Seus jogos desbancando os conspiracionistas

as11-40-5868

Pra quem não está familiarizado (existe alguém?) com a Teoria de Conspiração do Falso Pouso do Homem na Lua, essa foto é frequentemente usada para alegar a fraude porque como a Lua não tem atmosfera, segundo os conspiracionistas a luz não se espalharia e não seria possível ver Aldrin na sombra do Módulo Lunar. E, claro, porque não vemos estrelas na foto.

A explicação é a de que a luz do Sol chega até Aldrin pela reflexão com o solo lunar e outros objetos na superfície da Lua. Para as estrelas, a explicação é que devido a luminosidade na Lua, as máquinas precisavam usar um tempo de exposição baixo, o que não permitia detectar a luz das estrelas. Explicações honestas que satisfazem a grande parcela das pessoas sensatas.

Pra quem não está familiarizado (existe alguém?) com as unidades de processamento gráfico, a NVIDIA está lançando a nova geração de placas de vídeo com uma arquitetura de hardware que eles convenientemente chamaram de Maxwell, onde uma das novidades é o suporte para um algoritmo de Iluminação Global.

É complicado modelar a luz. No mundo real um objeto não é somente iluminado diretamente. A luz refletida de outros objetos ao redor também tem algum efeito. E é isso que os modelos de Iluminação Global tentam reproduzir. A promessa é de levar os jogos a uma nova geração de gráficos, graças ao nível de realismo que uma simulação mais precisa dos fenômenos da luz pode trazer.

Iluminação Local (esq.) X Iluminação Global

Iluminação Local (esq.) X Iluminação Global

Para provar o potencial de suas novas unidades gráficas, a NVIDIA resolveu simular a famosa foto do ínicio do post. Como, de fato, a luz se comportaria na Lua, naquela situação.

O cenário lunar foi virtualmente construído, do solo ao Buzz Aldrin nas escadas do módulo. Mas o desafio aqui era utilizar o suporte de iluminação global da placa e não somente recriar o cenário da foto. Pra funcionar era necessário utilizar uma única fonte de luz, simulando o Sol e seu reflexo nos elementos do cenário de forma apropriada. Foi necessário pesquisar os tipos de materiais usados no módulo, o quanto a Lua reflete a luz e até mesmo qual a luminosidade emitida pelo Sol.

O primeiro resultado mostrou que havia luz suficiente em Aldrin para que ele pudesse ser visto, mas ainda não era exatamente como na foto.

Foi então que o pessoal da NVIDIA percebeu que estavam esquecendo de alguém. O fotógrafo oficial do Mar da Tranquilidade, ele mesmo, o primeiro, Neil Armstrong.

Vestindo uma roupa que reflete 80% da luz incidente, Armstrong é praticamente uma segunda fonte de luz. Dez por cento da luz que incide em Aldrin vem do reflexo de Armstrong.

Simulação (esq.) X Realidade

Simulação (esq.) X Realidade

Com o modelo, agora, funcionando, a alegação das estrelas também foi testada. Aumentaram o tempo de exposição da câmera e conforme o que já se esperava: até se vê as estrelas, mas a luminosidade da superfície da Lua fica tão intensa que é possível ver apenas um grande clarão.

A NVIDIA demonstrou a capacidade de seu equipamento, e ainda nos deu mais uma dica de como as coisas aconteceram. Provavelmente nenhum conspiracionista mudará sua opinião por conta disso, mas talvez aprendam sobre o comportamento da luz enquanto estiverem jogando.

Confira com mais detalhes todo o processo no vídeo (em inglês):

Referências:

– http://www.geforce.com/whats-new/articles/maxwells-voxel-global-illumination-technology-introduces-gamers-to-the-next-generation-of-graphics

– http://game24.nvidia.com/maxwell/

Um dos maiores mistérios da humanidade foi solucionado e a resposta é melhor que aquela que todo mundo imaginava

Separando a região dos famosos e a dos casinos, entre a Califórnia e Nevada, está o Death Valley National Park. Além de preservar as espécies do oeste americano também preservava um dos maiores mistérios da humanidade (segundo as listas de “maiores mistérios da humanidade”, da lista de “melhores listas”).

Numa região de 7 km² do Death Valley, chamda de Racetrack Playa, pedras caminham.

deathstones2

O cenário é o seguinte: um lago seco, pedras, e rastros. Nenhuma evidência de interferência de humano ou animal. As pedras se movem sozinhas.

Especularam que as pedras deslizavam sobre pedaços de gelo. Especularam que fossem fortes ventos, e até calcularam qual seria a velocidade necessária pra movimentar as pedras. E, claro, especularam a atividade de seres extraterrestres.

São as especulações que alimentam os mitos, mas também são elas que não deixam sossegar os curiosos.

chapolinpedravenus

No começo do ano, a equipe do pesquisador Chuck Richard Norris conseguiu pela primeira vez na história observar as pedras se movimentando. Spoiler: não são extraterrestres empurrando.

Trivial até para um padre, cada GPS colocado nas pedras foi preparado para automaticamente registrar qualquer movimento. Câmeras em time lapse porque pics or didn’t happen. E uma estação meteorológica, pra cruzar os dados dos movimentos com os dados das condições do local.

Disseram que ele estava na pior seria o experimento mais chato de todos os tempos. Norris esperava ver resultados em 5 ou 10 anos, mas com apenas 2 anos de observação, seu grupo conseguiu ser o primeiro a observar as pedras se movimentando.

Melhor que isso. Eles estavam lá quando aconteceu!

Os dados mostraram que algumas pedras se movimentaram por até 16 minutos e algumas chegaram a percorrer até 65 metros. A velocidade das pedras ficou em torno de 2 a 5 metros por minuto. Bastante difícil de ser percebida sem algum ponto de referência, o que pode explicar porque ninguém havia visto antes.

barrichello

No dia 21 de Dezembro de 2013, perto do meio dia, o barulho do gelo se quebrando tomou conta do ambiente. Richard olhou para Jim, que além de co-autor é seu sobrinho (ou é seu sobrinho além de co-autor…), e disse: “É isso!”

Chove, e um lago com cerca de 10 cm de profundidade se forma. Com a noite fria, uma fina camada de gelo é criada. Na manhã seguinte, o gelo começa a derreter e se quebrar em placas com espessura de poucos milímetros. O vento e o fluxo da água empurram as placas de gelo, eeeee as placas de gelo empurram as pedras, que acabam deixando um rastro no solo úmido. Quando o lago seca, sobram as pedras e, agora não mais misteriosos, rastros.

É interessante notar que a velocidade do vento é inferior a necessária para mover sozinho as pedras, e que a placa de gelo é muito fina para que uma pedras pudesse deslizar sobre ela. É o conjunto de fatores que torna o evento possível, e também raro.

Diferente dos casos de OVNI’s, a sequência de fotos mostra uma das pedras se movendo. Veja:

Link para o artigo aqui, e para o comunicado de imprensa aqui.

pedras

 

 

 

Pelas barbas do profeta

Assim como depois da tormenta vem a bonança, depois do vexame vem a zoeira. E a zoeira é como gol da Alemanha no Brasil: não tem limites.

Com um 7×1, aquele que foi chamado de louco ao divulgar seu bolão, seja humano ou animal, hoje é aclamado como portador do dom da clarividência, e alçado a um digno lugar de reconhecimento ao lado de Mãe Dinah e Walter Mercado.

Mas ter a responsabilidade de saber o futuro é uma terefa ingrata, é verdade. As glórias ficam só com os acertadores. Aqueles que erraram estão condenados a cair no esquecimento, até a próxima Copa, ou até que um evento geneŕico qualquer aconteça.

Hoje não.

Videntes que erraram as previsões pra Copa do Mundo, seus problemas acabaram. Esse post é uma homenagem para vocês.

Espanha ou Argentina ganharão a Copa, garante vidente

Já começou bem. Nada melhor que uma previsão certeira e precisa. Apesar da Espanha ter saído ainda na primeira fase, e goleada pela Holanda, a Argentina foi pra final. Façam a média.

Muitos jogadores vão se destacar nesses jogos. Neymar, um jogador dinâmico e esperto, é um exemplo, mas terá que tomar certos cuidados para não ter problemas no joelho ao decorrer da Copa.

Problemas com o joelho do Zúñiga, ele quis dizer…

“O Jô terá a oportunidade de mostrar um bom futebol, pois a vibração dos Orixás prevê para ele um ótimo período.”

Não sei vocês, mas passar as férias na Granja Comary e ter assistido aos jogos tão perto do campo teria sido um ótimo período pra mim…

Já o Victor fará tudo que puder por nossa seleção, tendo presença importante nessa Copa.”

Verdade. Apesar de ser o goleiro reserva e não ter entrado em nenhum jogo, Victor teve presença importante na Copa, como podemos perceber nessa imagem onde ele aparece auxiliando no treinamento do Fred.

victor

Já a Alemanha também vem trazendo em si um futebol digno, mas terá que tomar certos cuidados para não tropeçar em suas jogadas.

Agora sim, um acerto em cheio. Certo, Müller?

muller

Astrólogo garante sucesso do Brasil na Copa 2014

“[…]o sucesso se dará graças ao Sol, que estará no ponto mais alto do horóscopo brasileiro.”

Já sabemos como o horóscopo funciona. O que eu queria saber é qual é a data usada para fazer o horóscopo do Brasil…

“Também serão fortes adversários Alemanha e Espanha, ambas do signo de Libra, que levarão vantagem com Júpiter ocupando a poderosa décima casa astral.”

Aparentemente só uma seleção pode ocupar cada poderosa décima casa astral por vez, já que enquanto a Alemanha segue viva na Copa, a Espanha saiu logo no começo da competição. Mas novamente, a média salva.

Vidente e taróloga fazem previsões para Fred e Neymar no Mundial

“Fred vai ser mais mental do que ágil nos jogos. Ele traz uma força para finalização de todos os processos e de todas as jogadas”, comenta a taróloga.”

Perfeito. Quero ver alguém ter coragem de discordar que Fred preferiu pensar em campo do que ser ágil, e que todos os processos de todas as jogadas finalizaram nele.

“Atuação 100%. Fred terá uma atuação excelente na Copa do Mundo.”

Fred foi realmente 100% no que fez durante a Copa…

“O caminho é próspero. Oxum diz que o Brasil será o campeão do mundo.”

O Shun não manja do esporte bretão.

shun

“Bruxo” mexicano aponta Brasil campeão diante da Holanda

“A final, o Brasil vai ganhar, como estou dizendo desde o ano passado. Provavelmente a final, o mais seguro é que seja contra a Holanda.”

Boa, acertou. Só trocou o jogo mais importante pelo jogo que não vale nada.

Vidente de Brasília que previu volta de Felipão vê vitória do Brasil por 6 a 1

É isso aí. Vidente tem que chegar no carteiraço.

“Está tudo favorável ao Brasil. Ele tem todas as chances. Não tem 90%, nada disso, tem todas as chances. Na final, vejo chance de ganharmos de um time da América do Sul. Não vejo um da Europa na final.”

Calma. Foi só uma confusão com o uniforme da Alemanha e o do Flamengo…

“Meu grande medo é do trabalho do Júlio César. Ele sofre de ansiedade mórbida. Em situações pesadas, sempre temos prejuízo”, afirma. “Em caso de pênalti, devemos preparar o Victor.”

Porque não basta Júlio César ter pego dois. Se Felipão desse uma de Van Gaal, Victor teria pego todos. Pena que nosso querido vidente esqueceu de contar essa do Van Gaal.

“Temos os melhores. Neymar pode ter menos idade, mas derruba dez Cristianos Ronaldos.”

Um Neymar derruba dez Cristianos Ronaldos. Um Zúñiga derruba um Neymar.

“Como um europeu, que está acostumado com a lógica, jogará melhor do que um brasileiro?”

Err… Próximo.

Brasil será campeão da Copa’, afirma vidente

FUÓÓÓN! Bem… Deixa pra lá…

Só pra terminar, eu gostaria de deixar meu imenso agradecimento a todos os videntes desse nosso Brasil, por só terem revelado coisas que todos já diziam e não terem estragado as surpresas dessa Copa. Nem a eliminação precoce da Espanha, nem a surpresa da Costa Rica, nem a mordida do Suarez e muito menos o nosso Sete a Um. E claro, sem spoilers da final, por favor.

Daft Punk e o olho do Leão da Apollo 17

Antes de Eugene Cernan se tornar o último humano a ter pisado na Lua. Antes de Harrison “Jack” Schmitt ter sido o último humano a cair na Lua. E antes dos dois terem feito o último dueto na Lua, a tripulação da Apollo 17 avistou um objeto desconhecido.

Tripulação da Apollo 17. Da esquerda pra direita: Ronald Evans, Harrison Schmitt e Eugene Cernan

Tripulação da Apollo 17. Da esquerda pra direita: Ronald Evans, Harrison Schmitt e Eugene Cernan

Cernan: Hey, Bob, estou olhando para aquilo que o Jack estava falando, e definitivamente não é uma partícula próxima, porque há outras que eu consigo comparar. É um objeto brilhante e obviamente está rodando, porque está piscando. Ele está distante de nós, e posso dizer isso porque há outras partículas próximas e ele não é uma delas. Aparentemente está rodando em um certo ritmo, porque ele pisca de tempos em tempos. Olhando pra Terra, ele está às 11 horas. Talvez 10 ou 12 diâmetro da Terra. Eu não sei se é algo bom, mas com certeza há algo ali.

Vencedor do Grammy 2014 na categoria Melhor Álbum, Random Access Memories, do Daft Punk, traz Contact (clique pra ouvir) como a faixa que fecha o álbum. Aquela voz no começo da música, descrevendo um objeto não identificado rodando e piscando, é justamente essa conversa do Eugene Cernan. O DJ francês Falcon participou da produção de Contact e selecionou o trecho dentre as gravações originais das missões Apollo cedidas pela NASA.

Contact coloca a fala do Astronauta em um contexto de um avistamento de OVNI e provavelmente há conspiracionista que deve usar esse trecho como evidência da visita de seres extraterrestre. Mas, afinal, o que os Astronautas da Apollo 17 estavam vendo?

Ou não.

Ou não

A conversa continuou, e entre dados técnicos da missão e o resultado do jogo do Cowboys (venceram por 34 a 24, conseguindo uma vaga nos playoffs da NFC), Robert Parker (o tal Bob) do Controle da Missão pediu aos Astronautas para usarem os instrumentos ópticos da nave e determinar a posição do objeto.

Durante esse procedimento, Jack suspeitou que o objeto poderia ser um dos estágios (S-IVB) do Saturno V. Alguns minutos depois veio a confirmação de Houston.

Bob: “Isso é para o Jack e o Gene. Calculamos a posição do S-IVB em relação ao seu eixo, e o azimute ficou dentro de um grau, muito próximo. Nós calculamos que ele deveria estar, visto da janela, a 62 graus do eixo X, e você reportou 45 graus, o que é apenas 17 graus de erro. É realmente perto. Sabe, é como um movimento do olho.”

Jack: “Isso é ótimo. Então é o S-IVB, né?”

Bob: “Ok, nós… você pode checar isso dessa forma, Jack. Alinhe a estrela Denebola e Rigel… digo, Regulus; Desculpa, Regulus. Denebola e Regulus. E então, nessa linha, vá perpendicularmente em uma linha logo acima de Regulus e ali deve estar o S-IVB. Ele forma um ponto de um triângulo com Denebola e Regulus.”

Jack: “O que você está dizendo é que ele é o olho de Leão?”

Bob: “Positivo.”

daftpunkpalmas

Quão errado está um mapa astral?

Quer dizer, não há qualquer fundamento por trás da astrologia. A visão que nós aqui da Terra temos dos astros na esfera celeste não interfere em nada na nossa personalidade ou no nosso futuro. Então na prática um mapa astral está todo errado.

Apesar da falta de fundamento, todas essas atribuições de características que os astrólogos fazem ainda poderiam ser feitos se os mapas astrais mostrassem as posições corretas dos astros. Mas não é isso que acontece.

Imagine então que exista por aí um cara legal, bonito, inteligente… Imagine que ele tenha nascido em algum lugar no interior do RS, num Fevereiro do final dos anos 80. Se um astrólogo fosse fazer o mapa astral desse cara, seria isso que ele mostraria:

mapa1

Temos Sol e Vênus em Aquário; Lua em Peixes; Mercúrio, Saturno, Urano e Netuno em Capricórnio; Marte e Júpiter em Touro; e Plutão em Escorpião.

Mas se você pegar uma carta celeste de verdade, são essas posições que você vai encontrar para a mesma data e local de nascimento:

skychart01

Agora, o Sol e Vênus estão em Capricórnio; a Lua em Peixes; Mercúrio, Saturno, Urano e Netuno em Sagitário; Marte em Aries; Júpiter em Touro; e Plutão em Libra.

Medindo a diferença entre o mapa astral e a carta celeste, encontramos em média aproximadamente 30 graus, entre a posição real que os astros ocupavam no momento do meu nascimento nascimento do sujeito imaginário, e a posição que o astrólogo “inventou” que eles estavam.

Agora vejam a carta celeste das crianças sortudas que nascerão na próxima Sexta Feira 13, e compare com o mapa astral.

Clique para ver maior

Clique para ver maior

Astronomicamente, Sol e Mercúrio estarão na constelação de Ofiúco. Essa constelação sequer aparece no mapa astral, que coloca o Sol e Mercúrio em Sagitário.

Supostamente um mapa astral deveria mostrar a posição dos astros em relação a esfera celeste no momento do nascimento da pessoa. Mas não mostra porque ignora justamente o conhecimento que supostamente seria um de seus fundamentos: a Astronomia.

A Precessão dos Equinócios, uma mudança da posição do eixo da Terra ao longo do tempo, é o principal fator do deslocamento entre os zodíacos astronômico e astrológico.

Outra diferença é que o zodíaco astrológico delimita um valor fixo para o tamanho dos signos, enquanto astronomicamente as constelações tem tamanhos diferentes. Isso quer dizer que na astrologia o sol vai ficar aproximadamente um mês no signo de Escorpião, mas seguindo a Astronomia ele fica apenas sete dias na constelação de Escorpião.

E qual seria o motivo para Plutão aparecer no mapa, mas Éris ou Ceres serem ignorados?

Astronomia e astrologia por algum tempo no passado foram praticamente a mesma coisa. Conforme a humanidade foi ganhando novos conhecimentos, uma delas tomou o caminho científico, de se corrigir, se adaptar e abandonar aquilo que não funciona.

Ou será que estou errado?

O que eu faço na divulgação científica é tentar evitar uma ou outra baixa numa guerra perdida. Eu sei que não vou viver pra ver uma sociedade onde predomine uma cultura científica. Talvez ninguém, em qualquer tempo ou espaço, vá. E talvez, um dia, a extinção da nossa espécie acabe vindo justamente dessa falta de cultura científica.

Mas eu não deixo de achar espantoso como a falta de cultura científica, aliada com a falta de pensamento crítico, gera situações completamente irracionais.

Coisas como suicídios em massa em seitas e histerias coletivas, coisas como a proliferação de teorias conspiratórias, de lendas urbanas ou mitos populares… E coisas como invadir um importante instituto de pesquisas pra roubar animais e destruir tudo.

Uma das coisas que eu acho muito legal em Ciência, e que se une muito bem ao pensamento crítico, é aceitar e saber conviver com a ideia de que você pode estar errado.

Não somente na ação, mas também na repercussão (principalmente nos paratribuniais que se tornaram as redes sociais) nota-se que não há um puto sequer que se levanta, para, e pensa: “hey, e se por acaso eu estiver errado?”.

Não “errado” no sentido moral da coisa. Errado no sentido de: será que eu tenho conhecimento suficiente para fazer essa afirmação? Será que eu tenho evidências suficientemente boas para essa acusação? Será que isso que estou compartilhando na minha timeline é originado de uma fonte confiável? E se eu não estou bem informado, será que há uma forma de me informar melhor sobre isso e saber o que está acontecendo? Quando esse sujeito diz que eu posso estar enganado, será que ele pode estar certo? Será que ele possuí informações mais válidas que as minhas? Será que as evidências que ele apresenta são mais confiáveis que as minhas? POR MIL CARALHOS, SERÁ QUE ESTOU REALMENTE ERRADO?!?

Outra coisa legal da Ciência é a ideia da importância das perguntas. O Neil deGrasse Tyson falou disso no painel do Cosmos na ComicCon. O Guia do Mochileiro das Galáxias nos ensina o quanto uma pergunta pode nos impressionar mais que uma resposta.

Já dizia o Dwight, “antes de fazer alguma coisa eu me pergunto: um idiota faria isso? E se a resposta for sim, eu não faço”.

Tem muita gente fazendo coisas idiotas por aí. E talvez, um dia a extinção da nossa espécie acabe vindo justamente de uma ação idiota.

Apenas um cachorro em um experimento científico

Apenas um cachorro em um experimento científico

Ratos em garrafas

Convido vocês para um exercício de imaginação, supondo uma situação totalmente hipotética e sem qualquer paralelo com qualquer situação real que possa ter acontecido nos últimos dias.

Você está assistindo ao noticiário, ou está procrastinando nas redes sociais, e se depara com a informação de que um sujeito encontrou um pedaço de rato morto em uma garrafa da famosa e fictícia bebida Alô Diabo.

alodiabo

Talvez a sua primeira reação seja ficar horrorizado, prometer a si mesmo que nunca mais beberá do refrigerante e alertar seus amigos para que façam o mesmo. É compreensível. Ou talvez sua reação seja parecida com a minha, e considere essa história um tanto estranha, pouco provável de acontecer.

Se uma história parece ser tão absurda pra ser verdade, talvez ela não é verdade. E existem várias histórias populares que são absurdas demais para serem verdades, que geralmente não são, mas que são contadas por aí. Chamamos de Lendas Urbanas.

O Dr. Jan Harold Brunvand é um folclorista que pesquisa sobre Lendas Urbanas. Nos seus livros, Too Good to Be True: The Colossal Book of Urban Legends e Encyclopedia of Urban Legends, Dr. Brunvand comenta sobre essa interessante história das alegações de ratos em garrafas de “Coca”.

Entre 1914 e 1976 foram registradas 45 ações jurídicas com casos do tipo. Embora as ações existam, o que caracteriza a lenda é que o que conteúdo da história passada adiante, boca a boca, não é o mesmo conteúdo das ações.

Enquanto o processo jurídico pode estar tratando de diferentes marcas, de diferentes situações, e até mesmo diferentes sentenças, a história passada adiante é a de que um rato foi encontrado na Coca-Cola. Porque contaminação de alimentos sempre chama a atenção, e porque a Coca é a principal marca de refrigerantes.

mouseincoke

Voltando para nossa história imaginária, seria como se o sujeito entrasse com uma ação judicial contra a Alô Diabo, mas não comparecesse para a perícia médica, nem entregasse a garrafa para a perícia técnica, e como essa é uma situação imaginária, poderia ser apenas alguém tentando aplicar um golpe na empresa. Ainda assim, a história passada adiante continuaria sendo a de que “um sujeito encontrou um rato na garrafa da Alô Diabo”.

Penso que um rato nos tanques de envase provavelmente entupiria os canos e os bicos enchedores. Mas como nosso exemplo é imaginário, digamos que por algum motivo qualquer um rato acabou passando pelos processos de limpeza das garrafas, pelos processos de controle de qualidade, e que foi envasado junto do líquido. Foi transportado da envasadora até uma unidade distribuidora, e então, para um mercado, bar, ou outro estabelecimento onde é possível obter um delicioso refrigerante da marca Alô Diabo, sem que os outros produtos do mesmo lote também tenham sido contaminados.

ratinho2

Alguém poderia se lembrar daquela outra Lenda Urbana que diz que alguns refrigerantes podem dissolver pregos e querer justificar que um suposto rato estaria dissolvido em poucos dias. Mas refrigerantes não dissolvem pregos. O que não quer dizer que necessariamente não dissolvam ratos.

O veterinário Lawrence McGill foi testemunha no caso Mountain Dew. Disse em seu depoimento que um rato na bebida estaria dissolvido em 30 dias, restando apenas o rabo. Na nossa simulação, o rato estaria dentro da garrafa há mais de 10 anos. Talvez nem precisasse de tudo isso pra já estar se decompondo.

Se essa fosse uma situação real, você poderia estar pensando: “mas eu vi um rato dentro da garrafa lacrada…”. Essa seria uma boa evidência, não fosse o fato de ser fácil tirar a tampa de uma garrafa sem romper o lacre.

"Com grandes poderes vem grandes responsabilidades"

“Com grandes poderes vem grandes responsabilidades”

Agradeça nossa amiga dilatação térmica, capaz de fazer um material encolher quando esfriado e expandir quando aquecido. Uma tampa tem quase 1 mm de aumento no diâmetro quando colocada a uma variação de cerca de 75°C (seria como tirar ela de um ambiente a 25°C e colocar na água fervendo). Pode parecer pouco, mas já é suficiente para que, com um pouco de cuidado, seja possível tirar a tampa com lacre e tudo. Não tentem fazer isso em casa…

Falhas em processos industriais podem acontecer, e existem outros casos de contaminação de alimentos por aí. Talvez no mundo real uma série de eventos infelizes acabe fazendo com que alguém encontre um rato numa garrafa. Não acho que tenha sido o caso da nossa história de ficção, em que qualquer semelhança com eventos reais, foi mera coincidência.

Mais um motivo pra você não acreditar em mentirosos

Em 21 de Abril de 2003, Amanda Berry desapareceu após deixar o trabalho, algumas quadras da sua casa em Cleveland. Em Novembro do ano seguinte a mãe de Amanda, Louwana Miller, foi ao programa de TV The Montel Williams Show.

No programa, a senhora Miller se encontrou com Sylvia Browne, e se você não está acostumando com o mundo do charlatanismo, eu te digo quem Sylvia Browne é. Ela é uma mentirosa profissional. Das piores. Alega ter poderes psíquicos, se comunicar com mortos e todo esse tipo de coisa.

Aqui vai o trecho mais importante da conversa das duas no programa:

Miller: Você pode me falar se eles vão encontra-la? […]
Browne: […] Ela não está viva, querida. […]

Sylvia Browne afirmou para Louwana Miller que Amanda Berry estava morta. Você consegue imaginar o que é isso? Você está procurando sua filha desaparecida, e alguém que alega ter superpoderes psíquicos te diz que ela está morta…

Segunda, 6 de Maio de 2013, a Polícia de Cleveland encontrou três mulheres que estavam sendo mantidos em cativeiro. Uma delas era Amanda Berry. Viva.

O problema com os enganadores é que quando eles não estão usando alguma técnica pra extrair a informação de você, eles estão simplesmente mentindo. E eles estão por toda parte. Seja em programas de TV, seja nas ruas. As vezes podem até passar despercebidos (o cara é gente boa, só quer ajudar), mas estão ali, vendendo falsas esperanças ou ceifando as verdadeiras. Atingindo o ponto fraco de suas vítimas.

Previsões do futuro, mensagens dos mortos, curas milagrosas… Combater esse tipo de misticismo não é uma tarefa fácil. Só um charlatão venderia uma solução mágica para um problema complexo. Tão importante quanto você não cair nesse tipo de armadilha, é educar as pessoas ao seu redor para que elas também não caiam.

A propósito, em 2 de Março de 2006, Louwana Miller morreu de ataque cardíaco três meses após ser internada com pancreatite. Amigos acreditam que a declaração de Browne pode ter contribuído para debilitar sua saúde. De qualquer forma, Louwana morreu sem ver Amanda voltar pra casa. E ninguém poderá contar, porque não podemos falar com os mortos.

 

Foto: AP Photo / Tony Dejak

Foto: AP Photo / Tony Dejak

 

Chemtrails x Contrails

Você andando pela rua olha para o céu e vê um OVNI avião comercial.  Você percebe que ele deixa pelo caminho uma espécie de nuvem branca. Você não sabe o que isso é, mas como não pode controlar a curiosidade, ao chegar em casa tenta achar algo sobre isso na Internet. Então, é bastante provável que você acabe lendo algo sobre chemtrails.

Chemtrail (do inglês, trilha química) é uma teoria conspiratória, daquelas bizarras. Os adeptos da conspiração do chemtrail alegam que aviões supostamente comerciais são usados para jogar produtos químicos na atmosfera, com o objetivo de controle climático e populacional.

Spock não vê lógica nos chemtrails.

Não que eu queira tirar o direito de alguém pensar que os Illuminatis, a NWO, ou o governo estão tentando nos matar. Mas acontece que o que os conspiracionistas chamam de chemtrail é um fenômeno conhecido e um pouco mais inofensivo.

Contrail (do inglês trilho de condensação) é o nome daquela trilha de “fumaça” branca que acompanha algumas aeronaves em altitude de cruzeiro. É uma trilha de condensação deixada pela presença do gás quente da saído da turbina do avião em contato com a atmosfera fria. Conspiracionistas dirão que há “diferença” entre contrails e chemtrails. Dirão que os contrails duram poucos segundos, enquanto os chemtrails permaneceriam até por horas na atmosfera. Por isso, entender como os contrails podem ser formados é um passo importante para entender porque os conspiracionistas estão errados.

Os dois principais fatores responsáveis pela formação de contrails são a temperatura e a umidade da atmosfera. Veja o gráfico:

 

grafcontrail2

Esse gráfico vai nos ajudar a descobrir quando e como um contrail vai se formar. A área azul é uma região de condensação (mudança de gasoso para líquido), ali os trilhos podem ser formados (carinha feliz). A área cinza é uma região de formação de gelo, é o que define a duração do contrail. E a área branca é uma região de sublimação (mudança de sólido para gasoso), onde nunca teremos a formação de rastros (carinha triste). O combustível do avião é queimado e o escapamento libera o gás da combustão, quente e úmido. Então colocamos nosso avião no canto superior direito do gráfico.

O ponto A no gráfico representa a condição atmosférica na altitude de voo da aeronave (temperaturas abaixo de 0 °C). O material liberado vai começar a entrar em equilíbrio com o ambiente, descendo para o ponto A no gráfico.

Três tipos de contrails podem se formar, dependendo da posição do ponto A, e das áreas que o caminho entre o avião e o ponto A cruza.

 

Contrail de vida curta

Contrail de vida curta

 

Esse é um Contrail de vida curta. Ele vai se formar quando a atmosfera estiver seca (o ponto A está na área branca). No gráfico o caminho da temperatura entre o avião e ponto A passa muito pouco por dentro da área azul, passa rapidamente pela área cinza (pelo tempo de duração do contrail) e sai para a área branca, desaparecendo.

 

Contrail persistente

Contrail persistente

 

Em um Contrail Persistente o ponto A está exatamente na borda que divide a área cinza da área branca (um pouco úmido). No caminho entre o avião e A, há um tempo maior dentro da área azul e da área cinza, tornando o rastro visível por muito mais tempo.

 

Contrail espalhado

Contrail espalhado

 

Em um Contrail espalhado o ponto A está dentro da área cinza (umidade maior). O gelo não vai sublimar e se espalhará pelo céu com características de uma nuvem do tipo cirrus.

Se o caminho não passar pela região azul, então não serão formados contrails.

E ainda pode ficar mais interessante. Se onde você mora é possível ver o trafego de aeronaves, você pode usar o conhecimento sobre os trilhos de condensação para estimar a umidade do ar na altitude de voo em que o avião está. Um ar seco não deixará rastro, um ar um pouco úmido deixará um contrail que logo se dissipará. Caso o contrail persista, temos um ar úmido, e se ele se espalhar pelo céu, significa que o ar está bastante úmido. Faça o teste, acompanhe os contrails por alguns dias e confira com a meteorologia do local. 😉

O post mais previsível do ano

 

Ou não.

 

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM