E na foto com história de hoje, duas lindas plantas. Primeiro a Monotropa uniflora ou planta fantasma, que tem este aspecto pois não possui clorofila (imagens da Wiki):

Monotropa_uniflora.jpg
cano_indiano.JPG
Monotropa_uniflora_vermelha.JPG

E agora as belas Afrothismia hydra e Afrothismia winkleri (créditos Vincent Merckx) que expõe para fora do solo suas flores:
Afrothismia_hydra.jpg
Afrothismia_winkleri.jpg
Agora, como plantas podem viver sem clorofila ou enterradas no solo? Parasitando. Pior ainda, parasitando parasitas. Muito da diversidade e riqueza vegetal se deve a fungos de solo e suas micorrizas, associações entre fungos e plantas, uma vez que eles fornecem às plantas água e nutrientes do solo e elas fornecem açúcares formados na fotossíntese.
Claro que nem sempre a associação é tão pacífica, e muitos fungos podem apenas captar recursos das plantas sem fornecer nada em troca. O que a planta fantasma e as Afrothismia aí acima fazem é a chamada mico-heterotrofia, ou seja, as raizes destas plantas parasitam as hifas dos fungos que se associam a outras plantas (simbiontes ou parasitas).
Graças a este estilo de vida, elas não precisam mais produzir a própria energia e podem dispensar a clorofila e as folhas, e investir apenas em raízes e flores, para crescer e se reproduzir como todo bom parasita.
Meus parabéns a Roberto Takata, Luis Carlos Moreschi, e Gerardo Furtado pelos acertos.

Para mais:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...