Vermicompostagem – ano zero

Desde um pouco antes da ação do Aldeia Sustentável no ano passado, eu e o Carlos vínhamos estudando sobre vermicompostagem. Tínhamos até trocado algumas idéias com o Ricardo, que vem estudando mais sobre permacultura. 
O Ricardo nos passou alguns links, e começamos de fato a estudar. Vários dos textos que achamos na internet eram, infelizmente, cópias uns dos outros, e tivemos dificuldade em achar os originais (tenho dúvidas se conseguimos). Tudo parece ser um amontoado de histórias e conhecimentos populares que foram se desenvolvendo ao longo dos anos. Uns testes aqui, outros acolá, e voalá! A vermicompostagem funciona.
Vou fazer uma série de posts contando mais sobre a minha própria experiência com a minha vermicomposteira. Espero achar mais informações e conseguir com isso abrir um espaço de trocas de idéias e também de dúvidas (eu ainda tenho várias). Espero que vocês se divirtam.
Para inaugurar, um #comofas
Como construir uma vermicomposteira
Há várias maneiras. Vou descrever como fizemos a nossa, um vermicompositor pequeno, para uma casa de duas pessoas, que não fazem todas as refeições em casa.
Ingredientes:
Três caixas de 15 L; 42,5 cm de comprimento; 34,0 cm de largura e 14,5 cm de altura, como estas daqui.
Uma tampa para a caixa.
Uma furadeira e brocas para furar madeira de ø0,5 cm e ø0,15 cm (ou de 0,1 cm).

Terra vegetal, composto (húmus de minhoca).
Minhocas do tipo “vermelhas californianas”.
Um “spray” e um ancinho de pontas rombas.
Modo de preparo:
1) Em DUAS das três caixas, faça furos no fundo, usando a furadeira e a broca para madeira de ø0,5 cm. Atenção: Tem de ser a broca para furar madeira, que tem três pontas bem afiadas. A broca para cimento não funciona muito bem. Os furos devem ser bem espalhados pela caixa. Eles permitem que a água escorra e as minhocas transitem entre as caixas. Reserve a caixa que não foi furada e as duas com furos.

2) Faça furos na tampa, usando a broca de 0,15 cm de diâmetro (ou de 0,1 cm). Elas permitem trocas gasosas da caixa com o ambiente. Quanto menor os furos e mais espassados, melhor. Os furos devem ser pequenos para evitar a saída das minhocas e a entrada de mosquitos, moscas e outros insetos. Reserve a tampa.
3) Pegue uma das caixas com furos e coloque cerca de 3 cm de terra vegetal. Sobre esta camada, coloque mais 3 cm de composto. Ajeite a terra e o composto com o ancinho. Evite misturar as camadas.
4) Coloque as minhocas.

5) Umedeça com a ajuda do “spray”. Lembre-se que minhocas gostam de lugares úmidos, mas não gostam de nadar. Reserve.
Montagem:
1) A caixa que não tem furos deve ser a que vai ficar em contato com o chão. Ela recolherá o excesso de água e o xorume liberado pela vermicomposteira.
2) A segunda caixa da pilha, deve ser a que tem furos, mas ainda está vazia.
3) Por fim, a caixa mais superior deve ser a caixa com a cama e as minhocas. Tampe. Deixe as minhocas se acostumarem com a casa por uma ou duas semanas, apenas observe a umidade.
4) Mantenha a caixa em local arejado e sombreado.
Observações:
+ Se sua família for maior, opte por caixas um pouco maiores.
+ As caixas e a tampa devem se encaixar perfeitamente, evitando a fuga das minhocas e a entrada de insetos.
+ Uma caixa a mais na pilha pode significar mais uma caixa para recolher umidade.
+ Observe a temperatura da sua caixa. As minhocas não gostam de temperaturas muito frias, nem muito quentes. Basicamente, o que for confortável para você, também será confortável para elas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 19 comentários

  1. Oi Phillipe,
    Na nossa composteira – que só atende um apartamento – a gente pica os alimentos antes de colocar. Entretanto, já vimos pessoas colocarem os alimentos inteiros. Eu acredito que a diferença vai estar na velocidade com que as minhocas vão conseguir processar o alimento que vc deixou pra elas, mas de todo modo vão fazê-lo.
    Acho que cabe um teste aí, do que é melhor pra vc. Tente primeiro inteiros, depois em pedaços, e veja qual se adequa melhor as suas necessidades. Depois vem aqui me contar! =D

  2. Phillipe disse:

    Esse sistema de vermicompostagem é a solução perfeita pra quem mora em apartamentos. Os alimentos precisam ser triturados antes de ser depositados na vermicomposteira?

  3. Oi Natália, tudo bem? Sinceramente eu não me lembro… mas eu usei essas caixas aqui http://www.allplastic.com.br/v2/PageProduto.aspx?busca=&id=22 – dá pra pedir um orçamento pelo site e ter uma ideia.
    Eu comprei as minhocas aqui http://www.moradadafloresta.org.br/. Se vc estiver em São Paulo, posso te dar parte das minhas, sem problemas. É só marcar em algum lugar que eu te levo.
    boa sorte.

  4. Natália disse:

    olá,
    gostaria de saber qual foi o custo de construção da vermicomposteira e onde consigo as minhocas
    obrigada

  5. Nao sei se eu entendi o que você está buscando, Paulo.
    Para o tratamento de água de chuva há procedimentos especiais caso você queira usá-los para consumo, entretanto, se quer usar apenas para vaso sanitário, lavagem de calçada, é apropriado que se utilizem filtros e se armazene a água em locais protegidos (evitando criadouro de mosquitos, por exemplo). Desconheço as técnicas, mas sei que existem várias e dependem do uso que você quer dar para a água depois de recolhida.
    Para resíduos orgânicos domésticos, a vermicompostagem é sim uma excelente alternativa. Variando o número e o tamanho das caixas, é possível compostar resíduos orgânicos de várias famílias.
    Abraços,
    Paula

  6. Oi Daiane,
    As minhocas devem ser as vermelhas californianas. Eu arrumei as minhas com quem já tinha uma vermicomposteira antes. Se você morar em São Paulo, podemos dar um jeito de eu entregar um lote pra você.
    Elas se reproduzem muito rápido e aos montes, mas isso não vai ser um problema. Elas mesmas controlam bem a população dentro da caixa, e diminuem a taxa de reprodução se a caixa fica “superlotada”. A melhor maneira mesmo é sair distribuindo minhocas e incentivando que as pessoas façam vermicomposteiras por aí.
    Abraços

  7. Paulo Alves da Silva disse:

    Achei fantástico tudo que foi explicado sobre vermicompostagem. Acredito que em curto prazo, deverá ser posto em prática rotinas de uso de resíduo doméstico, aproveitamento de agua de chuva para esgoto doméstico. E é sobre tratamento deste esgoto em edificios de pequeno porte (até 10 unidades)que venho buscando informação. Seria a vermicompostagem uma alternativa???

  8. Daiane disse:

    Só tenho uma pergunta. Como eu arrumo minhocas?
    Depois de um tempo elas não se reproduzem? Daí eu posso “descartar” algumas nas áreas verdes da cidade?

  9. Oi Ana!
    Em casa, nós vamos adicionando o lixo orgânico, sempre misturando para que as minhocas entrem logo em contato com a nova comida. Depois, com a caixa cheia, passamos ela para cima, ficando a caixa do meio só com a cama e começamos tudo de novo. Geralmente demoro uns 2 ou 3 meses para encher uma caixa, então, a caixa que foi pra cima, abarrotada, já tem pelo menos metade do volume e tudo já processado.
    De verdade? Nunca ouvi falar nem li nada sobre misturar minhocas. Usamos só as californianas e nunca tivemos problemas.
    Bj

  10. Oba!
    Acabaram de arrumar outra adepta!
    Já tenho duas perguntinhas: a gente vai adicionando lixo todos os dias, como fazemos a separação? Lixo dos dias anteriores que não foram processados ou totalmente processados, minhocas e adubo pronto?
    Li uma vez que para ser eficiente precisa de duas espécies de minhocas: vermelha californiana e gigante africana se não me engano. Vi que vcs só usaram a californiana. Tanto faz, usar um tipo ou os dois?
    Beijos!

  11. Oi Alexandre!
    Obrigada pelo comentário! Eu escrevi um post pra responder, porque ficou muito grande… http://scienceblogs.com.br/rastrodecarbono/2009/08/vermicomposteira_e_a_reciclage.php

  12. alexandre haus disse:

    ola, acabei de voltar da aula e estavamos discutinho exatamente a implantação deste tipo de vermicompostagem, gostaria de saber informações atualizadas sobre o processo, não entendi bem a colocação do material, coloca terra depois o residuo? que tipo de residuo pode colocar.? aguardo , grato

  13. Parabéns José Carlos!
    A gente também tem três caixas por aqui. Vou postar mais sobre a minha experiência em breve e sobre os pequenos problemas que já tive (se é que posso chamá-los de problemas, porque foram super tranquilos de se resolver).
    Mas fiquei interessada numa coisa que vc escreveu… Para onde vai o esgoto da sua casa? Vc tem uma fossa?

  14. José Carlos Côrtes disse:

    Oi Paula. Reforçando a sua experiência. Também faço a vermicompostagem em minha casa. Somos 4 pessoas, que fazem poucas refeições em casa, mas produzimos uma média/mes de 35 kilos de resíduos orgânicos (somente sobras de alimentos, cascas de frutas, preparo de alimentos e sobras de alimentos), que coloco em caixas de plásticos c/capacidade de 40 litros cada uma. Hoje possuo 3 caixas, que se mostraram suficientes para que possa manter os resíduos em processo por até 60 dias após a caixa cheia.
    Meu processo é colocar uma pequena forração de terra com minhocas, as sobras de alimentos e pequena cobertura de terra com algumas minhocas e folhas, corte de grama, e assim procedo até encher a caixa. Após cheia, deixo por até 60 dias, apenas molhando levemente, aprox. uma vez por semana.
    Ápós os 60 dias, faço a retirada e coloco em minha floreira, junto as flores, árvores.
    Fiz uma retirada hoje e vou tentar anexar algumas fotos. Produziram muitas minhocas e praticamente não se ve vestígios de alimentos.
    Já faço a quase dois anos, e com isto, apenas envio para o aterro sanitário municipal, no máximo 10% de todo resíduo que é produzido em casa.
    Atualmente, passei a descartar os papeis sanitários no vaso sanitário, que reduziu para apenas 0,1% de todo resíduo gerado em minha casa, é que é destinado para o aterro sanitário municipal. 99% é reciclado. aprox. 64% como resíduos orgânicos que são utilizados na vermicompostagem, 35% de materiais reciclaveis que são enviados para coleta pública ou catadores informais, e apenas 0,1% (aprox. 100 gramas) que foram enviados para o aterro sanitário.
    Vou tentar enviar algumas fotos.

  15. glenn disse:

    oi paula.
    muito bom este post, há tempos estou ensaiando o início de processos de compostagem lá em casa.
    a vermicompostagem me parece uma idéia muito boa.
    vou tentar montar esse aparato o quanto antes.
    muito obrigado pelos toques e aguardo ansiosamente pelos próximos posts para entender e conhecer cada vez mais a compostagem.

  16. Oi Tata,
    Que bom que vc gostou! Ainda tenho outros textos pra escrever sobre a vermicomposteira, espero te ajudar ainda mais!
    Não coloquei a torneira… fica um pouquinho mais difícil de tirar o chorume, mas na verdade, eu esperava bem mais chorume (acho que é porque minha composteira é pequena – ou talvez pq ainda não tenha acertado a quantidade de água que tenho que por, ou pq ainda estou numa fase de produção “teste” e tenho colocado pouco resíduo – ainda estou aprendendo com a coisa…)
    Deve rolar fazer de qualquer tamanho! Só acho que não pode fazer com caixas muito rasas, mas é só um achismo – tb estou tendo dificuldade de achar informação, estou aprendendo com os erros…
    Só cheira terra molhada, por enquanto. Mas a idéia é regular bem a relação C:N. Se tender pra mais N, aí começa a cheirar, então é só regular com folhas secas, folhas de papel picado ou serragem.
    Vc tem que fazer uma também! Assim aprendemos juntas! E ah! Acho que o mais importante disso tudo é conseguir as minhocas certas.
    Beijocas

  17. HEHEHEHE
    Aguarde os próximos posts e verás!

  18. Tata disse:

    Procurei muito sobre composteiras, mas quase sempre encontrava informações sobre onde comprar elas prontas, e não como fazer. Seu post veio bem a calhar! Posso aproveitar para fazer algumas perguntinhas?
    – Você colocou uma “torneira” na última caixa? Precisa ou não?
    – Será que rola fazer uma versão um pouco menor? Para os resíduos de apenas uma pessoa?
    – Não cheira???
    Ah, achei esse link sobre o funcionamento de uma “minhocasa”. Além do seu texto, foi um dos mais esclarecedores:
    http://www1.folha.uol.com.br/folha/equilibrio/noticias/ult263u440734.shtml
    Abraços!

  19. Eduardo Cruz disse:

    Só faltou explicar pra que serve uma caixa com minhocas 🙂

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM