2009 o “ANO DA BIOLOGIA”, 3-“Lamarck – A Verdadeira Idéia Errada”, 4-“O sexo chimpanzé e o conflito de gerações”, e 5- “Seleção Sexual, de Parentesco, Natural, Artificial e Social”, que data de 2012. O destaque do ano passado foi o trágico acidente que vitimou nosso querido César Ades, um dos pais da Etologia no Brasil e seu representante ilustre em todos os Dias de Darwin. “Ades Egypti e seu Entusiasmo Contagiante”. César Ades foi devidamente homenageado diversas vezes por sua obra e caráter. Todos seguimos em frente pesquisando e divulgando Etologia inspirados e contagianos pelo seu entusiasmo.

Nesse início de 2013 o MARCO EVOLUTIVO já conta com 246 seguidores pela Página no Facebook, três vezes mais do que tinham no começo do ano passado. E já estamos contando as horas para celebrar o Dia de Darwin depois de amanhã. Não percam.

Parabéns Mendel pelos 190 anos e pelo legado!

Hoje, dia 20 de junho, estamos comemoramos os 190 anos de Gregor Johann Mendel, considerado pai da genética, mas com uma vida bem longe de uma celebridade. O Pai da Genética é famoso, mas pouco conhecido.

Então nossa intrépida equipe de jornalistas do MARCO EVOLUTIVO viajou até o Mendel Museum no seu Mosteiro Agostiniano em Brno, na República Tcheca, para trazer a você, em primeira mão, mais do que sopa de letrinha sabor ervilha.

Muitos acham que ele nasceu em dia 22 de julho de 1822, mas esse foi o dia em que foi batizado. Muitos acham que ele nasceu na Áustria, mas sua cidade de nascença e seu mosteiro estão na República Tcheca, que é considerada o Berço da Genética. Naquele época, a atual Hynčice, cidade natal, era Heizendorf, a atual Brno era Brünn, e a atual região da República Tcheca era parte do Império Austro-Húngaro e a língua oficial era o alemão.

Filho de dona Rosina e seu Anton Mendel, humildes camponeses, Johann Mendel sempre gostou de estudar. Até antes de completar 18 anos ele já ganhava a vida dando aulas particulares para outros alunos. Depois estudou Matemática, Física, Filologia, Filosofia prática e teórica, e Ética no Instituto de Filosofia de Olomouc, também Rep. Tcheca. Aos 21 anos seguiu os estudos ao ingressar no Mosteiro Agostiniano em Brno, onde incorporou o primeiro nome, Gregor.

No Monsatério teve mestres que o incentivaram muito nos estudos, o Abade Cyril František Napp foi um deles. Ele foi quem construiu a avançada estufa pra época, com 30 metros por 6 de largura, que ofereceu as condições excelentes para os experimentos de Mendel.

Aos 24 anos concluiu um curso de estudos agrícolas de frutas e vinicultura no Instituto Filosófico em Brno. Aos 29 anos o Abade Napp mandou e bancou os estudos de Mendel na Universidade de Viena, na Áustria. Lá ele estudou mais Física, Matemática e História Natural e teve aulas como Física Experimental, Anatomia e Fisiologia de Plantas e aulas práticas de utilização do microscópio.

Aos 32 anos com a estufa acabada de construir, Mendel colocou na prática seus conhecimentos ao estudar plantas, como feijões, chicória, plantas frutíferas, uva e principalmente ervilhas, nas quais descobriu as famosas Leis de Mendel. Ele também criou camundongos e abelhas, desenvolveu seu próprio tipo de apiário e ainda criou uma linhagem de abelha que se mostrou muito agressiva e teve que ser eliminada. Ele também sabia muito de astronomia e também de metereologia.

Dos 32 aos 42, trabalhou em seus cuidadosos experimentos com ervilhas (Pisum sativum). Aos 40 Mendel leu uma tradução em alemão do ‘Origem da Espécies’ de Darwin sublinhou e anotou em várias partes da obra. Ajudou a criar a Sociedade Austríaca de Meteorologia e foi co-fundador da Sociedade de Ciência Natural de Brno.

Aos 63 anos, 1865 apresentou o seu trabalho experimental em ervilhas em uma palestra intitulada “Experimentos sobre a hibridização de plantas” nas reuniões de fevereiro e março da Sociedade de Ciência Natural de Brno. Em 1866, Mendel publicou no jornal da Sociedade de de Ciência Natural de Brno sua palestra, o trabalho que fazer dele o Pai da Genética. Ele distribuiu cópias de seu manuscrito para vários cientistas, que foi ignorado por todos. Apesar de ter sido considerado sempre um ótimo professor, ele fracassou duas vezes em concurso para ser professor da Universidade de Viena.

Mendel percebeu que não herdamos as características físicas (hoje o fenótipo), mas sim os elementos, fatores particulados (hoje chamados de genes). E sua genialidade foi perceber esses fatores hereditários trabalham aos pares, nos gametas eles estão separados e na fertilização eles se unem em novas combinações. Apartir daí foi fácil perceber que alguns fatores dominavam outros ao gerarem as características físicas abrindo caminha para a genética moderna. Suas descobertas pioneiras foram ignoradas até o começo do seculo XX depois de sua morte em 1884 quando ficou consagrado.

É claro que assim que redescobertas muitos acharam contraditórias as idéias de herança particulada com a fluidez gradual da variação populacional necessária para o primeiro passo da Seleção Natural. Os mutacionistas iniciais não era Darwinistas por mais que fossem Evolucionistas. O próprio Darwin por ter abandonado o pensamento essencialista e valorização a variação individual acabou criando uma teoria de herança baseada na mistura de características, algo que para ele faria mais sentido com sua teoria.

Somente na década de 1940 que com o surgimento da Genética de Populações pode haver conciliações entre os geneticistas e os darwinistas. Eles concordaram que a evolução é gradual, que o principal motor da evolução é a seleção natural, que a hereditariedade é “dura” ou seja particulada, que o mesmo tipo de mecanismos genéticos é responsável pela variação fenotípica continua e discreta, que a macroevolução é a acumulação dos processos microevolutivos e a especiação é um processo de genética de populações.

Mendel morreu em 6 de janeiro 1884. Depois de uma vida posterior muito ocupada com a administração do monastério. Ele foi enterrado três dias depois, no Cemitério Central, em Brno. Em um obituário da Sociedade para a Promoção da Natureza, Agricultura e Geografia de 1884, n º 1 foi lido: “Suas experiências com híbridos de plantas abriu uma nova era.” Hoje, sabemos que ele realmente inaugurou toda uma gama possibilidades para explicar muitos fenômenos hereditários (híbridos, mutantes, clones, variação, efeitos ambientais no genoma, etc) e para o desenvolvimento de várias tecnologias de analise do DNA, como para solucionar crimes, por exemplo. Homenagem mais que merecida.

No mundo todo estão sendo celebradas suas realizações pioneiras para entendermos as questões fundamentais da hereditariedade. Pelo menos de três ganhadores do Prêmio Nobel vão dar palestras no Museu de Mendel mantido pela Universidade de Masaryk em Brno. Acesse o site das celebrações e façam a visita online ao Museu do Mendel.

Seleção Sexual, de Parentesco, Natural, Artificial e Social

O papel e a importância das fêmeas têm mudado muito, não só em nossa sociedade, mas também nas próprias teorias evolutivas. Após 141 da publicação do livro ‘A Descendência do Homem e a Seleção Sexual’, em que Darwin introduz a importância e as implicações evolutivas da escolha da fêmea, pesquisadores rediscutem o papel das fêmeas na seleção sexual e sua abrangência para incluir aspectos não diretamente relacionados com a reprodução.

MARCO EVOLUTIVO traz diretamente do futuro, do dia 19 de agosto de 2012, um número especial do periódico Philosophical Transactions of the Royal Society B: biological Sciences. Intitulado “Seleção sexual, conflito social e a perspectiva feminina”, o número conta com 11 artigos que giram em torno da competição social feminina.

Enquanto alguns sugerem expandir o escopo da seleção sexual para incluir todas as formas de competição entre fêmeas, outros propõem incluir a seleção sexual dentro de algo maior chamado de seleção social, outros ainda querem substituí-la completamente por esta. Num sentido mais amplo, a seleção social é tida simplesmente como, a seleção resultante das interações intraespecíficas sociais. Tudo surgiu quando alguns pesquisadores não conseguiram ver como parte da seleção sexual algo que não fosse diretamente ligado à reprodução, como dominância social, por exemplo. Daí inventaram essa tal seleção social.

Sinceramente, pra mim essa discussão é decepcionante. Primeiro, assim como a seleção natural não parou no Darwin, a seleção sexual também evoluiu. O fato de o Dariwn não ter valorizado a ornamentação da fêmea, nem a competição entre fêmeas, não significa que hoje não saibamos que todas as opções ocorrem: competição entre machos, entre fêmeas, entre macho e fêmeas, escolha da fêmea e do macho. E pra isso não precisamos inventar outro conceito.

Segundo, o simples fato da existência da consagrada competição intrasexual, ou seja, luta direta e indireta ritualizada, mostra que seleção sexual não é só sobre sexo, ou apenas coisas diretamente relacionadas à cópula. Ela envolve até as coisas indiretamente relacionadas ao sexo.

Agora, só há evolução, se há reprodução, seja direta, via filhos, ou indireta, via filhos de parentes. Então, a meta final evolutiva, não é só sobreviver (seleção natural), nem só socializar (seleção social), essas atividades são apenas meios para o fim da reprodução (seleção sexual e seleção de parentesco). Mesmo assim, muitos evolucionistas eminentes, como era o caso do próprio Ernst Mayr, consideram a seleção sexual apenas algo menor dentro da seleção natural e de parentesco.

Terceiro, o simples fato de Darwin ter colocado a origem do homem em processos naturais, deixa turva a distinção entre seleção natural e seleção artificial. Não há nada de mais artificial no ser humano (e nem no que ele faz) do que em qualquer outro animal. Pra mim, tudo isso mostra que não adianta criarmos ou eliminarmos tais conceitos de seleções se não percebermos que estamos misturando duas coisas. Uma é ‘quem faz a seleção?’: a natureza, o homem, a sociedade ou a fêmea. Outra coisa é, ‘visando a que? sobrevivência, reprodução direta ou reprodução indireta.

Quanto à última questão, a coisa é tranquila, por mim, deixaria a sobreviência com a seleção natural, a reprodução direta com a sexual e a indireta com a de parentesco.
Para a primeira questão podemos simplificar em dois grupos de atores seletivos: os físicos, os quais são, em geral, mais inertes, não coevoluem com aquilo que selecionam, no sentido de não possuir conflito de interesses; e os biológicos, os quais são direcionais e reativos, pois sempre coevoluem com o que selecionam.

Alguns fatores físicos são sim alterados em resposta a uma seleção condicionada por ele, é o caso da construção de nicho, em que todo animal (não só o ser humano) altera seu meio de acordo com suas necessidades, afrouxando algumas pressões seletivas e criando outras. Mas essas pressçoes nunca ‘revidam’ ou ‘perseguem’ evolutivamente aqueles que selecionam, não têm uma agenda própria. Os fatores seletivos biológicos podem vir de outras espécies (como predadores, parasitas, gripes, presas ou domesticação) ou ser intraespecíficos. A importância da dinâmica intraespecífica é grande, pois veja: ao caçar uma capivara, a onça não só vence um indivíduos de outra espécie, como sai na frente, naquele dia, na competição por comida com os indivíduos da sua própria espécie.

As interações intraespecíficas podem ser afiliativas, aversivas ou neutras, de cunho sexual ou não, pra ambos os sexos. O grande desafio então, é expandir o entendimento atualizado sobre os conceitos e não criar novos termos tapa-buraco. Assim como existe competição intrassexual (macho-macho e claro também fêmea-fêmea), existe competição intersexual, entre macho e fêmea, e ainda existe também cooperação intrassexual (macho-macho e fêmea-fêmea). Assim como existe seleção intersexual (fêmea escolhe macho, e também macho escolhe fêmea), existe seleção intrasexual (macho escolhe macho e fêmea escolhe fêmea). Tudo isso influenciando a evolução de armamentos (agressões diretas e indiretas, incluindo piadas ofensivas, bulling e fofoca) e ornamentos (diretos ou indiretos, incluindo piadas positivas, altruísmo e recomendação/indicação de pessoas).

Além disso, as interações sociais dentro da espécie podem ser afiliativas, aversivas ou neutras, de cunho sexual ou não, pra ambos os sexos, sendo parente ou não! Ou seja, existe sim toda uma gama de interrelações entre seleção sexual e de parentesco que deve ser mais bem explorada, afinal ambas são reprodução.
Bom, espero ter ajudado pra abrir o leque de opções e esclarecer que essa onda de fazer caricatura de conceitos clássicos, forçando a barra em aplicá-los apenas em casos específicos para então abrir caminho para conceitos ditos ‘mais abrangentes’ (que fazem a mesma coisa no final), tá por fora.

Arquivos

Categorias

.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM