Blogueiro do Science Blogs entre os finalistas do Prêmio Jovens Inspiradores

É com imensa alegria que o Science Blogs Brasil anuncia que tem o nosso blogueiro Otto Werner do blog SynbioBrasil como um dos finalistas do Prêmio Jovens Inspiradores. Esse prêmio é promovido por VEJA.com e Fundação Estudar, o concurso pretende revelar pessoas que querem fazer do Brasil um país justo, desenvolvido e bem administrado. Ao longo de 2012, o concurso selecionou estudantes ou recém-formados com espírito de liderança e compromisso permanente com a busca da excelência.

Conversando com o Otto por e-mail ele me falou que uma das fases do concurso foi responder por meio de um ensaio: Como você pode mudar o Brasil? “O Brasil é cheio de problemas. Mas boa parte deles poderia ser melhor resolvida com uma economia mais competitiva e a base disso é o empreendedorismo, conta Otto. Como a minha área de interesse é a biotecnologia, argumentei no meu ensaio sobre como a Biologia Sintética é uma área estratégica para investimento e geração de soluções com grande impacto econômico e ecológico. Disse que o Brasil ainda é pouco interdisciplinar e que esse é o grande entrave para ainda estarmos atrasados (uns 10 anos) em Biologia Sintética. Portanto, é necessário o investimento em iniciativas que estimulem o “bioempreendedorismo” interdisciplinar como as do Clube de Biologia Sintética, que estimula a criação de projetos para o iGEM, a competição internacional de máquinas geneticamente modificadas”


Depois de escrever o ensaio Otto ainda participou de dinâmicas de grupo e fez uma apresentação para “gente de peso” como o engenheiro Vicente Falconi, os donos da Ambev, diretores da Abril e mais outras pessoas que ele nem se lembra por causa do nervosismo.

E agora que ele está entre os 10 finalistas você pode ajudá-lo votando no site do Prêmio http://veja.abril.com.br/premio-jovens-inspiradores/votacao.html Mas como o próprio Otto nos disse: “Se tiverem tempo, vejam os outros finalistas também, os moleques e molecas são fodas!”

Para saber mais sobre o Otto assista ao video feito pela organização do Prêmio:

Um raio-x dos bastidores

Assim como toda empresa tem sua copa ou sala do café e todo grupo de laboratório tem sua lanchonete favorita para fofocar até o queixo amolecer colocar os assuntos externos em dia, o Science Blogs Brasil tem a sua lista interna de emails que serve para os blogueiros tirarem dúvidas, comunicarem coisas importantes, comparar o tamanho dos artigos e parabenizar os biólogos no dia 3 de setembro.

O que segue é uma discussão recente acerca de um assunto sério; quando um de nós morrer, o que acontecerá com o nosso blogue?

de: Igor Santos – 42.
para: discussão
assunto: “em caso de morte, publique meus rascunhos”

Qual é a nossa política, quanto aos blogues, em caso de morte? Podemos deixar um testamento virtual ou um autoepitáfio pós-morte? Ou ainda expirar nossos textos junto com o nosso último suspiro?
Garanto que quase todo mundo aqui tem rascunho suficiente para muitas publicações mal-assombradas do além-túmulo. Será que vale a pena publicar os melhores para mostrar “o que poderia ter sido”?

O que vocês acham?

Alan Mussoi – Nightfall in Magrathea

Eu deixo agendado.

Claudia Chow – Ecodesenvolvimento

sabe q as vezes eu fico pensando, se eu morrer, quem vai avisar vcs? da minha familia acho q ninguem conhece vcs!

Claudio Angelo – Curupira

Xiii… devo fazer uma gaveta, então? Porque vivo ninguém lê o meu blog, morto é capaz de eu não conseguir nem atualizar mais.

Luiz Roberto – Massa Crítica

Como fazer um sistema seguro para ser aberto em caso de morte?

Com as senhas dos sites e contatos que devem ser avisados.

Já pensei nisso (não muito). E não consegui pensar em um sistema que possa ser alterado facilmente e que seja seguro (até em caso de furtos na residência).

Até

Igor Santos – 42.

Tem uns sistemas esquema dead man’s switch. Toda semana, ou a cada quinze dias, você tem que dizer que ainda está vivo. Se passar da data, ele manda uma mensagem para uma terceira parte apontada.

Existe também um modelo mais antigo, chamado “cartório”, que é o primeiro a saber da sua morte. Para coisas mais importantes que um rascunho de blogue você pode fazer um testamento com cláusulas confidenciais e tal.

Isis Nóbile Diniz – Xis-Xis

Sabe que também penso nisso? Já até cogitei deixar todas as minhas senhas com meu irmão…

Luiz Bento – Discutindo Ecologia

Acho que o Igor está preocupado com sua viagem para o Rio…

Igor Santos – 42.

Não necessariamente. Eu tenho um post agendado para “daqui a um mês” que tento mudar pelo menos uma vez por semana com uma “mensagem do além” em caso de morte e pensei nisso quando fui atualizar para dia 5 de outubro incluindo “minha morte incendiária naquele avião”, porque eu quero ficar famoso prevendo a minha própria morte. Mas isso é outro assunto.

André L. Souza – Cognando

Li em algum lugar que uma mulher previu a propria morte e, com medo de estar certa, se matou antes da data…

Gabriel Cunha – RNAm

LOVE U ALL!

Essa lista é foda, muito melhor que ficar assinando feed =)

anônimo 2

Quando eu tiver 62 anos, um coração com 4 pontes e estiver morando na casa da sogra, talvez eu me preocupe com isso…

Samir Elian – Meio de Cultura

Aquele momento cobstrangedor que as pessoas do busao te olham estranho pq vc deixou sair um riso um pouco alto demais…

Igor Santos – 42.

Alguma posição oficial?

Kentaro Mori – 100nexos

Nós temos os dados de contato de todos os sciblings, mas ainda mais com o crescimento da rede, é realmente uma boa ideia.

Vamos formalizar isso, mas de pronto basta enviar instruções para mim e o Atila do que fazer caso @ scibling não esteja mais entre nós. As instruções são sigilosas, e como eu e o Atila nunca embarcamos no mesmo avião, sempre pensando nessas coisas, ou eu ou ele garantiremos que elas sejam cumpridas.

Abs

Carlos Hotta – Brontossauros em meu Jardim

Não tenho mais voz oficial mas acho que a posição é algo como:

“Não morram.” e “Se vcs morrerem, seus posts serão os últimos de seus problemas.”

Igor Santos – 42.

Minha expectativa é: vasculhem meus rascunhos e decidam o que fazer com eles.
Minha realidade é: estarei morto, não me importarei.

Meu desejo real: coloquem na capa do blogue “IGOR MORREU! BWAHAHAHAHAHAHA” e algo chocante, tipo a foto do acidente dos Mamonas ou a de um lindo gatinho recém nascido com a inscrição “i can haz reincarnation?”

Claudio Angelo – Curupira

Faço minhas as palavras do Igor.

Atila Iamarino – Rainha Vermelha

No site do Igor o máximo que eu colocaria é um “in case of death, do not baptize”

Temos como publicar posts deixados em rascunho, basta o Scibling em questão deixar instruções ou afins. Mas também prefiro a tática do não morram, por favor.

Isis Nóbile Diniz – Xis-Xis

Vixe, meus rascunhos ficam no meu computador! Por favor, peçam para meu respectivo passarem para vocês. Aliás, também quero uma mensagem igual a do Igor, fiquei com inveja.

Gabriel Cunha – RNAm

Eu vou tirar uma foto de Elvis Gordo e pedir para vocês adicionarem a legenda “Gabriel has left the building”. Pode ser, chefia?

Atila Iamarino – Rainha Vermelha

uma foto dessa vai deixar sérias dúvidas se você morreu de fato

André L. Souza – Cognando

Nesse caso poderia ser “Gone fishing with Elvis”

Gabriel Cunha – RNAm

Átila, essa dúvida é melhor ainda: mais clicks no SBBr. Tem também a ironia de um hype desses fazer com que eu contribua mais morto que vivo =)

Se eu tirar a foto de Elvis e colar num fundo com um disco voador então…

Ana Arantes – O Divã de Einstein

Antes que alguma dúvida apareça, queria deixar registrado que eu (ainda) estou viva, embora meu blog esteja em coma.

Obrigada,

Rafael Soares – RNAm

Gone fishing whit Elvis.Ass: RNAm

Bem-vindo, Pó de Imburana!

Do rapé do cerrado, o Pó de Imburana, à ciência, tecnologia e inovação, com foco em pesquisas e eventos da região da grande Boston, nos Estados Unidos. Mas não só, explica Cristina Caldas, bióloga, mestre em Biologia Molecular pela Universidade de Brasília (UnB), doutora em Imunologia pela Universidade de São Paulo (USP) e especialista em jornalismo científico pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Depois de extrair muito DNA, transformar muita bactéria, purificar muita proteína, estimular muito linfócito, resolveu trocar a bancada do laboratório por uma mesa de escritório e um computador, passando a escrever sobre ciência, e além de colaborar com vários veículos de divulgação científica, já lista um punhado de posts que dão a cara do mais novo blog a fazer parte do ScienceBlogs Brasil:

Tenho escrito aqui no “Pó” – que tem uma certa cara de diário – sobre eventos (Dean KamenIgNobel2010) e exposições (MIT150) que frequento, reportagens de ciência que saem na mídia norte-americana (deixe-me ir), assim como certas elucubrações muitas vezes sem sentido (austersuco azulpato). Tenho certa fixação por capas de periódicos científicos (CellBandeira) e procuro, por pura curiosidade, saber o que pesquisam os brasileiros que estão por aqui (burdvídeocatarata). Dá para perceber que as pautas do “Pó” não se restringem ao que acontece na região da grande Boston.

Seja bem-vindo, Pó de Imburana!

[Foto Cerrado: Rafael Silva Oliveira]

Bem-vindo, Caderno de Laboratório!

Escrevendo diretamente da Alemanha, onde conduz experimentos com gases quânticos dipolares de cromo na Universidade de Stuttgart, o físico Emanuel Henn expõe no Caderno de Laboratório por que você pode também chamá-lo de “técnico em refrigeração com especialização em fotografia“.

Apaixonado por ciência, no mais novo blog Henn partilha seu entusiasmo e exercita, para nossa sorte, uma outra paxião: “ensinar, transmitir conhecimento“.

 

Aprecie um Nightfall in Magrathea

Escrito e editado por Alan Mussoi, estudante de Astrofísica na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, “Nightfall in Magrathea” é o mais novo blog de nosso condomínio onde ciência, ficção e bom Humor se encontram.

O título é uma referência dupla a clássicos da ficção científica, como Mussoi explica:

Nightfall: O anoitecer, o cair da noite. Também pode ser um conto de Isaac Asimov, ou um conto de Arthur C. Clarke. Também pode ser uma música, ou ainda, um personagem de quadrinhos, um jogo eletrônico, e até mesmo um filme ou uma série.
Magrathea: Do Guia do Mochileiro das Galáxias. Um planeta onde outros planetas são construídos. O planeta onde a Terra foi construída”.

Bem-vindo, NiM! Um lugar para a divulgação científica e o combate à pseudociência. Um espaço para as discussões sobre a vida, o Universo, e tudo mais.

Novo Blog: “Hypercubic”!

Uma nova dimensão, repleta de curiosidades, ficção científica, história, paradoxos e tudo mais. É Hypercubic“, o mais novo blog a se juntar à rede ScienceBlogs Brasil, comandado pelo “ajuntamento de moléculas orgânicas”, Renato Pincelli.

Conheçá já o Tesseract!

Novo Blog: “Meio de Cultura”!

O ScienceBlogs Brasil recebe seu novo participante, o microbiologista Samir Elian, com o blog Meio de Cultura!

Elian se aventura não apenas nas culturas de bactérias, como nas muitas acepções do termo, explorando-o em seu sentido mais amplo, fascinante e divertido. Como brinca, o Meio de Cultura inclui cultura, de bactérias a fungos! E muito mais.

Novos blogs a caminho!

Novos blogs!

A terceira rodada de novos blogs à rede ScienceBlogs Brasil foi um enorme sucesso! Dez blogs estabelecidos foram selecionados, e é uma enorme honra e alegria recebê-los. Eles serão integrados à rede pouco a pouco ao longo das próximas semanas, nos acompanhe para muitas novidades!

Tivemos tantos inscritos sensacionais que estamos nos esforçando para abrigar ainda mais ciência, e se o seu blog não foi selecionado você também deve ter recebido uma resposta no e-mail cadastrado sobre o status de sua inscrição. Aos novos autores inscritos para o Tubo de Ensaios, ainda devemos retornar todos os contatos.

Agradecemos imensamente a todos, e por favor, não hesite em falar conosco para que possamos colaborar na divulgação de cultura e ciência!

Royalties do Petróleo: Educação, Ciência,Tecnologia & Inovação e o PLS 448

A discussão em torno dos royalties do petróleo se resume à distribuição dos recursos entre Estados e Municípios, enquanto a ausência de percentuais definidos para Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação passa despercebida.

As notícias sobre a nova divisão dos royalties do petróleo revelam um único foco: a discussão da partilha dos recursos entre os Estados e Municípios produtores e não produtores. No entanto, pouco ou nada é mencionado sobre as demais alterações previstas no Projeto de Lei Substitutivo 448 aprovado no Senado. E são justamente essas mudanças que têm o potencial de desmantelar grande parte do desenvolvimento científico e tecnológico do Brasil.

Desse modo, as críticas e protestos das entidades científicas contra a nova proposta de lei se baseiam em um fato simples. Ao contrário do registrado nas Leis 9.478 (06/08/1997) e 12.351 (22/12/2010), o PLS 448 que as substituirá não faz nenhuma menção a qualquer percentual de recursos para as áreas de Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação (C, T & I).

De acordo com a Lei 9478, de 1997:

Art. 49. A parcela do valor do royalty que exceder a cinco por cento da produção terá a seguinte distribuição:

I – quando a lavra ocorrer em terra ou em lagos, rios, ilhas fluviais e lacustres:

d) 25% (vinte e cinco por cento) ao Ministério da Ciência e Tecnologia para financiar programas de amparo à pesquisa científica e ao desenvolvimento tecnológico aplicados à indústria do petróleo, do gás natural, dos biocombustíveis e à indústria petroquímica de primeira e segunda geração, bem como para programas de mesma natureza que tenham por finalidade a prevenção e a recuperação de danos causados ao meio ambiente por essas indústrias;

II – quando a lavra ocorrer na plataforma continental:

f) 25% (vinte e cinco por cento) ao Ministério da Ciência e Tecnologia para financiar programas de amparo à pesquisa científica e ao desenvolvimento tecnológico aplicados à indústria do petróleo, do gás natural, dos biocombustíveis e à indústria petroquímica de primeira e segunda geração, bem como para programas de mesma natureza que tenham por finalidade a prevenção e a recuperação de danos causados ao meio ambiente por essas indústrias.

Já no texto do PLS 448, o único parágrafo que trata de investimentos em Ciência e Tecnologia aborda o tema da seguinte maneira:

Art. 50-F. O fundo especial de que tratam as alíneas “d” e “e” do inciso II dos arts. 48 e 49 desta Lei, os incisos IV e V do § 2º do art. 50 desta Lei e as alíneas “d” e “e” dos incisos I e II do art. 42-B da Lei nº 12.351, de 22 de dezembro de 2010, serão destinados para as áreas de educação, infraestrutura social e econômica, saúde, segurança, programas de erradicação da miséria e da pobreza, cultura, esporte, pesquisa, ciência e tecnologia, defesa civil, meio ambiente, em programas voltados para a mitigação e adaptação às mudanças climáticas, e para o tratamento e reinserção social dos dependentes químicos.

Além disso, a PLS 448 afeta diretamente dois Fundos de Apoio ao Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico ao diminuir a parcela dos royalties destinada à União. Esses fundos (chamados popularmente de Fundos Setoriais) foram criados em 1997 para fortalecer o sistema de Ciência e Tecnologia no Brasil, sendo captados de contribuições sobre o faturamento de empresas e o resultado da exploração de recursos naturais pertencentes à União (como o petróleo, foco da discussão).

O Fundo CT-Petro será o mais atingido. Criado em 1997 e implementado em 1999 para estimular a inovação na cadeia produtiva do setor de petróleo e gás natural, ele é formado por 25% da parcela da União sobre os royalties que excederem 5% da produção, parcela para a qual a PLS 448 prevê uma diminuição de 30% para 20%. Além disso, a quota da União na participação especial (tributo sobre campos altamente lucrativos) também será redistribuída, passando de 50% a 42% já em 2012 e podendo ser recuperada, ano a ano, até alcançar 46%.

Como a nova legislação não prevê que o CT-Petro receba parte dos royalties, se a PLS 448 for aprovada existe a possibilidade dos fundos perderem no próximo ano quase 50% do que recebem atualmente. Os cálculos foram feitos pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e apresentados pela Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) em São Paulo, no Ato Público realizado no último dia 7 de novembro.

A verba desse fundo é aplicada na qualificação de pessoal e em projetos de pesquisa em parceria com empresas, universidades e centros de pesquisa. Se hoje existe impasse pelos aportes provenientes do petróleo é porque o CT-Petro ajudou a financiar a descoberta das jazidas do pré-sal. Em 2009, por exemplo, mais de 20 universidades e fundações de amparo a pesquisa de todo o país foram beneficiadas em uma única Chamada Pública MCT/FINEP/CT-Petro (link de acesso).

Outro que sofrerá com a PLS 448 é o CT-Infra, que tem o objetivo de ampliar e modernizar a infraestrutura e os serviços de apoio à pesquisa desenvolvida em universidades públicas e institutos de pesquisa. O orçamento do fundo é constituído por 20% dos recursos destinados a cada um dos Fundos Setoriais, de modo que a parcela do CT-Petro será perdida. Exemplos da quantidade e diversidade de projetos afetados podem ser consultados em uma Chamada Pública do MCT/FINEP/CT-Infra de 2010 (link de acesso).

A legislação vigente também direciona percentuais definidos para o Ministério do Meio Ambiente (MMA). Essa especificação foi igualmente removida e englobada no “fundo especial” caracterizado no Art. 50-F.

Investir em tecnologias e formas de desenvolvimento que diminuam o impacto do uso dos recursos naturais é um modo de tornar a exploração mais sustentável.  Se no futuro essa ação pode reduzir o prejuízo que traz a atividade, por que cortar verbas que deveriam ser investidas no monitoramento e mitigação dos danos que a exploração de petróleo causa? No livro Colapso (2005), Jared Diamond explica o interesse das empresas exploradoras de recursos naturais, como as petrolíferas, em proteger e monitorar o meio ambiente por uma constatação simples: prevenir grandes desastres é muito mais barato do que remediá-los.

As alterações despertam suspeitas: a PLS 448 propõe somente uma distribuição mais igualitária por todo o Brasil ou existe uma agenda alternativa que visa à utilização desse dinheiro de modo mais “independente” e de acordo com a conveniência de cada recebedor? Em uma época em que o Brasil figura entre as maiores potências mundiais e tem grandes reservas de petróleo à disposição, cortar investimentos em Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação é uma visão míope do futuro próximo e um erro nítido em longo prazo.

ScienceBlogs Brasil apoia a iniciativa da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e da Academia Brasileira de Ciências (ABC) no repúdio a esse projeto, e através de seus membros participou do Ato Público contra o Projeto de Lei Substitutivo 448 realizado dia 07/11/11 em São Paulo.

ScienceBlogs Brasil, 10 de Novembro de 2011.

 

Acesse a página da Petição Royalties do Petróleo: Educação e C,T&I, contribua com a sua assinatura e divulgue essa importante causa!

 

Fontes utilizadas na elaboração desse documento:

Em breve: uma constelação de novos blogs!

Recebemos uma quantidade recorde de inscrições: foram ao total 66 blogs, autores e autoras buscando dispersar ciências!

Ao longo do mês de novembro entraremos em contato com todos os inscritos com as boas notícias, ou com as não tão boas notícias. Agradecemos imensamente a participação de todos!

Desde já, aqui vai uma boa notícia: tentaremos aumentar as 10 vagas de blogs estabelecidos nesta rodada para acomodar o maior número possível de novos sciblings na maior rede de blogs científicos em português!

Categorias

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM