Assombração, demônio ou Ciência? A Paralisia do Sono: quando seus pesadelos se tornam “realidade”.

Você está dormindo em sua cama… de repente, acorda, mas, para sua surpresa, não consegue se mexer… “o que está acontecendo?” você pensa, enquanto olha para seu corpo, imóvel na escuridão do seu quarto.

Enquanto isso acontece, você nota algo diferente. Então percebe: não está sozinho.

Pior, uma presença com forma humana esmaga seu peito. E ela é má.

Você acordou no mundo dos sonhos, e não há nada que possa fazer a respeito.

John_Henry_Fuseli_-_The_Nightmare.JPG

The Nightmare, por John Henri Fuseli

A cena acima é assustadora e adaptei de um excelente artigo que acabei de ler na revista Wired. Não foi retirada de algum script de filme de terror, trata-se da descrição padrão de uma condição médica real: a Paralisia do Sono.

Vocês devem estar se perguntando porque eu, um biólogo molecular, resolvi escrever sobre um tema completamente fora de qualquer coisa que eu já tenha estudado, certo?

Simples, essa cena exata aconteceu comigo alguns anos atrás e esse fenômeno estranho acontece com uma porcentagem estimada de 50% da população pelo menos uma vez na vida. No meu caso acabei acordando uma das pessoas que dividia a casa comigo com meus gritos, depois que a paralisia passou (história real).

Não sabia o que tinha acontecido e não consegui dormir em seguida. Por MUITO tempo aquilo ficou na minha cabeça (o fato aconteceu na metade de 2004), mas resolvi deixar para lá até dar de cara com o artigo que mencionei e arrepiar ao ler a descrição que adaptei no começo desse post.

O que é?
A Paralisia do Sono é caracterizada por uma paralisia temporária do corpo imediatamente após o despertar ou, com menos freqüência, imediatamente antes de adormecer. Também é conhecida como Atonia REM por estar diretamente relacionada à paralisia que ocorre como uma parte natural do nosso sono REM, a fase do sono em que ocorrem nossos sonhos mais vívidos. Durante esta fase os olhos movem-se rapidamente (em Inglês, rapid eye movement) e a atividade cerebral é similar àquela que se passa nas horas em que se está acordado.

Como é sabido, nosso cérebro paralisa os músculos durante essa fase do sono para prevenir possíveis lesões pelo fato de algumas partes do corpo poderem se mover durante o sonho (principalmente ao sonharmos que estamos caindo ou quando damos uma porrada na parede). Quando acordamos subitamente o cérebro pode “não perceber” e o estado de paralisia não é desativado.

O resultado vocês já devem prever: a pessoa fica consciente mas incapaz de se mover. Para piorar o cenário de desespero esse estado pode ser acompanhado pelas chamadas alucinações hipnagógicas, que envolvem imagens e sons, características dessa condição.

Alguns cientistas acreditam que este fenômeno está por trás de muitos relatos de abduções alienígenas e encontros com fantasmas (tenho certeza que vai ter muita gente reclamando nos comentários).

Os sintomas (adaptado da Wikipedia)
Paralisia: ocorre pouco antes da pessoa adormecer ou imediatamente após despertar. A pessoa não consegue mover nenhuma parte do corpo, nem falar (no meu caso eu gritava, gritava e não saía som algum da minha boca), e tem apenas um controle mínimo sobre os olhos e a respiração.

Alucinações: Imagens e sons que aparecem durante a paralisia. A pessoa pode pensar que existe uma presença atrás dela ou ouvir sons estranhos. As alucinações parecem-se muito com sonhos, possivelmente fazendo a pessoa pensar que ainda está sonhando. Algumas pessoas relatam também sentirem um peso no peito, como se alguém ou algum objeto pesado estivesse pressionando-o.

Estes sintomas podem durar de alguns poucos segundos até vários minutos (comigo foram uns 2 minutos, mas pareceu uma eternidade) e podem ser considerados assustadores para algumas pessoas (não tenham dúvida disso, eu fiquei aterrorizado de verdade).

Pouco se sabe sobre a fisiologia da paralisia do sono. Já foi sugerido que ela esteja relacionada à inibição pós-sináptica de neurônios motores na ponte do tronco cerebral. Particularmente, níveis baixos de melatonina podem interromper a despolarização em atividade nos nervos, a qual previne o estímulo dos músculos.

Alguns estudos sugerem que existem vários fatores que aumentam a probabilidade da ocorrência de paralisia do sono e de alucinação. Eles incluem:

  • Dormir de barriga para cima;
  • Agenda de sono irregular; cochilos; privação de sono;
  • Stress elevado;
  • Mudanças súbitas no ambiente ou na vida de alguém;
  • Um sonho lúcido que imediatamente precede o episódio; a indução consciente da paralisia do sono também é uma técnica comum para entrar em um estado de sonho lúcido;
  • Sono induzido através de medicamentos, como anti-histamínicos
  • Uso recente de drogas alucinógenas (essa era fácil de imaginar que estaria na lista)

PS: se eu respondesse essa lista na época, só não me encaixaria nos dois últimos itens. E eu ainda ficava imaginando os motivos de eu ter passado por essa péssima experiência…

Referências Culturais

pisadeira.jpgExistem diversas manifestações culturais em muitos países diferentes que tratam do fenômeno da paralisia do sono, havendo até uma representação em nosso folclore, uma criatura chamada Pisadeira.
Na cultura Hmong, é descrita uma experiência chamada dab tsogou ou “demônio apertador”. Frequentemente, a vítima afirma enxergar uma figura pequena, não maior que uma criança, sentando em sua cabeça ou peito.
No Vietnã, chama-se ma de, que significa “segurado por um fantasma”, sendo que muitas pessoas acreditam que fantasmas entram no corpo das pessoas, causando a paralisia.
Na China, são as guǐ yā shēn ou guǐ yā chuáng (por favor, não me perguntem como pronuncia), o que pode ser traduzido literalmente como “corpo pressionado por um fantasma” ou “cama pressionada por um fantasma”.
Na cultura japonesa, a paralisia do sono é conhecida como kanashibari, que significa literalmente “atado ao metal”.
Na cultura popular húngara é chamada lidércnyomás (“lidérc pressionante”) e pode ser atribuída a um número de entidades sobrenaturais como aparições, bruxas ou fadas.

Quem tiver maior interesse nesse fenômeno, sugiro a leitura de um excelente artigo de revisão que saiu no periódico The Psychologist agora em Agosto.

Alguns de vocês podem estar se perguntando algo como “O que fazer se acontecer comigo?”, visto que quem escreve esse artigo já passou pela situação descrita, e talvez possa falar algo para ajudar.

Minha resposta? Tentem ficar calmos, e torçam para acabar logo. De verdade.


Alguém mais passou por essa experiência? Compartilhe nos comentários!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Discussão - 1.151 comentários

  1. Tá aí, achei que nunca iria ler algo sobre isto, a não ser que eu fosse em algum psicólogo …. Mas tranquilo. Pow adooooooooooorei!!!
    Bem, eu tenho isto desde os meus 9 anos de idade e me identifiquei com muitas coisas qie li nesta matéria.
    A mais evidente foi a descição de como se passa o fenômeno, o fato de não se mover, de sentir um peso sobre as costas, eu podia me mover (andar) pelo meu quarto enquanto tinha estas coisas, podia ver todas as luzes que brilhavam…
    Já passei uma semana sem dormir, porque acontecia TODAS as noites, já guardei este “segredo” por muito tempo comigo. Já pensei sim que este fenômeno estaria por trás de abduções alienígenas e encontros com fantasmas, ate porque só quem já passou por isto sabe a paranóia que agente fica durante um bom tempo …
    O fato de dormir de barriga paara cima também caíu como uma luva, Eu não posso NUNCA MAIS dormir assim … é lamentável!
    Bom, acho que já falei oque eu queria …. na boa, por muito tempo achei que eu era uma LOUCA por ter isto … que bom ler esta matéria e conhecer a parte científica da história, tudo bem que há algumas coisas meio místicas… mas acho que é bem por aí!!
    PS: Eu ainda tenho … e sabe o que eu faço? Ainda grito, tenho me mexer (o melhor é tentar mover o pescoço … as vezes vai), até rezo o pai nossso … Mas há… é complicado!!!!
    PS2: Há quem chame isto de Viagem astral…. é a mesma coisa?
    :*

  2. Sibele disse:

    Eu passei! Assistindo ao filme Awake (“A vida por um fio”). Na verdade é o personagem do filme, Clay Beresford, que passa pela experiência – eu só assisti, rsrs.
    O fenômeno do filme é diferente do descrito por vc, já que é causado por falha na anestesia – a pessoa está paralisada, mas totalmente acordada e consciente durante a cirurgia…ai!
    Mas é um filmaço! Recomendo!

  3. Cardoso disse:

    Isso já aconteceu comigo, a primeira vez eu devia ter uns 14 anos. Foi apavorante. Depois aconteceu outras vezes, mas aí eu já tinha idéia do que era, deu até pra curtir.
    Em 2/3 das vezes (5 ou 6 no total) eu tinha uma sensação de queda/vôo, mas é só relaxar.
    O que mais estressa é tentar recuperar movimentos a qualquer custo.
    Fascinante essa falha de boot, e explica uma penca de experiências místicas.

  4. Cleber disse:

    O.o
    Pronto, finalmente vejo que não sou único neste mundo… \o/
    Mas comigo eu posso provocar isso a qualquer momento, mas para mim, basta dormir de BARRIGA PRA BAIXO NO CHAO… sim, isso mesmo. Eu tiro a prova de vem em quando para ver se ainda sofro disto.
    Começou assim, eu dormia sempre assim, geralmente no calor. Mas na cama eu também dormia de barriga para baixo.
    Depois que comecei a fumar, com uns 18 anos. Nunca mais dormi assim, pois doia o peito.
    Foi então que numa determinada tarde de calor eu adormecia no chao da sala e tive a tal paralisia.
    Eu ouvi passos, batidas na janela, gritos, explosões e a porta se abrindo. De repente me mexi e não havia nada, exatamente nada na sala.
    Fiquei sem dormir durante meses, e sempre sentado.
    Depois resolvi testar, e sempre assim, de barriga pra baixo. Independente de chao ou cama.
    Antes de ler o artigo eu associei isso ao fato de eu fumar, e tipo faltar ar no cerebro.
    Mas sei la agora…
    *MEDO*

  5. Gabriel Cunha disse:

    @Cardoso
    Eu não tive como aprender a curtir, comigo aconteceu só uma vez… Foi uma das vezes em que fiquei mais assustado em toda a minha vida.
    Ganhou fácil de quando colocaram um 38 na minha cara, por exemplo. Também passou longe de quando saí da estrada com o carro a mais de 100km/h.
    Acho que já deu prá sentir o nível de cag#ço que eu fiquei né…

  6. Cara, na real, isso é MUITO ruim! Já aconteceu algumas vezes comigo, mas ainda bem que nunca tive nenhum tipo de alucinação!
    Acho que se eu visse um et na minha frente numa hora dessa eu me mijava fácil!

  7. Sibele disse:

    Acordado e paralisado, três oitão na cara, voar com o carro a mais de 100km/h… quantas emoções, rapaz!

  8. Interessantíssimo esta matéria. Eu ainda não tive esta experiência, fiquei curioso…
    Já havia lido sobre isso, obviamente, mas ainda não tinha lido uma matéria completa e com relatos como esta.
    Parabéns pelo post… :D

  9. Gabriel Cunha disse:

    É Sibele, acho que eu não me enquadro no estereótipo “cientista nerd”…
    Depois eu conto de quando trabalhei num bar quase como go-go boy durante a faculdade.

  10. Milton Cardoso disse:

    Já passei por isso quando tinha dezenove anos. A diferença é que não tive alucinações, mas, por não conseguir me mexer, pensei que estava morto e comecei a gritar como louco. Acordei com minha mãe me sacudindo. Horrível!

  11. danyella disse:

    ॐ…poxa … que demais essa materia ….. passo por isso hj …. quase sempre … fiko com muito medo … pois em alguns desses sonhos acho que não vou conseguir acordar …. pq uma força tenta me prender a todo custo … já existiram ocasiões que conversei com outra pessoa (não sei como definir) e ela respondeu a tudas a minhas perguntar … por muitas vezes ouvi sussuros em meu ouvido …. já pensei em fazer algum tipo de regressão ou terapia prá tentar entender o que se passa ….. sofro muito com isso …. pois acontecem muitas coisas estranhas …. de verdade …. existe algum tipo de especialista que eu possa procurar ?? ou o isso eh alguma falta de espiritualismo .. pois não frequento qq tipo de religião e muitas pessoas com quem já conversei falam que me falta espiritualidade …..

  12. Rafael disse:

    Passei por isso uma vez, em 1995 (há 14 anos!). Nunca mais esqueci, e gostaria de nunca mais passar por isso. As alucinações são tão reais que fiquei com elas na cabeça durante anos, não conseguia esquecer. Não sei como alguém pode dizer que ‘curtiu’ isso…
    Parabéns pelo artigo, durante anos pesquisei por isso e é o primeiro artigo que leio que fala sobre o assunto de forma clara e objtiva, sem rodeios.

  13. Fernando disse:

    Hahaha!
    Maravilha de artigo!
    Hj em dia sou ateu, mas me lembro que na busca pelo sobrenatural me deparei com essa situação e me deixou realmente com o furico na mão, hehe!!
    Por isso eu amo a Ciência!
    Ela me explica as coisas! rs

  14. Tauan disse:

    Já aconteceu isso comigo cerca de três vezes, mas só na ultima (e pior de todas) tive uma alucinação, foi aterrorizante.
    Estava no meu quarto quando acordei no meio da noite(pelo menos foi o que achei), logo percebi que não conseguia mexer um musculo.
    Passeando o olhar pelo meu quarto escuro vi sentada na minha cômoda uma menina de uns 7 anos, olhando pra mim.
    Na época eu já havia lido algo sobre a paralisia do sono, o que não diminuiu o desespero.
    definitivamente não é uma boa lembrança.
    ótimo post!

  15. Aninha Arantes disse:

    Eu tive duas vezes. Da primeira, paniquei e liguei pra mamãe e papai as três da madrugada! Fazia faculdade em SP e morava em República, tinha quase todos os pré requisitos da sua lista aí no post… Ouvi todas as explicações, até a da Pisadeira! Puseram meu nome em novena e me mandaram ir tomar “uns passes”…
    Depois, durante a graduação em Psico, descobri que era Atonia REM. Achei o máximo! Da segunda vez conseguia ter consciência do que estava acontecendo e tive a percepção de que durou menos tempo. (Mas pode ser só uma percepção errada, porque eu não estava apavorada e deu pra “curtir” a viagem!)

  16. Edu Ferrari disse:

    Interessante, já senti isso sim, e estava ligado a outras experiências, podemos chamar de ‘viagem astral’, que é mais comum…
    Senti várias vezes essa ‘paralisia’, nenhuma delas com medo, talvez pq já havia lido bastante a respeito e até já esperava que pudesse ocorrer.
    Gostaria de falar mais com daiane, daniela, cleber, gabriel, tauan!
    Edu Ferrari (twitter: @3df)

  17. Diogo disse:

    Uma vez quando eu era crinça aconteceu de eu sonhar e meu irmão sendo puxado para um buraco debaixo da mesa e eu tentando avisar a minha mãe mas a minha voz não saia e para piorar a casa estava toda escura.

  18. Marcus VBP disse:

    Nossa cara, eu também passei por esta experiência, e descrevi no meu blog:
    http://www.marcusvbp.com.br/site/sonho-lucido-e-paralisia-do-sono
    De longe, este é o tópico mais comentado do meu blog, então prepare-se para todo tipo de gente passando por auqi, heheheheh
    ótimo artigo, vou atualizar meu post para te citar.

  19. Sibele disse:

    Go-go boy? Hahaha! É, Gabriel, de nerd vc não tem nada! Essa eu quero saber! :D

  20. Zandormaz disse:

    Tenho tido a tal paralisia do sono desde que me conheço por gente. Já tive logo ao adormecer mas o mais frequente é ao despertar.
    A técnica que uso para me livrar da paralisia quando ela está acontecendo é a de respirar profundamente fazendo barulho alto com a respiração. Combinei com minha esposa que quando acontecer isso ela deve me acordar imediatamente. Tem funcionado.
    Para terem uma idéia uma vez aconteceu a pior de todas as paralisias do sono que já tive: Ocorre que após me acordar a minha esposa sempre pergunta : “Tá bem agora?” e a resposta é sempre positiva.
    Só que numa das vezes a paralisia foi tão intensa que eu conseguia responder (ou seja a fala estava ativada) mas no entanto o resto do corpo não era possível mexer. E nessa situação eu respondi: “Não, não estou bem!!”. Ela então se apavorou e me sacudiu bastante até que eu acordei em definitivo.
    Não preciso nem dizer que foi realmente muito ruim.
    Mas ultimamente (já fazem meses) eu não tenho tido mais (graças a Deus) nenhum episódio de paralisia do sono.

  21. Fernanda disse:

    Já aconteceu comigo e foi muito legal!!!
    Não usei drogas nem nada do tipo mas acordei no meio da noite vendo uns balões vermelhos realmente lindos, a unica coisa ruim foi a tal pressão no abdômen.
    Como faz pra induzir a isso sem o uso de nenhuma substância alucinógena, é possível? Só com hipnose?

  22. Volnorinox disse:

    Isso já aconteceu comigo
    Acordei no meio da madrugada e não me mexia. E também senti a tal pressão no peito, parecia que tava afundando no colchão, uma sensação muito ruim.
    Não tive alucinação, mas já tava entrando em desespero com a situação. Não conseguia chamar ninguém.
    Durou cerca de 1 minuto, mas eu fiquei um bom tempo acordado depois daquilo.
    Até hoje não tive mais.
    Nem sabia que existia esse ‘distúrbio’, obrigado por compartilhar.

  23. salvaterra disse:

    quando eu tinha uns 13 anos, tinha pavor de alienígenas abdutores após assistir alguns filmes de abdução. certa noite, acordei na madrugada com a sensação de estar levitando uns 10 centímetros na cama. tive a forte impressão de que havia algo me observando da janela, à minha esquerda. não tinha coragem de me virar para encarar, por uns dois minutos. quando finalmente decidi me mover, fiquei ainda mais aterrorizado por perceber que estava paralizado. tentando gritar, sem conseguir, logo em seguida “caí” na cama e então voltei ao normal.
    experimentei o ocorrido outras vezes depois, mas sem sentir mais medo e sim curiosidade e um tanto de angústia – dessa vez, sem alucinações.
    bom saber como ocorre esse tipo de coisa.
    ironicamente, não atribui a experiência à uma abdução alienígena. tive a plena certeza de ter experimentado uma alucinação e a partir desse dia perdi completamente o medo e a crença em ETs bisbilhoteiros.

  24. Nussa, realmente nunca imaginei obter informações sobre essa paralisia. rs. tive muito isso na adolescencia, atualmente raramente ocorre. engraçado que nao mudei nenhum de meus habitos para que essa diminuição ocorresse, continuo levando a vida de acordo o tres primeiros itens nos quais me encaixo. Até o trauma de dormir perto da parede jah passou hehe, na época eu atribuia essas paralisias ao fato de encostar na parede durante o sono. mas enfim, super legal essa informação da qual desconhecia completamente. mas vale ressaltar, que é horrível isso é. rsrs

  25. Amarok disse:

    Isso aconteceu comigo.
    Tinha 12 anos de idade, tinha acabado de chegar da escola muito cançado e fui dormir. Além de estar cansado eu me incluo nos quesitos: dormir de barriga para cima e sonho
    lúcido.
    Tudo durou no máximo uns 40 segundos. E ainda bem, não tive nenhuma alucinação.

  26. Marlene Costa disse:

    Aqui no ocidente pós “nova era” chamam de Projeção Astral e os mestrados nessa “hipótese” dão as explicações mais plausíveis possível (sem passar por um teste científico controlado). Eu li um monte sobre isso pois tive umas 5 experiências e até tentei acreditar/praticar, mas seria ignorar tudo o que eu já sabia de cientificamente comprovado. Deu um conflito entre lógica e superstição. Eventualmente caí em páginas sobre neurociências que explicavam o que você reuniu neste post.
    É um tema interessante de estudar, pelo âmbito de compreender como estas sociedades conseguem compilar e espremer explicações de modo a se tornarem plausíveis. Como desenvolveram pseudo-ciências bem complexas como teosofia, consicenciologia e projeciologia, e até religiões como espiritismo e gnosticismo/esoterismo (com s e não x).
    Navalha de Occan:
    Existe um mundo mágico paralelo ao nosso e habitado por seres evoluídos que nos auxiliam a viajar, conhecer e evoluir.
    ou
    É uma falha química no mecanismo biológico que atrasa a resposta muscular ao despertar do sono. E na falta da compreensão desse mecanismo damos explicações extraordinárias associadas a nossa cultura arcaica.
    ??? ;-P

  27. Davi disse:

    Muito bom o post..
    Já passei por algo parecido.. mas acho que tive um pouco mais de calma.. e graças ao sonho que estava tendo antes de acordar.. porque neste eu havia morrido com um tiro nas costas.. quando acordei (ainda de olho fechado) não sentia meu corpo.. dae logo pensei que tinha morrido e esse era o pós morte (rsrsrs) dae fiquei calmo e tentei levantar.. senti meu corpo todo formigar e quando abri os olhos estava sentado na minha cama..
    Mais ou menos assim.. não sei se encaixa nesse fenomeno.. mas foi umdos melhores sonhos que já tive…rsrs

  28. Igor Santos disse:

    Gabriel, há algum tempo eu escrevi um relato sobre uma experiência parecida.
    http://uoleo.wordpress.com/2008/06/07/sono-pesado/

  29. Igor Santos disse:

    @danyella
    Isso é mais provável que seja excesso de espiritualismo.
    E ainda mais que você seja uma pessoa facilmente impressionável (pelo teor sdo seu comentário), o que só tende a aumentar suas chances de passar por isso sempre que outrem reforça sua não-tão-bem estabelecida “falta de espiritualidade”.

  30. Wendell disse:

    Aconteceu comigo, uma vez.
    Eu estava dormindo ao lado do meu pai, que estava vendo TV. Devia ser umas 23h, de repente eu tive um “mini-sonho” onde eu levava um tiro no peito em um assalto. Acredito que isso tenha sido aquilo que Freud diz, do sonho tentar criar subterfúgios pra não acordarmos, o que deve ter sido feito mediante a “pressão no peito” característica da paralisia do sono.
    Só sei que acordei com um turbilhão de pensamento desconexos (“Será que morri? E minha namorada? Minha família? Meu blog?”), mas sem poder mover um músculo. A situação de desespero durou até uns 20s, onde totalmente imóvel (e doido para gritar “socorro” pro meu pai ao lado), eu me lembrei de um tópico sobre paralisia do sono que eu havia lido em uma comunidade do orkut, cheia de relatos de gente que já passou pela experiência.
    Como eu pude ao menos abrir os olhos e reconhecer onde eu estava (o que é primordial em casos de sonhos “reais”, por isso eu evito ao máximo dormir em outro lugar que não seja minha cama/meu quarto, rsrs), relaxei um pouco e lá pelos 50s ou um minuto a coisa toda passou, eu consegui mexer os dedos, os braços…
    Só sei que por final o sono voltou mais forte do que antes, e ao invés de contar pro meu a “experiência solitária” que eu acabara de presenciar, eu simplesmente peguei no sono novamente.

  31. Sandro disse:

    Com tantos comentários pensei em nem comentar nada… mas vá lá… Eu tenho essa tal paralisia do sono desde sempre. De tanto que aconteceu que até já me assusto tanto… na verdade se conseguir se acalmar (nem sempre dá para ficar calmo) pode até ficar divertido, porque você começa a sonhar e a chance de ser um “sonho lúcido” é grande… e poder “controlar” o próprio sonho é o máximo.
    Eu já acreditei nessa bobagem de “projeção astral” e uma vez fiz uma experiência: assim que a paralisia aconteceu eu me esforcei para me acalmar e então “levantei calmamente” sabendo que não tinha me levantado coisa nenhuma… vi um bilhete na cômoda do quarto, e eu nunca consigo ler nos sonhos, mas consegui saber o que dizia o tal bilhete… dizia para eu olhar pela janela que teria uma surpresa… eu “fui” até a janela, “afastei” a cortina e tive tanto medo que parei de sonhar e tentei acordar de novo com a paralisia… (Já está acabando) Aí acordei de verdade e … NÃO FUI NA JANELA PORQUE AINDA ESTAVA COM MEDO…

  32. Nelio Vieira disse:

    Já aconteceu diversas vezes comigo, sempre em períodos de grande estresse ou de noites mal dormidas. Na primeira vez, me senti como se tivesse sido enterrado vivo. Os sintomas se parecem muito como quando se fica com um braço dormente, mas no corpo todo. O que costumo fazer é ficar abrindo e fechando os dedos da mão até conseguir me mover, o que não demora muito.

  33. Lucas Mamoru disse:

    Animal o post!

  34. soneca disse:

    Eu já tive isso dezenas de vezes..a última a alguns dias..durou bastante,fiz um esforço enorme para pedir auxilio a minha esposa que dormia ao lado…na minha memória eu falei o nome dela, mas ela relatou que eu estava apenas gemendo…fora os anti-histamínicos,todos os outros fatores conferem perfeitamente.
    Mas nunca tive visão ou sensação de outra pessoa, apenas consciência de estar paralisado.Aliás, a etimologia da palavra pesadelo não se refere exatamente a essa situação?

  35. Gabriel Cunha disse:

    Tem um excelente post do @uoleo (que escreve o 42 aqui no ScienceBlogs) em outro blog dele, acessem!
    http://uoleo.wordpress.com/2008/06/07/sono-pesado/
    Muito boas as descrições dele, recomendo.

  36. Tiago disse:

    Éramos 5 ou seis pessoas. Compartilhávamos contos com desfechos misteriosos. Até acendemos uma vela para aumentar o clima de terror. Eu, que não estava nem aí praquele bando de causo, deitei pra tirar um cochilo, esperando aquela bobageira passar. Travei. Abri os olhos mas não levantava. Tentava gritar mas só emitia ruídos. Depois que consegui me mexer, apagaram a vela, cada um foi pra sua casa, todos morrendo de medo das travessuras algum espírito zombeteiro.

  37. dra_lulu disse:

    to rindo aqui… pra mim isso é normal…

  38. Luiz Picanço disse:

    Nossa.
    Li esse artigo ontem a noite e logo após domir… não é que aconteceu ? E isso nunca tinha acontecido antes.
    Provavelmente, foi porque o texto ficou no meu subconsciente e acabou influenciando no sono. O lado bom foi que, como eu tinha lido o artigo, nao fiquei muito assustado, pois ja sabia do que se tratava.

  39. Essa praga eu conheço. Já tive episódios fantasticamente perturbadores de paralisia do sono, mas, felizmente, nunca os associei com entidade paranormal alguma. Contudo, da lista de fatores de predisposição, os únicos que se aplicam a mim são stress elevado (de vez em quando) e dormir de barriga para cima (mais de vez em quando ainda). Também me parece que os episódios são acompanhados de algum tipo de apneia, mas não tenho certeza.

  40. Rodrigo disse:

    Parabéns pelo blog e pelo artigo. Já conheço o fenômeno tanto na teoria como na prática (infelizmente), mas gostei muito da sua abordagem simples e direta.
    Eu tenho paralisias do sono quase toda a semana, desde criança e como meu sono sempre foi muito irregular e tenho uma personalidade ansiosa, meus níveis de estresse são bem maiores do que gostaria. Portanto, me qualifico no grupo dos predispostos. No entanto, não me lembro jamais de tido as alucinações hipnagônicas associadas a paralisia. Talvez por isso tenham me acostumado a tal experiência. Já tive as paralisias até em viagens de ônibus.
    É realmente uma sensação horrível não ter controle sobre o corpo, querer falar, inspirar fundo ou mesmo mexer um dedo e não conseguir. A sensação que tenho é que meu padrão de respiração continua o mesmo de quando estava dormindo, ou seja, bem suave e constante, o que por sua vez é forte motivo de angustia pois não consigo voluntariamente aumentar minha freqüência respiratória e uma sensação de sufocação iminente as vezes me domina. Muitas vezes sinto que se não acordar de uma vez por todas e levantar vou sufocar. Felizmente isso nunca aconteceu (hehe), mas é comum de tempos em tempos eu acordar bruscamente em uma grande suspiro, ou mais raramente com um grito, após uma luta pelo controle do meu corpo. Já assustei minha namorada pelo menos uma vez por causa disso.
    O que pior acontece é despertar de um pesadelo nesse mesmo estado. Isso gera um sensação ainda mais assustadora. Porém felizmente nunca senti a suposta “presença” e nem a sensação de pressão no peito, por isso não sei quão típica são as minhas paralisias do sono. Se elas tivessem os itens extra relatados por vc e por outros comentadores, na freqüência que as tenho acho que não conseguiria mais dormir. Hehehe!!
    De novo, parabéns pelo blog e abraços biológicos,
    Rodrigo Véras

  41. Gabsz disse:

    Já passei por isso duas vezes, eu devia ter uns 14 anos e é realmente assustador. Acordei, não consegui me mover nem gritar e sentia alguem andando atras de mim(na segunda vez a pessoa usava uma mascara) e acordei a minha mae com os gritos depois que eles finalmente sairam. Só sai da paranoia pós-paralisia do sono depois que meu pai me mostrou uma matéria sobre isso e até hoje adoro ler coisas sobre o assunto. Apesar de assustador, eu até que gostei de passar pela experiencia e gostaria que eu tivesse isso de novo [masoquista mode on]. Ah, e nas duas vezes que eu tive a tal paralisia do sono eu estava dormindo de lado O.o
    Parabens pelo post, muito bom mesmo!

  42. Maria Luiza Magalhães disse:

    Olá, pessoal. Meu nome é Luiza, não sou do meio, mas um amigo me mandou a matéria e achei muito bacana o ponto de vista biológico, mas não resistir a fazer uns comentários. Sempre tive, desde a infância todos os sintomas citados, e foi somente aos 30 e poucos anos que achei alguém que explicou o que acontecia comigo (geralmente toda noite). o sintomas que vocês descrevem chama-se CATALEPSIA PROJETIVA, e está relacionados a PROJEÇÃO DA CONSCIÊNCIA, que é a capacidade que todo ser humano tem de projetar a sua consciência para fora do corpo físico. Essa experiência tem recebido diversas nomenclaturas, dependendo da doutrina ou corrente de pensamento que a mencione: Viagem Astral (Esoterismo), Projeção Astral (Teosofia), Experiência Fora do Corpo (Parapsicologia), Desdobramento, Desprendimento Espiritual ou Emancipação da Alma (Espiritismo), Viagem da Alma (Eckancar), Projeção do Corpo Psíquico ou Emocional (Rosacruz), Projeção da Consciência (Projeciologia), etc.
    Neste caso, ocasionalmente, o projetor pode sentir uma paralisia do seu corpo. Essa paralisia é chamada de catalepsia projetiva ou astral. Não deve ser confundida com a catalepsia patológica, que é uma doença rara.
    Catalepsia projetiva pode ocorrer tanto antes quanto após a projeção. Geralmente, ela acontece da seguinte maneira: a pessoa desperta durante a noite e descobre que não pode se mover. Parece que uma força invisível lhe tolhe os movimentos. Desesperada, ela tenta gritar, mas não consegue. Tenta abrir os olhos, mas também não obtém resultado. Alguns criam fantasias subconscientes imaginando que um espírito lhe dominou e tolheu seus movimentos. Essa catalepsia é benigna e pode produzir a projeção se a pessoa ficar calma e pensar em flutuar acima do corpo físico. Ela não apresenta nenhum risco, pelo contrário, é totalmente inofensiva.
    Portanto, se você se encontrar nessa situação em uma noite qualquer, não tente se mover. Fique calmo e pense firmemente em sair do corpo e flutuar acima dele. Não tenha medo nem ansiedade e a projeção se realizará.
    Caso não pretenda se arriscar e deseje recuperar o controle de seu corpo físico, basta tentar com muita calma mover um dedo da mão ou uma pálpebra, que imediatamente, readquirirá o movimento.
    Além da catalepsia projetiva, podem ocorrer pequenas repercussões físicas no início da projeção, principalmente nos membros. Muitas pessoas, quando estão começando a adormecer, têm a sensação de estar “escorregando” ou caindo por um buraco e despertam sobressaltadas. Isso acontece devido a uma pequena movimentação do psicossoma no interior do corpo físico.
    Portanto não fiquem tão preocupados quanto ao fenômeno, pois e inerente a todo ser humano. Quem quiser saber mais a respeito, a explicação acima tirei do site http://www.ippb.org.br, que pode detalhar mais a fundo os sintomas.
    Agora cabe a cada um acreditar ou não. Para mim é real e desde que descobri como funciona, nunca mais tive problemas. Abraço à todos com muita paz e luz. Luiza

  43. Gabriel Cunha disse:

    Olá Luíza.
    Obrigado pelas contribuições, inclusive esse seu ponto de vista será abordado um pouco mais profundamente em outro artigo feito por mim, que será publicado em outro site.
    Só uma observação: o nome desse fenômeno, do ponto de vista médico e científico, é Paralisia do Sono. Todas as nomenclaturas que você abordou são referentes a correntes de pensamento esotéricas, e não são consideradas na abordagem científica, visto que só muito recentemente alguns estudos têm concentrado esforços em verificar a veracidade da viagem astral, por exemplo.
    Inclusive li sobre um estudo enorme que está em andamento, verificando a projeção da consciência para fora do corpo, podem aguardar que, assim que os resultados forem publicados, serão discutidos aqui.
    Obrigado por acompanhar o blog, abraços!

  44. Ulisses Adirt disse:

    Já passei por isso um bom tanto de vezes e, mesmo depois que descobri o que era (lendo O mundo assombrado pelos demônios, do Carl Sagan), continuei me assustando bastante.

  45. Jairo disse:

    rapaz sabe que eu sofria direto com isso, era horrivel! até q um dia eu achei esse artigo http://www.jornalinfinito.com.br/series.asp?cod=21
    “Caso tenhamos interesse em aproveitar a paralisia corporal para obtermos uma experiência onírica consciente, podemos nos valer de um procedimento muito simples: uma vez atingida a imobilidade, projetamos uma imagem mental qualquer que nos agrade procurando vivenciá-la lucidamente, ou seja, nos empenhamos em interagir com a mesma sem perder a recordação de que é mental e onírica. Então, logo nos vemos dentro de um sonho lúcido.”
    a verdade é que realmente depois de um certo tempo eu ja conseguia controlar o sonho, a historia do sonho lucido pelo menos comigo funcionou, o problema é q depois q eu começei a gostar da brincadeira, nunca mais tive paralizia do sono, pra vc ver como esse mundo é injusto.

  46. Rodrigo Argôlo disse:

    Antes de mais nada queria dizer que foi uma excelente postagem, o assunto foi muito bem tratado.
    Olha, tenho paralisia do sono desde os 12 anos e até hoje tenho esporadicamente (inclusive tive essa semana). Há pouco tempo atrás li bastante sobre isso, procurando me informar melhor para entender o que estava acontecendo comigo. Fugi de tendeciosas explicações dadas por parentes que diziam que eram espíritos do mal e etc, mas só consegui encontrar respostas no Orkut, numa comunidade que aborda o tema.
    Muitas pessoas lá relatam o que sentem, algumas sentindo coisas piores e mais duradouras e outras sentindo coisas mais leves, alguns com maior frequência e outras com menor. A questão é que lá encontrei uma coisa que não achei em lugar nenhum: a maneira de ficar melhor quando se tem a paralisia do sono. Foi exatamente o que o rapaz citou no comentário 45.
    O segredo para se sentir melhor é relaxar, ficar tranquilo mesmo, ao invés de lutar para tentar movimentar alguma parte do corpo. O ideal é tentar imaginar algo, tentar ver algo, e depois de alguns segundos de horror a pessoa entra num estado muito agradável, muito mesmo, voltando a sonhar e inclusive podendo até controlar o próprio sonho. Isso acontece comigo e digo que é uma das melhores sensações que já tive na vida. Dessa maneira, já tive sonhos lúcidos, já controlei e inventei imagens e situações nos sonhos (cheguei a voar no espaço uma vez de um jeito fantástico) e no fim das contas, acordei bem.
    O único problema é conseguir se acalmar, pois às vezes as alucinações são tão bizarras que na hora fica difícil pensar que não são reais -vi figuras assustadoras entrando na porta do meu quarto algumas vezes.
    De qualquer jeito, sempre vale a pena tentar se acalmar porque ficar na paralisia do sono é muito ruim.
    Aqui vai o link da comunidade (http://www.orkut.com/Main#Community.aspx?cmm=270779)

  47. Nilson disse:

    Falha de boot… Já li muito sobre a tal paralisia. Acontece comigo e tem implicações de mitos antigos à Ufologia. Mas a expressão “Falha de Boot” do Cardoso foi uma ótima analogia. Pena que não tem ninguém para apertar a tecla RESET.

  48. Emílio disse:

    teve uma postagem ou artigo, acho que no ceticismoaberto.com ou no sedentario.org, falando exatamente sobre isso do ponto de vista cultural e histórico.
    não consigo achar agora, mas falava sobre como antigamente quando as pessoas tinham isso e sentiam sexualmente excitadas, associavam a demônios, e atualmente associam a extraterrestres.
    até dão o nome disso de estupro astral. a pessoa considera que a presença que sentem combinada ao sufocamento e a excitação sexual e imobilidade, como sendo seres de outra dimensão.
    daí como elas estão alucinando também o cérebro faz associações e preenche o vazio com preceitos culturais. pensam: não tinha ninguem fisicamente no quarto, então só pode ser do mundo dos espiritos.

  49. Lucas Batageli disse:

    ótimo post achava que eu era louco até ler isso, agora me sinto meio que aliviado
    a 5 anos atrás tive a pior e última delas acordei no meio da noite e estava com o corpo todo formigando e não conseguia me mecher, não tive nenhuma alucinação, mas aquilo me deu muito pavor, fui para o médico e estava tudo normal comigo xD (pelo menos foi o que ele disse)
    dos fatores citados tive esses na época:
    * Dormir de barriga para cima; é raro eu dormir assim mas quando acordei lembro de ficar olhando desesperado para tudo que é canto e só vi o teto e móveis próximos (deve ser aquele rapid eye movement que o texto diz)
    * Agenda de sono irregular; cochilos; privação de sono; fazer o que né ;D
    * Stress elevado; estava com muita raiva no dia
    * Mudanças súbitas no ambiente ou na vida de alguém; minha mãe ficou de saco cheio de mim e me mandou a força pra casa do meu pai
    RESUMINDO: CAGUEI MUROS DE TIJOLOS
    isso é frequente comigo (umas 7 vezes contando com essa), muitas vezes há uns 10 anos atráz eu dormia e começava a entrar em desespero suar frio e tinha uma mistura entre sonho e realinada na hora =O……a e mijava na cama (não nessa ultíma), talvez era o medo/dessespero ou porque eu não tinha o controle sobre o corpo

  50. Lurdes disse:

    Acabou de acontecer comigo, já tive outras vezes. Fico com o corpo moído, como se o esforço para acordar estivesse exaurido todas as minhas forças. É horrível. Antes achava que tinha algo a ver com ansiedade ou pânico, muito bom esse artigo.Me falaram uma vez que o espírito não volta para o corpo, algo assim. Só sei que consigo perceber o meu corpo imóvel e não consigo movimentá-lo, tento abrir os olhos, gritar e nada até que acordo detonada.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM