Especial – Conspirações do 11 de Setembro – WTC

 

No ultimo artigo da Série Especial sobre as Conspirações envolvendo os Atentados de 11 de Setembro, vamos tratar do mais impressionante acontecimento daquela Terça.

Milhares de pessoas ao redor do mundo assistiram ao vivo o choque do segundo avião, e a queda das torres.

Deixamos o no plane de lado, e vamos analisar as principais alegações conspiracionistas.

Todo o raciocínio de conspiração está baseado na ideia de que as Torres foram implodidas, e que o choque não dos aviões, e suas consequências, não seriam suficientes para derrubá-las.

O NIST (The National Institute of Standards and Technology) realizou um aprofundado estudo sobre as causas do desabamento dos três prédios do complexo do WTC. Nesse estudo é explicado que o impacto dos aviões retirou a camada de proteção das vigas de aço, deixando-as exposta aos calor do incêndio. O aço perdeu sua capacidade de resistência, e os andares inferiores não conseguiram suportar a carga dos andares superiores. [1]

Por mais que os conspiracionistas tentem afirmar o contrário, a queda das torres não possuí características de demolição controlada.

Em demolições controladas costuma-se demolir as colunas de sustentação principais para que a gravidade faça o resto do trabalho. Vemos a construção caindo como um todo, a partir da parte de baixo. No WTC, a queda acontece no ponto de impacto dos aviões. [2][3]

Há ainda o fato de não se escutar qualquer barulho de explosivos, algo totalmente contrário ao cenário de uma implosão.

Outra alegação de evidência de explosivos usada pelos conspiracionistas são os “jatos” vistos saindo pelas janelas do WTC no momento da queda. Mas que nada mais são do que ar sendo jogado para fora quando o andar de cima cai sobre o andar de baixo. [4]

Sabendo que ainda há muito assunto para ser discutido, encerro aqui essa série de postagens especiais sobre as Conspirações envolvendo os Atentados de 11 de Setembro. Os canais de contato estão abertos para aqueles que desejarem realizar seus comentários, e em breve pretendo escrever outros artigos sobre essa e outras conspirações.

—————————–
Referências:

1- http://www.nist.gov/el/disasterstudies/wtc/
2- http://projetoockham.org/figuras/911/torresul.jpg
3- http://projetoockham.org/historia_911_3.html
4- http://www.popularmechanics.com/technology/military/news/debunking-911-myths-world-trade-center

Especial – Conspirações do 11 de Setembro – Voo 93

 

Único dos quatro aviões sequestrados em 11 de Setembro que não atingiu seu alvo (provavelmente o Capitólio, em Washington). Ás Dez horas e três minutos,  em Somerset County, próximo de Shanksville, Pennsylvania, o Boeing 757 da United Airlines mergulhou violentamente contra o solo.

A vasta documentação a respeito desse voo (como as ligações telefônicas dos passageiros e as conversas dos terroristas na cabine), mostrando a iniciativa dos passageiros em enfrentar os terroristas que haviam sequestrado a aeronave, rendeu duas obras cinematográficas. [1][2]

Mas para os conspiracionistas, esse voo não existiu.

Assim como no caso do Pentágono, a principal corrente conspiracionista defende a ideia “no plane” para o voo 93, ou seja, nenhum avião foi sequestrado ou mesmo jogado contra o solo naquele 11 de Setembro.

As alegações de que não há  destroços do avião é logo refutada no momento em que os destroços do avião é apresentado. [3][4][5][6]

Outra alegação conspiracionista está nas ligações telefônicas dos passageiros. A conspiração dita que não é possível realizar ligações através de telefones celulares a partir de aeronaves, entretanto ignora o fato de que essas ligações foram realizadas a partir dos aparelhos do próprio avião, também conhecidos como Air Phones. [7]

Há ainda uma outra versão conspiratória que afirma que o avião foi derrubado pelo Governo dos Estados Unidos da América com a intenção de impedir que o avião atingisse seu alvo. Mas isso não será abordado por essa série.

No próximo post: O WTC foi implodido?
——————-
Referências:
1- http://en.wikipedia.org/wiki/United_93_(film)
2- http://en.wikipedia.org/wiki/Flight_93_(TV_film)
3- http://www.vaed.uscourts.gov/notablecases/moussaoui/exhibits/prosecution/P200060.html
4- http://www.vaed.uscourts.gov/notablecases/moussaoui/exhibits/prosecution/P200061.html
5- http://www.vaed.uscourts.gov/notablecases/moussaoui/exhibits/prosecution/P200063.html
6- http://www.vaed.uscourts.gov/notablecases/moussaoui/exhibits/prosecution/P200066.html
7- http://www.911myths.com/images/f/f8/Moussaoui_Trial_Transcript_April_11_2006.pdf p.77

Especial – Conspirações do 11 de Setembro – Pentágono

 

Cerca de meia hora após a decolagem do voo 77 da American Airlines, na manhã do dia 11 de Setembro de 2001,  Hani Hanjour toma o controle da aeronave e a conduz para o choque fatal contra uma das laterais do complexo militar americano conhecido como Pentágono.

Para algumas pessoas, isso nunca aconteceu.
“No plane” é o nome usado para designar as teorias conspiratórias do 11 de Setembro que envolvem a ideia de que o Boeing 757 não se chocou contra o Pentágono. As alternativas utilizadas pelos conspiracionistas incluem um avião menor, um míssil, ou até mesmo apenas explosivos plantados no local.
A teoria conspiratória “no plane” foi amplamente difundida pelo famoso vídeo Pentagon Strike[1] feito por Darren Williams e produzido pela Sings o the Times[2]. As alegações contidas nesse vídeo são reproduzidas até hoje pelos conspiracionistas, embora o vídeo contenha uma série de mentiras ou informações incoerentes.
Vamos ver algumas delas.
A principal alegação: “não há qualquer vestígio de um Boeing na cena do suposto ataque”.
Essa é uma alegação simplesmente mentirosa.
Vários destroços compatíveis com um Boeing 757 são vistos nas imagens de momentos após o ataque, incluindo partes do trem de pouso[3] e do motor[4].
Allyn E. Kilsheimer foi o primeiro Engenheiro a chegar ao local, e declarou com total convicção estar diante de um acidente com uma aeronave, descrevendo não somente ter visto os destroços do avião, como também os restos mortais dos tripulantes[5].
Imagens oficiais dos destroços do avião também foram exibidas durante o julgamento de Zacarias Moussaoui  (condenado pelo 11 de Setembro), e estão disponíveis publicamente para consulta.[6]
Outra alegação muito comum, é a de que “o FBI confiscou imagens de estabelecimentos próximos que confirmariam a inexistência do avião.
Essa alegação já foi quase verdade.
Na época do surgimento do Pentagon Strike, de fato os vídeos referentes às câmeras de dois estabelecimentos próximos ao Pentágono (um posto de gasolina e um hotel), estavam sob posse do FBI. Porém em 2006, através do FOIA (do Inglês, Ato de Liberdade de Informação) a organização Judicial Watch conseguiu que os vídeos fossem publicamente divulgados[7]. Entretanto, as imagens dos vídeos são compatíveis com a versão do voo 77 da American Airlines se chocando contra o Pentágono.
No próximo post:  UA 93, da conspiração ao cinema.
————————————-
Referências:

Especial – Conspirações do 11 de Setembro

 

Em 11 de Setembro de 2001, uma organização terrorista sequestrou quatro aviões em solo americano. Dois deles foram jogados contra as Torres Gêmeas do Wolrd Trade Center em Nova York. Outro foi jogado contra o Pentágono, em Washington. O último, caiu nos arredores de Shanksville, sem atingir seu alvo original.

Dez anos mais tarde, essa ainda é a história que todos conhecemos. Mas ela não é unanime.

Conspirar é preciso[1]. Não é impossível pensar que mesmo alguém próximo do “Ground Zero” no dia 11 de Setembro de 2001 chegou a pensar que tudo aquilo não passava de um “trabalho interno”. Talvez, até você tenha pensado…

Os grupos de conspiracionistas a cerca do 11 de Setembro começaram a se organizar. “Pentagon Strike”[2] (Um vídeo de alguns minutos que continha algumas alegações de que o choque de um avião contra o Pentágono era uma mentira, e que na verdade, um míssil havia atingido o complexo militar dos Estados Unidos) foi, em 2002, o primeiro contato que eu tive com a Teoria de Conspiração. Ele teve uma boa repercussão na Internet, e por esses fatores, é considerado por mim como o marco do surgimento oficial da “Teoria de Conspiração do 11 de Setembro”.

Desde então, os grupos conspirarionistas ganharam corpo. Associações de pilotos, engenheiros e arquitetos foram criadas. Diversos documentários lançados explorando o tema. Livros e revistas. O “Truth Movement”[3] reúne hoje algumas dessas associações tornando a atividade conspiracionista não apenas uma “busca pela verdade”, mas também um grande negócio.

Na semana em que os Atentados de 11 de Setembro completam uma década, vamos explorar os principais argumentos conspiracionistas em uma série de postagens, conforme os acontecimentos daquela manhã de Terça-Feira. Teria um míssil atingido o Pentágono? As torres foram implodidas por explosivos plantados dias antes? O avião que caiu na Pensilvânia nunca existiu?

Essas e outras perguntas começa a ser respondidas a partir do próximo post da série, que irá tratar do ataque ao Pentágono.

Até lá.

1- http://www.ceticismoaberto.com/fortianismo/6282/teorias-de-conspirao-so-naturais
2- http://www.pentagonstrike.co.uk/
3- http://www.911truth.org/

————————————–
Links para as postagens da série:

Conspirações do 11 de Setembro – Pentágono
Conspirações do 11 de Setembro – Voo 93
Conspirações do 11 de Setembro – WTC

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM