Antioxidante em pílula NÃO funciona!

Ilustração de JOHN HENDRIX

Ilustração de JOHN HENDRIX

Se dizem que antioxidante é bom pra saúde, e se ele é ANTI (contra) oxidante, deve ser porque o tal OXIDANTE deve fazer mal. Hoje em dia a gente sabe que os oxidantes, que são os famosos os peróxidos e os radicais livres, acabam causando envelhecimento e câncer. Lembre-se que essas duas coisas são os dois lados da mesma moeda.

O lance é o seguinte: se você respira, você produz oxidantes. E não é que você inala os radicais livres voando pelo ar. É o seu corpo mesmo que está fazendo isso. De todo oxigênio que você respira, 5% vira um oxidante.

Mas não dá pra parar de respirar, né? Por isso muita gente toma antioxidantes em pílulas para evitar as rugas e os tumores, e já existe um mercado de 23 milhões e dólares nos EUA só pra isso. O problema é que essas pílulas NÃO FUNCIONAM!

Um grupo fez um estudo juntando 10 anos de pesquisa sobre esses suplementos antioxidantes e viram que eles não tiveram efeito nenhum, e um outro estudo encontrou que eles ainda podem é acelerar o aparecimento de câncer! Tem mais um estudo que mostrou que tomar antioxidantes antes de malhar ANULA o efeito do exercício. Ou seja, se tomar isso antes de correr você vai sofrer e suar feito um porco e não vai ter uma saúde melhor.

Sabe o que pode estar acontecendo nesse exemplo do exercício? Pensa comigo: a malhação é um estresse necessário, e quando alguém puxa ferro, ele está judiando do músculo, arrebentando as fibras, para depois o corpo se recuperar corrigindo o músculo e fazendo ele um pouquinho maior pra aguentar o próximo tranco no futuro. Qualquer exercício produz também oxidantes, e o corpo também produz antioxidantes naturais depois do exercício pra anular esses da malhação. E talvez sobre um pouco a mais desses antioxidantes naturais para fazer outros serviços, como combater outros radicais livres que não são do exercício, como os da poluição e do cigarro.

O que algumas pessoas têm pensado é que se você tomar antioxidante antes de malhar, o seu corpo vai perceber e não vai produzir os seus próprios. Só que o que vem na pílula não sobra pra ajudar em mais nada, e os radicais do cigarro vão continuar pelo seu corpo.

A salada é o tapa na cara das suas células

Além de exercícios físicos, tem um outro jeito de estimular os seus antioxidantes naturais: COMENDO SALADA!

Assim como o exercício, a salada é um mal necessário. E pelo mesmo motivo: gerar estresse no seu corpo pra ele poder responder naturalmente e melhorar. Várias substâncias nas verduras e legumes dão uma cutucada bioquímica no nosso organismo. É o caso do ardor da pimenta, do tanino do vinho e do fedor do brócolis. O corpo entende essas substâncias como levemente tóxicas, e por isso eles disparam uns alarmes e fazem as células acordarem e produzirem coisas boas como os antioxidantes.

Por isso, depois de comer a salada você ficaria com antioxidantes e outras substâncias sobrando para combater outras ameaças.

E eu disse “ficaria” porque essa ainda é uma ideia nova e precisa de mais estudos. Ninguém tem certeza se é isso que acontece mas parece um caminho interessante.

O outro lado dela é que se você fica o dia inteiro no computador comendo rufles, que é só gordura e carboidrato, você não estimula a produção de antioxidantes.

Por isso, é bom você mandar um capitão Brócoli pra dentro, pra ele chegar dando pé na porta e tapa na cara desse bando de células molengas. Assim quem sabe você deixa de ser moleque. MO-LE-QUE

Fontes:
That Antioxidant You’re Taking Is Snake Oil

Fruits and Vegetables Are Trying to Kill You

Pare com isso Glória Maria. Chá de ninho NÃO!

Glória maria vs andorinhao2

A pessoa tem dinheiro, educação, é uma das criaturas mais viajadas do Brasil, afinal esse é o trabalho dela, e ainda sim consegue ter um nível de ignorância extrema. Pelo menos ignorância científica.

Confiança cega por métodos velhos de tradições antigas, é uma coisa que pode ser perigosa e cruel. (Confiança cega na ciência também. Por isso fique sempre atento).

Estou falando de uma estrela da TV, mas dessa vez foi a Glória Maria (não confundir com Ana Maria) que disse não viver sem o chá de ninho de passarinho tailandês.

Esse tal ninho é feito por duas espécie de andorinhão, Aerodramus fuciphagus e Aerodramus maximus (achei fontes citando o Collocalia Fuciphaga também, mas são todos andorinhões), e é feito de baba. Isso mesmo. Não é feito de galhos e folhas: o macho da espécie produz uma baba que endurece e forma o ninho. Nojento, né?

E é disso que se faz uma sopa, que é usada pela medicina tradicional (=velha) chinesa para várias coisas: boa saúde, tratar infecções, vitalidade e, como tudo na velha medicina chinesa, vigor sexual!!! Assim como os chifres de rinocerontes, agora em extinção.

gloria angelica chá ninhoMas a Glória Maria revelou que não faz sopa, faz um chá com o ninho de baba para manter a juventude.

Nas palavras da Paulinha, minha colega que compartilhou a notícia: A mulher fala uma bizarrice dessas e todo mundo acha normal?!

Bom, nem Paula nem eu achamos normal, por isso resolvi apurar.

Infelizmente tive que assistir um trecho do programa Estrelas, com Angélica.[Pior que isso só se fosse com o marido dela.]

O vídeo tem dois pontos altos que eu vou contar para você não ter que assistir essa droga e nem dar audiência para a página que o carrega.

De onde vem esse ninho?

Olha o ninho aí

Olha o ninho aí

Glória diz, com a maior tranquilidade, que os coletores de ninhos tiram o primeiro ninho feito pelo andorinhão, que é branquinho. O bichinho fica nervoso e faz outro ninho, que sai com uma cor mais amarelada que o anterior por cauda do estresse. Aí tiram esse dele também e o passarinho faz um outro, mais escuro ainda, com toda raiva e estresse que ele tem em seu coraçãozinho. E tiram esse dele também. É este terceiro que é o “bão”, o tal elixir, produto do estresse, da tortura e do desespero de um pequeno pássaro tailandês. É este que, SEGUNDO A LENDA, sustenta a gloriosa beleza da Glória (… glória, aleluia!).

Além de estressar o bicho, é claro que uma iguaria cara como esta (que custa até 100 dólares por sopa nos Estados Unidos) gera um comércio massivo que diminuiu muito o número de ninhos e, consequentemente, de pássaros nas regiões de coleta! E só como uma cereja no bolo, muita gente morre coletando esses ninhos de paredões e cavernas.

Pior que a danadinha está com tudo em cima, hein.

Pior que a danadinha está com tudo em cima, hein.

Mas fazer o quê, né? Vale tudo para manter a beleza e o vigor sexual de uma jornalista/celebridade/viajante brasileira que acredita em clamores místicos de uma medicina sem base científica, não é mesmo? Vai um pó de chifre de rinoceronte aí?

Eles, os negros

Dizer que orientais e negros não enrugam já é um dado difícil de confirmar. Se alguém tiver algum estudo sobre isso me mande, por favor. Agora, falar que isso se deve ao ninho de passarinho é demais. Não achei registro de uso de ninho na África. E outra coisa, Glórinha: “eles” os negros? Pô, e você é o quê? Se sua pele é bonita e você não aparenta ter a idade que tem (especula-se 65) pode ser pela sua ascendência negra, querida! Sorte sua. Mas chega de comer baba de passarinho né, querida!

BÔNUS – imagem do colega @rmtakata:

Glória maria chá de ninho takata

Referências:

Recomendo muito esse vídeo engraçado (em inglês) do canal Tasted

O endereço da entrevista (tá aqui pra constar mas não clique, please):

http://gshow.globo.com/programas/estrelas/O-Programa/noticia/2014/05/gloria-maria-presenteia-eva-filha-de-angelica-com-um-vestido-de-marrocos.html

http://www.andamanadventures.com/press_articles/birds_nest_climbers_thailand.shtml

Algumas imagens e relatos sobre a sopa

 

Dois planetas (ou quase) descobertos no mesmo dia!

uranus-square-pluto Se o site Today in Science History estiver certo, Urano e Plutão foram descobertos no mesmo dia! Coincidência né? Claro que foram descobertos dia 13 de março mas com uma diferença de quase 150 anos entre um e outro.

Urano: 13/03/1781

Plutão: 13/03/1930

Mas desconfiado que sou, fui procurar pelo menos na Wikipedia para garantir. Sabe como é, o seguro blogou de velho. E lá diz que Plutão foi descoberto dia 18/03.

Bom, de qualquer jeito isso não importa, afinal Plutão nem planeta mais é, e essas histórias de coincidências são engraçadinhas mas nunca querem dizer nada.

De nada por nada.

 

 

Dia 13/03 na históiria da ciência 

Na Wikipedia:

Plutão

Urano

Cientista é quem pega tubarão na unha!

Nada como a segura e acolhedora rotina de trabalho.

Veja estes cientistas, por exemplo. Acordam, tomam café, e saem de casa com suas maletas, pegam um barquinho e vão PESCAR TUBARÕES BRANCOS!!!

E não bastasse isso, eles ainda ficam 15 minutos com o bichão lá, cutucando e espetando pra coletar os dados.

Então vamos agora para o passo a passo de como estudar tubarões brancos NA UNHA!

1- Pesque um tubarão com anzóis sem espículas pra não machucar o animal. (puxe com força)

 

2- Pule no ring aquático para guiar e manobrar o tubarão. (essa é a parte que o Chuck Norris mais gosta)

JERONIMOOO

JERONIMOOO

Repare que o cabra que está dando um jab no tubarão já tá com um braço enfaixado. Não quero nem perguntar o que aconteceu ali

Repare que o cabra que está dando um jab no tubarão já tá com um braço enfaixado. Não quero nem perguntar o que aconteceu ali

 

3- Bombear água pelas branqueas e cobrir os olhos para acalmar o tubarão; cobrir a boca dele para acalmar o cientista!

ocearch7_f

4- Testes, testes, testes – coletar sangue, ultra-som, colocar um gps, acelerômetro,… são 12 testes em 15 minutos.

ff_ocearch2_f

Pit-stop de tubarão: vai, vai, vaaai!

5- Opa, cuidado com o pézinho!

Só nos paranauê

Só nos paranauê

6- Batizar o bichinho e soltá-lo para a liberdade.

"E seu nome é... Fofinha! Vai Fofinha!"

“E seu nome é… Fofinha! Vai Fofinha!”

Apesar do estresse o tubarão se recupera totalmente em 2 horas. Já os pesquisadores vão levar essa adrenalina para a vida inteira.

 

Vi na WIRED – Spending 15 Minutes With a Great White Shark on a Boat Deck

 

 

PS:

Essa história me lembra um quadrinho do excelente XKCD:

outreach

 

Animais mecanizados com estilo

Um estilo de ficção em um futuro-retrô-vitoriano, com engrenagens e máquinas analógicas é conhecido como estilo steampunk, que ao pé da letra quer dizer “punk a vapor”.

Aqui vai o bestiário steampunk do ilustrador Vladimir Gvozdeff para você entender o que quero dizer:

5.0.2 5.0.2 5.0.2

Via boingboing -> via Pipe Dream Dragon

Resolvido o maior mistério da biologia de 2013! – [Aos 45 do segundo tempo]

structure-tile

Decobriram o que raios é isso aqui! …ou quase.

Eu estava bem interessado nisso, como você pode ver aqui num post passado, onde essa estrutura juntou mistério e a notícia mais inútil do ano.

Segundo reportagem da WIRED, pesquisadores coletaram algumas e ficaram observando para ver se aquilo seria uma estrutura para ovos de insetos ou aracnídeos. Mas por parecer ter só um ovo no meio eles duvidaram, afinal esses bichos costumam botar muitos ovos ao invés de um só.

Parte do mistério se resolveu quando num dia apareceram duas aranhas, uma em cada estrutura, e depois eles viram mesmo uma sair de lá! Bom, que tem um ovo de aranha é um fato, mas ainda é muito estranho.

É uma aranha. Mistério resolvido?

É uma aranha. Mistério resolvido?

 

Leia mais na WIRED.

Burocracia na pesquisa científica gerando empregos

Bureaucracy by ItsK

Bureaucracy by ItsK

A pesquisadora Lygia Pereira da Veiga desabafou bonito no facebook:

E querem saber? EU NÃO AGUENTO MAIS!!!! ANVISA, DEIXE EU FAZER MINHA PESQUISA!!!

Células-tronco congeladas em gelo seco, enviadas para uma colaboração com Harvard (eu disse HARVARD!!!) estão há 10 dias no aeroporto, paradas pela ANVISA, que só falta pedir um documento com o nome de solteira da mãe pra liberar o material. Pô, é muito difícil fazer um cadastro de pesquisadores e facilitar a entrada para eles?

É como ela disse: rola uma pressão absurda do governo e da sociedade para o Brasil melhorar a produção científica e inovação. Mas como fazer isso se quem está afim de fazer só toma porrada por falta de estrutura no país?

É isso mesmo Lygia, tem que rodar a baiana! Enquanto o projeto de lei do Romário para facilitar a importação de insumos pra pesquisa não sai, vamos ficar nesse limbo da ciência, fazer o quê?

Mas veja pelo lado positivo: uma das exigências da anvisa é essa:

“Obs: Orientamos ao preencher a declaração, evitar termos muito técnicos ou nomes de difícil entendimento para facilitar a compreensão.”

Opa, olha aí uma oportunidade para os pós-graduandos formados sem emprego: tradutor de termos técnicos científicos para burocratas aduaneiros!

Pois é, para fazer ciência no Brasil você tem que considerar que o copo está metade cheio.

O maior mistério, e o post mais inútil, de 2013

Quem é macaco velho já sabe que o que vem fácil vai fácil. E com informação é a mesma coisa.

A gente vive num mundo onde ninguém paga nada para ter informação. Mas como pode ser isso se um bom escritor/jornalista/roteirista é caro? Porque a informação de graça que temos quase sempre é ruim. Muito ruim.

Nessa fome que os sites têm por cliques, que é o que paga as contas pela publicidade, eles fazem alguns absurdos.

Quer um exemplo simples?

O maior mistério de 2013…

We have absolutely no clue what built this crazy-complex structureSabe o que é isso? Não? Nem eu. Nem NINGUÉM!

Em março de 2013 saiu num post no site io9 uma notícia (copiado do post original da WIRED) a imagem de uma estrutura encontrada na amazônia que ninguém fazia ideia do que era. Bonitinha, estranha e realmente ninguém sabe o que é. Ok, isso é uma notícia ou pelo menos uma informação interessante e instigante. Passa.

Agora em dezembro aparece um UPDATE dessa notícia com o título “Cientistas estão prestes a desvendar o maior mistério de 2013″, e lá estava a foto da coisinha estranha. Cliquei. [Mas você não precisa clicar, viu. Só ponho o link aqui por princípio, mas leia o resto antes]

…e o post mais inútil do ano

É um post citando um twit de um grupo de cientistas dizendo que encontraram 11 dessas estruturas e que estão prestes a resolver esse mistério. E é isso. Mais nada.

Não, io9, isso NÃO é uma notícia. Não me interessa saber que alguém está quase desvendando um mistério, principalmente quando essa pessoa só disse que está perto de conseguir. Nem pra mandar um email pra esse pessoal? Esperar uma resposta minimamente informativa? Aliás, nem pra me dizer quem é esse cara, se é um cientista mesmo ou só um charlatão.

Mas pra quê apurar, né? O negócio é ter o máximo de cliques pelo mínimo esforço.

A revista WIRED é que fez direito: mandou uma repórter para a amazônia e está lá para dar em primeira mão os resultados.

 

Eu fiquei na dúvida se eu esperava esse resultado sair antes de publicar isto aqui. Mas sabe como é, se eu resolver tudo em um post, perco a chance de fisgar o seu click em mais um texto. Então FIQUE LIGADO NOS PRÓXIMOS CAPÍTULOS!  ;)

PÁRA, PÁRA, PÁRA! Depois dos comerciais eu mostro

Forçando bolsitas de pós-graduação a divulgar ciência em escolas

tumblr_m486fnaxS11r91c3po1_500

Me ensine, pós-graduando!

Quer saber como um governo obriga os pós-graduandos com bolsas federais a virarem excelentes divulgadores de ciência? É só escrever isso aqui num projeto de lei:

O CONGRESSO NACIONAL decreta:
Art. 1º Esta Lei visa articular os programas federais de
concessão de bolsas de estudos para a educação superior com as redes
públicas de educação básica.
Art. 2º O estudante beneficiário de bolsa de estudos custeada
com recursos públicos federais fica obrigado a prestar serviços de
divulgação, formação e informação científicas e educacionais, de no
mínimo quatro horas semanais, em estabelecimentos públicos de educação
básica.
Art. 3º Caberá aos órgãos federais competentes, em conjunto
com as secretarias estaduais e municipais de educação, regulamentar e
definir as formas de participação dos bolsistas nas atividades das escolas.
Art. 4º Os bolsistas no exterior cumprirão o compromisso
quando do retorno ao Brasil, durante período igual ao de duração da bolsa.
Art. 5º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

- PROJETO DE LEI DO SENADO, Nº 224 de 2012

Pronto! Problema da educação científica resolvido. PRÓXIMO!

Opa, é claro que não está resolvido coisa nenhuma. Vamos por partes.

Estágio em escola funciona?

Todo mundo que teve estágio obrigatório em escola para poder fazer a licenciatura sabe como é: uma bagunça. As escolas e os professores não estão minimamente preparados para receber os bolsistas, mesmo que os bem-intencionados. Ou o professor te larga com a molecada, ou só deixa você assistir. Poucos são os casos onde professores e escolas aproveitam essa mão de obra escrava.

Mão de obra escrava?

Sim, escrava. Bolsista de programa federal ganha no mestrado R$1.500 e no doutorado R$2.200. É mais do que muita gente ganha, você pode dizer, mas é muito menos do que o mercado paga por um profissional com esse tempo de estudo.

Um bom bolsista, com um trabalho sério, não tem vida nesse período, tanto pelo valor da bolsa ser baixo e deixar o bolsista especialista em harmonizações de miojo, quanto pelo tempo escasso. Muita leitura e trabalho de campo, ou pesquisa, ou laboratório, dependendo da área de atuação.

Claro que conheço bolsistas que só fazem um trabalhinho meia-boca no começo da pós e depois ficam coçando o saco ganhando bolsa até o fim do período. Mas são poucos e isso é problema do programa de pós e do orientador que permitem isso.

Por isso, 4 horas semanais parecem pouco, mas pra quem já não tem tempo é muito, e outra coisa mais importante, e que nunca é lembrada pelo governo nem para ajudar os professores, é o tempo de preparação de uma atividade em sala de aula, que eleva para o dobro o tempo gasto na semana.

Mas então o que fazer?

Claro que não sou contra os pós graduandos atuarem na divulgação científica. Na verdade o meu sonho é que todo cientista atue ou pelo menos saiba da importância de fazer divulgação. Mas fazer nas coxas é que não dá, né?

Na justificativa o projeto se vangloria porque “não cria órgão público e nem tampouco novo programa que possa demandar aumento de gastos públicos”. Num país em que falta muito investimento em educação, justificar uma mudança dizendo que é bom porque não vai mexer no orçamento e nem criar um orgão especializado pra organizar isso tudo, transforma esse projeto de lei numa piada. Só mais uma daquelas leis que não pegam.

Temos sim que gastar com divulgação científica, e temos sim que criar estruturas especializadas nisso. Como fazer exatamente eu não sei. Um caminho é fazer a divulgação valer realmente alguma coisa no currículo científico dos pesquisadores. Outra é ter um programa organizado e com objetivos bem definidos de como alunos de pós podem ajudar na divulgação científica nas escolas.

Temos que estimular novas vocações, e dar caminhos para os interessados a optarem por essa atividade, e não enfiar a divulgação guela abaixo de bolsistas, escolas e professores. Divulgar não é fácil nem trivial. É preciso treino e vocação. Um mau divulgador é pior do que nada, e pode fazer um grande estrago.

Eu gostava muito de psicologia. Quase prestei vestibular para psico ao invés de biologia. Passei a odiá-la quando tive aulas com uma péssima professora de Psicologia da Educação que não sabia nada de nada. Foi a neurociência que resgatou o meu respeito pela psico anos depois. Esse é o meu medo com quem não sabe ou não quer fazer divulgação mas vai fazer obrigado. Crianças odiando ciência sem antes entendê-la.

O blablablá dos políticos na abertura do Fórum Mundial de Ciência

Mesa de abertura do Fórum Mundia de Ciência. Crédito: ASCOM ABC

Aconteceu agora, em final de novembro no Rio de Janeiro, o Fórum Científico Mundial (World Science Forum- WSF). Eu dei uma passada por lá porque é um congresso diferente dos que eu já conheço. E eu conheço dois tipos: os científicos, bem focados em pesquisa básica, e os de mercado, como feiras de tecnologia ou de setores comerciais, como indústrias de couro e calçados.

Esse era de outro tipo: era de policy making. Quer dizer que é um evento político sobre ciência.

Vou falar mais sobre ele depois, mas vou começar pelo começo: a abertura.

O Brasil e a sua ciência maravilhosa

Sabe porque toda abertura de evento político é chata? Porque você sabe exatamente o que os políticos vão falar, e é sempre o mesmo clichê desenvolvimentista.

A Dilma estava na programação mas não apareceu; mandou o vice Michel Temer, que como sempre não decepcionou, não tropeçou em nenhuma palavra. Sempre me surpreendeu a facilidade com que ele discursa. Acho que nunca o vi errar ou engasgar. Pena ter falado besteira.

Ele estava contente por ter ouvido muito sobre as ciências sociais nas outras falas, sentimento que eu compartilho, já que muita gente ainda acha que ciência é só física e biologia, e não está nem aí para as ciências sociais. Mas aí ele falou de ciência JURÍDICA (que se for ciência é em outro contexto), e usou a palavra “social” só pra puxar o clichê do Bolsa Família e Minha Casa, Minha Vida. Ou seja, fica claro que ele não sabe o que é ciência, muito menos ciência social.

Ainda falaram o vice-governador do Rio, o Pezão, e o ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antônio Raupp. Ambos mostrando só o lado bonito da moeda científica brasileira. De como o Rio e o Brasil têm avançado e bla, bla, bla.

Bacana. Mas quer dizer que não temos nenhum problema na ciência nacional, como importação de material que demora 6 meses, falta de financiamento, falta de educação científica da população e falta de estímulo à inovação? E questões polêmicas, como a dos beagles dentro do uso de animais em experimentação, estão todas bem resolvidas, ou pelo menos bem discutidas?

Aliás é bom mencionar que a Dilma não apareceu na abertura e o ministro Raupp sumiu depois dela. Eu pelo menos não o vi nos outros dias do evento. Bom, pode ser que o Fórum não seja tão importante quanto eu imaginei.

Quem comprou essa?

Eu fico imaginando se os estrangeiros ali presentes realmente compraram essa ideia de que o Brasil é a nova fronteira científica mundial como faz parecer o discurso oficial.

É obrigação dos representantes do governo venderem a imagem do país dessa forma, como se ele fosse um carro usado? Isso é bom para nós?

Em um fórum sobre como a ciência pode ajudar o mundo, de forma prática, a resolver os maiores problemas que a humanidade já enfrentou, acho mais inteligente a fala realista de József Pálinkás, presidente da Academia Húngara de Ciências e do Fórum, que reconhece que a ciência criou soluções, mas também muitos problemas:

“A ciência foi e continua sendo o principal contribuinte para o desenvolvimento, mas precisamos ser sinceros: a ciência fez parte da construção do mundo que estamos tentando mudar. Agora, precisa reverter esse processo”.

Se a ciência, bem feita, já pode gerar problemas, imagine uma ciência sem planejamento, tocada a toque de caixa, e que tampa com uma peneira as suas próprias falhas.

 

Leia mais aqui:

Cobertura oficial do evento:

.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM