Normalmente quando falamos do passado da espécie humana pensamos nos caçadores-coletores que extinguiram diversas espécies. Mas nem sempre é o dia do caçador.

Tirinha reutilizada para valorizar o contexto.

Round 1 – Hienas

© Fonte 1

O fio de cabelo humano mais antigo já encontrado pertencia a uma múmia chilena de 9 mil anos. Mas o recorde foi quebrado com folga. Foram encontrados na África do Sul fios de cabelo com pelo menos 200 mil anos de idade (entre 195 e 257 mil anos). O grande detalhe é onde os fios foram encontrados:

Fezes fósseis de hiena marrom (Parahyaena brunnea), ou pelo nome científico – que dá muito mais glamour ao achado – coprólitos de hienas. Com isso enriquecemos o conhecimento sobre mamíferos na região e de quebra flagramos um caçador que se deu mal [1]. E não é o único caso.
Round 2 – Leões
Todos já ouviram falar da bactéria descoberta na década de 80 que provoca problemas gástricos nos mais azarados, a Helicobacter pylori. Esta bactéria já está presente em nossos estômagos desde que habitávamos a África, e a parente mais próxima dela é a Helicobacter acinonychis, que infecta grandes felinos como tigres e leões.
Um estudo comparou as diferenças genéticas entre a Helicobacter humana e felina. Eis que a linhagem dos gatinhos possui 92 genes parecidos com a nossa, mas degenerados, além de uma série de genes novos. Muito mais provável do que nossa bactéria divergir da deles e reparar 92 genes, é que a bactéria felina tenha surgido a partir da nossa, tenha perdido os genes que não eram mais úteis e adquirido genes que sejam importantes para se defender do sistema imune do novo hospedeiro, evento que deve ter ocorrido há cerca de 200 mil anos – a variação aqui é bem maior, entre 50 e 400 mil anos, já que não se trata de datação por decaimento nuclear, e sim por diferença genética.
Como ela foi parar dentro dos leões? Provavelmente algum leão comeu uma coxinha de africano que não caiu tão bem e deu aquela gastrite. A convivência posterior com outros caçadores foi suficiente para espalhar a bactéria, assim como nós contraímos hoje em dia. Quem manda comer macaco pelado de procedência dúbia…
Vi no Neatorama e no The Loom.
Fontes:

[1] Backwell, Lucinda, Robyn Pickering, Don Brothwell, Lee Berger, Michael Witcomb, David Martill, Kirsty Penkman, e Andrew Wilson. “Probable human hair found in a fossil hyaena coprolite from Gladysvale cave, South Africa..” Journal of Archaeological Sciencedoi 10.1016/j.jas.2009.01.023.

[2] Eppinger, Mark , Claudia Baar, Bodo Linz, Günter Raddatz, Christa Lanz, Heike Keller, Giovanna Morelli, Helga Gressmann, Mark Achtman, e Stephan C Schuster. “Who Ate Whom? Adaptive Helicobacter Genomic Changes That Accompanied a Host Jump from Early Humans to Large Felines.” PLoS Genet 2, no. 7 (Julho 28, 2006): e120. doi 10.1371/journal.pgen.0020120

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...