Cerveja dourada

folhas de ouro flutuando dentro de uma garrafa de cerveja
Uma cervejaria da República Checa recentemente lançou um ‘tipo especial’ de cerveja que contém uma pequena quantidade de ouro – bem pequena! – apenas 0,018 gramas do elemento. O suficiente para justificar o marketing sobre o produto (que funciona, estou falando sobre), e para brilhar aos olhos dos aficionados pelo dourado da bebida.

A indústria optou por colocar finas lâminas de ouro na cerveja. Se fosse ouro em nanopartículas poderia ter o problema do surgimento de uma coloração diferente do lendário dourado; que dependeria da concentração, tamanho (de 5 a 400nm) e forma das nanopartículas. A sorte é que com apenas 0,018 gramas é possível obter uma bela folha do metal, graças a sua extrema maleabilidade.

Nanopartículas de ouro em uma suspensão líquida podem resultar em diversas cores, indo do vermelho intenso ao roxo pálido.

cores do ouro em solução
Esta imagem da Wikipedia ilustra a variação da coloração em relação ao tamanho relativo das nanopartículas.

O sabor não será alterado pelas folhas de ouro, que são insípidas. Já no caso das nanopartículas não se sabe. Ainda não encontraram uma forma ardilosa de justificar um projeto de pesquisa que envolva ouro e cerveja. (e depois repetir com aquele copo)

(vídeo sem legendas em português)

A tiragem especial de apenas 500 garrafas foi batizada de ‘Re’ (ou Ra) em homenagem deus do Sol no Antigo Egito, e disponível apenas para um número seleto de apreciadores.

Nanopartículas com Champagne

O pesquisador Ed Lester prometia abrir um champagne se conseguisse um bom resultado na produção de nanopartículas de óxido de ferro em grande escala.
Se o líquido sair laranja não teremos champagne, mas se o resultado for um líquido vermelho a equipe vai ter o prazer do brinde.

Vermelho! Um brinde!
Ed Lester conduz pesquisas na produção de nanopartículas metálicas em meio de água em estado supercrítico. Este estado é obtido quando a temperatura está acima de 647 K ( 374 oC) e mais de 217 atmosferas de pressão.
A água em estado supercrítico propicia um meio interessante para produção de certos tipos de nanopartículas.

Synthesis of Nanoparticles in Supercritical Water
http://www.nottingham.ac.uk/supercritical/beta/nanoparticles.html
Acho que vou pedir uma vaga para trabalhar com a equipe. Eles tem um ´frigobar Stella Artois´!

Mensagem em um fio de cabelo

´Grave sua marca em um fio de cabelo
Poderia ser mais uma daquelas chamadas encontradas em alguns folhetos. Não tem uma utilidade imediata gravar uma imagem em um cabelo, mas serve como demonstração de conceito. Como todas aquelas ´nano bobagens´ que colecionei lá no site Humor na ciência.
gravação em fio de cabelo nanotecnologia
A imagem acima foi criada pelo Center for Nanointegration Duisburg-Essen, por meio a técnica de ´focused ion beam´ (feixe de íons focados). Nesta técnica um feixe de íons de gálio ou irídio pode escavar a superfície de um material em um padrão desejado, sendo útil para micro ou nanomanufatura.
Com a técnica de NPVE (NanoPatterning and Visualization Engine) é possível acompanhar em tempo real, por meio de SEM (scanning electron microscope) este processo de gravação em pequena escala.
Vídeo em tempo real

Via FreshPhotons

Nano-agricultura para tomates

Quer fazer sucesso? Seja o pioneiro em alguma área da nanotecnologia e rapidamente use novos termos para denominar o que encontrou, não esquecendo de começar com ´nano´.
Esta é a tentativa feita pelo artigo:
ResearchBlogging.org
Khodakovskaya, M., Dervishi, E., Mahmood, M., Xu, Y., Li, Z., Watanabe, F., & Biris, A. (2009). Carbon Nanotubes Are Able To Penetrate Plant Seed Coat and Dramatically Affect Seed Germination and Plant Growth ACS Nano DOI: 10.1021/nn900887m
Já saem disparando que estão na onda da nano-agricultura. É provável que não sejam eles os pais do termo, mas usam como se estivessem entre os desbravadores.
O artigo impressiona por apresentar uma bela foto de uma comparação entre tomates plantados em um meio sem e com (10 ug/ml e 40ug/ml) nanotubos de carbono.
tomates cultivados nanotubos carbono
É visualmente claro que a presença dos nanotubos de carbono ajudaram no desenvolvimento dos tomateiros.
E aqui entra a tradicional ideia que é útil neste tipo de situação: “Alegações extraordinárias exigem evidências extraordinárias” Carl Sagan
Verifiquei o artigo e não encontrei indícios claros de existir repetições criteriosas feitas para garantir a veracidade do efeito da adição de nanotubos de carbono. No final do artigo os autores se protegem de críticas alegando que o efeito pode variar conforme as condições experimentais. Deixaram aberta uma porta para usar a defesa: “mas vocês não fizeram exatamente como nós”.
A justificativa para o sucesso dos nanotubos foi a de que eles poderiam agir como facilitadores do transporte de água para dentro da semente, apressando assim o processo de germinação e crescimento da planta. Mas sem dar detalhes de como isto poderia ocorrer.
Na Figura 5C do artigo, os autores tentam mostrar a presença de nanotubos de carbono nas raízes de uma muda de tomate de 25 dias.
nanotubo-raiz tomateiro
Eu não consigo ver nenhum nanotubo, alguém consegue?
Enviei ontem um e-mail para a equipe de pesquisadores e estou aguardando as informações sobre possíveis repetições e demais condições de controle eventualmente utilizadas e não detalhadas no artigo. Vamos aguardar a resposta.

Concurso – O que é nano?

O que é nano?
Participe de um concurso para explicar o que é a nanotecnologia. Envie um vídeo de até 3 minutos sobre o que é nanotecnologia e concorra a 500 dólares em dinheiro.
http://www.acsnanotation.org/whatisnano
Serão julgadas a criatividade, clareza científica, originalidade e qualidade do vídeo
Quem já está no páreo…



Via Central Science

Arquivos

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM