Quão errado está um mapa astral?

Quer dizer, não há qualquer fundamento por trás da astrologia. A visão que nós aqui da Terra temos dos astros na esfera celeste não interfere em nada na nossa personalidade ou no nosso futuro. Então na prática um mapa astral está todo errado.

Apesar da falta de fundamento, todas essas atribuições de características que os astrólogos fazem ainda poderiam ser feitos se os mapas astrais mostrassem as posições corretas dos astros. Mas não é isso que acontece.

Imagine então que exista por aí um cara legal, bonito, inteligente… Imagine que ele tenha nascido em algum lugar no interior do RS, num Fevereiro do final dos anos 80. Se um astrólogo fosse fazer o mapa astral desse cara, seria isso que ele mostraria:

mapa1

Temos Sol e Vênus em Aquário; Lua em Peixes; Mercúrio, Saturno, Urano e Netuno em Capricórnio; Marte e Júpiter em Touro; e Plutão em Escorpião.

Mas se você pegar uma carta celeste de verdade, são essas posições que você vai encontrar para a mesma data e local de nascimento:

skychart01

Agora, o Sol e Vênus estão em Capricórnio; a Lua em Peixes; Mercúrio, Saturno, Urano e Netuno em Sagitário; Marte em Aries; Júpiter em Touro; e Plutão em Libra.

Medindo a diferença entre o mapa astral e a carta celeste, encontramos em média aproximadamente 30 graus, entre a posição real que os astros ocupavam no momento do meu nascimento nascimento do sujeito imaginário, e a posição que o astrólogo “inventou” que eles estavam.

Agora vejam a carta celeste das crianças sortudas que nascerão na próxima Sexta Feira 13, e compare com o mapa astral.

Clique para ver maior

Clique para ver maior

Astronomicamente, Sol e Mercúrio estarão na constelação de Ofiúco. Essa constelação sequer aparece no mapa astral, que coloca o Sol e Mercúrio em Sagitário.

Supostamente um mapa astral deveria mostrar a posição dos astros em relação a esfera celeste no momento do nascimento da pessoa. Mas não mostra porque ignora justamente o conhecimento que supostamente seria um de seus fundamentos: a Astronomia.

A Precessão dos Equinócios, uma mudança da posição do eixo da Terra ao longo do tempo, é o principal fator do deslocamento entre os zodíacos astronômico e astrológico.

Outra diferença é que o zodíaco astrológico delimita um valor fixo para o tamanho dos signos, enquanto astronomicamente as constelações tem tamanhos diferentes. Isso quer dizer que na astrologia o sol vai ficar aproximadamente um mês no signo de Escorpião, mas seguindo a Astronomia ele fica apenas sete dias na constelação de Escorpião.

E qual seria o motivo para Plutão aparecer no mapa, mas Éris ou Ceres serem ignorados?

Astronomia e astrologia por algum tempo no passado foram praticamente a mesma coisa. Conforme a humanidade foi ganhando novos conhecimentos, uma delas tomou o caminho científico, de se corrigir, se adaptar e abandonar aquilo que não funciona.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 15 comentários

  1. Maximus Gambiarra disse:

    Mas o que fazer se te disserem que o seu mapa não funciona porque você não acredita nele?

    • Alan Mussoi disse:

      haha Já me disseram isso. Eu respondi algo como ¯\_(ツ)_/¯

      Mas acho que a melhor resposta é tentar explicar que então provavelmente o “funcionar com quem acredita” esteja mais relacionado com o Efeito Forer do que com alguma propriedade da astrologia. 😉

  2. Claudia Chow disse:

    Agora tá explicado pq meu horóspoco sempre tem uns dias de delay! hahahaha

  3. _E_ disse:

    Sempre li que astrologia não funciona assim… que as “constelações” astrológicas só tem nomes de constelações – mas são apenas uma divisão na abóbada celeste, que tiveram os nomes das constelações porque é lá que as constelações estavam quando fizeram. O que também explica a divisão de ângulos.

    …E dependendo do astrólogo/tradição astrológica, incluem outros planetas e corpos celestes em geral.

    …Agora, eu nunca vi uma explicação de porque incluir tais sim e tais não, ou etc. Simplesmente dizem que é porque funciona e pronto – não justificando como havendo uma relação causal, mas com a idéia de sincronismo em geral.

    Eu não acredito em astrologia, e não vejo motivo pra acreditar, mas me parece que para provar ela errada, haveria a necessidade de outros tipos de testes.

    Posso estar engando, peço desculpas se for o caso, li pouco sobre o assunto. Mas me intriga porque, até agora, nunca vi os astrólogos realizarem direito um teste com o método cientifico pra mostrar que a astrologia funciona…. mas também nunca vi um grupo de céticos que esteve disposto a seguir maiores considerações astrológicas pra provar que essa não funciona, também. Como se nunca estivessem dispostos a jogar com a regra dos outros…

    Mas talvez já tenham feito e eu apenas desconheça, é claro.

    • Alan Mussoi disse:

      A primeira parte eu concordo. É esse o ponto do post. Mostrar que o zodíaco da astrologia e da Astronomia são distintos. Que Astronomia e astrologia hoje são coisas bastante diferentes. Isso não é tão claro as vezes, e as pessoas acabam achando que existe relação entre as duas. Se você for agora no site da Associação Brasileira de Astrologia, vai ver um widget na lateral com o título de “Céu do momento” e a data e hora atual. Não, não é o céu do momento que mostra ali, mas uma pessoa desavisada poderia acabar pensando que é (e muitas vezes é o que acontece).

      Sobre a segunda parte, agora só estou lembrando de testes onde os astrólogos em regime de duplo cego precisam associar mapas com características, e testes que demostram a existência do Efeito Forer.
      Mas uma forma simples de ver que não funciona é existir gêmeos com personalidades diferentes (de fato, não precisariam nem gêmeos, bastaria que as pessoas tenham nascido no mesmo dia e em horário parecidos).

      Perceba que os astrólogos não oferecem uma explicação (algo análogo a gravitação pra mecânica celeste) que possa ser testada. Nós observamos os astros se movimentando, mas não vemos correlação entre esse movimento e a personalidade das pessoas, então fica difícil levar em consideração alguma coisa astrológica por mais disposição que se tenha.

      Obrigado pela visita e pelo comentário. 😉

  4. _E_ disse:

    Imagino que o teste dos astrólogos terem que associar os mapas, apesar de ser útil, é um tanto limitado, porque pode se justificar como sendo simplesmente incompetência dos astrólogos, e não da astrologia, no caso. (Embora isso, como disse, é útil também)

    Quanto a eles não terem uma explicação que possa ser testada, é algo realmente ruim, mas isso também esta de longe de provar que a astrologia não funciona. (Da motivos, é claro, para ficar mais cético a respeito dela funcionar – mas evidentemente isso não é o suficiente para milhões de pessoas….).

    Quanto a gêmeos e pessoas nascendo em datas parecidas, também é útil, mas também esta longe de ser algo definitivo. Em primeiro lugar, porque ninguém nasce em tempos totalmente iguais… mas creio que a maior justificativa para isso, é que a astrologia não seria absoluta: ela tem certo poder determinístico, mas não absoluto. Como a genética, que determina até certo ponto, mas é um determinismo que vem em conjunto com o meio que a pessoa vive, e etc.

    Nesse caso, a justificativa de que a astrologia não funciona seria só valida pra gêmeos univitelinos que viveram num mesmo contexto e passaram pelas mesmas experiencias. Mas oras, você não precisa de astrologia num caso desses pra saber que eles vão ser muito parecidos!

    É mais um caso em que a astrologia pode se “esquivar” de um confronto mais definitivo sobre se ela funciona ou não.

    Mas creio que testes com gêmeos e pessoas que nasceram em horários parecidos seja um começo – talvez a astrologia não poderia dizer exatamente como eles vão ser, mas ela deve ser capaz de pelo menos, excluir algumas possibilidades que não se poderia sem ela. Sem isso, é claro, mesmo que ela funcionasse, seria inútil porque então aparentemente ninguém conseguiria usar ela direito.

    Ao meu ver o maior obstaculo a testabilidade dela é justamente isso de quais corpos celestes incluir. Se ela é algo tão sensível que pouco tempo poderia fazer diferença considerável, e ainda recebe “influencias” do meio e etc por assim dizer, teria que se fazer uma extensa analise pra cada conjunto possível dos corpos celestes…. mas, apesar de eu genuinamente não saber, imagino que provavelmente o numero de possibilidades de combinações dos principais corpos celestes próximos seja absurda. Assim, sempre poderiam justificar “ah, mas deu errado porque você incluiu X e não incluiu Y….”.

    Embora ainda permita um ataque as formas mais populares de conjuntos de corpos celetes a serem usados, ao menos.

    Certamente tentar mais extensamente lidar com todas essas possibilidades parece muito problemático, mas imagino que talvez pudesse ser bom. Quer dizer, se contra quase todas as evidencias possíveis um sistema astrológico de fato funcionasse, seria fantástico.
    Mas, maiores evidencias ainda de que não funcionam também seria útil.
    É verdade que provavelmente o leitor padrão de astrologia, que vê seu horoscopo no jornal, não ia dar a mínima pros possíveis testes. Mas mesmo estes dependem do conhecimento de autoridades – ‘autoridades’ astrológicas no caso – , e estas teriam mais problema em explicar as evidencias de que ela não funciona caso mais testes do tipo fossem feitos.

    Claro, provavelmente o maior motivo de pessoas acreditarem em astrologia é emocional, e pra essas pessoas, a principio não faria diferença. Mas talvez fizesse diferença com as não-tão-completamente emocionais assim… e menos pessoas acreditando em astrologia talvez com o passar do tempo fizesse diferença nas mais emocionais, também.

    Eu tenho visitado o scienceblogs faz alguns anos, mas essas são as primeiras vezes que comento, fiquei meio tímido (?)

    Desculpe se o comentário ficou muito longo x_x

  5. Maria disse:

    A astrologia ainda e um misterio para mim e nao a descarto totalmente, ate mesmo porque eu estudo psicologia e e bastante interessante olhar pelo angulo desta. No meus estudos, vi que o mapa e totalmente diferente do mapa celeste e que tambem voce nao e seu signo solar. Voce e um conjunto de todos os planetas. Sem contar que cada signo solar tem tres personalidades, logo, no exemplo usado, sao tres tipos de gemeos. Fora a combinacao dos outros signos nos outros planetas. Sao milhares de combinacoes. A astrologia popular nao tem nada a ver com o estudo desta no ocultismo. As costelacoes sao apenas arquetipos, o que conta e a ideia por tras disso, que alem de explicar a personalidade pode ser usada para nao prever o futuro, mas te dar uma ideia de como voce lida com as situacoes e eventos do seu dia-a-dia., como filhos, familia e profissao. Lida com probabilidades dentro de um espaco finito onde nao existe um x, mais um y e varias outras icognitas, e isso que a maioria nao entende. E todo cientista sabe que nao se pode falar do que nao se conhece. E sempre falo, idependente do que voce acredita, estude tudo que puder! E uma coisa bem interessante, as pessoas que normalmente nao acreditam tem a maioria dos seus planetas nas costelacoes do elemento terra (capricornio, virgem e touro), o que normalmente sao pessoas praticas, enrraizadas nas ideias (teimosas) e materialistas.

  6. […] sabemos como o horóscopo funciona. O que eu queria saber é qual é a data usada para fazer o horóscopo do […]

  7. André Centeno disse:

    Bem, o problema do texto é que ele parte de um espantalho e de uma “invenção” do que seria a Astrologia, além do erro clássico de compara-la com Astronomia. As duas coisas são completamente diferentes e possuem propósitos diferentes. Começaram juntas, é verdade, mas já se separaram a alguns séculos.

    A Astrologia usa um céu imaginário que não possui relação alguma com o céu real, suas representações são simbólicas, ninguém acha que o planeta Marte tem qualquer influencia na personalidade de alguém, sério, é só um planeta. O céu astrológico é composto de setores e esses setores receberam o nome das principais constelações que estavam lá na época, a quase 5000 ou 6000 anos atras, sendo assim, as constelações mudaram, os setores não e as constelações apenas nomearam esses setores no céu.

    Os planetas demonstram um certo padrão energético, da mesma forma que um relógio indica as horas. Quando se diz que a Lua esta em tal signo e isso influencia em tal coisa, é figura de linguagem… Tirando as marés e talvez plantações, a Lua não influencia em mais nada, pelo menos em nada da sua personalidade, ela só é um satelite. Porém, ela indicaria um certo padrão energético daquele momento, cujo a probabilidade de comportamentos X aparecerem aumentam. É pura probabilidade e não causa e efeito.

    Os 10 planetas usados, Sol e Lua contando como planetas neste caso, possuem correspondencia com a Árvore da Kaballah, com a Alquimia e com o Hermetismo. Ceres e Éris não possuem correpondencia alguma e logo não são utilizados.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM