Bibliotecário robótico

Quando uma biblioteca ultrapassa a marca de 1 milhão de itens, o trabalho dos bibliotecários fica cada vez mais difícil. Encontrar, buscar, entregar, organizar tantos exemplares toma cada vez mais tempo e espaço.

A biblioteca da Universidade Estadual da Carolina do Norte resolveu deixar a tarefa repetitiva para um robô, e a parte que ainda precisa de um cérebro para os bibliotecários.



O bookbot organiza tudo em mais de 18.000 caixas, com cada item marcado com código de barras o sistema consegue guardar e organizar tudo em um espaço que ocupa apenas 1/9 do método tradicional.

A tecnologia não é uma novidade e já é utilizada em empresas que precisam organizar uma grande quantidade de itens em estoque.

O sistema bookbot tira a chance do usuário vagar pela biblioteca em busca de alguma surpresa interessante. Apesar disto já não ser permitido em acervos de obras raras que demandam condições controladas de armazenamento e manipulação. No entanto, ainda restam os sites que possuem sistemas de indicação de obras semelhantes e adequadas ao gosto do leitor, como a Amazon e o GoodReads.

Via Tecnologia Obsoleta

Lembra! Não vai esquecer!


Algumas das frases que mais me causam angústia:
“Não vai esquecer de… ”
“Lembre que amanhã… ”
“Lembra do que eu te disse… ”
“Onde está aquela… ”

Tenho uma péssima memória para agendar compromissos, tarefas, informações soltas e assuntos que não são do meu interesse imediato. E não adianta ter uma agenda, o problema é acompanhado de uma desorganização crônica. 🙂

Recentemente terminei a leitura do livro (esqueci o título completo, vamos ao Google… ‘memoria campeão livro’) “A arte e a ciência de memorizar tudo: memórias de um campeão de memória” Joshua Foer.

Quais as informações do livro ainda permanecem em minha memória? Várias! Mas quase todas recortadas e com sentido apenas dentro do contexto de minha mente. Informações estas dependentes de meus gostos, memórias passadas, preferências e emoções. Não adiantaria muito repassar esses pedaços no aqui neste texto; ficariam soltos, da mesma forma como que conta um sonho – cheio de emoção e sem muita graça para quem ouve.

O livro não é um manual de como treinar a memória, é o relato de um jornalista que durante um ano treinou para competir no Campeonato de Memória dos Estados Unidos – e venceu!

Uma das revelações mais importantes feitas por Joshua Foer, é que mesmo treinando exaustivamente durante um ano, e sendo um campeão de memorização, seu cérebro não atingiu nenhum nível de genialidade, apenas ficou muito bom no que treinou.

Leitura recomendada! Fiquei tão envolvido com a história que acabei esquecendo alguns compromissos. ¬¬

http://joshuafoer.com/moonwalking-with-einstein/

Projetor de livros

Matéria de 1929
Edição de agosto de 1929 apresentava a ideia de uma espécie de projetor de livros. O invento sugeria um acesso doméstico ao crescente acervo de livros e documentos que eram microfilmados e permaneciam no acervo das bibliotecas.

Com uso de projetor caseiro o usuário poderia dispor de um empréstimo de obras raras e caras, mantendo os originais bem guardados e conservados.

Um conceito que tornou-se realidade. Não na forma de um projetor de microfilmes, mas por meio dos tablets, eReader e internet que possibilitam acesso a um acervo de milhões de títulos em inglês, e alguns milhares em português.

O uso de um projetor de microfilmes não foi de todo abandonado, sendo visto como uma oportunidade de propiciar acesso a material didático em áreas remotas e com poucos recursos. Montado com um LED, uma lente retirada de um brinquedo, um rolo de microfilme com acervo de até 30 livros, o projetor batizado de Kinkajou tem um custo de aproximadamente 15 dólares; e é um sucesso entre as crianças.

Vídeo sem legendas

Via ModernMeachnix

Seleção de livros sobre química

sugestão de livros
Fiz uma seleção de alguns livros interessantes sobre química.

http://www.goodreads.com/list/show/13800.Chemistry_best_books

No momento a lista conta com 59 livros. Aceito sugestões e votação nos que já foram listados (somente possível para quem está cadastrado no GoodReads).

Optei por fazer uma seleção de obras mais amplas e que não sejam extremamente técnicas ou especificamente relacionadas ao ensino de química.

O GoodReads não tem um banco de dados muito completo para livros que foram publicados apenas em português. Se alguém tiver paciência de cadastrar os livros, seria uma boa iniciativa.

As sugestões também podem ser enviadas pelos comentários aqui no blog.

Dicas de livros pelo GoodReads

rede social para leitores
O GoodReads é mais uma das redes sociais dedicadas aos livros, e compete com serviços similares, como o LibraryThing e o Shelfari (da Amazon). Sem esquecer do brasileiro Skoob, que agrada aos que preferem ler livros em português.

O que chama a atenção no GoodReads é a força de sua comunidade – essencial em um serviço deste tipo – o bom número de avaliações e resenhas em cada livro; e o imperdível serviço de recomendação inaugurado recentemente.

O sistema de recomendação começa a funcionar bem e mostra seu poder quando o usuário registra e avalia pelo menos 20 livros já lidos. Feito isto, basta esperar algumas horas e então conferir o resultado pela opção ´Recomendations´ ( http://www.goodreads.com/recommendations ).

Também é possível encontrar boas dicas observando o item ´Readers Also Enjoyed´ presente em quase todos os livros, ou então navegando pelo sistema de listas de livros (Listopia).

OBS: Suspeito que o resultado das recomendações será melhor se você cadastrar como tendo lido a versão em inglês.

http://www.goodreads.com

Como as plantas mudaram a história da Terra

livro emerald planet
É muita coragem escrever um livro que fala sobre a influencia das plantas sobre boa parte da história do planeta Terra. David Beerling encara a tarefa e mostra como as plantas estão inseridas no conjunto atmosfera, tectonismo, efeito estufa, oceanos, vulcões, solo, fauna, movimentos da Terra (rotação, translação, precessão, …), genética, geografia, evolução, …
Cada um dos elementos tem a sua dinâmica positiva ou negativa, que pode variar com o tempo de uma maneira extremamente complicada, explicar tudo isto é o mesmo pesadelo enfrentado por quem deseja construir simulações computacionais do clima na Terra. O número de variáveis é impressionante.
Pena que não tenho um tempo geológico de vida para poder saborear tanta informação.
Alguém conhece algum livro do tipo ´História da Terra em 90 minutos´? 🙂
Livro na Amazon
http://www.amazon.com/Emerald-Planet-Plants-Changed-History/dp/0199548145/

Relógios da natureza

capa do livro nature s clock
Antes de ler o livro “Nature’s Clocks: How Scientists Measure the Age of Almost Everything” de Doug Macdougall, eu tinha uma visão relativamente superficial dos métodos de datação. Conhecia apenas alguns detalhes sobre o carbono 14, sua meia-vida e abrangência de precisão, além de insuficientes conhecimentos de outros métodos de datação.
A leitura de Nature´s Clock possibilitou conhecer a história do desenvolvimento de diversas técnicas envolvendo isótopos, especialmente C14 e urânio.
Doug Macdougall vai até as histórias de vida dos pesquisadores para buscar elementos que nortearam o rumo das pesquisas em que estavam envolvidos, mostrando que até mesmo as mais simples decisões podem afetar todo um rumo de uma área da ciência.
A citação de artigos científicos foi feita de forma exemplar, demonstrando a necessidade dos mesmos para dar suporte ao que é descrito pelo autor, mas isto sem cair em preciosismos massantes que tal escolha possa acarretar, afastando leitores que estão inicialmente interessados no aspecto geral destas histórias.
É um livro de leitura fácil e excelente. Gostei do tema e estou garimpando outras obras deste mesmo estilo.
Mais informações na Amazon
http://www.amazon.com/Natures-Clocks-Scientists-Measure-Everything/dp/0520261615/

Darwin em um castelo no Brasil

Semana passada fui visitar o belo castelo construído entre os anos 1909 e 1913, no município de Pedras Altas (RS), pelo embaixador Joaquim Francisco de Assis Brasil.
O castelo tem uma biblioteca repleta de livros interessantes e em várias áreas do conhecimento. A herdeira conta que Assis Brasil desejava mostrar que era possível unir a lida no campo com o conhecimento.
Não tive muito tempo para ver o títulos de muitos livros, mas chamou a atenção a grande coleção de livros do Darwin!
coleção de obras antigas de Darwin
A biblioteca não foi adequadamente catalogada e talvez existam algumas obras raras no acervo!
externa do castelo
O local está precisando urgente de verbas para conservação e manutenção do castelo . Mesmo com todo o empenho da herdeira, a tarefa de captação de recursos ainda não obteve êxito.
As visitas ao castelo só podem ser feitas com agendamento pelo telefone (53) 3613-0099.
Mais fotos (clique na imagem)

Castelo Pedras Altas (público)

Criação imperfeita – Marcelo Gleiser

capa do livro criação imperfeita
Mais um ´terminei de ler´.
Estou tentando aumentar o ritmo das minhas leituras, diminuir a pilha de livros e ter uma desculpa para continuar com minha compulsiva compra de livros e revistas. 🙂
No livro ´Criação Imperfeita´ Marcelo Gleiser parece um pouco mais corajoso em defender os próprios argumentos, superando a sensação que eu tinha que ele sempre queria agradar a todos e não ferir nenhuma convicção.
Com uma sequência de questionamentos bem cadenciados, Gleiser argumenta que a teimosia em colocar a simetria e perfeição em diversas teorias científicas (principalmente na física) poderia resultar em conclusões forçadas e no desprezo de dados interessantes, simplesmente por não serem ´belos e simétricos´.
Gleiser alega que talvez a culpa por esta busca centrada na beleza e na simetria poderia ser a cultura baseada no monoteísmo, mas não faz disto um centro de defesa do ateísmo.
Gostei e recomendo.
“Sabemos aquilo que podemos medir” Marcelo Gleiser

Os homens do fim do mundo

capa do livro de Peter D. Smith
Terminei de ler o livro “Os homens do fim do mundo: O verdadeiro Dr. Fantástico e o sonho da arma total“.
É um livro excelente, e a todo tempo lembrava dos textos do Kentaro Mori por causa do agradável hábito de realizar várias correlações.
Fritz Haber, químico alemão, um exemplo de complexidade em suas conquistas, defendia e trabalhava arduamente em projetos de armas químicas, mas também foi um dos responsáveis pelo aprimoramento da síntese da amônia, amplamente utilizada em fertilizantes e em explosivos.
Não é um livro apocalíptico mas é bastante sombrio, por lembrarmos que existem pesquisadores que estão dispostos a aceitar qualquer desafio que conduza ao domínio de armas cada vez mais mortais. Mesmo quando pareciam ter obtido a arma definitiva, a sede pelo poder e conhecimento sem limite, os conduzia ainda mais longe nos domínios da morte.
http://www.livrariacultura.com.br/scripts/cultura/resenha/resenha.asp?nitem=2595424

Arquivos

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM