Sistema Solar em escala

Um problema complicado de ser revolvido na ilustração científica é a escala. Como representar algo gigantesco ou microscópio sem causar confusão e sem adicionar uma camada indesejada de desinformação?

Ilustrações sobre o Sistema Solar são (quase) sempre deformadas em algum aspecto. O Sol aparece como uma bola amarelo-avermelhada e rodada de outras pequenas bolinhas que representam os planetas. Algo estranho.

Para dar uma ideia do quão vasto é o Sistema Solar, foi criado na Suécia uma representação usando uma escala de 1 para 20 milhões. E mesmo assim o resultado foi gigantesco! O modelo ficou quase do tamanho da própria Suécia.

O Sol está em Estocolmo, representado pela construção conhecida como Ericsson Globe, com 110 metros de diâmetro. Para continuar em escala, Mercúrio teve que ser colocado a uma distância de 2,9km do Ericsson Globe (Sol), no museu da cidade, representado por uma esfera de 25cm de diâmetro. Vênus está a 5,5 km, representado por uma esfera de 62cm de diâmetro. E a Terra? A Terra foi parar dentro do Museu de História Natura de Estocolmo, a 7,6km de onde está o Sol, com 65cm de diâmetro.

O distante Urano foi parar a 146km, na cidade de Gävle, com uma esfera de 2,6m de diâmetro no Parque Furuviks. E os saudosistas pela era em que Plutão era um planeta, verão uma esfera de apenas 12cm de raio, a 300km de onde fica a representação do Sol, na localidade de Delsbo.

Quem quiser ir aos limites do Sistema Solar, terá que percorrer 950km. E ao chegar lá não verá nada, apenas as fundações de uma futura escultura que marcará o local.

Ericsson Globe, que representa o Sol.
Representação do Sol

A Terra
representação da Terra

Veja como ficaram as posições no mapa da Suécia.

o mapa e as posições dos planetas

Pelo menos os livros tem uma boa desculpa da falta de espaço.

Mais informações sobre este Sistema Solar em pequena-grande escala, podem ser vistas em http://en.wikipedia.org/wiki/Sweden_Solar_System.

Cortando unhas no espaço

cortador de unhas
Chega de perguntas sobre o banheiro dos astronautas.
Como um habitante da estação espacial internacional corta as unhas?
As lascas de unhas cortadas não podem ficar flutuando pela estação, com risco de engasgar ou entrar no olho de alguém.

A solução é encontrar uma passagem na qual o ar da estação é constantemente aspirado e fazer todo o trabalho por ali.

As lascas ficarão na grade até o dia da faxina na estação.

NASA Gangnam Johnson Style

dancinha-da-nasa
E as paródias Gangnam Style não param de aparecer.

Desta vez é a equipe da NASA que resolve entrar no ritmo.


A letra para acompanhar.

NASA Johnson Style
Johnson Style

Welcome to NASA’s Johnson Space Center
We are coming in hot so don’t burn up as we enter
We do science everyday that affects your daily life
Throw them up for manned space flight

Science everywhere
As we engineer the marvels
That fly though the air
And take us way beyond earth’s levels

Science everywhere
Because we engineer the marvels
That fly though the air
Flys us through the air

Control the mission out of Johnson
This is ground, hey!
And this is space, hey!
Tell me Houston what’s the problem
It’s okay!
It’s okay!
Because there’s flight controllers on the job today

NASA Johnson STYLE!
Johnson STYLE!
NA, NA, NA, NA NASA Johnson STYLE!
Johnson STYLE!
NA, NA, NA, NA NASA Johnson STYLE!
EYYYYYY science daily!
NA, NA, NA, NA, NASA STYLE!
EYYYYYY it’s amazing!
NA, NA, NA, NA ey ey ey ey ey ey!!
Orbiting earth, international space station
Where we work and live in space with a crew from several nations
Got Japanese, and Russians, that European charm
Throw them up, like the Canada Arm

Kicking out research
29k cubic feet, revolves around the earth
Science microgravity, revolves around the earth
Columbus, JEM, and Destiny
Kicking out research
Kicking out research

Train the astronauts at Johnson
To go to space, hey!
To go to space, hey!
Cause the missions of tomorrow
Start today, hey!
Start today, hey!
As we engineer the future day by day

NASA Johnson STYLE!
Johnson STYLE!
NA, NA, NA, NA NASA Johnson STYLE!
Johnson STYLE!
NA, NA, NA, NA NASA Johnson STYLE!
EYYYYYY science daily!
NA, NA, NA, NA, NASA STYLE!
EYYYYYY it’s amazing!
NA, NA, NA, NA ey ey ey ey ey ey!!

Orion or SLS, MPCV
We cannot feel the floor, cause the lack gravity
The destinations are an asteroid, mars, or moon
We are blasting off start the countdown soon
[Sound clip: launch countdown]

EYYYYYY science daily!
NA, NA, NA, NA, NASA STYLE!
EYYYYYY it’s amazing!
NA, NA, NA, NA ey ey ey ey ey ey!!
NASA Johnson Style

Uma rotação da Terra


Uma animação feita com dados obtidos pelo satélite de observação Suomi NPP, mostra uma rotação completa da Terra, em como seria vista durante a noite.

O Suomi NPP está a uma distância de aproximadamente 800 km da Terra e está equipado com câmeras que detectam da luz visível ao infravermelho.

A animação do vídeo foi feita com uma composição de imagens, coletadas entre abril e outubro de 2012. Foram mais de 2,5 terabytes de dados utilizados para uma única composição de uma rotação.

Os pontos brilhantes não são resultado somente da iluminação artificial, podem ser também focos de incêndios.

Meu nome está em Marte

Em julho de 2009 participei de uma ação da Nasa para a promoção e divulgação do projeto Mars Science Laboratory (Curiosity), que dava a possibilidade de ter o nome gravado em um microchip que iria acoplado ao Curiosity.

Um total de 246 “países” participaram enviando 1246445 nomes que foram gravados em 2 chips.

O Brasil ficou em quarto lugar com 46689 nomes gravados.

http://marsparticipate.jpl.nasa.gov/msl/participate/sendyourname/worldmap/

Além dos nomes, os chips receberam a gravação do Codex sobre o Vôo dos Pássaros e um autorretrado de Leonardo da Vinci.
http://mars.jpl.nasa.gov/msl/participate/sendyournameTEMP4/

Somos a NASA


O grupo Satire fez um vídeo em ‘homenagem’ à chegada do Curiosity em Marte.

A letra:
When I EDL, time for seven minutes of flamin’ hell
Rover’s touchin’ down
everybody passin’ peanuts around, yeah
We’re at mission control, getting full use outta ev-er-y Sol (wa!)
Just 25 feet left to go
It’s Curiosity, look out below (yo)

Crane lower that rover (ah)
Crane lower that rover (ah)
Crane lower that rover (ah)

N-N-N-Now bug out!

Crane lower that rover
Crane lower that rove
Crane lower that rover

Now bug out!

Kickin’ it at my con(sole), this is what I see (okay)
Data streaming back from curiosity
I got stars on my ‘hawk
and I ain’t afraid to show it (show it, show it, show it)
We’re NASA and we know it

We’re NASA and we know it

(Yo)
When I look for ice, gotta calibrate, gotta be precise
And when I raise the mast, panoramic views are unsurpassed (wha?)
This is how I rove, baking red rocks in my nuclear stove
We headed to the peak, with my laser eye
No one to bury me when it’s time to die (ow!)

Crane lower that rover
Crane lower that rover
Crane lower that rover

Now bug out!

Crane lower that rover
Crane lower that rover
Crane lower that rover

Now bug out!

Shoutout to Carl the Sage (and) Neil Degrasse T (B.A.!)
Shoutout to JPL and the Rocker-Bogie
We’re better than SpaceX
And we ain’t afraid to show it (show it, show it, show it)
We’re NASA and we know it
We’re NASA and we know it

Via GeeksAreSexy

Do Sol ao mar profundo


Animação produzida pela NASA (Goddard Space Center) mostra como gigantescas explosões solares (ejeção de massa coronal) afetam todo o Sistema Solar.

Vênus (e Marte) tem a sua atmosfera diretamente afetada pelo vento Solar, que sem a ‘proteção’ de um campo magnético sofre uma interferência direta nos componentes gasosos da atmosfera.

A energia térmica transferida à Terra pelo Sol causa uma infinidade de fenômenos na superfície do nosso Planeta. Como em uma astronômica máquina térmica, procurando a equalização das diferenças de temperaturas. O vídeo demonstra isso pela simulação dos padrões de correntes marinhas, desde a profundeza até a superfície dos mares da Terra.

Legendas em inglês. Que podem ser traduzidas automaticamente pelo Youtube (o resultado da tradução não é dos melhores).

A animação poderia ter continuado com a explicação do surgimento do campo magnético terrestre, com analogias semelhantes às empregadas nas correntes marinhas.

O material multimídia do vídeo está disponível para uso livre, em
http://svs.gsfc.nasa.gov/vis/a010000/a011000/a011003/

Via geekosystem.

Em busca da luz

título do vídeo original

O vídeo ´Pursuit of Light´ foi criado pela equipe de mídia da NASA para mostrar toda a grandiosidade da imensa quantidade de dados e observações realizadas pela agência; além de aproveitar boa parte do potencial da nova plataforma de exibição de imagens – a Hyperwall-2.

Construída com 128 telas a Hyperwall-2 permite a visualização de dados em uma escala absurda, abastecida com um poderoso sistema computacional com 1024 processadores.

conjunto de 128 telas

Aumente o volume e assista em tela cheia.

Raios cósmicos: 100 Anos de mistério

Amanhã, dia 2 de maio 18h30, você poderá acompanhar pela internet uma palestra sobre raios cósmicos, apresentada por Ronald Shellard, cientista do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF).
Mais informações em
http://www.sbpcrj.org.br/projetosCienciaSeisMeia.shtml

A transmissão estará disponível no horário pelo link
mms://itv.cbpf.br/cienciaseisemeia

palestra sobre raios cosmicos

Cotidiano no observatório astronômico Keck


Um vídeo em time-lapse mostra a dança da equipe e dos equipamentos que mantém o funcionamento do Observatório Astronômico Keck, localizado no monte Mauna Kea, no Havai.

Keck in Motion from Andrew Cooper on Vimeo.

O laser visto aos 2min e 30 segundos servem para criar uma estrela artificial próximo ao objeto a ser observado para que o sistema de óptica adaptativa possa corrigir possíveis distorções na imagem.

Arquivos

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM