Celebrando o Darwin Day 2013

darwin day joven e beagleHoje, 12 de fevereiro, em meio ao carnaval e à renuncia do papa, estamos celebrando mais um Dia de Darwin aqui no MARCO EVOLUTIVO. Nesse 2013 Darwin completaria 204 anos. Um homem sentado nos ombros de cientistas gigantes do passado que foi capaz de ver mais longe. Darwin se libertou das amarras do pensamento religioso e estabeleceu a sólida base que unificou toda as Ciências Biológicas e foi além, hoje já está presente em toda grande disciplina das Humanidades.

Coexist2

darwinday2013.jpg.300x300_q85

Charles Darwin emancipou a mente humana, separou a Biologia dos dogmas da religião e preparou o terreno para nosso real entendimento dos fenômenos biológicos, incluindo o ser humano, sua origem e comportamento.

Muito já avançamos nesse sentido, mas ainda existem pessoas que teimam em fundamentar seus preceitos morais em fatos do mundo observável ao invés de o fazer em princípios morais. Sempre que uma moral da história é fundamentada num fato, como “a terra é plana”, “estamos no centro no Universo”, “as espécies não mudam”, “só existe macho e fêmea nada intermediário”, ou em lacunas factuais como “o que havia antes do Big Gang”, ou “o que aconteceu na vida pré-cambirana”, corre o risco de cientistas mostrarem novas facetas da questão inclusive que as observações anteriores estavam erradas.

coexist1

Já aqueles que, usando ou não de algumas da religiões existentes, fundamentam suas posturas éticas em fundamentos morais como a “igualdade de direitos e oportunidades”, não entrarão em conflito com as dimensões factuais do mundo, investigadas pela ciência. Por ser hoje também o Dia do Orgulho Ateu vale a pena recarregarmos as esperanças ao promovermos uma coexistência pacífica e independente entre os grandes sistemas religiosos, sociais, políticos e científicos, cada um na sua. Temos que aceitar nossa interdependência, promover nossa coexistência global e zelar pelas outras espécies e ecossistemas também.

wallace100

Esse ano, além de estarmos celebrando as contribuições de Darwin para a Ciência a Humanidade e ao pensamento racional, estamos celebrando os 100 anos de falecimento de Alfred Russel Wallace (1823-1913), co-descobridor do mecanismo evolutivo da seleção natural. 

aflred wallace

O museu de História Natural de Londres está fazendo uma grande exposição chamada Wallace100 para homenagear e relembrar os feitos de Wallace que esteve no Brasil, assim como Darwin, para estudar a biodiversidade. Ele sobreviveu a um incêndio e naufrágio do barco em que coletava na Amazônia. Salvou só poucas gravuras, todo o resto do material coletado por ele foi perdido. Descubra outros fatos interessantes sobre sua obra e sua vida, como o quanto teve a ideia da seleção natural delirando de febre.

entendendo a evolução UnicampO presente evolutivo deste Dia de Darwin é a tradução brasileira para o site da Universidade de Berkeley, Entendendo a Evolução hospedado no site do Instituto de Biociências da USP. Ótimo site para professores, jornalistas e interessados em geral. Apresenta dicas tanto para ensinar quanto para aprender Evolução. Dou um destaque para as potenciais armadilhas a serem evitadas e os equívocos que pessoas comumente atribuem ao evolucionismo, os quais devemos corrigir sempre. Existe também uma versão traduzida para o Espanhol, Comprendiendo la Evolución para nossos colegas hermanos também promoverem um melhor entendimento do evolucionismo atual em seus países.

Semana Darwin catavento 2013Em São Paulo, o Catavento Cultural e Educacional apresenta de 5 de fevereiro a 10 de março a Exposição Darwin: Evolução para Todos desenvolvida pelo Museu de Zoologia da USP que está fechado em reforma. O catavento ainda oferece oficinas sobre Evolução e Biodiversidade contando com origamis, desenhos e mais, além do teatro de bonecos “Darwin e a Bicharada!” Ambos ocorrerão no final de semana do dia 23 e 24 de fevereiro. Confira os detalhes no cartaz ao lado.

E para acompanhar nossos pensamentos darwinistas nesse Dia da Darwin ficamos com um vídeo bem interessante. Trata-se de uma paródia da múscia “Revolution” dos Beatles adaptada naturalmente esse ano de 2013 para celebrar a Revolução Darwinista que estamos vivendo que ajudando a contruir juntos.

Feliz Darwin Day 2013!!

5 Anos de MARCO EVOLUTIVO e Feliz 2013

5 year cakeComeçamos esse feliz ano de 2013 já celebrando não UM, nem DOIS, TRÊS ou QUATRO mas sim os 5 anos que o MARCO EVOLUTIVO fez em novembro de 2012. Nosso science-canal online sobre Biologia, Evolução, sua História e Filosofia, e Comportamento Animal e Humano está com meia década de existência, e amadurecendo junto com você.
Agradeço como sempre todos os comentários, elogios e críticas recebidos. Continuem sempre acessando e compartilhando links do blog com os amigos. Aqui ao lado esquerdo  do post temos várias opções para curtir e compartilhar!

Tive um 2012 cheio de viagens pra congressos, pesquisas, orientação, palestras, minicursos e concursos, pricipalmente no segundo semestre o que tomaram todo o meu tempo para blogar. Fiquei noivo da Jaroslava Valentová, a Antropóloga Tcheca que é a mulher dos meus sonhos. Estou muito feliz que tudo está dando certo conosco e logo estaremos vivendo juntos.

Estive também trabalhando com repórter de Ciência e Saúde na Folha de S.Paulo. Gostaria de agradecer ao Reinaldo José Lopes e toda a equipe da redação por essa fantástica experiência profissional em jornalismo científico. Para acessar todos os textos que publiquei pela Folha é só clicar AQUI.

Fora isso participei do Boteco Behaviorista #4: “Biologia, Evolução e Comportamento” a convite do Felipe Epaminondas. Clique para assistir ao hangout coletivo inteiro gravado no dia 2 de setembro.

De janeiro de 2012 até janeiro de 2013 o MARCO EVOLUTIVO teve quase 27 mil visitas. Tivemos mais de 24 mil visitas no Brasil e 1.200 de Portugal. As outras visitas foram de EUA, Angola, Reino Unido, Moçanbique, Espanha, México, República Tcheca, Alemanha, França, Irlanda, Colômbia, Cabo Verde, Canadá, Itália, Chile, Suíça, Eslováquia, Argentina, Venezuela, Japão, Peru, Bélgica, Bolívia, Equador, Holanda, todos com 10 ou mais visitas. 

Cesar Ades e Marco

As palavras mais usadas antes de encontrar o MARCO EVOLUTIVO foram: “Biologia”, ”Somos dominados por genes ou mal-entendidos”, “Lamarck”, “Psicologia Evolucionista”, “Biossegurança” , “Revolução genômica” “Steven Pinker”, “Darwin”, “Seleção Sexual” e “Marco Evolutivo”.

Os 5 posts mais lidos de 2012 foram: 1-“Dicas de Livros em Psicologia Evolucionista”, 2- 2009 o “ANO DA BIOLOGIA”, 3-“Lamarck – A Verdadeira Idéia Errada”, 4-“O sexo chimpanzé e o conflito de gerações”, e 5- “Seleção Sexual, de Parentesco, Natural, Artificial e Social”, que data de 2012. O destaque do ano passado foi o trágico acidente que vitimou nosso querido César Ades, um dos pais da Etologia no Brasil e seu representante ilustre em todos os Dias de Darwin. “Ades Egypti e seu Entusiasmo Contagiante”. César Ades foi devidamente homenageado diversas vezes por sua obra e caráter. Todos seguimos em frente pesquisando e divulgando Etologia inspirados e contagianos pelo seu entusiasmo.

Nesse início de 2013 o MARCO EVOLUTIVO já conta com 246 seguidores pela Página no Facebook, três vezes mais do que tinham no começo do ano passado. E já estamos contando as horas para celebrar o Dia de Darwin depois de amanhã. Não percam.

Feliz Dia de Lamarck e Hamilton!!!

Hoje, dia 1º de agosto, estamos comemorando um dia evolutivamente marcante! Nessa mesma data nasceram dois gigantes evolucionistas que foram fundamentais para nosso melhor entendimento dos seres vivos.

Jean-Baptiste Lamarck comemora hoje 268 anos! Nascido em 1744, o naturalista frances, além de cunhar os termos “Biologia” para o estudo dos seres vivos, e “Invertebrados” para os animais sem vertebra, foi um dos primeiros a aceitar que as espécies podiam mudar, ou seja evoluir, e ainda propôs um mecanismo para essa mudança. Ele descobriu e classificou alguns milhares de espécies. Teve mais de 220 espécies nomeadas em sua homenagem. Faleceu aos 85 anos em 1829. Descubra qual foi seu verdadeiro erro no MARCO EVOLUTIVO e mais sobre sua vida na Wiki.

 

 

Willian Donald Hamilton comemoraria hoje 76 anos! Nascido em 1936, o biólogo evolucionista britânico, além de ser um dos proponentes iniciais da teoria da Rainha Vermelha para evolução da reprodução sexuada, revolucionou a biologia evolutiva com a Regra de Hamilton (C < r x B) ao explicar a evolução de comportamentos altruístas dando as bases para a Sociobiologia e para o ponto de vista do gene na evolução. Ganhou 10 prêmios científicos. Ele faleceu aos 63 anos em 2000, e gostaria que, após sua morte, fosse mandado ao Brasil para ter seu corpo devorado pelo besouro carniceiro do gênero Coprophanaeus. Descubra o porquê na Wiki.

Ambos teóricos evolucionistas foram pioneiros em seu tempo e trouxeram grandes mudanças em como vemos a evolução das espécies. Lamarck mostrou que apenas leis naturais são suficientes para a transformação das espécies. E Hamilton mostrou que os beneficiados dos comportamentos altruístas são os genes e não o indivíduo ou a espécie. Vamos celebrar e relembrar esses dois pilares do evolucionismo. Feliz dia de Lamarck e Hamilton!!

Parabéns Mendel pelos 190 anos e pelo legado!

Hoje, dia 20 de junho, estamos comemoramos os 190 anos de Gregor Johann Mendel, considerado pai da genética, mas com uma vida bem longe de uma celebridade. O Pai da Genética é famoso, mas pouco conhecido.

Então nossa intrépida equipe de jornalistas do MARCO EVOLUTIVO viajou até o Mendel Museum no seu Mosteiro Agostiniano em Brno, na República Tcheca, para trazer a você, em primeira mão, mais do que sopa de letrinha sabor ervilha.

Muitos acham que ele nasceu em dia 22 de julho de 1822, mas esse foi o dia em que foi batizado. Muitos acham que ele nasceu na Áustria, mas sua cidade de nascença e seu mosteiro estão na República Tcheca, que é considerada o Berço da Genética. Naquele época, a atual Hynčice, cidade natal, era Heizendorf, a atual Brno era Brünn, e a atual região da República Tcheca era parte do Império Austro-Húngaro e a língua oficial era o alemão.

Filho de dona Rosina e seu Anton Mendel, humildes camponeses, Johann Mendel sempre gostou de estudar. Até antes de completar 18 anos ele já ganhava a vida dando aulas particulares para outros alunos. Depois estudou Matemática, Física, Filologia, Filosofia prática e teórica, e Ética no Instituto de Filosofia de Olomouc, também Rep. Tcheca. Aos 21 anos seguiu os estudos ao ingressar no Mosteiro Agostiniano em Brno, onde incorporou o primeiro nome, Gregor.

No Monsatério teve mestres que o incentivaram muito nos estudos, o Abade Cyril František Napp foi um deles. Ele foi quem construiu a avançada estufa pra época, com 30 metros por 6 de largura, que ofereceu as condições excelentes para os experimentos de Mendel.

Aos 24 anos concluiu um curso de estudos agrícolas de frutas e vinicultura no Instituto Filosófico em Brno. Aos 29 anos o Abade Napp mandou e bancou os estudos de Mendel na Universidade de Viena, na Áustria. Lá ele estudou mais Física, Matemática e História Natural e teve aulas como Física Experimental, Anatomia e Fisiologia de Plantas e aulas práticas de utilização do microscópio.

Aos 32 anos com a estufa acabada de construir, Mendel colocou na prática seus conhecimentos ao estudar plantas, como feijões, chicória, plantas frutíferas, uva e principalmente ervilhas, nas quais descobriu as famosas Leis de Mendel. Ele também criou camundongos e abelhas, desenvolveu seu próprio tipo de apiário e ainda criou uma linhagem de abelha que se mostrou muito agressiva e teve que ser eliminada. Ele também sabia muito de astronomia e também de metereologia.

Dos 32 aos 42, trabalhou em seus cuidadosos experimentos com ervilhas (Pisum sativum). Aos 40 Mendel leu uma tradução em alemão do ‘Origem da Espécies’ de Darwin sublinhou e anotou em várias partes da obra. Ajudou a criar a Sociedade Austríaca de Meteorologia e foi co-fundador da Sociedade de Ciência Natural de Brno.

Aos 63 anos, 1865 apresentou o seu trabalho experimental em ervilhas em uma palestra intitulada “Experimentos sobre a hibridização de plantas” nas reuniões de fevereiro e março da Sociedade de Ciência Natural de Brno. Em 1866, Mendel publicou no jornal da Sociedade de de Ciência Natural de Brno sua palestra, o trabalho que fazer dele o Pai da Genética. Ele distribuiu cópias de seu manuscrito para vários cientistas, que foi ignorado por todos. Apesar de ter sido considerado sempre um ótimo professor, ele fracassou duas vezes em concurso para ser professor da Universidade de Viena.

Mendel percebeu que não herdamos as características físicas (hoje o fenótipo), mas sim os elementos, fatores particulados (hoje chamados de genes). E sua genialidade foi perceber esses fatores hereditários trabalham aos pares, nos gametas eles estão separados e na fertilização eles se unem em novas combinações. Apartir daí foi fácil perceber que alguns fatores dominavam outros ao gerarem as características físicas abrindo caminha para a genética moderna. Suas descobertas pioneiras foram ignoradas até o começo do seculo XX depois de sua morte em 1884 quando ficou consagrado.

É claro que assim que redescobertas muitos acharam contraditórias as idéias de herança particulada com a fluidez gradual da variação populacional necessária para o primeiro passo da Seleção Natural. Os mutacionistas iniciais não era Darwinistas por mais que fossem Evolucionistas. O próprio Darwin por ter abandonado o pensamento essencialista e valorização a variação individual acabou criando uma teoria de herança baseada na mistura de características, algo que para ele faria mais sentido com sua teoria.

Somente na década de 1940 que com o surgimento da Genética de Populações pode haver conciliações entre os geneticistas e os darwinistas. Eles concordaram que a evolução é gradual, que o principal motor da evolução é a seleção natural, que a hereditariedade é “dura” ou seja particulada, que o mesmo tipo de mecanismos genéticos é responsável pela variação fenotípica continua e discreta, que a macroevolução é a acumulação dos processos microevolutivos e a especiação é um processo de genética de populações.

Mendel morreu em 6 de janeiro 1884. Depois de uma vida posterior muito ocupada com a administração do monastério. Ele foi enterrado três dias depois, no Cemitério Central, em Brno. Em um obituário da Sociedade para a Promoção da Natureza, Agricultura e Geografia de 1884, n º 1 foi lido: “Suas experiências com híbridos de plantas abriu uma nova era.” Hoje, sabemos que ele realmente inaugurou toda uma gama possibilidades para explicar muitos fenômenos hereditários (híbridos, mutantes, clones, variação, efeitos ambientais no genoma, etc) e para o desenvolvimento de várias tecnologias de analise do DNA, como para solucionar crimes, por exemplo. Homenagem mais que merecida.

No mundo todo estão sendo celebradas suas realizações pioneiras para entendermos as questões fundamentais da hereditariedade. Pelo menos de três ganhadores do Prêmio Nobel vão dar palestras no Museu de Mendel mantido pela Universidade de Masaryk em Brno. Acesse o site das celebrações e façam a visita online ao Museu do Mendel.

Seleção Sexual, de Parentesco, Natural, Artificial e Social

O papel e a importância das fêmeas têm mudado muito, não só em nossa sociedade, mas também nas próprias teorias evolutivas. Após 141 da publicação do livro ‘A Descendência do Homem e a Seleção Sexual’, em que Darwin introduz a importância e as implicações evolutivas da escolha da fêmea, pesquisadores rediscutem o papel das fêmeas na seleção sexual e sua abrangência para incluir aspectos não diretamente relacionados com a reprodução.

MARCO EVOLUTIVO traz diretamente do futuro, do dia 19 de agosto de 2012, um número especial do periódico Philosophical Transactions of the Royal Society B: biological Sciences. Intitulado “Seleção sexual, conflito social e a perspectiva feminina”, o número conta com 11 artigos que giram em torno da competição social feminina.

Enquanto alguns sugerem expandir o escopo da seleção sexual para incluir todas as formas de competição entre fêmeas, outros propõem incluir a seleção sexual dentro de algo maior chamado de seleção social, outros ainda querem substituí-la completamente por esta. Num sentido mais amplo, a seleção social é tida simplesmente como, a seleção resultante das interações intraespecíficas sociais. Tudo surgiu quando alguns pesquisadores não conseguiram ver como parte da seleção sexual algo que não fosse diretamente ligado à reprodução, como dominância social, por exemplo. Daí inventaram essa tal seleção social.

Sinceramente, pra mim essa discussão é decepcionante. Primeiro, assim como a seleção natural não parou no Darwin, a seleção sexual também evoluiu. O fato de o Dariwn não ter valorizado a ornamentação da fêmea, nem a competição entre fêmeas, não significa que hoje não saibamos que todas as opções ocorrem: competição entre machos, entre fêmeas, entre macho e fêmeas, escolha da fêmea e do macho. E pra isso não precisamos inventar outro conceito.

Segundo, o simples fato da existência da consagrada competição intrasexual, ou seja, luta direta e indireta ritualizada, mostra que seleção sexual não é só sobre sexo, ou apenas coisas diretamente relacionadas à cópula. Ela envolve até as coisas indiretamente relacionadas ao sexo.

Agora, só há evolução, se há reprodução, seja direta, via filhos, ou indireta, via filhos de parentes. Então, a meta final evolutiva, não é só sobreviver (seleção natural), nem só socializar (seleção social), essas atividades são apenas meios para o fim da reprodução (seleção sexual e seleção de parentesco). Mesmo assim, muitos evolucionistas eminentes, como era o caso do próprio Ernst Mayr, consideram a seleção sexual apenas algo menor dentro da seleção natural e de parentesco.

Terceiro, o simples fato de Darwin ter colocado a origem do homem em processos naturais, deixa turva a distinção entre seleção natural e seleção artificial. Não há nada de mais artificial no ser humano (e nem no que ele faz) do que em qualquer outro animal. Pra mim, tudo isso mostra que não adianta criarmos ou eliminarmos tais conceitos de seleções se não percebermos que estamos misturando duas coisas. Uma é ‘quem faz a seleção?’: a natureza, o homem, a sociedade ou a fêmea. Outra coisa é, ‘visando a que? sobrevivência, reprodução direta ou reprodução indireta.

Quanto à última questão, a coisa é tranquila, por mim, deixaria a sobreviência com a seleção natural, a reprodução direta com a sexual e a indireta com a de parentesco.
Para a primeira questão podemos simplificar em dois grupos de atores seletivos: os físicos, os quais são, em geral, mais inertes, não coevoluem com aquilo que selecionam, no sentido de não possuir conflito de interesses; e os biológicos, os quais são direcionais e reativos, pois sempre coevoluem com o que selecionam.

Alguns fatores físicos são sim alterados em resposta a uma seleção condicionada por ele, é o caso da construção de nicho, em que todo animal (não só o ser humano) altera seu meio de acordo com suas necessidades, afrouxando algumas pressões seletivas e criando outras. Mas essas pressçoes nunca ‘revidam’ ou ‘perseguem’ evolutivamente aqueles que selecionam, não têm uma agenda própria. Os fatores seletivos biológicos podem vir de outras espécies (como predadores, parasitas, gripes, presas ou domesticação) ou ser intraespecíficos. A importância da dinâmica intraespecífica é grande, pois veja: ao caçar uma capivara, a onça não só vence um indivíduos de outra espécie, como sai na frente, naquele dia, na competição por comida com os indivíduos da sua própria espécie.

As interações intraespecíficas podem ser afiliativas, aversivas ou neutras, de cunho sexual ou não, pra ambos os sexos. O grande desafio então, é expandir o entendimento atualizado sobre os conceitos e não criar novos termos tapa-buraco. Assim como existe competição intrassexual (macho-macho e claro também fêmea-fêmea), existe competição intersexual, entre macho e fêmea, e ainda existe também cooperação intrassexual (macho-macho e fêmea-fêmea). Assim como existe seleção intersexual (fêmea escolhe macho, e também macho escolhe fêmea), existe seleção intrasexual (macho escolhe macho e fêmea escolhe fêmea). Tudo isso influenciando a evolução de armamentos (agressões diretas e indiretas, incluindo piadas ofensivas, bulling e fofoca) e ornamentos (diretos ou indiretos, incluindo piadas positivas, altruísmo e recomendação/indicação de pessoas).

Além disso, as interações sociais dentro da espécie podem ser afiliativas, aversivas ou neutras, de cunho sexual ou não, pra ambos os sexos, sendo parente ou não! Ou seja, existe sim toda uma gama de interrelações entre seleção sexual e de parentesco que deve ser mais bem explorada, afinal ambas são reprodução.
Bom, espero ter ajudado pra abrir o leque de opções e esclarecer que essa onda de fazer caricatura de conceitos clássicos, forçando a barra em aplicá-los apenas em casos específicos para então abrir caminho para conceitos ditos ‘mais abrangentes’ (que fazem a mesma coisa no final), tá por fora.

Evolucionismo de Grande Alcance

Darwin anteviu que num futuro distante sua teoria iria transbordar do círculo da biologia e atingir outras esferas como a área de Humanidades. A cada dia estamos mais perto de concretizar essa revolução Darwinista e perceber que o evolucionismo, por ser um tema transversal integrador, permeia todos os assuntos. Um bom exemplo disso é o surgimento de uma revista online evolutivamente relevante chamada “Evolution:This View of Life Magazine”. Com o nome inspirado nas palavras de Darwin em que ao comentar sobre evolucionismo disse que há uma grandeza nessa visão da vida.

Criada em outubro de 2011, a revista online gera e agrega conteúdo evolucionista relacionado às seguintes áreas: Biologia, Palentologia, Cultura, Saúde, Artes, Tecnologia, Religião, Política, Mente, Economia e Educação. Mesmo com menos de um ano de existência essa revista já é um marco evolutivo na divulgação do evolucionismo em todo seu alcance interdisciplinar. Várias entrevistas foram filmadas via internet com pesquisadores de cada uma dessas área acima. A revista é fruto de uma parceria do The Evolution Institute com o Consórcio EvoS, com financiamento da National Scince Fundation.

Por trás da “Evolution:This View of Life Magazine” está David Sloan Wilson, professor de Biologia e Antropologia na Universidade de Binghamton no EUA. Ele tem se esforçado para expandir a influência da evolução em diversas áreas, como no ensino superior com o EvoS, nas políticas públicas com The Evolution Institute, nas cidades com o The Binghamton Neighborhood Project e na religião com o Evolutionary Religious Institute. É claro que como ele é fiel ao grupo dos selecionistas de grupo acaba usando a revista para se promover e promover sua área. Atualmente ela é o palco para discussões acadêmicas sobre o novo livro do Edward Wilson e a relevância da seleção de grupo. Felizmente cada uma das 11 áreas acima tem seu editor próprio o que garante uma certa pluralidade para a revista.

O surgimento da revista é mais inspirador. Um aluno da pós-graduação o EvoS na Universidade de Binghamton, chamado Robert Kadar, inspirado e motivado pelas leituras do Conciliência do Edward O. Wilson e do Evolution for Everyone do David S. Wilson vislumbrou a idéia dessa revista para catalizar a conciliência entre todas as áreas do conhecimento por meio do evolucionismo para todos.

Assim como a Evolution:This View of Life Magazine surgiu, uma nova geração de estudantes, vários biólogos, psicólogos e outros estão começando blogs de ciência engrossando o caldo da divulgação científica e evolucionista brasileira. Temos muito o que fazer num país com maioria religiosa e de pouca instrução. Ajude você também a promover a conciliação das áreas do saber.

Homenagem ao César Ades amanhã no CRP 06

Nosso querido César Ades receberá uma homenagem póstuma solene em cerimônia do Conselho Federal de Psicologia amanhã dia 27 de junho às 17h. Trata-se de um reconhecimento oficial para sua imensa contribuição para o desenvolvimento da profissão de Psicólogo no Brasil, passado, presente e futuro. Na ocasião, o presidente do CFP, Humberto Verona, inaugurará uma placa em memória aos serviços prestados por César Ades à Psicologia Brasileira.

A cerimônia ocorrerá no auditório do Conselho Regional de Psicologia da 6ª Região (CRP 06), em Pinheiros, São Paulo. (veja o mapa abaixo). Toda a solenidade será transmitida ao vivo pelo site do CFP e em espaços de projeção disponibilizados nos Conselhos Regionais de Psicologia de todo país e em salas de aula de cursos de Psicologia que aderirem à atividade.
Durante a homenagem, e como parte das atividades de comemoração dos 50 anos de regulamentação nacional da Psicologia, o CFP lançará o

“Prêmio Monográfico César Ades: Desafios para o futuro da Psicologia”. O prêmio visa estimular nos estudantes e profissionais da área uma reflexão acerca do futuro da profissão.

Os textos acadêmicos inscritos para concorrer ao prêmio, tanto na modalidade psicólogo como a de estudante, deverão estar dentro de três subtemas: As Políticas Públicas e o Futuro da Psicologia; Contribuições da Psicologia na Construção do Conhecimento no Século XXI; e A Psicologia Latino-Americana: Desafios e Possibilidades. Mais informações sobre o Prêmio Monográfico César Ades e inscrições poderão ser acessadas em: http://premiocesarades.cfp.org.br


Exibir mapa ampliado

Evolução à Vista na Exposição Darwin Tocorimé

De volta à ativa e recuperado, apresento aqui no MARCO EVOLUTIVO uma das exposições sobre evolução mais interessantes e arrojadas que já vi. Começa essa semana no Rio de Janeiro na onda da Rio +20 a Exposição Darwin Tocorimé.

 

Trata-se de uma exposição científica e interativa sobre a vida e obra de Charles Darwin, sua viagem e descobertas evolutivas. Tudo feito a bordo do barco Tocorimé Pamatojari, simplesmente o maior veleiro de madeira do Brasil.

O veleiro Tocorimé já é uma famosa plataforma marítima de educação e cultura e com a Exposição Darwin Tocorimé a bordo tem a meta de velejar a costa brasileira tal qual Charles Darwin a bordo do HMS divulgando e ensinando evolução e respeito sobre a biodiversidade.

A Exposição Darwin Tocorimé também conta com um seminário sobre “Sustentabilidade em Evolução”. Serão 6 palestras sobre o tema contando com Profª Maria Isabel Landim (Museu de Zoologia da USP), curadora da exposição “Darwin no Tocorimé” e Markus Lehmann (Diretor Executivo da A4 Mares e Capitão do Tocorimé Pamatojari) no dia 15 de junho.
Dan Garrison (NASA – Diretor do Departamento de Desenvolvimento, Investigação e Aplicações Científicas) e Matthew Shirts (Editor da National Geografic Brasil e Consultor do Planeta Sustentável – Editora Abril) no dia 18 de junho.

E Frederico Brandini (Instituto Oceanográfico da USP) e Carlos Henrique Painel (Diretor da Cúpula dos Povos) no dia 19 de junho. Todas as palestras serão as 17 horas com entrada gratuita mediante a solicitação de convite pelo email [email protected]

A embarcação contando a Exposição Darwin Tocorimé ficará na Marina da Glória na cidade do Rio. Com inauguração no dia 15 de junho só para convidados, a exposição será aberta ao público nos dias 16 e 17 de junho das 9hs às 16hs e dia 19 das 14hs às 16hs.
Não perca essa oportunidade evolutiva e divulgue para seus amigos. Fique com o vídeo sobre a história do veleiro Tocorimé.

Ades Egypti e seu Entusiasmo Contagiante

Era impossível ficar ao lado de nosso querido César Ades, que nasceu no Cairo, Egito, e não ser levado por seu entusiasmo contagiante. Conheci o César em 2003 no XX Enconto anual de Etologia (EAE) em Natal, em meu terceiro ano de graduação eu ainda não havia encontrado minha área de pesquisa. Lá depois de uma brilhante palestra sobre todos os EAEs anteriores eu estava mais do que cativado pela Etologia, principalmente voltada para os humanos. Ele autografou meu livro de resumo e me desejou um futuro brilhante.

Em meu último ano de graduação fiz um trabalho sobre a consciência animal e se não fosse um texto do César ter me tocado e me motivado não teria tirado da nota máxima.

Em 2004, ao final de meu bacharelado na Unesp de Bauru com Sandro Caramaschi, ex-aluno do Prof. César, fui conversar com ele para estudar possibilidade de um mestrado. Eu estava super nervoso, mas ele me deixou bem a vontade e no decorrer da conversa percebemos que estávamos em sentidos contrários: ele era um psicólogo mais voltado para o comportamento dos outros animais e eu um biólogo interessado no ser humano. Então, ele me indicou a Profa Vera Bussab que acabou sendo minha orientadora de mestrado e de doutorado no Bloco F do IP-USP, inaugurado pelo César enquanto diretor do Instituto anos antes.

Sua disciplina de pós sobre Comunicação Animal me forneceu bases sólidas para um estudo comparativo da musicalidade humana. Cada aula com ele era uma maravilha, ambiente descontraído, informações precisas e conexões muito bem elaboradas.

Fora as belas homenagens oficiais a ele realizadas pelo Instituto de Psicologia da USP, muitas palavras relevantes e tocantes foram colocadas aqui na nossa Série Especial do ScienceBlogs Brasil em homenagem ao César, o Grande ao meu ver.

Eu (depois de ficar uma semana e meia fora do ar devido a uma fratura e cirurgia no braço dois dias após seu falecimento) gostaria de acrescentar algo que julgo muito louvável sobre ele. César Ades era tão entusiasmado e curioso por conhecimento que ele não conseguia se conter em apenas dar aulas, fazer pesquisas, publicar, orientar, ter cargos administrativos, organizar eventos, ele também fazia e valorizava a divulgação científica.

Ao ser esse acadêmico generalista digno de um Da Vinci moderno, a divulgação científica não poderia passar em branco. Ele deu diversas entrevistas tais como a brilhante ‘Psicologia e Biologia – Entrevista com César Ades’, e a ‘Entrevista: César Ades estuda a evolução do comportamento animal’. Escreveu e deu várias contribuições para a Ciência Hoje Criança como explicando a importância da limpeza nos animais em ‘Tá limpo!’. Ele deu várias palestras e também participou de várias comemorações do Dia de Darwin. Esse ano, César compareceu ao Catavento Cultural para participar de um talk show com o Prof Nélio Bizzo. Como sempre tudo bem descontraído e informativo. Ele sempre frisava na importância de Darwin enquanto o primeiro psicólogo evolucionista. Sua importância como divulgador é crucial e assim como todas suas outras características irá continuar inspirando gerações de pesquisadores e admiradores.

Uma de suas mais atuais metas era a de reunir etólogos eminentes da América Latina para um simpósio debatendo origens, desafios e perspectivas futuras da área, de modo a gerar um livro em conjunto sobre as experiências em cada país e a semente de uma aliança Latino-Americana de Etologia. Reuniremos esforços para realizar essa grande ideia junto a alunos e profs.

Um dos mais tocantes comentários sobre o César pra mim foi o do Prof. Fernando Ribeiro quando queria destacar uma virtude dele.

“Quem o vê hoje, e encanta-se com seu entusiasmo, conhece o mesmo César Ades de 40 anos atrás. E foi esse entusiasmo que escolhi, a fim de destacar uma de suas virtudes, ao cumprimentá-lo, na ocasião de sua indicação para o Instituto de Estudos Avançados, quando disse a ele: Fui percorrendo suas marcas, a inteligência, a erudição, o caráter… mas como me impus uma escolha, fiquei com o entusiasmo, sem o qual a inteligência não se acende, a erudição não se atinge, o caráter não se transmite. Sim, porque César Ades é, e sempre foi, um professor. Sua extroversão e a expressividade com que se comunica constituem sua face visível”

Fique agora com os dois vídeos de uma entrevista de César Ades concedida ao programa Trajetória da TV USP em 2011 e com o vídeo mais recente do César Ades no Dia de Darwin. Assim um pouco dele e seu entusiasmo sempre viverá em nós de modo a podermos contagiar toda uma outra geração com suas idéias e atitudes.


Dia de Darwin 2012

Fim do Mundo na Cabeça

O fim do mundo não foi inventado pelos Maias, Astecas, Profetas ou cometas. Ele sempre existiu e mora dentro de nossas mentes. Trata-se da manifestação mais genuína de nosso pluralismo de estratégias comportamentais contingentes à disponibilidade de fatores sócio-ambientais. Explico, dá-se mais valor imediato para o recurso mais raro, nossa mente está sempre alerta à disponibilidade de recursos, logo se falta o amanhã todo recurso estocado deve ser consumido agora. E tem-se a euforia do último dia.

Quanto mais pessoas acharem que o mundo vai acabar dessa vez, mais óbvio ele passa a ser e mais pistas se tem para ajustar a estratégia de alocação de recursos imediatista. Então, sendo assim a questão não passa mais a ser quando ou como o mundo vai acabar, mais sim quais conseqüências o fim do mundo trará. Todo fim do mundo, como sempre, levanta questões: reprodutivas, competitivas, paliativas e contemplativas. Basicamente o eixo condutor é o do dilema entre estratégias ‘rápido e rasteiro’ e ‘calmo e certeiro’. Seres vivos que se reproduzem cedo, vivem pouco e tem prole grande devotando pouco cuidado parental são estrategistas r de ‘rápidos’, enquanto aqueles que tardam a se reproduzir, vivem muito, tem prole pouco numerosa e devotam muito cuidado parental são os estrategistas k de ‘kalmos’.

Nós humanos só tememos o fim do mundo porque temos medo da morte. A morte só surgiu quando do aparecimento do sexo, pois seres de reprodução assexuada não morrem nunca. Logo, um fim do mundo sem sexo é a morte só pra quem se reproduz sexuadamente. Muitos seres vivos na hora H dos finalmentes, ao final da ‘saideira’ da vida só pensam e fazem uma coisa, sexo. No final do mundo para os salmões a palavra de ordem é ficar vermelhão e se acasalar. Alguns insetos já fecundados só pensam em botar os ovos no momento da morte. Daí que percebemos que não se trata de sobrevivência dos mais adaptados, mas sim de reprodução diferencial.

A depleção de recursos é um ponto alto da histeria de massas. Sempre de um desastre natural há um frenezi pelos últimos valiosos recursos. Então temos um contexto para competição, manipulação e violência. A competitividade aparece sempre em que se investe mais em acasalar agora do que se poupar para investir na prole. É claro que a competição por parceiros e recursos não é um fim em si, mas sim um meio para alcançar melhores condições e oportunidades reprodutivas.

É claro que no fim das contas há sempre um arrependimento e uma nostalgia. No leito de morte a maioria das pessoas acha que devia ter trabalhado menos, ser e fazer aquilo que sempre quis, gostar mais e passar mais tempo com os parentes e amigos, perdoado mais as pessoas. Então, do fim surge possibilidades de releituras e recomeços alternativos. Pena que no caso da espécie humana a coisa esteja ficando tarde demais para um arrependimento e um recomeço mais sustentável.

Sabendo que somos os descendentes dos sobreviventes de 5 grandes extinções em massa, das quais boa parte da biodiversidade da Terra sumiu do mapa, podemos nos sentir com sorte. Entretanto, a sorte a posteriori é uma ilusão, assim como extraterrestres, gnomos, deuses e democracia. Mas ainda assim existe beleza em ver tanta gente ganhando dinheiro com o desespero alheio, e tudo o mais acontecendo conforme as previsões comportamentais, ao sermos tão frágeis enquanto sociedade autodestrutiva.

Então, não deixe que essa nova onda de datas do fim do mundo te acerte em cheio na sua propensão cognitiva para o imediatismo e aproveite o momento para rever seus conceitos. Vida longa ao fim do mundo.

Este post fez parte nos últimos minutos do término da blogagem coletiva, “2012: O Último Carnaval?” e espero contribua para a discussão.

Blogagem coletiva Fim do Mundo

Arquivos

Categorias

.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM