Tudo em ponta-cabeça


Nosso cérebro é maleável e consegue, com um certo treino e dedicação, adaptar às mudanças de percepção.

Com paciência conseguimos ler um texto invertido.
˙oʇxǝʇ o ɹǝʇɹǝʌuı ǝnƃǝsuoɔ oɹqǝɹéɔ nǝs O
Ou o clássico:
35T3 P3QU3N0 T3XTO 53RV3 4P3N45 P4R4 M05TR4R COMO NO554 C4B3Ç4
CONS3GU3 F4Z3R CO1545 1MPR3551ON4ANT35!

Lá pela metade do século passado o professor e pesquisador Theodor Erismann, da universidade austríaca de Innsbruck, bolou um experimento para testar a capacidade que um humano teria em viver durante alguns dias vendo tudo de ponta-cabeça.

Nada melhor do que ter um estudante ‘voluntário’ para aceitar tal desafio. Foi assim que Ivo Kohler passou a utilizar óculos especialmente adaptados com espelhos para inverter tudo o que via.

Um vídeo registrou as dificuldades inicias de Kohler. Desviar de uma cadeira, descer uma escada era impossível sem a ajuda do professor, passear pelas ruas, defender-se de ataques com uma espada(!) e até tentar tomar um chá.

Após 10 dias de experimento ele já conseguia realizar diversas atividades, até mesmo andar de bicicleta sem muita dificuldade!

Acostumar com tudo invertido significa que ao retirar os óculos o desafio será retomar a vida ao normal. Até um aperto de mãos pode ser confuso.

Além do experimento com o mundo invertido, Theodor Erismann e Ivo Kohler, testaram o resultado do uso de um óculos que invertia a esquerda e direita. Com sucesso! O voluntário, provavelmente o coitado do Kohler, “tornou-se tão à vontade em seu mundo invertido, que foi capaz de conduzir uma motocicleta por Innsbruck enquanto usava os óculos”.

Via Improbable Research.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 4 comentários

  1. Elzo disse:

    Existem desses óculos para vender? Há algum molde ou mapa de construção para que eu possa fazer meu próprio óculos?

    Grato.

  2. suely disse:

    quando ficamos com um olho iminizado por quase um mês como fiquei é muito estranho, mas depois parece que tudo se normaliza. Retiado o tampão é uma outra realidade que custa voltar ao normal.. Imagino o que ele tenha sentido..
    Abraços
    Su

  3. João Carlos disse:

    Se a memória não me trai, o paciente da experiência levou uma semana até que seu cérebro passou a enxergar as coisas de maneira “normal”. E outra semana vendo tudo “de cabeça para baixo” quando os óculos foram retirados.
    (mas ler documentos “de cabeça para baixo”, para mim é moleza)

  4. stribus disse:

    deve ser como jogar umjogo de tiro com o mouse invertido.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Arquivos

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM