entre aspas: Carl Sagan

estou lendo o livro “o mundo assombrado pelos demônios”, do carl sagan, depois de algumas tentativas frustradas no passado. Acho que ainda não era a hora e agora estou lendo e adorando o livro. uma das coisas interessantes da experiência de leitura foi poder ver as alterações dos trechos iniciais que achei que deveriam ser marcados… não é o momento ainda de falar dessas citações, mas tem uma que não podia deixar de citar aqui:

20140620-185004-67804457.jpg

ele faz essa citação no final do capítulo 7, após passar alguns capítulos questionando as descrições de encontros com alienígenas e seres de outras dimensões/divinos.

e é um ótimo momento pra relembrar um post antigo aqui do blog: maravilhas microbianas


Você pode curtir a nossa página no Facebook e ou nos seguir no Twitter. Você ainda pode receber nossas atualizações no seu email!

entre aspas: Marcelo Gleiser

gleiser

“Essa história de que ciência é coisa de nerd é besteira, ciência é legal e pra todos, basta ter interesse em aprender.” 

“Não use Deus para acobertar sua ignorância… se quer acreditar nEle, tudo bem, mas acredite por outros motivos”

O  físico Marcelo Gleiser ministrou uma palestra hoje na Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Eu não estive lá, mas a Marcinha, minha amiga estava, e registrou essas duas frases que ele disse durante a paletra.

Mas só pode ser um milagre, Mr. Feynman!

Acabei de ler, no último sábado, o livro “A magia da realidade”, cujo autor, Richard Dawkins, biólogo, é muito famoso por seu movimento ateísta e sua tentativa de divulgar a evolução. No ultimo capítulo “O que é um milagre?”, Dawkins apresenta para seus leitores a Lei de Hume que (como disse nas minhas impressões do “Livro dos Milagres“) pressupõe que as explicações para um milagre devem ser mais convincentes do que qualquer outra explicação racional/natural – inclusive a de o milagre ser, na verdade, uma fraude.

Reproduzo abaixo um trechinho bem curioso do livro, no qual o físco Richard Feynman se deparou com uma situação cuja primeira coisa que muitos devem ter pensado ao ficarem sabendo do ocorrido seria: Mas só pode ser um milagre, Mr. Feynman!

Às vezes podemos identificar com precisão a causa de uma coincidência estranha. Um grande cientista americano chamado Richard Feynman perdeu tragicamente a muher, que morreu de câncer, e o relógio no quarto dela parou bem no momento da morte. Frio na espinha! Mas o doutor Feynman não era considerado um grande cientista à toa. Ele foi averiguar e descobriu a verdadeira explicação. O relógio estava com defeito. Se o inclinassem, ele parava. Quando a sra. Feynman morreu, a enfermeira precisou saber a hora da morte para informar no atestado de óbito. O quarto do hospital estava escuro, por isso ela pegou o relógio e o inclinou na direção da janela para enxergar o mostrador. Foi nesse momento que o relógio parou. Nada de milagre, apenas um mecanismo defeituoso. 

.

O livro “A magia da realidade” é um livro voltado para o público infantil/juvenil/adolescente – desculpa, mas eu não sei como classificá-lo. Apesar de ter gostado muito do livro, não vou fazer uma resenha. Deixo aqui duas sugestões: a primeira foi publicada no blog Meia Palavra e a segunda é o jornalista Carlos Orsi, no Amálgama.

Se você quiser dar aquela espiadinha nas primeiras páginas do livro, a editora Companhia das Letras disponibilizou um pdf em seu site. Para lê-lo, é só clicar AQUI.

Para mais informações, clique na capa do livro. =)

Dawkins R. A Magia da Realidade. Companhia das Letras: 2012

3° PRÊMIO BÊ NEVIANI

Porque, dois anos depois… o Brasil é o 2º país onde mais cresce o número de usuários do Twitter;
Porque, dois anos depois… o português é a 3ª língua mais falada no Twitter;
Porque, dois anos depois… o Twitter continua um excelente meio de disseminação e compartilhamento de conteúdo;

Vamos REPETIR a dose!

Hoje, 21 de abril de 2012, relançamos o

3° PRÊMIO BÊ NEVIANI

Porque não basta divulgar, tem que dispersar!

O reconhecimento da ação dos tuiteiros em espalhar conteúdos pela rede virtual, promovendo a divulgação de ciência, cultura, tecnologia, notícias e muito mais, é o objetivo maior do Prêmio Bê Neviani, lançado em 2010 para homenagear uma tuiteira que é considerada uma incrível dispersadora no serviço de microblogging, além de ser muito querida: Helena Bê Neviani.

A primeira edição do Prêmio Bê Neviani foi um sucesso!
A segunda edição também!
E agora, a 3ª edição! PARTICIPE!

Regras:

– Qualquer tuiteiro pode participar. Basta tuitar um link para uma postagem que achou interessante e/ou informativa. A única exigência é colocar a tag #PremioBeNeviani3, e também, opcionalmente, #twitciencia ou #twitcultura – a que achar mais adequada para o conteúdo de seu tuíte.

– Todos os tuítes dos dias 21 e 22 de abril de 2012, com a tag #PremioBeNeviani3 e opcionalmente com a as tags #twitciencia ou #twitcultura estarão concorrendo.

– O monitoramento dos tuítes se encerrará às 18 horas do dia 22 de abril de 2012, domingo. Às 22hs será anunciado o ganhador, no Twitter.
– A apuração do ganhador será por sorteio simples, e serão premiados:

  1. o tuiteiro que tuitou ou deu RT a um post, colocando a tag do #PremioBeNeviani3
  2. o blogueiro do post tuitado.

Tuiteiro e blogueiro poderão escolher, como prêmio, um dos seguintes livros:

  • Autoria e Plágio”, de Marcelo Krokoscz (Atlas, 2012)
  • Diálogos entre Ciência e Divulgação Científica: leituras contemporâneas”, organizado por Cristiane Porto, Antonio Brotas e Simone Bortoliero (EDUFBA, 2011)
  • Estatística sem Dor”, de Gilson Volpato – @GilsonVolpato e Rodrigo Barreto – [email protected] (Best Writing, 2011)
  • Jardim Botânico de São Paulo”, com texto de Maria Guimarães – @mariaguimaraes e fotos de Juan Esteves (Terceiro Nome, 2012)

Após a apuração, entraremos em contato com os ganhadores para verificar sua opção e obter o endereço de envio do prêmio.

PARTICIPE! Faça como @Be_Neviani: disperse! Comece a tuitar, e boa sorte!

Quer saber mais sobre Bê Neviani? Acesse seu perfil, por @rmtakata, no blog Never Asked Questions, clicando AQUI

Pelo terceiro ano consecutivo, o “Meio de Cultura” é o blog que responsável pela postagem da chamada do Prêmio Bê Neviani. Como das vezes anteriores faço isso com muita honra pois realmente acho a Bê merecedora desta homenagem. Nesses 3 anos, o Prêmio Bê Neviani tem sido monitorado pelo Sérgio Salustiano, a quem somos muito gratos!


atualização 22/04/2012, 22h22

INFORMAÇÕES GERAIS

A 1ª edição do #PremioBeNeviani, em 2010, teve 1742 participações, em 15 dias.

A 2ª edição do #PremioBeNeviani, em 2011, teve 971 participações, em 3 dias.

Essa 3ª edição do #PremioBeNeviani teve 843 participações (em tuítes e RTs), geradas por 135 tuiteiros, em 2 dias! Lembremos que ontem foi feriado, e hoje é domingo, com jogo do Corínthians! E #twitciencia e #twitcultura é um nicho específico. Portanto, considerando tudo, o #PremioBeNeviani3 foi um SUCESSO!!!

VENCEDORES DO #PrêmioBeNeviani3

Metodologia do sorteio: todos os tuítes e RTs foram monitorados e listados. E convertidos no formato.txt, inseridos no random.org

Os grandes vencedores do #PremioBeNeviani3 foram: @hsegundo, que tuitou o Hypercubic! >> tweet

Print da listagem aleatória gerada pelo http://www.random.org >> imagem 

Conselho a um jovem cientista


“Não posso dar a nenhum cientista de qualquer idade melhor conselho do que este: a intensidade da convicção de que uma hipótese é verdadeira não tem nenhuma relação com se é ou não verdadeira”

(Peter Medawar, 1979, em seu livro “Advice to a Young Scientist“)

Peter Brian Medawar nasceu em 28 de fevereiro de 1915, no Rio de Janeiro. Falecido em 2 de outubro de 1987, o biólogo foi vencedor do prêmio Nobel de Fisiologia e Medicina em 1960 (em conjunto com Frank Burnet) pela descoberta da tolerância imunológica adquirida.

Saiba mais no site oficial do Prêmio Nobel

 

 


Fique atualizado com os novos posts do Meio de Cultura!! Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter. Você também pode receber nossas atualizações diretamente no seu email!

Anunciaram e garantiram que o mundo ia se acabar…

Antes de qualquer coisa, clique no play e leia esse post escutando essa música de Assis Valente, que fez muito sucesso na voz de Carmen Miranda, mas aqui, eu coloquei a versão de Adriana Calcanhotto *.*

Sim, meus caros, fizeram isso… Anunciaram e garantiram que o mundo ia se acabar!

Tudo bem que isso não é novidade e já aconteceu outras vezes. Mas e se desta vez for verdade? E se esse for nosso último ano? E SE ESSE FOR O SEU ÚLTIMO CARNAVAL???

Você já parou para pensar nisso? Não!?!? Pois o SbBr pensou, e por isso está lançando sua (última?) blogagem coletiva.

Se você tem um blog, participe! Você tem uma semana para escrever seu post! – Mais detalhes sobre o evento você encontra no blog Raio-X.

Se você não tem um blog, não deixe de acompanhar os textos!

Anote aí: A última blogagem coletiva do SbBr, vai ao ar do dia 11-18 de feveiro.

(sim, uma semana antes do carnaval!)

Minhas Impressões: “O livro dos milagres”

Resenha ou não, prefiro chamar esses meus texto de “minhas impressões”… E hoje, vou falar um pouquinho do livro-reportagem que acabei de ler: “O livro dos milagres: a ciência por trás das curas pela fé, das relíquias sagradas e dos exorcismos“, de Carlos Orsi, publicado pela editora Vieira & Lent.

Vou, de cara, falar rapidamente sobre a estrutura do livro. A capa não tem nada a não ser uma vela em um ambiente escuro… Essa imagem faz alusão tanto ao livro de Carl Sagan: “O mundo assombrado pelos demônios – a ciência vista como uma vela no escuro”, como à fragilidade desses milagres, que com um pequeno sopro de ciência e pensamento crítico pode se apagar. O título do livro só está impresso na lombada e na quarta capa! – bem diferente do que estamos acostumados, né? Eu, particularmente, gostei bastante dessa capa. O texto é dividido em duas colunas. É um tanto estranho no inicio [várias vezes eu pulei do final da primeira coluna da página da esquerda para o inicio da primeira coluna da página da direita], mas depois a gente vai se acostumando. Fiquei pensando se essa diagramação seria uma alusão à bíblia… O livro é curtinho, tem apenas 144 páginas e as letras são grandes, o que permite uma leitura rápida e agradável, sem contudo ser superficial.

Não conhecia o trabalho do autor, o jornalista Carlos Orsi (twitter / blog), e tomei conhecimento sobre o livro por meio do Twitter. À medida em que via o nome pipocando na minha timeline fui ficando curioso e adicionei o livro aos meus desejados no Skoob. Até que no dia 06 de janeiro, chegando em casa dei de cara com um tweet-promoção do Takata, valendo um exemplar do livro: “Se a contaminação por bactérias fosse a responsável pela idade mais nova do Santo Sudário, qtas delas seriam necessárias?” Mais que depressa procurei algumas pistas para tentar responder a essa pergunta… 5 dias depois, estava de posse do meu exemplar autografado:

Carlos já começa seu livro de forma provocativa. A introdução, logo de início, já despeja os mitos que serão discutidos no livro e deixa bem claro o objetivo do autor ao escrever e publicar seu texto: “facilitar o acesso do público às conclusões científicas acerca dos eventos tidos como milagrosos – explicando-os e contextualizando-os”.

Em seguida, Orsi utiliza da definição do dicionário Houaiss para questionar quão vago é o conceito de “milagre” – que, em várias acepções requer que a ciência seja algo fixo e do qual devemos ter pleno conhecimento, afinal o milagre traspões a barreira das leis naturais. E cita a lei de Hume que pressupõe que as explicações para um milagre devem ser mais convincentes do que qualquer outra explicação racional/natural – inclusive a de o milagre ser, na verdade, uma fraude. É a partir daí que seguem os capítulos que exploram diferentes “milagres”.

No início achei que seria um texto enfadonho, bem chato de ler. Mas fui me surpreendendo durante a leitura que é bastante fluida. O autor apodera-se de diferentes fontes, para mostrar que aqueles milagres cujas explicações transcendem as leis naturais, na verdade tem explicações muito plausíveis e suportadas pelo conhecimento científico. Além disso, para os não conhecedores do eventos descritos no livro, o autor tem o cuidado de contextualizar historicamente e biblicamente (quando o caso) o milagre analisado.

Cito abaixo, alguns rápidos pontos que me chamaram a atenção durante a leitura:

No capítulo sobre a abertura do Mar Vermelho por Moisés, Orsi questiona, por exemplo, a única referência da existência dos hebreus no território egípcio ser a bíblia. Se realmente aconteceu tudo aquilo (as pragas, a abertura o mar vermelho, a morte do exército egípcio pelo fechamento do mar), porque não há nenhum outro registro sobre isso, nem mesmo entre os textos egípcios?

Há algum tempo li uma frase em que o autor falava que todas as histórias que se contam hoje e que se contarão no futuro são reinvenções/variações de histórias que já existem… Essa ideia retomada de mitos já existentes aparece muito no livro. Exemplos? Um rei manda matar crianças por causa de profecia; uma mãe para não sacrificar seu filho, abandona-o e este sobrevive, retornando mais tarde para dar vasão à profecia inicial. Outro exemplo? O filho que nasceu de um deus e uma mulher terrena.

Quadros de epilepsia e enxaqueca estariam ligados a visões e êxtase religiosos, como o de Maomé e do apóstolo Paulo.

A maior crítica que esse livro faz, parece-me estar relacionada não simplesmente aos milagres em si, mas à crença cega a essas, ditas, verdades inquestionáveis. Assim, um leitor religioso, não deveria encarar esse livro como um rompimento de sua fé. A religião como apoio, palavras de conforto, momentos de reflexão e valores morais ainda continua tendo seu valor… e pode servir de pilar para muitas pessoas. O que não se deve fazer é apoiar a fé em milagres, que como Orsi demonstra muito bem nesse livro, parecem não serem tão milagrosos assim!

Mas como assim “parecem”? Hoje mais cedo, enquanto conversava com uma amiga sobre esse livro, levantamos essa questão. Tirando alguns casos bem explícitos no livro (o Santo Sudário é o que ganha maior destaque) onde se mostra que há realmente fraude ou uma explicação real para o milagre, os demais milagres, por diversas limitações, como por exemplo o fato de os envolvidos estarem mortos, restringem-se a tentativas de explicações baseadas no conhecimento científico que dispomos hoje. O próprio Orsi reconhece essa limitação na conclusão do texto – por outro lado, isso por si só não reduz a importância desse livro.

Talvez esteja na hora de você também vestir a carapuça de São Tomé…

Interessou? Para adquirir o livro com 20% de desconto e frete gratis é só clicar no banner abaixo!

Gostei tanto do livro e da temática, que assim que terminei este, já emendei o livro: “Por que as pessoas acreditam em coisas estranhas” – que já foi resenhado pelo Igor no blog 42, e pelo Kentaro no Ceticismo Aberto. Confere lá! [Ah, só um alerta: a promoção no blog do Kentaro já acabou ;) ]

Transcrição – Dispersando (entrevista com Vitor Pamplona)

Mais um podcast transcrito pelo Anderson Arndt e revisado por mim…

Mais um episódio extra. Desta vez, nosso colega Atila Iamarino (Rainha Vermelha) conduz uma entrevista com Vitor Pamplona, doutorando da UFRGS em passagem pelo Instituto de Tecnologia de Massachussets, onde ajudou a desenvolver um exame de vista que pode ser feito usando-se apenas pouco mais que um smartphone.

Uma conversa bastante interessante, que passa por pontos além de simples tecnologia, ressaltando as diferenças entre a realização de pesquisa científica aqui e lá fora, ajudando a mostrar um mundo que nem todos conhecemos.

Acesse o site do podcast e baixe o arquivo de áudio clicando AQUI!

O resultado da transcrição, você vê aqui – e agora!

>>>>>>>>>> Baixe o Dispersando – Entrevista com Vitor Pamplona em PDF. 

Atualização: inserido o nome correto do dispositivo (“Shack-Hartmann Wavefront Sensor”) na página 6. Obrigado ao Vitor Pamplona pela ajuda!

2° PRÊMIO BÊ NEVIANI

Um ano depois… Repetindo o sucesso!

Hoje, dia 22 de abril de 2011, é o relançamento do

Prêmio Bê Neviani

Porque não basta divulgar, tem que dispersar!

Passado um ano, o Twitter continua mostrando-se uma excelente ferramenta para dispersar conteúdos relevantes, informativos e interessantes, e o reconhecimento da  ação dos tuiteiros em espalhar esses conteúdos pela rede virtual, promovendo a divulgação de ciência, cultura, tecnologia, notícias e muito mais, é o objetivo maior do  Prêmio Bê Neviani, lançado em 2010 para homenagear uma tuiteira que é considerada uma incrível dispersadora no serviço de microblogging, além de ser muito querida: Helena Bê Neviani.

A primeira edição do Prêmio Bê Neviani foi um sucesso! Tivemos a participação de 66 blogueiros-tuiteiros, de 73 diferentes blogs. Foram tuitados 258 posts durante o período de apuração, de 15 dias. No total, foram 1742 tuítes e RTs (retuítes) com a tag #PremioBeNeviani, dos quais 985 válidos para a disputa!

O texto de lançamento da primeira edição do prêmio foi publicado há exatamente um ano,  espelhado simultaneamente por 13 blogs participantes:

100nexos, do @kenmori http://bit.ly/bF1WMF

Chapéu, Chicote e Carbono 14, do @reinaldojlopes http://bit.ly/hNtwt5

Ciência na Mídia @ciencianamidia  da Tati Nahas http://bit.ly/bepXCR

Ecce Medicus, do @Karl_Ecce_Med  http://bit.ly/8XB8Mp

Maquiagem Baratinha, da @AninhaArantes http://bit.ly/boC9ZR

Meio de Cultura, do @samir_elian http://bit.ly/d1dZcW

Minha Literatura Agora, do @jamespenido http://bit.ly/aMT5IT

O Amigo de Wigner, do @LFelipeB http://bit.ly/apm1hT

Química Viva, do @quiprona: http://bit.ly/grWIFH

Quiprona, também do @quiprona http://bit.ly/f40XIb

Rabiscos, do @skrol http://bit.ly/dhkwnR

Tage des Glücks, da @nataliadorr http://bit.ly/dxlqbJ

Uma Malla pelo Mundo, da @luciamalla http://bit.ly/ieIHfj

O grande vencedor na categoria Blogueiro foi o Blog Ceticismo Aberto, do @kenmori. Veja a postagem sobre essa vitória: “CeticismoAberto ganha o Prêmio Bê Neviani”.

E na categoria Tuiteiro que deu RT, ganhou a @AndrasDix.

Essa segunda edição do Prêmio Bê Neviani segue novas regras:

– Qualquer tuiteiro pode participar. Basta tuitar um link para uma postagem que achou interessante e/ou informativa. A única exigência é colocar a tag #PremioBeNeviani2, e também, opcionalmente, #twitciência ou #twitcultura – a que achar mais adequada para o conteúdo de seu tuíte.

– Todos os tuítes dos dias 22, 23 e 24 de abril de 2011, com a tag #PremioBeNeviani2 e opcionalmente com a as tags #twitciencia ou #twitcultura estarão concorrendo.

– O monitoramento dos tuítes se encerrará às 18 horas do dia 24 de abril de 2011, domingo. Às 20hs será anunciado o ganhador.

– A apuração do ganhador será por sorteio simples, e serão premiados:

a- o tuiteiro que tuitou ou deu RT a um post, colocando a tag do #PremioBeNeviani2

b- o blogueiro do post tuitado.

Tuiteiro e blogueiro poderão escolher, como prêmio, um dos seguintes livros:

Além de Darwin“, do @reinaldojlopes

Machado de Assis: a loucura e as leis“, do @danielmbarros

Piadas Nerds“, do @piadasnerds

Após a apuração, entraremos em contato com os ganhadores para verificar sua opção e obter o endereço de envio do prêmio.

PARTICIPE! Faça como @Be_Neviani: disperse! Comece a tuitar, e boa sorte!

Quer saber mais sobre Bê Neviani? Acesse seu perfil, por @rmtakata, no blog Never Asked Questions, clicando AQUI

*ATUALIZAÇÃO: dia 22/04 – 13h07, adicionado o algarismo 2, nas tags #PremioBeNeviani2, que estavam sem o mesmo.

*ATUALIZAÇÃO: dia 24/04 – 21h18, RESULTADO DO 2° PRÊMIO BÊ NEVIANI

a. A edição 1 desse prêmio teve 1742 participações, em 15 dias. Essa edição 2 teve 971, em 3 dias! ( http://bit.ly/fwkeTd )

b. A metodologia do sorteio: os tutes e RTs monitorados foram listados e convertidos no formato.txt, para serem inseridos no random.org. ( http://bit.ly/hPjzWz )

c. O ganhador do #PremioBeNeviani2 é o @araujo_jc, que deu RT a @dulcidio! => http://migre.me/4kRlH ( http://bit.ly/h9JjOD )

Transcrição – Dispersando (Ep.4 – Cinema)

Mais um episódio do Dispersando, o podcast do Science Blogs Brasil!

Ultimamente a equipe está com alguns empecilhos: a Ana se afogando em gráficos do doutorado… O Felipe, prof. da UFMG, cheio de aulas, provas e pesquisas a fazer… Eu com meus estudos pro mestrado e as aulas que leciono na EJA…

Assim, esse episódio foi trasncrito INTEIRAMENTE pelo Anderson! – o que, meus caros não significa que ele seja um a toa, mas talvez que seja o único que sabe organizar produtivamente o seu tempo – rs. Eu fiquei responsável apenas pela correção da transcrição que está aqui mais abaixo.

Nesse episódio, que tem quase 1h30 de áudio, os apresentadores discutem, com um convidado especial, sobre Ciência e Cinema.

O resultado da transcrição, você vê aqui – e agora!

>>>>>>>>>> Baixe o Dispersando – Ep. 04 – Cinema em PDF.

.

Acesse o áudio original AQUI.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM