Escolha uma Página

As doenças cardiovasculares continuam sendo a causa dominante de mortalidade em todo o mundo, e complicações relacionadas à obesidade despertaram grande interesse em relação às dietas, incluindo dietas com baixas quantidades de carboidrato que, geralmente, são ricas em proteínas e gorduras.
Atkins diet.gifA Dieta de Atkins
Nesse cenário, o Dr. Robert Atkins, que faleceu em 2003, ainda é o rei das dietas de baixos carboidratos, num reinado que começou há quase 35 anos. Segundo Atkins, seguindo a dieta você remove toxinas das suas células, estabiliza o açúcar sangüíneo, livra-se da fadiga, irritabilidade, depressão, dores de cabeça e dores nas articulações.
Ele acreditava que se o consumo de carboidratos fosse reduzido drasticamente, o corpo seria forçado a usar o acúmulo de gordura extra para ter energia.
Eu sempre tive problemas em relação à essa dieta, mas nunca havia procurado maiores informação a respeito. Algumas coisas que eu já tinha como claras eram: apesar de parecer altamente eficiente, não há magia metabólica na dieta de Atkins, afinal, a perda de peso é inevitável quando se cortam categorias de alimentos importantes. Outro ponto importante é: como essa dieta não fornece o suficiente da fonte preferencial de energia pro corpo, os carboidratos, ele começa a decompor os próprios músculos para ter energia, ou seja, ele consome a SUA proteína.
Os efeitos colaterais dessa dieta podem incluir fadiga, náusea, dores de cabeça, constipação e mau hálito. Assim, muito do emagrecimento das primeiras semanas é o resultado de uma perda não saudável de tecido muscular e água, o que é péssimo em termos de saúde.
Além disso, prá quem quer perder peso rápido e ao mesmo tempo trocar massa (gordura por músculo) fazendo musculação, a dieta de Atkins é um tremendo tiro no pé, visto que você estará comprometendo massa magra (afinal, músculo é proteína) enquanto emagrece. Esse fator, e outras curiosidades relacionadas à dieta e treinamento físico serão abordados em alguns textos que publicarei num futuro próximo, então passemos adiante.
Não é porque é dieta, que é saudável!
ResearchBlogging.orgFiquei muito interessado quando vi um estudo tratando dos efeitos dessa dieta em modelos de arteroesclerose, o entupimento dos vasos sanguíneos que leva ao infarto. Os camundongos desse modelo são animais knockout, ou seja, não contém um gene específico. Nesse caso, o gene que codifica uma proteína chamada Apolipoproteína E, reconhecidamente importante no metabolismo de lipoproteínas. A ApoE também está intimamente relacionada a doenças cardiovasculares, e há novos indícios de relação com a doença de Alzheimer.
Os camundongos foram mantidos em dietas com baixo conteúdo de carboidratos e alto conteúdo de proteínas (LCHP), e comparados a animais mantidos ou na dieta padrão (SC), ou na dieta ocidental (WD, que contém quantidades semelhantes de gorduras e colesterol em relação à dieta LCHP). Os exames e dados foram coletados em 6 e 12 semanas.
Os camundongos da dieta LCHP desenvolveram mais focos de aterosclerose arterial, e tiveram menor habilidade de geração de novos vasos sanguíneos em resposta à isquemia (danos por falta de nutrientes/oxigênio, etc.) do tecido vascular. A imagem abaixo mostra os focos de ateroesclerose em vermelho, e fica fácil de perceber que a dieta LCHP foi realmente a mais prejucidial entre as três.
atkins1.JPG

Imagem mostrando os focos de ateroesclerose em vermelho


Ainda, a dieta LCHP reduziu de modo significativo o número de células endoteliais progenitoras (EPCs), que são marcadoras da capacidade de regeneração vascular, presentes na medula óssea e no sangue periféfico.
Em conjunto, esses dados demonstram que, em modelos animais, a dieta LCHP tem efeitos vasculares adversos que não são detectados por marcadores séricos e que macronutrientes não-lipídicos podem modular as células progenitoras endoteliais e a patofisiologia.
Eu já tinha restrições em relação a esse tipo de dieta, e agora, com esses dados, acho que é questão de tempo até os nutrólogos e nutricionistas abandonarem sua prescrição.
tofu-basil.jpgO que fazer? Há alternativa similar à Dieta de Atkins?
Existe uma alternativa à dieta de Atkins que chamam de Eco-Atkins, e consiste em usar proteína vegetal, que não teria os efeitos vistos na pesquisa que discuti no texto. O problema é: a fonte de proteína vegetal mais difundida é a soja, e, no caso dos homens, eu aconselharia bastante cuidado na quantidade que ingerem. O ideal é não abusar da soja para não correr o risco de desenvolver alguns “efeitos colaterais” indesejáveis.
Mas isso é assunto prá outro texto, fiquem curiosos até lá 😉
Para ler mais sobre a Dieta de Atkins, recomendo esse ótimo texto da HowStuffWorks, em português.
Para conhecer a Eco-Atkins, recomendo esse texto que saiu no UOL Ciência & Saúde.
Foo, S., Heller, E., Wykrzykowska, J., Sullivan, C., Manning-Tobin, J., Moore, K., Gerszten, R., & Rosenzweig, A. (2009). Vascular effects of a low-carbohydrate high-protein diet Proceedings of the National Academy of Sciences, 106 (36), 15418-15423 DOI: 10.1073/pnas.0907995106

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...