Fique com a pele Frigidine

pele bonita no passado
Um pouco de luz ‘Frigidine’ e sua pele seria renovada! Prometia uma matéria na revista Modern Mechanix, em janeiro de 1929.

De olho na (sempre) crescente demanda por novos tratamentos de beleza, a associação nacional americana de fornecedores de produtos para salões de beleza [National Beauty and Barbers Supply Dealers Association], oferecia um equipamento que emitia uma luz especial, batizada de ‘Frigidine’.

A promessa era que a luz de cor azulada seria um substituto para a massagem adstringente. Com o tratamento a pele secaria e seria facilmente removida; resultando em estimulação do crescimento de uma pele renovada.

Desconfio que a tal luz azul poderia conter comprimentos de onda na faixa do ultravioleta. Que não são nada adequados para quem quer ter uma pele saudável.

Via ModernMechanix.

Música colorida

E você pensando que aquela TV tipo Ambilight, que ilumina a parede conforme a imagem, era algo moderno e chique?!
Em 1931 a revista Science And Mechanics noticiava a produção do aparelho chamado Telecolor, uma espécie de rádio que traduzia os sons da transmissão em diferentes luzes coloridas, projetadas em uma tela ou parede.
radio colorido
O equipamento funcionava com tiratrons, uma espécie de válvula eletrônica, que filtrava os sons e ligava as lâmpadas conforme a faixa de ruído. Princípio muito semelhante ao utilizado atualmente.

Via Modern Mechanix

História em 4D

4D é só uma forma chique de dizer que o 3D inclui a ‘dimensão’ tempo.

Uma boa ferramenta de ensino é o uso de animações para contar uma história sobre um mapa. Permite uma rápida união entre geografia, história e geologia, além de possibilitar incursões em outras áreas do conhecimento humano.

O site http://www.meograph.com/ facilita a tarefa de criação destas animações. Adicionando uma camada de narração, linha do tempo, fotografias e vídeos, sobre o tradicional Google Maps (ou Earth).

Por exemplo

Projetor de livros

Matéria de 1929
Edição de agosto de 1929 apresentava a ideia de uma espécie de projetor de livros. O invento sugeria um acesso doméstico ao crescente acervo de livros e documentos que eram microfilmados e permaneciam no acervo das bibliotecas.

Com uso de projetor caseiro o usuário poderia dispor de um empréstimo de obras raras e caras, mantendo os originais bem guardados e conservados.

Um conceito que tornou-se realidade. Não na forma de um projetor de microfilmes, mas por meio dos tablets, eReader e internet que possibilitam acesso a um acervo de milhões de títulos em inglês, e alguns milhares em português.

O uso de um projetor de microfilmes não foi de todo abandonado, sendo visto como uma oportunidade de propiciar acesso a material didático em áreas remotas e com poucos recursos. Montado com um LED, uma lente retirada de um brinquedo, um rolo de microfilme com acervo de até 30 livros, o projetor batizado de Kinkajou tem um custo de aproximadamente 15 dólares; e é um sucesso entre as crianças.

Vídeo sem legendas

Via ModernMeachnix

Trator elétrico – 1952

Em 1952 foi realizada uma demonstração de um modelo de trator elétrico, no condado de Berkshire, na Inglaterra.
O problema é que a energia era fornecida por um cabo suspenso, que permitia um manejo de apenas 2 hectares.

Na mesma época a União Soviética também investiu em tentativas semelhantes.

Lenin teve a ideia de aumentar o uso da eletricidade na agricultura; e ninguém estava a fim de contrariar Lenin! Lá foram os engenheiros quebrar a cabeça para resolver os vários problemas.

Que tal utilizar uma bateria? Na época os russos abandonaram a possibilidade do uso de uma bateria por causa da grande quantidade de material que seria necessário para construir uma uma com capacidade adequada para uso em um trator.

A opção de um cabo sempre voltava para o projeto, sendo um constante incomodo em como transportar a máquina pelo campo sem prejudicar o terreno ou plantação. Além de ter que dispor de uma rede elétrica nas proximidades de todas terras agricultáveis.

Até mesmo uma brilhante ideia de Lenin teve que ser abandonada.

Veja mais sobre os tratores elétricos russos em
http://jalopnik.com/soviet-electric-tractor/

Via ModernMechanix

Policial autômato

Em 1924 na edição de maio da revista Science and Invention o escritor Hugo Gernsback anunciava as maravilhas da “rádio-telemecânica”.

A sugestão era criar uma espécie de policial robô controlado por rádio. Equipado com iluminação, alto falante, telegrafone, motor movido a gasolina, giroscópio estabilizador e pés com estira tipo lagarta.

Para dispersar tumultos o equipamento poderia contar com um tanque contendo gás lacrimogênio e mãos com discos e bolas de chumbo giratórias.

Era o Robocop da época!

autômato de 1924

Via ethel

Velas por lâmpadas


A propaganda, publicada na edição de setembro de 1914 na revista Popular Electricity And Modern Mechanics, mostra como uma lâmpada da marca Mazda National, fabricada pela General Electric, poderia ter um poder de iluminação equivalente a 56 velas; enquanto que a concorrente equivaleria a apenas 16 velas.

Esta melhora era devido principalmente à substituição dos antigos filamentos a base de carbono por modernos filamentos de tungstênio, que permaneceram dominantes até o recente auge das lâmpadas fluorescentes compactas.

A campanha era para convencer o consumidor que seria vantajoso investir em lâmpadas um pouco mais caras, a base de tungstênio, para substituir as tradicionais que iluminavam menos, duravam menos e consumiam mais energia.

Atualmente temos também a mesma fase de transição do filamento para as compactas e mais recentemente para a econômica e cara iluminação por led.

Vídeo sem legenda.

Comercial da década de 50.

Via Modern Mechanix

Identificação da escrita, em 1960

Em 1960 o laboratório de pesquisas da Bell testava um dos precursores de identificação eletrônica da escrita.

A máquina permitia apenas escrever números de zero até nove em um espaço restrito e com uma ´caneta´ especial. Além disso o operador deveria tocar um botão ´Identificador´ para visualizar o número que a máquina havia reconhecido, e depois tocar o botão ´Reset´ para inserir o próximo número.

O dispositivo da região identificadora funcionava por meio de 15 tiras metálicas horizontais que eram alternadamente ensanduichadas com um material isolante.

Via ModernMechanix

Moto hovercraft

captura do vídeo
Um hovercraft tem lá as suas utilidades. Mas esta versão individual parece mais adequada para quem quer realmente fazer um exibicionismo.
Acompanha um terno impermeável.

Um modelo moderno é vendido por 13.000 dólares.

Via Presurfer

Barbeando com raios X

A edição de abril de 1924 da revista americana Popular Mechanics publicou uma matéria sobre os supostos benefícios do uso de raios X para obter um melhor barbeado.

Os experimentos eram conduzidos por um doutor residente em Nova Iorque. Que após remover a barba com uma espécie de cera de depilação de época (special mudlike paste), realizava uma aplicação de raios X diretamente sobre a pele. Isto com a alegação que o uso regular removeria feridas e cicatrizes persistentes.

A técnica era usada em uma época que desconheciam os perigos da aplicação de raios X em excesso. E lamentavelmente o paciente poderia perder mais do que alguns fios de bigode.

Via Modernmechanix

Arquivos

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM