Foto da estante, agora que não compro mais cópias físicas (a não ser quando são muito melhores).

Foto da estante, agora que não compro mais cópias físicas (a não ser quando são muito melhores).

Aproveitando a inevitável onda de listas de fim de ano, aproveito para comentar aqui o melhor deste ano. Tentei manter uma lista de interesses diversos, embora sempre tenha mais biologia; não são necessariamente livros que foram publicados em 2015. Vários outros bons livros não entraram na lista pela restrição a 10 títulos e porque quis evitar obras não traduzidas. Os poucos em inglês que incluí estão no final da lista. [comprar os livros via o link de afiliados ajuda com a aquisição dos próximos ;)]

A lista completa dos cinquenta e tantos que li este ano com comentários está aqui – para ver os comentários, basta clicar em view (with text) à direita. Na verdade, em grande parte é o que ouvi, a maioria dos livros que cito foram “lidos” como audiolivros.

Sapiens, uma breve história da Humanidade, por Yuval Harari 
O Harari é um autor genial. Há muito tempo não lia um livro como esse, que combina história, ciência e fatos com filosofia. Explica como o ser humano tem a capacidade de acreditar em ideias e mentiras. E a diferença que isso faz para que trabalhemos coletivamente. Um dos pontos que mais gostei é a descrição de como mudamos de uma sociedade que aceita preceitos ideológicos (e religiosos) para uma que admite a ignorância e trabalha para resolver isso fazendo ciência.

Encaro como uma versão moderna e atualizada do Armas, Germes e Aço, com mais filosofia e menos fatos e números. O tipo de livro que faz você ver o mundo de outra forma, tanto que citei em diversos Nerdologias e aulas. A conclusão discutindo o estilo de vida moderno, consumismo e felicidade é a cereja no bolo.

A Segunda Era das Máquinas, por Erik Brynjolfsson e Andrew McAffe

Um livro bastante atual e necessário para entender as mudanças que estamos passando. Discute da entrada na era da informação ao tipo de trabalho que será (está sendo) perdido para as máquinas. Descreve muito bem a situação de mídia e emprego corrente, mudanças tecnológicas e de ensino, bem como perspectivas futuras. Recomendo a qualquer um que trabalhe com algo que esteja mudando com tecnologias recentes. E professores.

 

 

 

O Filtro Invisível: o que a internet está escondendo de você , por Eli Pariser


Relutei para ler, achando que fosse tratar de um tema raso de forma repetitiva ou com um longo argumento. Ou que fosse falar sobre o que já foi dito em outros livros do gênero como A Informação. Nem próximo disso. Ótima argumentação e fundamentação sólida em cognição. Tanto que, mesmo sendo de 2011, não está desatualizado. E o mais legal, quando o Eli Pariser cita alguma teoria da cognição, explica rapidamente sem precisar re-descrever tudo, citando uma fonte mais completa.

 

 

Como Aprendemos, por Benedict Carey

Uma modernizada com pesquisa recente e ótimos exemplos sobre como aprendemos. Com exemplos práticos e bem relevantes de como aprender mais ou melhor. Eu não fazia ideia da importância de esquecer no processo. Algumas recomendações que ajudam a aprender e lembrar com mais facilidade:

  • Estudar em ambientes variados
  • Variar o tema de estudo em um mesmo dia.
  • Quebrar o tempo de estudo em mais dias, vale mais 1h por dia por 3 dias do que 3h em um dia.
  • Dormir entre o estudo e a prova.

O Cérebro Imperfeito, por Dean Buonomano


Muito bem escrito, muito bem explicado e cheio de exemplos que tornam os conceitos perfeitamente transponíveis para o cotidiano. Apesar de já ter lido vários livros sobre bugs do cérebro, pouco reuniram e discutiram os conceitos e descobertas de forma tão clara e aplicada ao mundo real.

Como bônus, o Buonomano viveu anos no Brasil e cursou biologia na Unicamp, o que rendeu algumas passagens com as quais podemos nos identificar bem. Algo raro em livros de autores internacionais.

 

 

De que são feitas as coisas: As curiosas histórias dos maravilhosos materiais que formam o mundo dos humanos, por Mark Miodownik 


Um livro de química com excelentes curiosidades. Explica de como o concreto é feito ao que dá o geladinho na língua do chocolate.

 

 

 

 

 

 

Biologia, Ciência Única, por Ernst Mayr


Não sei porque demorei tanto para ler.  É um livro fantástico. A amarração das ideias, a apresentação da diferença entre biologia e ciências exatas, a descrição dos pontos defendidos por Darwin. É impressionante a lucidez de Mayr ao escrever esse livro com mais de 90 anos e o quão evidente fica a experiência dele em cada parágrafo.

Recomendo mais para cientistas, em especial biólogos, como forma de reavaliar a área e entender como nosso conhecimento se insere dentro da ciência.

 

Domesticated: Evolution in a Man-Made World, por Richard C. Francis 

Excelente livro, daqueles que recomendo para muita gente. Reconta a domesticação de muitos mamíferos, falando de paleontologia, evolução humana e animal, história, surgimento de raças, genética e mais. Conta como o cachorro serviu (e serve) de comida por muito tempo, que gatos ainda são bem selvagens, que renas vêem no espectro UV, que camelos tem uma senhora resistência física e muito mais coisa interessante. INteressante para quem não sabe sobre evolução, quem se interessa por animais ou mesmo cientistas da área. Infelizmente, ainda não saiu no Brasil.

 

 

Smarter Than You Think: How Technology Is Changing Our Minds for the Better, por Clive Thompson

Começa com uma excelente perspectiva de como a tecnologia pode aumentar nossa capacidade intelectual e segue dando exemplos de quando isso acontece de fato, quando não acontece e porquê. Me surpreendi principalmente com a explicação de memória coletiva e como pessoas em grupos (como casais) acabam dependendo uns dos outros para lembrar mais coisas. Vale também pelo recap de tecnologias que acabariam com nossa inteligência mas não acabaram.

Achei o melhor contraponto ao argumento de que tecnologias estão nos tornando burros ou sem conteúdo.

 

Inheritance: How Our Genes Change Our Lives–and Our Lives Change Our Genes, por Sharon Moalem
Explicações de genética como eu não lia há algum tempo. Claras, com exemplos interessantes e sem sensacionalismo. Achei que ele deu muito peso para a noção de que “estamos o tempo todo reprogramando nosso código genético”. Mas, no fim, deixa bem claro quais são as situações em que isso acontece. Além de ótimos exemplos de mutações, fenótipos e doenças genéticas curiosos ou importantes.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...